Controle X Mercado | Fábio Campana

Controle X Mercado

Do blog do NêgoPessôa

O Engenhão tem capacidade para 40 mil pessoas; os preços dos ingressos pra flu-guarany foram pré-fixados no começo do ano independentemente do dia, hora, adversários, importância do jogo; ora, o interesse por flu-gua cresceu bastante: o público potencial deve ter , no mínimo, decuplicado; como há estúpida mentalidade contra o cambista (este herói anônimo do capitalismo), burocratizaram as vendas; q se tornaram mais lentas; como não poderia deixar de ser, as filas cresceram monstruosamente; deu no q deu; as usual.

O pessoal q ficou na fila não tem do q reclamar: de livre e espontânea vontade trocou muito tempo (na fila) por pouco dinheiro (preço do ingresso); se se dispusesse a pagar o preço do mercado (do cambista) não perderia sequer um minuto. (Franklin ainda não chegou ao Brasil; aqui tempo não é dinheiro nem fator escasso… somos imortais, deuses q se dão as imenso luxo de dormir na fila.)

A mentalidade brasileira se opõe ao lucro… honesto; lucro (honesto) aqui é pecado! MORTAL! Já roubar dinheiro público é amplamente sancionado pela sociedade. Se o lucro for produto de feliz especulação (sim, há especulação infeliz), sai de baixo; pedimos as orelhas do indigitado como os espanhóis pedem as orelhas do touro.


O Flu deveria ter leiloado os 40 mil ingressos! Aos banqueiros! Especialmente aos do bicho. Lance mínimo, dez milhões de reais. Cash, claro. As filas seriam mínimas ou inexistentes, diluídas pelos milhares de pontos da cidade, bancos, loterias, etc.

Outra curiosidade cabocla: nos escandalizamos com os lucros! Q apodamos de excessivos!!!! NUNCA NOS ESCANDALIZAMOS COM OS PREJUÍZOS! COM OS PREJUZ (DOS OUTROS) NOS REJUBILAMOS!

O Covas tem mais razão a cada dia q passa: o Brasil precisa levar um choque de capitalismo.


11 comentários

  1. Jose
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 15:13 hs

    O funcionário que vendeu o ingresso ao cambista é uma ladrão e não capitalista, porque foi dado a ele o DEVER e NÃO O PODER de repassa-los ao cambista, mas sim aos torcedores que estavam na fila, então ele usou de subterfúgio para repassar os ingressos que deveria ser vendidos ao pessoal da fila.

    Este cara é ladrão e vc, pense num adjetivo que caiba.

  2. PRÓFI GASPARZINHO
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 16:06 hs

    Nêgo Pessoa, que nunca trabalhou na vida !
    E viva a retórica, e viva as capitanias hereditárias!

  3. Torcedor
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 16:45 hs

    Que besteira

  4. Martins
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 17:17 hs

    Artigos normalmente resultado da sua atuação de “lobista”, algo compreensível! Mas uma matéria que demonstra o imenso desconhecimento do histórico da intervenção e controle da ordem econômica… hummm… o autor errou feio! Defender cambista?? Uma insanidade!

  5. quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 17:36 hs

    POR QUE NÃO SE PÓE PARA VENDER INGRESSOS DOS EVENTOS BEM ANTES E EM LOCAIS PÚBLICOS?????????????????

  6. quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 19:23 hs

    exceto o do girardi,
    quatro idiotices:
    josé não entendeu nada;
    gasparzinho, verme injurioso;
    torcedor é idiota por definição:
    prefere ficar na fila 48 horas!
    martins é o idiota enfatuado:
    não se toca no positivo papel do cambista:
    abrevia a espera,
    elimina a espera.
    Insanidade é ficar na fila 48 horas!
    Mas vá por na cabeça do idiota q tempo é dinheiro!!!

    Pedro:
    foi o q se fez!
    venda de ingressos bem antes do jogo e em locais públicos!

  7. Andre
    quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 – 22:13 hs

    Viva o Nêgo Pessoa! Só os idiotas são contra os cambistas.

  8. Wilmar
    sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 – 8:58 hs

    Eu que já fui primeirão na fila do Guairão e quando o guichê abriu vi que as melhores poltronas já haviam sido vendidas (a priori algo impossível), fico muito decepcionado com Nego Pessoa na sua defesa aos cambistas.

  9. Curitibano
    sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 – 13:33 hs

    O problema real acho que o Pessoa não entendeu. Não é vender os ingressos rapidamente, mas oportunizar aos mais pobres a chance de ver o seu time por um preço justo. Se o cambista é quem vende, e vende pelo que preço que a demanda determina, então uma pessoa mais humilde não tem o direito de assistir ao jogo de seu time numa final? É esse seu raciocínio? Só para granatirmos a pecha de capitalistas e que sabemos ter lucros? lucros advindos só da especulação. É que isso que defende?
    Sei lá o que pensa, o artigo parece só um deboche, não uma proposta séria.

  10. Amelio ral aas
    sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 – 14:05 hs

    Se tempo e” dinheiro, trabalhe ,nao fique bazofiando,e quer saber mais nos nao somos metidos a escritor,e tomei as dores dos meninos ai em cima,voce e” igual ao fhc ,que se escreve nao se aproveita nada

  11. sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 – 18:26 hs

    amelio, v é analfabeto; entre no mobral!
    curitibano;
    pobre tem de ver jogo na tv;
    futebol profissional desse nível é espetáculo caríssimo –
    não é pra pobre!
    uma das razões dos nossos clubes estarem quebrados é esta – ingressos subsidiados! Daí a venderem as jóias da coroa, um pulo.
    O PREÇO DO INGRESSO DEVE VARIAR DE ACORDO COM AS VARIAÇÕES DE OFERTA E PROCURA! O PREÇO REAL ´DOS INGRESSOS PRA FLU-GUA É DE 250, 300, MAIS REAIS!
    ESTA SERIA UMA OPORTUNIDADE POR FLU FATURAR UMA BELA GRANA PRA ABATER PARTE DA SUA IMENSA DÍVIDA DE 300 MILHÕES!
    SOU TOTALMENTE FAVORÁVEL AOS CAMBISTAS! Q PRESTAM IMENSO TRABALHO A PESSOAS Q NÃO TEM TEMPO A PERDER EM FILAS! E SE DISPÕE A PAGAR O PREÇO DO MERCADO! TEMPO É DINHEIRO! SÓ NÃO É DINHEIRO P ARA IDIOTAS Q FICAM 48 HORAS NUMA FILA INTERMINÁVEL! entendeu?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*