G-8 se reúne para a definição do salário mínimo | Fábio Campana

G-8 se reúne para a definição do salário mínimo

Do Blog da Joice

O G-8, grupo que reúne as principais entidades patronais do Paraná, defende a inflação como referência para a definição do salário mínimo regional. Os empresários formalizaram o pedido ao Secretário Estadual do Trabalho, Luiz Cláudio Romanelli, em reunião realizada nesta segunda feira (21/02). Segundo o secretário, como as conversas começaram há pouco tempo ainda há divergências, com os trabalhadores pedindo um índice que some a inflação mais o crescimento do PIB do ano passado. Ele cita como outra possibilidade um estudo desenvolvido pelo Ipardes, que propõe um índice intermediário.

Apesar das diferenças, Romanelli acredita num consenso. Um primeiro esboço do ante-projeto do novo mínimo regional já circula pelas secretarias do governo. Ele já foi analisado pela Secretaria do Trabalho e chegou na sexta (18.02) à secretaria do planejamento. Depois de feita uma análise sobre o impacto do reajuste no orçamento do governo, o texto segue para a Secretaria da Fazenda. As entidades patronais lutam para que o reajuste do mínimo regional seja o menor possível. Os empresários afirmam que o salário já é o maior do país e está já muito acima do valor atualizado do salário mínimo nacional, já aprovado pela câmara dos deputados e está em discussão no senado federal. A argumentação das entidades patronais é que, embora o índice não seja aplicado diretamente a todos os trabalhadores, ele serve de base para todas as negociações salariais que vêm depois da definição.

O presidente da Fetranspar – Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná, Luis Anselmo Trombini, afirma que é preciso haver equilíbrio na definição.

O prazo para a definição do valor é dia 20 de março. Até lá, o ante-projeto tem que estar redigido para ser enviado à assembléia legislativa.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*