Cid Vasques exige fim de aposentadoria de ex-governadores | Fábio Campana

Cid Vasques exige
fim de aposentadoria
de ex-governadores

Pois, pois, o Ministério Públicao Estadual quer porque quer estragar a festa da raça que recebe aposentadoria ou pensão de ex-governadores do Paraná. O bravo procurador Cid Vasques protocolou documento pedindo informações do procurador-geral de Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior, sobre o assunto. Quer saber o que é feito para acabar com a farra que agora inclui Alvaro Dias e Requião. Cada aposentado ou mulher de aposentado morto recebe R$ 24 mil limpor por mês. Ontem a Assemblei aprovou que viúvas de ex-governadores podem receber pensão do estado mesmo que seus maridos tenham ficado menos de um ano no cargos. Segundo Cid Vasques, trata-se de uma “heresia jurídica”.


7 comentários

  1. Defer
    terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 9:07 hs

    e tomara que a justiça seja feita rapidamente!

  2. Adalberto
    terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 9:37 hs

    São uns … (colocar um termo repugnante, mas bem repugnante mesmo, aqui). O que esse bando ficou fazendo durante quase trinta anos? Agora vem pedir o fim dessas aposentadorias?

    Arrumem um monte de melancias com cordinhas pra esses … pendurarem no pescoço.

  3. Doni
    terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 10:18 hs

    É dinheiro dos trabalhadores, Ha! ai esta a explicação de tanto impostos.
    Bem são eles que faz as leis.
    Ainda samos obrigado a vota!!!!
    He! He! He! He!………….

  4. Tuku Nare
    terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 10:34 hs

    Fico Feliz em saber que, o ministerio publico e composto tambem por pessoas
    como o Procurador CID VASQUES, imparcial, amante da justiça, e que nao deve
    tero rabo prezo com os demais poderes, vida longa ao procurador.

  5. fichalimpa
    terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 12:16 hs

    Nada mais justo que acabar com está vergonha institucional. Mas não é somente está aposentadorias 171 que deveriam ser extintas. Devera também acabar com a aposentadoria dos vereadores, deputados federais e estaduais, senadores e presidente. Pois estes cargos públicos não são de carreiras e sim de um dever de cidadania que não deveriam nem ter estás remunerações milionários em muitos deles ou melhor vereador, deputados e senadores nem deveria ganhar remuneração, deveria viver dos recursos de suas profissões, pois é só no Brasil que ser político virou profissão. Para mim o fim destas aposentadorias, será o início da moralidade da política brasileira. Querem ser barnabés, façam concurso público e fique ganhando o que a lei permite. Isso é crime institucionalizado que deverá ser extinto.

  6. terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 14:40 hs

    Este tipo de notícia sempre gerará muita polêmica.
    Há os que são radicalmente contra
    Há os que não tem opinião muito formada (mas reclamam)
    e há os que entendem como legítima.
    Existem políticos que abdicam de sua vida civil e caminham para a vida pública, muitas vezes com o prejuízo de não atender as suas atividades civis.
    Invariavelmente acabam seus mandatos com inúmeros problemas em suas atividades civis.
    São incontáveis (principalmente prefeitos) os políticos que entraram na vida pública com um certo poder econômico e deixaram a vida pública pobres (por não atenderem seus interesses particulares).
    O executivo (principalmente) é o mais vulnerável.
    Então o recebimento desta aposentadoria (de meu ponto de vista) é legal, e não
    oneram em valor muito significativo (no Paraná teremos apenas 6 governadores ou viúvas para receber este valor) que daria em torno de R$ 1.720.000,00 ao ano (apenas 0,0017% do que o Bibinho roubou na Assembléia, e mais importante, este valor é o valor dos proventos de um Promotor de Justiça aposentado).
    O que se deve tomar cuidado é o acúmulo de cargos.
    Nem o Requião, nem o Álvaro podem receber o provento de senador e o provento da aposentadoria ao mesmo tempo. Isso configura em acúmulo de cargos. Durante a vigência de seus cargos como senadores eles devem optar por um destes proventos.
    A denúncia do Requião conta o José Richa é que o mesmo tinha acúmulo de cargos. Era aposentado como governador e recebia tambem os proventos de Senador e se não falha a memória tinha, ainda, aposentadoria pelo INSS

  7. Língua de Krocodilo
    terça-feira, 7 de dezembro de 2010 – 18:33 hs

    Dr. Cid, meus Parabéns!

    Podia dar uma olhada num terreno de escola estadual que um grandão esperto, de Cascavel, ta afanando do estado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*