Consequência nefasta | Fábio Campana

Consequência nefasta

Uma das piores heranças que o governo passado deixou foi a questão da segurança pública. Os índices de homicídio do Paraná estão três vezes maiores que os de São Paulo.

Essa calamidade decorre tanto de uma política ineficiente quanto do déficit gigantesco no contingente policial. Suprir esse déficit e atender outras demandas do Estado se torna difícil em função do descontrole de gastos do governo anterior identificado pela matéria da Folha.

Silenciar sobre o fardo que recebeu de Requião é um risco político muito elevado. Beto será cobrado no futuro e entre os principais cobradores estarão o ex-governador e seus principais sequazes.


18 comentários

  1. quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 11:42 hs

    se o governo tivesse a atitude de tirar os militares apadrinhados dos cargos administrativos porteiros telefonistas e motoristas teria um efetimo maior na rua de 30% isso é quase 10.000 policiais em cargo desviado com salario no minimo R$ 2500,00 pra telefonista e porteiro ta maravilhoso sem contar 300 policiais que não trabalham e participam só da banda de musica isto é jogar o dinheiro publico e a segurança no lixo.

  2. Jorge Luiz
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 12:00 hs

    Querem exigir do policial até o limite, como se ele fosse uma maquina perfeita que nunca erra…

    O que o policial precisa é de um salário decente!!!

  3. João
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 12:02 hs

    Na verdade existem vários “piores”. Na segurança, na educação (veja o estado lastimavel de muitas escolas), na saúde, na cultura (pobre Teatro Guaíra e suas inexistentes atividades), no Porto de Paranaguá, enfim um “rosário” de incompetências.
    E a população paranaense vai manter o ex governador no Senado? É necessário que as forças atuantes do Estado iniciem movimentos para defenestrá-lo da política.

  4. quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 12:04 hs

    O gardenal e o anaozinho juntos…..deu nisso aí….arrebentaram a segurança pública do estado…a incompetência descomunal aliada à arrogância indescritível de ambos não poderia ter culminado em coisa diferente…..não podemos deixar essa dupla voltar nunca mais…..

  5. quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 12:15 hs

    Nós que trabalhamos no dia a dia nas delegacias sabemos o caos que esta instalado no PR, delegacias sucateadas, super lotaçao de presos, policiais 24 horas cuidadando excusivamente de presos e corrente risco de vida, cidade(municípios) sem nenhum PM e PC, vergonhoso, e vem falar que Seg Pública era 10 no PR, esses hipocritas, que só falam, mas não agem, espero que o Beto, tenha força de vontade e sabedoria para cuidar da nossa Segurança, porque os governos passados só fizeram asneiras.

  6. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 12:31 hs

    O que infla os indices de crimes,é curitiba e foz,cidades a anos dirigidas pelo psdb e demos,porque o interior paranaense,com escessão de algumas ilhas tem criminalidade baixa.
    Se o governo tem culpa,o prefeito tambem,Londrina hoje é dez vezes menos violenta que Curitiba,agora o sr Beto Richa tem culpa sim senhor,enquanto Requião era governador,ele foi o prefeito de Curitiba,e as obrigações de manter sua cidade sem violencia,parte das ações tem que ser do prefeito.Hoje todo o parana é dirigido pelo psdb,veremos.

  7. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 12:52 hs

    Passou da hora do Beto Richa – se é que vai fazer -, DENUNCIAR os problemas e irregularidades encontradas ao assumir.

    São 45 dias de governo.

    NENHUMA LINHA sobre a TV Educativa, Celepar, Copel, Cohapar, Porto de Paranaguá e outros.

    Beto, durante a campanha, havia falado de DESVIOS e de Irregularidades.

    Não deu tempo de verificar?

    Estranho, muito estranho.

  8. Leonardo Aparecido Alves
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 13:09 hs

    não adianta dizer que são privilegios dos grandes centros, os pequenos municipios tambem estão entregue as baratas, o consumo de crack e assustador, as pequenas cidades não tem policiais civis, e apenas um pm em cada cidade, escalas de 24 horas, coisa inadimissivel, pois, e humanamente impossivel se combater o crime nessas condições, estão assassinando os policiais com escalas que chegam a (pasmem) 300 horas por mês…..sem contar o salario de fome que recebem…..

