Richa salda dívida de R$ 6 milhões na área de saúde | Fábio Campana

Richa salda dívida de R$ 6 milhões na área de saúde

O governador Beto Richa determinou nesta quinta-feira (20/01) a liberação de R$ 6.051.404,21 em recursos do Fundo Estadual de Saúde para o pagamento de valores atrasados e regularização de serviços médicos hospitalares, compra de medicamentos, manutenção de hospitais e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em vários municípios.

Valores cobrem débitos do governo anterior desde outubro de 2010 e que não foram contabilizados entre os valores deixados em caixa a título de restos a pagar. Pagamento será feito com a arrecadação de 2011 para regularizar serviços de atendimento médico de manutenção hospitalar, aquisição de medicamentos e manutenção do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU em vários municípios do Estado.

“Mais uma vez demonstramos o nosso compromisso firme de redobrar os esforços para atender com prioridade as áreas de impacto social como a saúde e a educação”, afirmou o governador.

Em vinte dias é a segunda vez que o governador autoriza a liquidação de restos a pagar não contabilizados na gestão anterior. Em 10 de janeiro, Richa liberou R$ 41,3 milhões em verbas rescisórias para 32.517 professores e funcionários contratados por Processo Seletivo Simplificado (PSS) e não pagos ao fim do contrato. Mais uma vez o pagamento será feito com recursos do orçamento de 2011.

SITUAÇÃO CRÍTICA — A Santa Casa de Paranavaí vai receber R$ 651 mil referentes às parcelas não pagas em outubro e novembro pela prestação de serviços médicos hospitalares de média e alta complexidade. Com 180 leitos, o hospital é referência na região no Noroeste, para atender uma população aproximada de 258 mil habitantes. Em média são feitas 700 cirurgias mensais.

“Esta é uma excelente notícia, porque nos tira do sufoco. Estávamos na UTI e agora voltamos a respeitar”, disse o coordenador geral da Santa Casa, Heracles Alencar Arrais. “O atraso sobrecarregou o hospital, que fica em débito com médicos, funcionários e credores. Em dez dias a situação ficaria insustentável. O apoio do governador foi fundamental”, disse.

O Consórcio Intergestores Paraná Saúde, responsável pela a aquisição de medicamentos do programa Farmácia Básica para os municípios consorciados vai receber duas parcelas de R$ 1.082.809,30 cada uma.

OPERAÇÃO VERÃO — A Fundação Universidade Federal do Paraná (Funpar) vai receber R$ 1.322.242,40. Os valores são devidos ao Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá, responsável pelo atendimento da população de sete municípios da região litorânea, que chega a triplicar durante o período da temporada de verão. “Esse pagamento representa a garantia da sustentabilidade do atendimento de saúde durante a Operação Verão no litoral”, afirma o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto.

A Funpar também está recebendo outros R$ 460.000,00 referentes à parceria para manutenção do Hospital do Trabalhador, em Curitiba.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar), responsável pelos hospitais da Zona Norte da Zona Sul, em Londrina, vai receber R$ 300.000,00.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro, responsável pela gestão do Hospital de Santo Antônio da Platina, vai receber R$ 120.000,00. Ainda no Norte Pioneiro, o Hospital da Associação Filantrópica Humanitas, de São Jerônimo da Serra, referência em tratamento de doenças dermatológicas, vai receber duas parcelas de R$ 25 mil.

O Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (Comesp), responsável por consultas e exames especializados para atendimento da população de 29 municípios que compõem a Região Metropolitana de Curitiba, receberá uma parcela R$ 100.000,00, para operacionalização e manutenção da estrutura do Centro Regional de Especialidade – CRE Kennedy. A unidade atende faz quase 100 mil consultas mensais.

SAMU — O atraso nos pagamentos também estava comprometendo o atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em diversos municípios. Esse lote de pagamentos atende o Fundo Municipal de Saúde dos municípios de Maringá, Cascavel, Castro, Apucarana, Ponta Grossa, Arapongas, Foz do Iguaçu, Campo Largo, Guarapuava, São José dos Pinhais e de Curitiba. Somente para a capital, o pagamento soma R$ 129.250,00.


10 comentários

  1. Tatiana
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 16:56 hs

    Saúde, educação, segurança e justição são funções do Estado. Certíssimo usar a arrecadação para qualquer destes fins. O resto é assunto para o mercado.

  2. Luciano
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 19:37 hs

    Quando se fala em saúde, deve haver sim bons investimentos e é necessário recurso para zelar pela saúde da população. Todavia, espero que o Conselho Estadual de Saúde verifique esta situação, pois pagando contas a pagar com recursos desta ano, já se começa no vermelho e custo disto é alto e quem arca com isto é a população que provavelmente vai sentir o reflexo deste 6 milhões faltando lá na frente!

  3. cezar
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 19:55 hs

    Posso queimar a língua mas confiava muito em seu velho pai, ´portanto confio em vc Beto Richa.

  4. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 20:08 hs

    Faz parte da “herança” do Requião/Pessutão.

    Quando o Beto disse que havia um “rombo” nas contas, o Pessuti Ironizou.

    Fala agora.

    Semana passada, foi o caso dos professores.
    Agora, a pendência na Educação.
    Quantas “armadilhas” estão escondidas?

  5. Marcos
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 20:24 hs

    O Beto Richa tem que começar a pensar melhor no plano SAS do governo para o funcionário público e outra coisa, praticamente todos os cargos de comissão que votaram contra ele foram nomeados de volta, que vergonha, pensei que o Beto Richa fosse mais sério, é uma pena.

  6. Amelio ral aas
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 21:03 hs

    SE TODA VEZ QUE ELE PAGAR QUALQUER COISA FOR NOTICIA,E FAZER PROPAGANDA DISSO ,COMEÇO A TER CALAFRIOS NA ESPINHA NO TEMPO QUE SE FAZIA UM POÇO ARTESIANO QUE CUSTAVA 15000 REAIS,E SE FAZIA 100000 REAIS EM DIVULGAÇÃO DO POÇO

  7. CADÊ OS HELICOPTEROS BETO
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 21:25 hs

    BETO RICHA, ESTAMOS AGUARDANDO A ENTREGA DOS HELICOPTEROS QUE VOCÊ DISSE NA SUA CAMPANHA QUE COMPRARIA E OS COLOCARIA NAS CIDADES MAIS POPULOSAS DO PARANÁ PARA ATENDIMENTO DE SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA NAS CIDADES E COM OBJETIVO DE FACILITAR A TRANSFERÊNCIA DE PACIENTES ATÉ A CAPITAL CURITIBA.

  8. Joana D'arc
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 21:28 hs

    É O BETINHO!!!!!
    MINHA VINGANÇA CONTRA A MATILHA DO PMDB E CONTRA A SUB-RAÇA PETISTA……..
    BETINHO!!!!

  9. ainat
    quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 – 21:29 hs

    Ué! Mas o Bob não latia aos quarro cantos que a saúde do Paraná era a melhor? Pois é, e os idiotas acreditaram e até o elegeram senador. Acorda povo!

  10. AGUAVE
    sexta-feira, 21 de janeiro de 2011 – 8:34 hs

    Se não foi declarado, não foi adquirido de forma legal.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*