Tucano não trata de cargos antes da eleição | Fábio Campana

Tucano não trata de cargos antes da eleição

Por Roger Pereira, do Paraná-online

Mesmo depois do fim da candidatura, nunca oficializada, de Nelson Garcia (PSDB) à presidência da Assembleia Legislativa, o deputado Valdir Rossoni (PSDB), candidato único ao cargo, foi cauteloso ao comentar a eleição da próxima terça-feira, quando iniciam-se as atividades da próxima legislatura.

“Vamos ter a tranquilidade de aguardar a eleição. A candidatura está bem encaminhada, mas só vale depois da votação”, declarou em Caiobá, onde passa o último final de semana de férias com a família. Sobre a desistência do suposto adversário, Rossoni, novamente, foi diplomático.

“Quero agradecer o apoio que recebi do Nelson. Não esperava outra atitude, pois já tínhamos conversado e a bancada já tinha manifestado apoio à minha candidatura. O desejo dele de disputar a presidência era legítimo, mas prevaleceu a unidade”, disse Rossoni disse que nem ele nem o governador Beto Richa (PSDB) tiveram que ceder a qualquer tipo de pressão para evitar o bate-chapa.

Nos bastidores, comentava-se que a candidatura de Garcia era alimentada por deputados insatisfeitos com o governador por não serem atendidos nas indicações para cargo do segundo e terceiro escalões do governo.

No rol de entusiastas da chapa de oposição também estariam os funcionários da Assembleia, que reclamaram de Rossoni por não terem sido recebidos pelo deputado para tratar dos cargos na direção da Casa.

“Não recebi mesmo, só vou conversar com eles depois da eleição. Eu não posso convidar alguém para fazer parte da minha equipe antes de eu ser eleito. Tudo bem que vou ser eleito e uma hora depois já vou assumir, mas, mesmo assim, adotei essa postura. Não conversei com ninguém sobre cargos mesmo, mesmo deixando alguns mais ansiosos bem chateados”, disse.

Rossoni foi lançado candidato único à presidência da Assembleia no ano passado, após uma costura que envolveu a desistência do DEM de disputar o cargo, com a indicação de Durval Amaral para a Casa Civil do governo Beto Richa, e uma acomodação do PMDB, com Luiz Cláudio Romanelli indo para a secretaria do Trabalho.

Nos primeiros dias de 2011, surgiu extra-oficialmente a candidatura de Garcia, alimentada por descontentes com as nomeações de Beto Richa e a postura de Rossoni.

Foram quase três semanas de especulação, mas nenhuma declaração do próprio Garcia de que disputaria com Rossoni e, muito menos, de qualquer deputado manifestando apoio. Até que, na quinta-feira, em nota oficial, Nelson Garcia afirmou que apoiará a eleição de Rossoni.

Presidente estadual do PSDB, Rossoni prometeu dirigir a Assembleia com firmeza e fazer “um trabalho sério, coerente e transparente”. Prometeu interiorizar a Assembleia, abrí-la à população e modernizá-la.

“Vocês vão se surpreender com as mudanças que vou implantar”, disse. Questionado sobre se o tema da aposentadoria especial para ex-deputados voltaria à pauta da Assembleia, Rossoni disse que não falará sobre o assunto até o dia 1.º de fevereiro.


11 comentários

  1. DO LITORAL
    sábado, 29 de janeiro de 2011 – 17:20 hs

    NÃO SEI PORQUE TANTA POLÊMICA NA ELEIÇÃO DA ALEP, POIS SE O PMDB JÁ ESTÁ NO BOLSO. SE O BETO NÃO CONSEGUIR ACALMAR OS TUCANALHAS NO NINHO, ENTÃO QUE DEIXE O FLÁVIO ASNO TOCAR O BARCO.

  2. JAQUIM
    sábado, 29 de janeiro de 2011 – 17:44 hs

    Chapa única: sinal de democracia ou ditadura ? Ninguem para apresentar uma proposta alternativa….tá tudo dominado!!

  3. Marcão
    sábado, 29 de janeiro de 2011 – 19:39 hs

    Não trata? Mas se é só disso que se fala?!?

  4. bicho do paraná
    sábado, 29 de janeiro de 2011 – 21:06 hs

    DEMOCRACIA…
    DITADURA…..
    DEPENDE O MODO COMO SE INTERPRETA
    AGORA SE POR UMA CHAPA QUE NÃO TEM SUPORTE PRA AGUENTAR O ROJÃO CONTRA AS FALCATRUAS DO REQUIÃO.É MELHOR DIZER DITADURA, MAS SE TIVER OUTRA CHAPA QUE TENHA CORAGEM DE POR A TONA TODAS AS COISAS ERRADAS DO GOVERNO MARIA LOUCA QUE SE APRESENTE DAI DIZEMOS
    DEMOCRACIA…ENTENDEU MEU CHAPA??????

