Temer diz que Jobim e Côrtes são da 'cota pessoal' de Dilma | Fábio Campana

Temer diz que Jobim e Côrtes são da ‘cota pessoal’ de Dilma

Temer disse ainda que PMDB quer mais 5 pastas

Da Folha.com

O presidente do PMDB e vice-presidente eleito, Michel Temer, confirmou nesta quarta-feira que o partido reivindica cinco ministérios no governo de Dilma Rousseff (PT). Depois da presidente eleita ter oferecido quatro pastas à sigla, Temer disse acreditar que até a semana que vem o partido tenha “resolvido essa matéria” com a petista.

Temer se reuniu nesta quarta-feira com os senadores José Sarney (PMDB-AP) e Renan Calheiros (PMDB-AL) para discutir a divisão dos cargos no governo Dilma. O peemedebista disse que os cinco ministérios não incluem os dois já confirmados ao partido, considerados da “cota pessoal” de Dilma: Saúde e Defesa.

Além de Sérgio Côrtes (Saúde) e Nelson Jobim (Defesa), Temer disse que as bancadas do PMDB na Câmara e no Senado vão indicar dois nomes, cada uma. O quinto ministério seria da “cota pessoal” de Temer, que trabalha nos bastidores pela indicação do deputado Moreira Franco (RJ).

“Não é que nós não consideremos a cota pessoal. O governo não considera essa cota pessoal como sendo do PMDB. Por isso que a conversa hoje, a disputa, gira em torno de quatro ou cinco ministérios. Essa é a tese. Seriam dois indicados pela Câmara e dois indicados pelo Senado. Se houver cota pessoal minha, eu indico um nome”, afirmou.

Temer disse que a indicação de Côrtes não partiu do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) –por isso não entra na cota do partido. “O Sérgio Cabral me telefonou hoje pela manhã para dizer que, na verdade, o ministro da Saúde indicado por ele foi uma cota pessoal da presidente Dilma. Ele disse: Ô Temer, não procurei ninguém porque isso foi cota pessoal. Ela me chamou, queria um técnico para a saúde, disse que aprecia muito o trabalho do Sérgio Côrtes e, portanto, queria um técnico e entrava na cota pessoal dela.”

O vice eleito disse acreditar que, até a semana que vem, o partido tenha finalizado com Dilma as suas indicações para o primeiro escalão do novo governo. “Aí ela conversa com os demais partidos. O que não significa, penso eu, que ela não esteja conversando com os demais partidos.”

Temer admitiu que há um “desconforto” dentro do PMDB daqueles que não se sentiram ainda contemplados nas indicações para os ministérios. “Há uma agitação muitas vezes, uma preocupação, que é natural no momento da formação do governo.”

O deputado confirmou que foi alçado à função de “negociador” do PMDB com a presidente eleita para a divisão de cargos no governo. Mas negou que esteja com os poderes esvaziados depois que Dilma sinalizou entregar somente quatro ministérios à sigla.

“A conversa é em torno de cinco. Mas eu sou também vice-presidente, tenho que colaborar com o governo. Claro que represento lá, por delegação do PMDB, os interesses do PMDB. Mas sempre tento compatibilizar com os interesses do governo.”

Sobre a indicação de Paulo Bernardo para o Ministério das Comunicações, Temer disse que a escolha do petista vai depender de como a pasta será substituída por outra na cota do PMDB.

“Não digo se abrimos ou não abrimos [mão do Ministério das Comunicações]. Estamos conversando sobre essa composição. A ideia é o Paulo Bernardo, que é um grande ministro, e tudo isso depende de como estará essa substituição de Comunicações por outro ministério. Mas isso tudo depende da presidente.”

Entre as indicações do PMDB da Câmara, Temer saiu em defesa da manutenção do ministro Wagner Rossi (Agricultura). “Eu tenho conversado com o líder [na Câmara] Henrique Alves, ele me disse que o nome do Wagner Rossi é muito bem recebido. Já recebi até manifestações pedindo sua permanência.”


9 comentários

  1. Borduna
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 18:15 hs

    Temer e Sarney decidindo a república. É o fim. Quem mandou não elegermos a Marina…………..

  2. MUSTAFAH
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 18:28 hs

    Reunião com Sarney e Renan Calheiros, com certeza o que será discutido não é o melhor para o país e sim para eles próprios

  3. Ammarante mello rego
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 19:24 hs

    A culpa nao e” dos tres e sim dos deputados e senadores que escolhem essas mumias que parece serem eternas

  4. CAÇADOR DE PETISTAS
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 20:11 hs

    O PMDB, vai sentir na pele agora a besteira que cometeu em acreditar no mentiroso populista Lula da Silva e sua cândidata virtual Dimentira.

    O DITADOR FASCISTA LULA DA SILVA, não irá largar a teta assim tão fácil, eis o motivo de vender a alma ao capeta para eleger a bãndida Dilma.

  5. lucca
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 21:02 hs

    Ficam se alugando…… vao perder a Saúde.

  6. SOLANGE LOPES
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 21:33 hs

    Sarney, Renan e Temer reunidos. Isto não é uma reunião é um ajuntamento de assaltantes. Cada povo tem o governante que merece.

  7. ALEMÃO
    quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 – 21:37 hs

    Eu quero ver o circo pegar fogo. Hahaha, com essa o luladrão e a dilmentira não contavam, vão ter que dividir o governo com os jagunços do PMDB.
    KKKKKKKKKKKKKKK

  8. INDECISO
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 1:31 hs

    O problema e o omo, sempre lava mais limpo…… Neeeeeeeeeeeeeeeeee

  9. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 4:46 hs

    Não gosto da Dilma.
    Entretanto, torço para que ela tenha saúde.

    Entregar o Brasil nas mãos do Temer, é uma TEMERIDADE.
    Perdão pelo trocadilho. KKKK

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*