Rubens Bueno é o novo líder do PPS na Câmara Federal | Fábio Campana

Rubens Bueno é o novo líder do PPS na Câmara Federal

O deputado federal Rubens Bueno (PR) é o novo líder do PPS na Câmara. Ele foi eleito pela unanimidade dos parlamentares presentes à reunião. Entre as prioridades de Bueno no cargo está a defesa da implantação do parlamentarismo no país. O modelo, diz ele, seria adotado após a realização de uma reforma política – “a mãe de todas as reformas, como dizia Tancredo Neves”.

Para Bueno, é preciso abandonar o “presidencialismo imperial” que vigora no Brasil. “E com o parlamentarismo o eleitor votará em programas, não em pessoas. É um ganho de qualidade para a política que não podemos desprezar”.


19 comentários

  1. PAULO
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 16:27 hs

    EITA PARTIDINHO RUIM DE LIDERANÇA, HEIN!!!!!

  2. mario joao antunes
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 16:45 hs

    ESTE PAULO QUE ESCREVEU É UM MALA, QUEM FEZ MAIS DE 120.000 VOTOS, É DO PARANA, DEVERIA SER ORGULHO PARA TODOS PARANAENSES..

  3. PERCI LIMA
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 16:49 hs

    QUE O “SEO” RUBENS BUENO NOS DIGA, COMO ELE PRETENDE EXPLICAR PARA O METADE DA POPULAÇÃO BRASILEIRA, ANALFABETA E OU SEMI-ANALFABETA, O QUE SIGNIFICA PARLAMENTARISMO E COMO É A SUA FUNCIONALIDADE.

    Ô RUBENS BUENO, VAI LAVAR O PÉ E DORMIR, VAI RUBENS BUENO!

  4. José Diniz
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 17:26 hs

    Lindo discurso do Voto Limpo, mas…na prática… deixá prá lá!!!!

  5. Ricardo III
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 17:45 hs

    O presidencialismo (atual) não foi decidido por plebiscito ? Será que eu estou enganado ? Porquê vamos gastar mais um monte de dinheiro público para perguntar, novamente, o que já foi decidido ? Isto talvez seja uma boa estratégia para aparecer na mídia.
    Rubens, espere seu partido chegar à presidência e aí proponha outro plebiscito, ou sua intensão é provocar aquele que te chamou de “gata no cio” quando daquele entrevero no aeroporto da sua cidade. Ele é presidencialista.

  6. edna
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 18:05 hs

    Começou mal. O PPS perde em numero de deputados para o PSDB,PT,PTB,PP,PR,PSB,PSC,PcdoB e o PV. O ‘charrope” ai vai liderar uma turma de meia duzia de deputados. Piada pronta o lider do PPS é o do PSDB ou do DEM

  7. Cidinha
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 19:52 hs

    O partidinho de aluguel, com um lider destes…kkkkk.

  8. JANGO
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 19:52 hs

    Se colocaram este na liderança imagine o nível dos demais. “vixe maria”

  9. Borduna
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 21:25 hs

    O Brasdil seria governado pelo baixo clero da câmara e pelo senado de Sarney, ACM, Barbalho, Aruda, etc etc, em que até o painel de votações se fraudou….Brasiuuuuuuuuuuuuuuuuu.

  10. Jango
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 21:26 hs

    O estudo do nosso desenvolvimento histórico revela que o Brasil – ao contrário dos Estados Unidos, cujos estados uniram-se numa federação – formou-se de um país unitário, pelo fraccionamento do poder monárquico em favor dos estados. Lá os estados autônomos conservaram seus poderes outorgando parte à federação; aqui o poder central manteve o poder central, abdicando de pequena parte em favor dos estados.

    Portanto, o presidencialismo brasileiro não restou senão num aggiornamento do poder monárquico presidencial com o coronelismo político dos governadores estaduais, numa nova versão dos capitães das sesmarias. É o “presidencialismo imperial” de que fala o deputado Rubens Bueno.

