Justiça quebra sigilo de conselheiro do Tribunal de Contas | Fábio Campana

Justiça quebra sigilo de conselheiro do Tribunal de Contas

Folha de S.Paulo

Investigados sob suspeita de ter recebido propina da Alstom em troca de contratos públicos do governo de São Paulo, 11 pessoas e uma empresa não conseguiram provar a origem do seu patrimônio, segundo decisão da juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi.

Para comprovar se os bens têm origem lícita ou não, ela determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal, desde 1997, desses investigados.

A medida atinge Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado e chefe da Casa Civil do governador Mario Covas entre 1995 e 1997, e Jorge Fagali Neto, irmão do presidente do Metrô.

Segundo a Promotoria, a Alstom está sob investigação dos governos da Suíça e da França sob suspeita de ter pago propina para obter contratos com Metrô.


3 comentários

  1. SE A MODA PEGA
    terça-feira, 28 de dezembro de 2010 – 10:50 hs

    SE A MODA PEGAR , AQUI NO PARANA , VAI SER UMA FESTA,RSRSRSRSRS

  2. Ed
    terça-feira, 28 de dezembro de 2010 – 11:55 hs

    Enquanto os Tribunais de Contas forem órgãos políticos (pertence a Assembléia Legislativa) e seus nomeados forem por indicação política (ou por politicagem), sempre serão órgãos mancos, caolhos e continuarão a fazer vistas grossas em casos que lhes interessem. O certo seria serem órgãos do Ministério Público ou do Judiciário!

  3. SE A MODA PEGA
    terça-feira, 28 de dezembro de 2010 – 14:55 hs

    VAI SER UM TAL DE QUEBRA QUEBRA(SIGILO E OUTRAS COISA MAIS)

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*