Assembleia terá economia de 40% | Fábio Campana

Assembleia terá economia de 40%

Respondendo à suspeita de que o projeto de lei aprovado ontem, que altera a simbologia dos cargos DAS para G, permitiriam o aumento do gasto da Assembleia com os funcionários comissionados, o presidente da Casa, Valdir Rossoni (PSDB) garantiu, nesta quinta-feira, que a lei gerará uma economia de 40% com os vencimentos dos comissionados.

Segundo Rossoni, a medida foi necessária para regularizar “redução drástica” no número de cargos comissionados. Ele alegou que, com a extinção dos DAS (que têm vencimentos fixos) e a transformação de todos os cargos em G, a administração da Casa terá mais flexibilidade para contratar somente os funcionários que considera necessário, por salários correnspondentes à função. A promessa é reduzir em, pelo menos, 60% o número de cargos em comissão.

“Agora, com a unificação de todos os cargos sob uma única simbologia e a definição dos tetos salariais dentro de uma hierarquia muito mais racional, a Comissão Executiva encontra segurança jurídica na confecção da folha de pagamentos”, diz nota emitida pela assessoria de imprensa da Assembleia, que classifica a medida como o primeiro passo da reforma administrativa prometida pela Casa.


6 comentários

  1. Duval Simões Araújo-Londrina
    sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 – 14:12 hs

    OLHA ESSA CAMPANA:
    Se aplicar regra do STF, Câmara fica sem 29 deputados
    Agência Estado
    A determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a substituição de deputados em licença tem potencial para deixar 14 estados sub-representados na Câmara, caso prevaleça o entendimento, ainda provisório, de que a vaga do titular afastado tem de ser preenchida por integrante do mesmo partido. Neste mandato, 29 deputados eleitos não contam com suplentes em seus partidos. Caso saiam para exercer cargo em secretarias estaduais, municipais ou ministérios, não terão substitutos da mesma legenda, de acordo com a regra que vem sendo adotada pelo Supremo.

    Desde o ano passado, a Corte e a Câmara travam uma disputa sobre os suplentes. A Câmara segue a ordem da lista de eleitos encaminhada pela Justiça Eleitoral, o que leva em conta as coligações partidárias para preencher as vagas dos titulares afastados. Nos últimos dois meses, a Mesa da Câmara tem cumprido as liminares do Supremo e empossado suplentes do mesmo partido do titular, mesmo que eles não estejam no topo dos mais votados.

    Além dos 29 deputados eleitos sem suplentes em seus partidos, a distorção da composição federativa pode ser maior se for levada em conta a situação em alguns Estados nos quais o afastamento de dois titulares deixaria o partido sem substituto. O levantamento foi feito pela assessoria do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS).

    “A Câmara ficar com cadeiras vazias já é um fato inusitado. Legislativo e Judiciário precisam encontrar uma solução para não haver constrangimentos”, disse Marco Maia. O líder do DEM, deputado ACM Neto (BA), propõe um acordo com o Supremo para acabar com as coligações nas eleições proporcionais, mas mantendo a validade das coligações das eleições de 2010.

    A JUSTIÇA CADA VEZ SE DESMORALIZA MAIS NO PAÍS!

  2. Marcão
    sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 – 14:19 hs

    Flexibilidade para contratar quem julgar necessário? Por acaso os deputados achavam desnecessários os fantasmas?!?!?!

  3. JUSTICEIRO
    sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 – 14:41 hs

    Para acabar com as distorções é preciso criar e aprovar um projeto de lei impondo a paridade salarial entre os tres poderes; Executivo, Legislativo e Judiciário, O resto é demagogia.

  4. laura
    sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 – 15:19 hs

    Qual a economia da presidencia c as medidas moralizadoras. Ouvi dizer que o aumento e superior a 400 por cento.

  5. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 – 18:15 hs

    Pronto sr rossone,manda o dinheiro pro hauli(cuidado com o andor que o santo é de barro)quarenta por cento já dá para molhar sua mão

  6. Tiago
    sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 – 18:26 hs

    Coloca folha de pagamento antiga e a nova no portal da transparência, depois a gente conversa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*