    O poder atual do presidente, do chefe do executivo, por deter as chaves das imensas burras do dinheiro público, concentra nas suas mãos um poder descomunal, desequilibrador da República, agravado pela dependência e pela subserviência dos outros poderes, através de compadrios escandalosos de interesses e benesses. Os outros poderes, dessa forma, não agem como poderes da República, mas como meros integrantes de uma nomenklatura de cargos e mandatos públicos, distanciados dos supremos interesses da sociedade, que só é lembrada nas vésperas das eleições. Passadas estas, a rapina do orçamento tem a sua continuidade.

    Dessa rapina, participa a sociedade oportunista das empresas e dos empresários não comprometidos com os destinos da nação, mas com a ganância de usufruir os maiores benefícios do orçamento público. Porisso, não há, não tem havido e não haverá mudança social significativa, senão a “renovação pelos mesmos” aquela que faria exultar o Príncipe de Salina, personagem de “O Gatopardo” do Conde de Lampedusa. Basta ver que desde a “nova” Constituição de 1998 – a Constituição “cidadã” de Ulysses Guimarães – até hoje não se fez a reforma política – a mais fundamental.

    A República está travada pelo sistema, pela nomenklatura, pela anomia geral e pela indiferença da sociedade em geral. Há de se derruir fundamentalmente esse castelo macabro que agasalha essa máquina perversa, ou não haverá liberdade e desenvolvimento social neste país.

    Onde existe parlamentarismo essa perversidade não se estabelece, como são exemplos inúmeros países por esse mundo afora. Apoio total ao Deputado Rubens Bueno.

  11. joao damasio
    quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 – 23:30 hs

    Parabens, Rubens Bueno. Vc é uma das poucas reservas morais deste Paraná.

  12. Marcos Granado
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 1:51 hs

    Parabéns Deputado.

  13. artur
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 8:31 hs

    FALA SÉRIO, QUEM PODE LEVAR A SÉRIO ESTE TIPINHO? POR QUE ELE NÃO COMEÇA DEMOCRATIZANDO O PARTIDINHO DE ALUGUEL QUE ELE COMANDA COMO SE FOSSE BOTECO DE VILA?

  14. Carlos Lima
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 9:50 hs

    Eu sugiro ao “combativo voto limpo” que comece a combater o nepotismo do governo Beto Richa, a quem o apoia.

  15. sarna
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 9:56 hs

    para isso é preciso uma constituinte – a ser constituída por gente do calibre do palhaço analfabeto. Que Deus nos proteja!

  16. Macedo
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 10:40 hs

    Agora vai…

  17. LUIZ GONZAGA FERREIRA
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 12:17 hs

    O único caminho viavel para este nosso País será a adoção do Parlamentarismo. Estsou com a proposta do Rub ens: lúcida, oportuna, viavel e necessaria. Parabens ao PPS do Roberyo Freire. Luiz

  18. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 13:20 hs

    Alguém ai em riba falou que o Brasil gastou um montão de dinheiro para voltar ao presidencialismo. Isso, houve um plebiscito ( plebis citare = voz do povo ) dia 6 de janeiro de 1961. Aconteceu que, com a renúncia de Jânio – na realidade, pretendia dar um golpe, mas o povão não foi na dêle, o vice, Jango Goulart, assumiria. A extrema-direita, o conservadorismo, as oligarquias não o queriam, por causa das suas idéiais socialistas e da sua vontade de implantar reformas de base – até hoje necessárias como a política, a agrária, a tributária, por exemplo. Então, o Congresso lhe deu posse mas manietado ao parlamentarismo, isto é, com um primeiro ministro fazendo-lhe sombra.
    Dou razão pro deputado Rubens Bueno. Os países onde a democracia é vivida em sua plenitude, são parlamentaristas.

  19. Ricardo
    quinta-feira, 13 de janeiro de 2011 – 22:02 hs

    O plebiscito que me referi, não é o de 1961 e sim o de 1993 (governo Itamar Franco). Perguntava-se a forma e o sistema de governo. Forma: Republicana ou Monarquista e sistema: presidencialista ou parlamentarista. Houve toda a estrutura de uma eleição (que eu saiba, não é de graça). Repetir aquilo que ocorreu há 18 anos é sensato, só porque os parlamentaristas (eu fui um) perderam ?
    Por último: a democracia mais reconhecida no mundo é a americana, que é presidencialista.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*