Comissão de Inquérito quis suspensão de Bona Turra. Botto e Requião, a demissão | Fábio Campana

Comissão de Inquérito quis suspensão de Bona Turra. Botto e Requião, a demissão

A Comissão de processo administrativo disciplinar da PGE, que analisou a conduta do procurador Luiz Henrique Bona Turra após fazer denúncias da existência de irregularidades e desvios de conduta ética contra Roberto Requião, propôs apenas a suspensão dele à época.

O procurador-geral Sergio Botto de Lacerda entendeu que havia elementos nos autos que permitiriam a aplicação de pena mais grave, e encaminhou ao governador Roberto Requião.

Não deu outra, Bona Turra foi demitido.

Clique aqui e veja a cópia do decreto.


8 comentários

  1. Paulino Dorneles
    quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 11:23 hs

    Nunca esqueço daqueles discursos fervorosos do Bona Turra falando do Requião. Com os olhos cheio de lagrimas e seu português fluente, tipo padre Vieira, falava de Requião como um novo messias libertador dos francos e oprimidos. Os discursos foram tão convincentes que até hoje tenho dificuldades em abandonar o guia do povo pobre da Carta de Puebla, que trará a redenção dos miseráveis como nos dizia Bona Turra e nos implantará um novo reino na terra.

  2. Alvaro
    quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 11:35 hs

    A atuação de Bona Turra na PGE foi sempre pautada pela defesa do ESTADO e não pela defesa do Governador, como sói acontecer; os procuradores agem como uma banca de defesa dos governantes e quase nunca – com honrosas e ínfimas exceções – na defesa do Estado, haja vista vários interesse imiscuídos nas ações… E quem age como manda o figurino acaba sendo sempre esfolado…

  3. OS DANOS DA HERANÇA COMPLICADA
    quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 11:39 hs

    O setor público, representado em suas ações pelos servidores, não pode ser alvo de decisões tempestivas de eventuais ocupantes do poder. Principalmente em questões fundamentais, como as de expressão de opinião, mesmo que polêmicas.

    Os manifestantes que usaram faixas em um evento no passado, ajudaram a colocar em evidência a importância do equilíbrio emocional nas pessoas investidas em comandos.

    Nem todos são um Protógenes. Mas ……

  4. Zangado
    quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 12:45 hs

    Mais um passivo requiônico para o povo paranaense pagar, caso se configurar abuso de poder.
    Os “passivo requiônicos” se caracterizam por isso que o erário público (rectrius: o povo paranaense) paga.
    Graças ao compadrio estabelecido com os demais poderes públicos a irresponsabilidade do governante (“the king can do no wrong”) é tida ainda como princípio em vigor superior aos preceitos constitucionais, sendo todo o ônus das ilegalidades arcadas pelo erário público.
    Ano passado o passivo requiônico assomava mais de 2 bilhões, conforme notícias veiculadas na mídia. Só o passivo judicial do pedágio “baixa ou acaba” ia para mais de 300 milhões.
    E nada, mas nadinha mesmo, de serem apurados responsáveis e responsabilidade pelo prejuízo ao erário.
    É ou não é degradante ?

  5. luiz
    quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 13:49 hs

    Cerceamento da defesa, Se o Turra se defendeu de acusação que o levaria a uma suspensão e depois foi sumariamente demitido.
    Vejo um contrasenso, pois a sindicância apontou somente irregularidade que o levaria a uma suspensão e sucessivamente o PAD assim concluiu. A Decisão final não está alinhada com o devido processo legal.
    O Turra deveria ter buscado a justiça para anular o ato e rezar para que a Justiça seja cega.

  6. quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 14:25 hs

    As comissões disciplinares também defendem interesses do governante e não do ESTADO.
    Isso ocorre porque comissões de sindicância ou disciplinares são tribunais de exceção.
    Os tribunais de exceção são aqueles nomeados posteriormente ao ato a ser julgado e devem condenar ou inocentar alguém exatamente como manda o poderoso de plantão.
    O membro da comissão que não obedecer sofrerá punição porque o poderoso que o nomeou, quase sempre, é o culpado maior da irregularidade cometida.
    Esses processos administrativos deveriam ser revogados por se caracterizarem como tribunais de exceção proibidos pela Constituição do Brasil.
    http://www.blogdonavarro.com.br

  7. A VELHA HISTORIA
    quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 – 17:39 hs

    Oh LUIZ, buscar a justiça do Paraná para anular o ato arbitrário do REiquião? Não seja ingenuo rapaz e disso o TURRA sempre soube que “o rabo preso pelo “guardião” ,dos juizes e desembargadores, jamais daria uma decisão destas que só mesmo o PESSUTÂO, por estar em guerra com o seu antecessor, foi capaz de tomar.
    No Paraná ainda tem muitos juizes e desembargadores com o rapo preso, pelas gravações que o RAZERA conseguiu fazer e com as quais o REI^quião sempre se safou….quer um um exemplo: Lembra das diarias frias do primeiro governo do Requião que depois o Mario Pereira detonou – naquelas correspondencias anonimas que eram enviadas pelo Palacio contra os desafetos de então (ZE EDUARDO, MAZZA e até RAFAEL NA EPOCA APELIDADO DE DIABO VERDE) , pois esiste uma AÇÃO CIVIL DE IMPROBIDADE pelo uso do dinheiro fabricado com diarias frias, que esta mofando na 4a.Vara da Fazenda Publica de Ctba, ja em fase de julgamento e com vários adianmentos. Alias neste caso o Sr. Beto Richa, se quer mesmo passar o estado a limpo, basta indicar o BONA TURRA , para defender o ESTADO DO PARANÁ, que dai sim a cobra vai fumar e a turma do REIquião vão ter que devolver os milhoes que foram surrupiados em diarias frias.

  8. Previsões 2011
    quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 – 10:21 hs

    Requião a lenda que ta indo

    adeus

    Lula leia as Previsões do Bruxo Chik Jeitoso e reflita irmão, o cara não e´burro.

    Previsões do Bruxo Chik Jeitoso

    http://nogalberto.blogspot.com/2010/12/chik-jeitoso-da-seus-pitacos.html

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*