Piraquara enxuga máquina pública | Fábio Campana

Piraquara enxuga máquina pública


Vinte cargos comissionados serão exonerados, além da suspensão de novos empenhos orçamentários e das movimentações financeiras direta ou indiretamente

O prefeito de Piraquara, Gabriel Jorge Samaha (Gabão), para equilibrar as finanças do executivo municipal decretou o contingenciamento das despesas, dos empenhos orçamentários e das movimentações financeiras direta ou indiretamente. Essas medidas são necessárias para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Ficam suspensas até o próximo dia 31 de dezembro novas nomeações, a compra de dias de férias, licenças que impliquem em nomeações para substituição, horas extras, diárias, adiantamentos e passagens, e a aquisição de novos equipamentos. Além disso, neste primeiro momento, serão exonerados 20 cargos em comissão – entre o primeiro e o segundo escalão.

Além dos comissionados também serão demitidos cerca de 100 funcionários contratados por meio da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que prestam serviço nas secretarias municipais de Cultura, Assistência Social e Saúde. Porém, esse quadro de funcionários deve ser recomposto a partir da abertura de concurso público em 2011.


11 comentários

  1. Marcelo
    quarta-feira, 3 de novembro de 2010 – 18:02 hs

    é isso ai Gabão, enquanto piraquara não for reconhecida pela agua, vc tem que fazer manobras pra tocar a cidade, não desista.

  2. jose bonifacio
    quarta-feira, 3 de novembro de 2010 – 19:06 hs

    aaaaf, coitado! esse ta ferrado, pior administracao que piraquara já teve. Um professor de historia que acabou com a historia de piraquara

  3. Silvano Gomes
    quarta-feira, 3 de novembro de 2010 – 19:17 hs

    É, só restaram os parentes do prefeito nos cargos comissionados “vc tem que fazer manobras pra tocar a cidade, não desista”.

  4. Edson Fernando
    quarta-feira, 3 de novembro de 2010 – 20:47 hs

    Foz do Iguaçu, com seus 15 milhoes anuais em cargos comissionados, poderia se espelhar na cidade de Piraquara…

  5. Marcão
    quarta-feira, 3 de novembro de 2010 – 21:19 hs

    Só se for pra tocar a cidade pro fundo do poço! Se é que já não está lá.
    Nenhuma obra terminada, nada de saúde ou segurança…infraestrutura, etc…
    O que estes cem funcionários estavam fazendo até agora?! MAMANDO!!!

  6. Marcio
    quarta-feira, 3 de novembro de 2010 – 23:17 hs

    Quanta tristeza ao ver no que a bela Piraquara se transformou…

    Graças a incompetência administrativa do senhor Gabão, a cidade está literalmente quebrada…

    São diversas obras inúteis inacabadas, como o chafariz que não tem água logo na entrada da cidade ou a “revitalização” que acabou com o charme do velho centro…

    Depois que o senhor Gabão preferiu ficar fazendo micagem para ganhar algumas capas de jornal, a cidade só se depreciou…

    O argumento de que a redução do FPM prejudicou a cidade é a maior mentira da paróquia, ou vocês viram mais algum prefeito usando esse lero-lero para sair nas capas dos jornais?

    Eu vi muitos e muitos prefeitos trabalhando para conseguir novas empresas e aumentar suas arrecadações… já o Gabão…

    Que tristeza…

  7. Ana Lucia
    quinta-feira, 4 de novembro de 2010 – 9:21 hs

    É no momento de crise que uma administração pública precisa repensar e reorganizar suas ações para que a população não sofra as consequencias .

    ” a decisão lastreia-se na informação, mas brota da sabedoria” .

  8. Matungo
    quinta-feira, 4 de novembro de 2010 – 10:43 hs

    se ja estava dificil administrar com pessoas,, imagine agora sem pessoas , sem recursos,,, e sem previsao e aumento de recursos,,,,, viva a preservaçao ambiental que piraquara é obrigada a seguir,,,,,

  9. Tarso
    quinta-feira, 4 de novembro de 2010 – 14:43 hs

    Contratar OSCIP para disponibilização de mão-de-obra é fuga de concurso público.

  10. obrigado justus
    quinta-feira, 4 de novembro de 2010 – 15:26 hs

    Bom, pra quem andou lado a lado com nelson justuis pedindo voto durante a eleição, ordenou que todos os comissionados, colocassem placas em suas casas e adesivos em seus carros, do justus, só posso presumir que esses 20 que serão cortados, são aqueles que se recusaram, a aceitar tal pressão.

  11. silvi
    sexta-feira, 5 de novembro de 2010 – 17:47 hs

    Quem deveria sair e o prefeito Gabao e sua turma! Assim a cidade sobreveria!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*