Pesquisa Ipea aponta descrédito na Justiça | Fábio Campana

Pesquisa Ipea aponta descrédito na Justiça

Da Agência Brasil

De maneira geral, Justiça recebeu nota 4,55 numa escala de 0 a 10

Os cidadãos brasileiros não acreditam na honestidade da Justiça nem que haja imparcialidade e rapidez nas decisões. É o que revela um estudo lançado hoje (17) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sobre a percepção da sociedade em relação aos serviços públicos. A pesquisa tem como objetivo formular um indicador para avaliar a percepção da população em relação aos serviços prestados pelo Estado.

Numa escala de 0 a 4, a honestidade da Justiça teve média de 1,17. A imparcialidade no tratamento dos cidadãos e a rapidez na decisão dos casos tiveram 1,18. Esses índices ficaram abaixo da média de 2 pontos estabelecida pela pesquisa para essa escala.

Também foi avaliada a percepção das pessoas sobre o custo e a facilidade do acesso à Justiça, que tiveram 1,45 e 1,48, respectivamente, e sobre a dimensão da capacidade de produção de boas decisões e de resolução justa de conflitos (1,60).

Quando avaliada de maneira geral, a Justiça recebeu nota 4,55 numa escala de 0 a 10.

Usando um recorte geográfico, é possível notar diferenças entre as cinco regiões brasileiras. No Norte e no Centro-Oeste, a Justiça, se avaliada de maneira geral, recebeu nota 5,27 e 5,30, respectivamente, numa escala de 0 a 10. No Nordeste, a nota foi 4,70; no Sul, 4,26; e no Sudeste, 4,07.

A pesquisa também avaliou a percepção nos casos em que os entrevistados já tiveram processos tramitando em alguma instância judiciária como proponente da ação ou como réu.

As pessoas que tiveram ações na Justiça como proponentes atribuíram ao serviço nota 3,79. No caso dos réus, a média foi de 4,43. Aqueles que nunca tiveram processo tramitando no Judiciário deram nota 4,86. A escala, nesses casos, varia de 0 a 10.

Foram entrevistadas 2.770 pessoas nas cinco regiões do país. A margem de erro da pesquisa é de 5% e o grau de confiança é de 95%.


6 comentários

  1. Da Poltrona
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 16:42 hs

    O que se pode esperar quando um tribunal leva 21 anos para julgar uma causa e depois passa-se um ano e a decisão ainda não é publicada ?

    É um pássaro ? É um avião ? Não é o Supremo !

    Para os querem saber mais: Adi 114

    Fonte: http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp

  2. Ammarante mello rego
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 17:23 hs

    ISSO QUER DISER QUE A JUSTIÇA NAO PASSOU.eolha a maior nota foi de quem nunca precisou,fas tempo que todo mundo sabe ,menos quem trabalha nela que esse povo trabalha pouco e ganha muito,esse monte de dinheiro que gastamos com esse povo,so serve para o rico pois sao parceiros ,vizinhos,entao os estelionatarios,segundeiros,grandes traficantes e corruptos se assemelham pelomeio social que vivem,porisso que disem que justiça e so para o rico

  3. LEÃOLOBO
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 19:54 hs

    Que justiça? Aonde? Ela existe no Brasil? Estão falando em justiça? Isso ainda nós temos aqui em nosso país?
    A Leis em nosso país foram criadas somente para bonito. Pois os primeiros a descumpri-lás são os Tribunais Estaduais, Regionais e o Supremo.
    Aqui bandido tem justiça e o cidadão tem que se auto aprisionar-se para não ser morto ou roubado. E se fala em justiça neste país!
    Aqui o que tem é muita exbornia e nada mais.
    Vide o pessoal da Assembléia que esta se dando bem e os assassinos de trânsito que estão soltos ainda. E dizer que tem justiça neste país e contar piada sem graça.
    Justiça tem na China, Irã, países mulçumanos. Lá sim tem justiça. Pois pisou na bola. Ou vai parar na solitária ou vai para no ccemitério. Aqui a gente tem é muita exbornia.

  4. quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:41 hs

    Basta ver que só pobre vai para cadeia, e quando acontece de um inocente ir para a cadeia e mesmo provando sua inocência demora tempo para ser solto, mas quando se tem dinheiro aos montes, enrola os processos, esofluem de todas as artimanhas que as Leis lhes proporcionam até o crime estinguir por caducar, este é o nosso Brasil, onde nossos Legislativos só criam Leis que beneficiam os malandros, vigarista, ladrões, mafiosos, donos de jogatinas, corruptos e inumeros criminosos mais e sabem porque? Para beneficiar a si próprios, pois eles são os que mais beneficiam das Leis.

  5. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:44 hs

    O Corpo de Bombeiros é top. Depois, a Imprensa, a que a futura ditadura civil pretende cercear. Perderam pontos, a religião, a justiça. A classe política, além dos pontos, a linha, o carretel.
    Nós, cidadãos e eleitores, não fomos ranqueados, mas nossos comportamentos não sugerem passar de ano não.

  6. antonio
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 13:34 hs

    O judiciário carece de reforma profunda. Sou a favor de eleição para certos postos do judiciários, por tempo determinado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*