  9. Claudinei
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 13:14 hs

    Brasil bate recorde de notícias censuradas no Google

    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia/2011/02/16/brasil-bate-recorde-de-noticias-censuradas-no-google.jhtm

  10. Edilson
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 13:21 hs

    Não concordo com oSr, Marcos Cley, qdo diz que se tirar o PMs que estão em desvio de função, ” isso daria quase 10.000 PMs a mais nas ruas”. Isso mostra o quanto o Sr. esta desinformado, porque o efetivo total da PMPR ( pms, rodoviários, policiais ambientais e bombeiros), não passa de 19.500. Com esse efetivo que o Sr. diz, o efetivo total então teria que ser mais de 30.000 homens. Mesmo que o governo contrate 1000 por ano, no término do governo, não teríamos 25.000 Pms. Não precisa ser nenhum PHD, ou expert em segurança pública, para saber que se tivermos mais policiais nas ruas a criminalidade com certeza vai abaixar, aliado a isso a boa formação e sálarios dignos aos policiais. Porque até hoje spo tenho ouvido em aumentar efetivo, comprar armas modernas, mais viaturas, etc…mais sai governo e passa governos e o discurso é o mesmo, nunca ouve-se em pagar melhores salários, isso representante de governo nenhum fala.

  11. Edilson
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 13:32 hs

    E digo mais, a Policia do Paraná, é uma das mais mal pagas no Brasil. Não adianta criar batalhões a mais, se não temos policiais para suprir a falta e colocar nessas unidade que estão sendo criadas, “é tampar o sol com a peneira”. A PEC 64 foi por água abaixo, todos o policiais do Paraná esperavam que o Governo Estadual com a aprovação da ALEP, a colocasse em prática. Enquanto isso temos seguranças, motoristas, e moças que servem cafezinho na Assembléia Legislativa do Paraná, que ganham de 6mil a 10 mil por mês, enquanto um soldado da PMPR ganha 1900,00 líquido por mês. A policia é a malha protetora de qualquer sociedade organizada, armada e treinada para defende-la.Se quizer-mos ter segurança e ter uma policia bem estruturada e bem treinada, motivada para o trabalho, temos que pagá-la bem, senão com certeza vamos ficar a mercê da bandidagem. A coisa vai piorar, podem ter certeza.

  12. Simplicio Figueira
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 14:00 hs

    Como já dizia o Profeta Lula da Silva :
    Nunca na história deste país, existiu uma Secretaria de Segurança tão leniente como a do Governo anterior.
    Coitado do Beto e do Reinaldo, pegaram uma barco afundado, sem chance de navegar tão cedo.

  13. LuAtena
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 14:08 hs

    E não se pode esquecer de um detalhe muito sórdido que ocorre no Brasil – a mesma pessoa que prende também custodia. A Secretaria de Segurança Pública não tem meios viáveis para dar conta dessa população carcerária, ainda investigar, prender…. O CNJ já tá em cima, mas o que fazer se na Secretaria de Justiça o Sistema Penitenciário também está sucatiado?? Herança de pelo menos 100 anos de descaso com a questão – agora o monstro cresceu – e vai ficar pior!