  5. gordo
    sábado, 29 de janeiro de 2011 – 22:08 hs

    vamos falar a verdade o Rossoni é o único que tem coragem de Botar a casa em Ordem e acreditem é o cara que vai fazer o que o Governador quer……paguem para ver………

  6. domingo, 30 de janeiro de 2011 – 0:52 hs

    Quando a pressão para que Beto Richa fosse vice do Osmar, que supostamente não seria a hora do Beto ser candidato ao governo do estado, Rossoni foi o baloarte, que acreditou que Richa estava preparado. Foi quem mais acreditou. Acredido no governo do Beto e Rossoni na Assembléia só irá somar.

  7. gilberto
    domingo, 30 de janeiro de 2011 – 9:57 hs

    eleger rossoni é o mesmo que “por outro”, o calibre é o mesmo é um currpto tão grande quanto aos anteriores, esse tipinho só irá servir para ganhar dinheiro pra sí e esconder as falcatruas que o governo atual começou a fazer assim como o do requião fez.

    Assim dessa forma “tanto fez quanto faz” o Paraná será surrupiado como foi desde 1982, nessa época eu era criancinha é ja via os absurdos!!!

  8. gilberto
    domingo, 30 de janeiro de 2011 – 10:05 hs

    Coitados dos paranaenses.

    O deputado estadual Valdir Rossoni, do PSDB, poderá ser eleito na próxima terça-feira (1) presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) caso não ocorra nenhuma surpresa de última hora.

    Alguns chegam a forçar a barra para tentar encaixar o tucano num modelito que não lhe cai bem: o de defensor da moralidade, da transparência e do zelo com a coisa pública.

    Seria a mesma coisa que tentar vender Paulo Maluf como a renovação, exemplo de ética e de honestidade. Não cola.

    O histórico de Rossoni é eivado de imoralidades encobertadas por setores da mídia que, no último ano, questionou a contratação de funcionários fantasmas, gafanhotos e o desvio de dinheiro da ALEP.

    Foi na gestão de Rossoni, na 1ª Secretaria da Assembleia, em 2002, que duas agricultoras do município de Cerro Azul foram contratadas como funcionárias fantasmas. Elas ocuparam páginas e mais páginas dos jornais, no ano passado, como símbolo da corrupção que imperava no legislativo estadual. A tungada nos otários (em nós, contribuintes) neste caso chegou a R$ 1,6 milhão.

    Pesa ainda sobre o tucano a acusação de que ele teria autorizado uma funcionária do gabinete dele morar por dois anos na Inglaterra à custa da Assembleia, ou seja, com o dinheirinho de todos nós paranaenses.

    O candidato à presidência da Assembleia também mantinha com dinheiro da Assembleia piloto de um avião particular.

    Em 2007, depois de denúncias, o então governador Roberto Requião (PMDB) cancelou a transferência ilegal ao deputado Rossoni de áreas de reflorestamento da Paraná Ambiental, que pertencia ao Banestado.

    Antes, porém, em 2001, quando integrava a tropa de choque do ex-governador Jaime Lerner, o parlamentar do PSDB fez tudo o que pôde e não pôde para vender a Copel. Não conseguiu porque o povo não deixou.

    Rossoni é solução para moralização da Assembleia? Pobres dos deputados, infelizes dos funcionários da Casa, coitados de todos nós paranaenses.

  9. bicho do paraná
    domingo, 30 de janeiro de 2011 – 12:03 hs

    esse gilberto tem titica na cabeça alem de ser mau humorado tem pouca massa cefálica ,tanto que sem opinão propria teve que copiar a materia do blog do esmael ,,,que tambem é sem cultura,pra por aqui…
    notem que o comentario acima dele foi tirado da sua tarimba tanto que saiu aquilo tudo…
    não sabe nem votar ,se não acredita no paraná vai la pra bahia ,,,,
    aleás é gilberto bakri?????
    ou hussein gilberto?????
    não entendi,só sei que tem titica…..
    ROSSONI A VOZ QUE SOPRA DO SUL!!!!!!

  10. Amelio ral aas
    domingo, 30 de janeiro de 2011 – 16:10 hs

    Será que o rossone fez barba com um facão cego?

  11. segunda-feira, 31 de janeiro de 2011 – 9:41 hs

    Nós (a grande maioria) aqui da região de União da Vitória e da região não estamos nada interessados no que muitos dizem a respeito do Valdir Rossoni. Ele tem defeitos e virtudes como todos os políticos. Nossa região, no contexto eleitoral do Paraná, com mais de sete milhões e meio de eleitores chega a ser quase um zero à esquerda. Por isso, apesar das “adversidades” políticas do parlamentar aqui na região, torcemos pela sua vitória, que nos dará representatividade política. Se ele tem ou não culpa naquela “confusão” de nomeações e produção de Diários Secretos, para nós, é assunto da Ministério Público.
    A verdade é que a partir do dia 1º de fevereiro de 2011, pelo menos pelos próximos dois anos, o pequeno município de Bituruna, que produz um bom vinho e a nossa região, históricamente tão importante no contexto econômico do Paraná, mas ignorada pelos mal informados “dinossauros” do jornalismo paranaense (perdoamos os mais jovens), terá significativa e forte representativa política.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*