Plano emergencial de 90 dias ampliará combate à dengue | Fábio Campana

Plano emergencial de 90 dias ampliará combate à dengue

Da Aen


Foto: Arnaldo Alves

A Secretaria da Saúde reuniu nesta sexta-feira (21) em Curitiba os coordenadores regionais de controle da dengue para discutir o plano emergencial de 90 dias de combate à doença. Nos primeiros 30 dias as ações são voltadas à capacitação de profissionais de saúde para o diagnóstico e tratamento da doença, reforço no uso do “fumacê” para evitar a proliferação do mosquito e as ações de prevenção envolvendo a sociedade civil.

São 56 municípios em situação de alerta por apresentarem altos índices de infestação predial e alta incidência de casos da doença. Destes, Jacarezinho, Maringá, Foz do Iguaçu, Londrina e Sarandi são os que mais preocupam. No ano passado 263 municípios foram considerados infestados pelo mosquito transmissor da dengue e 165 apresentaram casos confirmados da doença.

Para fazer o monitoramento constante destes municípios o governo criou a sala de situação da dengue. “Os técnicos regionais estão encarregados de repassar semanalmente a situação dos municípios. A partir destes dados poderemos tomar decisões com mais rapidez”, explicou o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz. A partir de um caso confirmado o Estado orienta o município para que faça o bloqueio da área, seja com “fumacê” ou com mutirão de limpeza, a fim de eliminar os criadouros e assim evitar mais casos da doença.

A mudança na divulgação dos dados mensais para semanais também foi uma medida emergencial. Toda segunda-feira os técnicos da sala de situação divulgarão um informe com notificações e confirmações de casos por região e municípios. “A população precisa estar ciente da situação. Não queremos repetir os números de 2010, que foi o pior ano para dengue no Paraná”, disse o superintendente. No ano passado mais de 33 mil casos da doença foram confirmados e 15 pessoas morreram. Somente nas duas primeiras semanas de 2011 foram notificados 925 casos da doença em 77 municípios. Destes, sete já foram confirmados no município de Londrina.

O governo também investiu na capacitação de profissionais de saúde para o diagnóstico e tratamento da doença. Cerca de 750 médicos, enfermeiros e bioquímicos de 221 municípios participaram dos treinamentos em Londrina, Cascavel, Maringá, Toledo e Foz do Iguaçu. Dos cinco municípios de prioridade máxima, apenas Jacarezinho não recebeu ainda a capacitação. O evento está previsto para as próximas semanas.

Novos materiais informativos foram enviados para todas as regionais. “Estamos estimulando que campanhas sejam realizadas em datas específicas como o carnaval e a volta às aulas”, explicou Paz. Ele sugeriu que ações sejam realizadas em parceria com os municípios e com a comunidade local.

60 dias – No prazo de dois meses, o governo deve ampliar para 65 o número de municípios que realizam o Levantamento de Infestação Rápido de Aedes Aegypti (Liraa). Atualmente, 25 municípios realizam o levantamento.

Os municípios infestados também deverão elaborar um plano de contingência, que seja aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde. Hoje, somente 30% dos municípios têm o plano de contingência.

A Secretaria da Saúde também está articulando campanhas de informação específicas na mídia para as regiões norte, noroeste e oeste. No prazo de três meses a Secretaria da Saúde vai incentivar a instalação de Comitês Municipais Contra a Dengue nos municípios infestados.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*