  14. João Paulo
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 14:32 hs

    Caro Silvestre,
    Só não devemos esquecer que FOZ é uma típica cidade de fronteira, cujos problemas decorrem da falta de controle das divisas nacionais com outros países. Isto é, plena (in)competência do Governo Federal. Jogar nas costas do prefeito, é pura maldade.
    Já em Curitiba, o problema tem outro nome: Região Metropolitana, para os íntimos: RMC. Os Municípios que a formam, aliás, são governados por prefeitos de várias facetas político-partidárias. Não quero, com isso, dizer que a culpa seja dos prefeitos da RMC e não do de Curitiba. Pelo contrário, o crime aqui se prolifera pelas próprias características de um grande conglomerado urbano industrial: vasto fluxo de pessoas, indo e vindo, vasto território, maior circulação de dinheiro, facilidade de ocultação. Isto se dá em qualquer lugar do mundo, a diferença é a forma com que os governos lidam com o problema.
    Investigação policial adequada e eficiente, penitenciárias em número suficiente e leis adequadas é o que estão faltando para resolver esta questão. O que não se vê é que nunca vão haver policiais militares o suficiente enquanto os criminosos: 1) não forem descobertos, processados e condenados e 2) se presos, forem logo soltos, sem qualquer recuperação.
    Os dois primeiros quesitos – investigação e penitenciária – são de competência, sim, do Governo do Estado, o último é de atribuição do Governo Federal.
    A Polícia Civil, não bastasse estar abandonada, reduzida e sucateada, ainda tem que cuidar de um enorme contingente de presidiários, entre provisórios e definitivos, em suas instalações. Um verdadeiro absurdo. Um clima de tensão permanente, transformando o policial de investigador em agente penitenciário.
    Por outro lado, as leis penais e processuais penais no Brasil são absurdas, sofrendo exagerada influência da mentalidade de advogados criminalista influentes, que, muitas vezes, sob a capa de jurista e defensor dos direitos humanos, agem e discursam pensando, na verdade, no próprio bolso, criando “cascas de banana” e “abacaxis” na legislação para facilitar seu trabalho posteriormente, para o amargo “deleite” de policiais, promotores e juízes, que têm seus trabalhos cada vez mais dificultados. Fora, o eterno fantasma da prescrição, que, na minha humilde opinião, não deveria ser calculada com base na pena do crime, mas ser única, 30 anos para qualquer crime.
    Enfim, diante de tanto problema, jogar nas costa dos prefeitos é muita má-fé, são os que menos têm responsabilidade nessa paçoca toda. Acuados, quase nada podem fazer com suas guardas municipais. Estas, aliás, algumas vezes tornam a situação pior do que se não existissem, com agentes mal preparados e armados por aí.

  15. John James Preston
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 14:48 hs

    Fabio,

    Votei no Serra, Beto, Ricardo, Gustavo, legenda 45 tanto para federal quanto para estadual.

    Tenho profundo respeito pela historia e trajetoria de vida do menino Richa.

    Rezo todos os dias (sou catolico) para que Deus ilumine o Beto e o auxilie nessa jornada que sera’ combater o crime no PR.

    Creio que o Beto sera’ duramente cobrado em 2 temas:

    Seguranca publica e Desenvolvimento.

    Na seguranca, ele tera’ de apresentar resultados contundentes, arrisco dizer que a ponto de podermos voltar a dirigir por Curitiba sem o medo constante de sermos assaltados e/ou sequestrados (relampago).

    No desenvolvimento, cabera’ ao Beto conseguir restaurar o ambiente de confiabilidade juridica, que o Duce das Mamonas destriui.
    Tera’ de articular muito bem industria, comercio, infra-estrutura, agricultura e meio ambiente.

    Na questao desenvolvimento, me parece que esta’ tudo bem encaminhado. Todos os secretarios sao de primeira linha.

    Na questao seguranca, ate’ agora nao observo indicativos de que temos encaminhamentos…

  16. Policial Norte PR
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 14:49 hs

    Vcs querem a verdade? Hoje o policial se dedica mais no seu “bico” ou nos estudos para sair da polícia… pq com esse salário miserável fica complicado criar uma família. Falo por experiência própria…

    Abraços!!

  17. cezar
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 14:55 hs

    Há 37 anos passados qdo entrei na gloriosa PM me disseram q a PM era capacho do governo, passou os 37 anos e ela continua sendo capacho do governo e vai passar mais 37 e continuará sendo capacho do governo, total: 111anos.

  18. AGUAVE
    quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 – 15:56 hs

    Vocês querem saber porque os funcionários públicos do PR são mal remunerados:
    TABELA COMPARATIVA – ICMS/POPULAÇÃO – 2009
    ESTADOS ICMS POPULAÇÃO MÉDIA
    SP 76.513.317.181 40.935.326 1.869
    MG 22.002.958.233 19.798.130 1.111
    RJ 20.613.816.569 15.355.607 1.342
    RS 14.733.239.412 10.902.112 1.351
    PR 12.243.655.097 10.633.673 1.151
    TOTAL 146.106.986.492 97.624.848 1.497

    A grosso modo constata-se que em 2009 houve sonegação
    de cerca de R$ 3.679.000.000 em ICMS no PR
    (1.497-1.151= 346 x 10.633.673)
    Se comparar com o RS, seriam R$ 2.126.000.000
    Note bem quem sonega não é a população e sim o os responsáveis pelo repasse ao governo, no caso as empresas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*