Pessuti cancela Comitê Gestor de Precatórios depois de troca de insultos no seu gabinete | Fábio Campana

Pessuti cancela Comitê Gestor de Precatórios depois de troca de insultos no seu gabinete

O deputado Nereu Moura, do PMDB, acaba de informar que o Comitê Gestor de Precatórios foi cancelado. Não durou cinco dias. Na verdade, a decisão de cancelar o Comitê foi tomada ontem em reunião no gabinete do governador Orlando Pessuti que quase termina em luta corporal o Procurador Geral do Estado, Marco Antonio Berberi, que alegou não ter sido consultado, e o presidente do Comitê, procurador aposentado Luís Seschin.

A reunião contou ainda com o procurador Geral do Ministério Público Olympio de Sá Sottomaior. O clima esquentou quando Berberi disse que Seschin estava patrocinando interesses pessoais nas negociações já encaminhadas pelo Comitê.

Antes da troca de tapas, Orlando Pessuti ordenou o esvaziamento da sala e em seguida comunicou ao Secretário da Fazenda Heron Arzua o fim do Comitê.


16 comentários

  1. Borduna
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 17:02 hs

    Precatórios são liquidados mediante dotação orçamentária e pela ordem de vencimento. Ponto final. Comité pra que? Tem mesmo que acabar….

  2. Ré no Habibs
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 17:35 hs

    Pessuti, siga a orientação do Requião e atenda o Cap. Nascimento:

    – PEDE PRA SAIR!!!!

  3. Lorena Meyers
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 17:46 hs

    Alvíssaras!!

    Meus sinceros parabéns, Sr. Berberi.

  4. MIGUEL DE CERVANTES
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 18:28 hs

    QUE FIM TRISTE! PIOR QUE O DO IRMÃO DAQUELE QUE “TRABALHOU” NO PORTO – O DOS 180 MIL DÓLARES, E QUE FICOU POR ISSO MESMO.

  5. Antônio Nunes
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 18:35 hs

    Boa, Berberi! Acabou com a mamata…

  6. sucumbencia não, honorários
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 18:38 hs

    Tem que acabar com a SUCUMBÊNCIA nos acordos entre os procuradores do Estado e aquela salinha deles na Associação dos Procuradores do Estado do Paraná.
    Chega de empresários irem lá para pagar o percentual de sucumbência e honorários dos Procuradores do Estado.

  7. VERDADE
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 18:59 hs

    Depois louco e trambiqueiro era o Requião! O tempo é o senhor da verdade…

  8. Ammarante mello rego
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 19:13 hs

    E”tudo malaco brigando pela sua parte

  9. marilena silveira
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 19:44 hs

    ME CAUSA ESPANTO A ASSOCIAÇAO DOS ADVOGADOS NÃO TOMAREM PROVIDENCIAS A RESPEITO DO CANCELAMENTO DO PRECATORIO ALIMENTICIO DAS VIUVAS DOS COLEGAS. ESSES PRECATORIOS JA DEVERIAM SER PAGOS DESDE 2000,POREM NADA ,E O TITULAR ESTARIA VIVO NA EPOCA , ESPERO QUE QUE AJUDEM A REVER ESTA CAUSA ,OBRIGADA PELA ATENÇÃO

  10. quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 20:21 hs

    Ainda bem que o dr. Berberi teve um surto de honestidade…., ou foram interesses dos dois que foram contrariados?
    ATENÇÃO SOCIEDADE:

    NÃO TEM ” SANTO” NESSA HISTÓRIA….

  11. Pina
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 20:26 hs

    O caipirão Pessuti so esta fazendo confusão no final de feira!!!!!!
    Quem perde e o Parana e sua população!!!!!!!

  12. quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:30 hs

    Se no Paraná existisse pelo menos meia dízia de Berberi talvez não existisse tantas barbaridades deste quase infantil chamado de Pessuti, quem sabe depois desta algumas autoridades acordem e sigam o Berberi.

  13. odesempre
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 22:03 hs

    Parabens Berberi!

  14. PERCI LIMA
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 1:21 hs

    E ISSO QUE SÃO PROCURADORES GERAL DO ESTADO. IMAGINEM SE FOSSEM POVÃO.

    EDUCAÇAO E RESPEITO VEM DE BERÇO.

  15. Juliana
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 15:18 hs

    Grande BERBERI ( TONHÃO) parabens!!! Capricha ai!!!

  16. HENRY
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 15:50 hs

    UÉ… ENTÃO O ADVOGADO FILHO DO panssutão NÃO VAI LEVAR O DELE ATRAVÉS DO SEU ESCRITÓRIO? QUE INJUSTIÇA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*