Sobre cargos e prebendas | Fábio Campana

Sobre cargos e prebendas

O assédio por cargos e prebendas é grande no Palácio das Araucárias. Pressões de todos os lados e pedidos dos mais variados matizes. É a vida no novo governo. A turma de Londrina manda recado pelos jornais de que está insatisfeita com a atenção recebida. Questionado sobre o tema, o governador reafirmou nesta quarta-feira (26) sua condição de londrinense da gema e que a cidade e a região estão atendidas no primeiro escalão com posições importantes na secretaria da Fazenda, a cargo de Luiz Carlos Hauly, e Casa Civil, sob responsabilidade de Durval Amaral.

“Fora isso é fisiologismo e eu não sou agência do Sine. Sou governador”, respondeu Richa na coletiva de imprensa concedida antes de assinar ordem de serviço para a construção de 634 casas em Pinhais, num projeto que integra o PAC e será realizado em parceria com o governo federal e o município.


13 comentários

  1. Edson
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 15:22 hs

    Beto Richa é governador de todos os paranaenses e… só para lembrar, também é de Londrina.
    Portanto, a “turma de Londrina” deve comemorar, por estar na cupula do Governo.

  2. David
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 15:49 hs

    Nao é agencia do Sine, mas aposto que alguem saiu pelo interior recrutando “voluntarios” durante a campanha.
    Afinal, quem conhecia o Beto no interior? Ninguem!

  3. pe de mesa
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 16:22 hs

    Só se ve funcionários da prefeitura nas secretarias..

  4. Tatiana
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 17:12 hs

    As nomeações políticas tem que acabar antes que elas acabem com o Paraná. Precisamos de capital intelectual que detenha tecnologia operativa. Não dessa gente que parece cego em tiroteio esperando que alguém apareça para dizer o que fazer. Isso não vai dar certo…

  5. ÉTICO
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 17:18 hs

    Não me lembro de Lei que autorize o executivo a contratar ou nomear alguém única e exclusivamente por ter participado como voluntário ou remunerado em campanha eleitoral.
    Como sabemos a Administração Pública, por princípios constitucionais, só pode executar aquilo que está autorizada a fazê-lo.
    Como dizem: na Administração Pública só de pode fazer o que esta previsto em Lei, já na iniciativa privada tudo pode desde que não esteja proibido em Lei.
    Para a convivência em sociedade há necessidade de estabelecimento de normas e regras.
    Isso são valores éticos. Ou se tem ou não se tem. Ou cumpre-se (ético) ou não se cumpre (sem ética).
    Se cobramos dos outros comportamentos éticos, também temos que te-los.
    Tenho dito e praticado.

  6. quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 18:08 hs

    Infeliz esta colocação do Sr.Governador, foi feita uma campanha muito bem trabalhada com muito idealismo e muitas situações o que parecia ser seleção natural pela representatividade exercida dentro de um município,simplesmente ficou em brancas nuvens! Não e questão de cargo Sr.Governador e sim que algumas pessoas gostariam de participar do seu governo por terem construído sua vitoria JUNTOS!

  7. sem vasilina
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 18:37 hs

    Essa turma é muito burra, intimar o Betão pelo jornal? Pô Molina, achei que vc tinha algum valor, mas pelo jeito, está desesperado como todo o resto do PSDB Londrina. Pelo jeito a reunião da semana que vem já éra! Será que vai ter alguém de peito, macho mesmo para dar de dedo no Alberto Roberto??????? DU-VI-DE-O-DÓ. O bom senso mandar colocar o RABINHO entre as pernas e fazer um churrasquinho para comomorar os novos tempos do Paraná. Ui, essa dueu……..

  8. sem vasilina
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 18:38 hs

    E isso aí Richa, deu o recado, será que ainda não entendenderam???

  9. Marina
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 19:02 hs

    Vamos combinar….que naum é fácil ter que engolir Durval, Traiano da vida neste Governo..ah..naum é naum…..
    cargos importantes como estes naum podem ficar na mão de gentalha…
    Ninguém merece!!!!!!!!!!!1

  10. Ricardo III
    quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 – 21:37 hs

    Quem ensejou essa mendicância palaciana foi o próprio Beto. Quando nomeou o porta voz do Requião para o Trabalho mandou a seguinte mensagem: “tem lugar prá qualquer um”.

  11. Estamos curtindo
    quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 – 3:53 hs

    Pra nós do PMDB tá bom, vamos completar mais quatro anos no governo hehehe estou comissionado há 8, com mais 4, finalizam 12, acho que depois dá até pra aposentar hehe

    Isso aí Beto continue assim, deixa agente trabalhando, acabei de financiar meu carro novo, faça-me o favor hein, votei no Osmar mas agoro somos seus amigos, junto do Romanelli, of course.

    xupa que é de uva tucanada kkkkkkk

  12. marcão
    quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 – 9:36 hs

    Pelo menos a parentada já está garantida! Vai ter até aposentadoria pelos serviços prestados!!!

  13. valéria prochmann
    quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 – 9:48 hs

    Descobri por acaso, quando executava um trabalho, que desde 2000 o Ministério da Ciência e Tecnologia constitui “comitês de busca” para selecionar profissionais de alto nível para cargos de direção de seus órgãos científicos e tecnológicos. O comitê designado pelo ministro faz um levantamento de profissionais com o perfil desejado, respectivos currículos e planos de ação para o órgão, além de fichas limpas. Após detida análise, uma lista tríplice é submetida ao ministro, que com base nesse processo toma a decisão de nomeação. Vejam aí a notícia e me digam se não é interessante… se poderia servir de modelo para aprimorar a meritocracia e reduzir a politicagem nas nomeações para cargos públicos, com ganhos para o próprio governo e a sociedade.

    Instalado Comitê de Busca para seleção de diretor do INT
    25/01/2011
    O Comitê de Busca, instituído com base em Portaria Ministerial, indicará nomes ao ministro da Ciência e Tecnologia para a escolha do dirigente do Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCT), do Rio de Janeiro, nos próximos quatro anos. O comitê avaliará as candidaturas com base nos currículos e nos planos de trabalho entregues. Ao final, o grupo elabora uma lista com até três nomes e envia ao ministro de C&T. Esta lista é sigilosa e apenas o nome escolhido será divulgado.
    O comitê de especialistas é presidido por Odilon Antonio Marcuzzo do Canto, da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (Abacc), e tem como membros Carlos Augusto Grabois Gadelha, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); Carlos Tadeu de Costa Fraga, do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes/Petrobras); João Carlos Ferraz, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e Lúcia Carvalho Pinto de Mello, do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE/MCT).
    Os Comitês de Busca foram instituídos em 2000, visando subsidiar o ministro na escolha dos dirigentes de todas as Unidades de Pesquisa do MCT. A seleção ocorre entre membros das comunidades científica, tecnológica e empresarial, buscando-se nomes que se identifiquem com as diretrizes técnicas e político-administrativas estabelecidas para o Instituto.
    O INT passa pela terceira vez por esse processo. Da última vez que foi constituído, no final de 2006, o comitê avaliou 10 candidatos. Elaborada a lista tríplice, o então ministro Sergio Resende escolheu o atual diretor do INT, Domingos Manfredi Naveiro, empossado em maio de 2007.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*