ParanaPrevidência: APP exige mudança no projeto do governo | Fábio Campana

ParanaPrevidência: APP exige mudança no projeto do governo

A direção do sindicato vai exigir mudanças no projeto do governo enviado à Assembleia Legislativa do Paraná

A presidente da APP-Sindicato, Marlei Fernandes de Carvalho, já declarou que a direção do sindicato está trabalhando para mudar o projeto enviado pelo governo à Assembleia Legislativa do Paraná que prevê a cobrança para aposentados e aumento na alíquota do ParanaPrevidência.

O posicionamento da entidade é contrário à proposta enviada pelo governador Orlando Pessutti, que prevê a reestruturação do plano de custeio da Paranaprevidência, órgão do estado responsável por administrar e pagar as aposentadorias dos servidores estaduais e pensões dos dependentes deles.

Pela proposta, a contribuição mínima dos servidores ativos passa de 10% para 11% do valor recebido em folha de pagamento. O projeto ainda autoriza, caso se mostre “necessária”, a taxação de inativos e pensionistas, que hoje não pagam a previdência estadual – o estado é o único do país que mantém a isenção.

A medida seria uma resposta a um relatório divulgado há três semanas pelo Tribunal de Contas do Estado (TC), que apontou um rombo de R$ 3,2 bilhões na Paranaprevidência causado pela falta de repasses do governo paranaense.

Marlei esclarece que há tempos o sindicato se posiciona contra essa medida. Segundo ela, a APP, em conjunto com o Fórum dos Servidores do Estado do Paraná, defende uma ampla auditoria na Paranaprevidência. Desde 1998, quando foi criada, os sindicatos já questionavam a natureza da instituição. “Sempre defendemos que fosse criada uma autarquia. Outra crítica diz respeito aos conselhos de administração e fiscal, que deveriam ter representação paritária. O governador nomeia 80% dos componentes dos conselhos’, explica ela.

O sindicato mantém dois representantes titulares dos servidores eleitos no Fórum (Norma Ferrari do Sindseab e César Caggiano da UEL), e dois suplentes (os professores Palmo Fidélis e Sérgio Marson, da APP), mas as dificuldades para obter informações não permitem dimensionar a situação real de todos os recursos e investimentos.
O representante da APP no Fórum de Servidores, professor Palmo Fidélis, reafirma a posição da APP. “A nossa posição é contra a cobrança e nós temos uma liminar que nos garante a isenção. Nós não queremos uma outra aposentadoria no além”, finaliza o professor Palmo que também alerta sobre a possibilidade de aumento da alíquota de contribuição de 10% (valor estipulado atualmente) para 11% para os servidores públicos ativos.

De acordo com a presidente da APP-Sindicato, causa estranheza e preocupação o fato de que, no final de governo, queiram criar mecanismos de mudanças, ou mesmo justificativas ‘políticas’ para colocar em risco o fundo previdenciário. “E, pelo andar da carruagem, o governo quer empurrar a conta para o funcionalismo público. Não vamos permitir que isso aconteça. Se houve falta de recursos e capitalização por parte do governo, é o governo quem deve pagar o que deixou de repassar ao fundo previdenciário, ou seja, aos servidores públicos”, ressaltou a presidente.


10 comentários

  1. castelão
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 14:58 hs

    O mais interessante desta confusão da Paraná Previdência e, ninguém comenta, o desvio do Fundo quando foi criado. O Estado deu em garantia para Tesouro Nacional mais de 20 anos (5 governos inclusive o do Beto) os Royalties da Itaipu destinados ao Paraná, com um deságio absurdo de 2/3 dos créditos, ou seja, deu em garantia o equivalente a R$ 3 bilhões e recebeu Títulos do Governo Federal no valor de R$ 1 bilhão. Pior, os Títulos rendiam 6% a.a de juros e a divida com o Tesouro o Estado paga juros de 12% a.a.
    Está falcatrua foi montada para criação de dois Fundos, um de Capitalização (o que tem o déficit tão comentado) e outro de Caixa (não existe Fundo de Caixa em Planos de Previdência), que era para bancar o pagamento dos aposentados durante um bom tempo, pois o Estado estava falido e já tinha a Lei de Responsabilidade Fiscal. É simples para comprovar, só levantar a documentação da época junto aos órgãos competentes, como por exemplo a Secretária da Fazenda

  2. INTERESSADO
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 15:52 hs

    O PAI DA IDEIA DESTE PLANO É O CONSELHEIRO DA PRPREV MEMBRO DO SINDICATO!!
    REPRESENTANTE ELEITO PELA CLASSE!

  3. sidnei souza
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 16:10 hs

    ESSE POVO DA APP, É CO-RESPONSÁVEL POR ISSO, POIS APOIARAM O GOVERNO REQUIIÃO INTEGRALMENTE. E QUERIAM OSMAR DIAS NA CONTINUAÇÃO.
    QUEM QUEBROU A PARANÁPREVIDÊNCIA FOI O REQUIÃO E SEU POVO. A APP. APOIAVA QUEM???????????

  4. antonio carlos
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 16:11 hs

    A presidente da APP tem toda razão, quem não pagou que pague. E quem não pagou foi o governo, mas aqui que se abra um parênteses, o governo fica impedido de repassar ao ParanáPrevidência dinheiro dos impostos. Como vai fazer tal mágica? É muito fácil, pergunte ao ex-desgovernador que ele deve ter a resposta, pois foi ele que não repassou ao instituto o que lhe era devido por lei. Ou que tire do prórpio bolso a quantia sonegada ao instituto enquanto foi desgovernador do Paraná. A claque da terça insana deve estar bastante ensandecida, correm o risco real de ficar sem aposentadoria. Bem feito. ACarlos

  5. Profa. Vivi
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 16:33 hs

    Não me espanta em absoluto. A conta dos desmandos sempre estoura no lado mais fraco. Por que não cobram judicialmente daqueles que tinham a obrigação legal de fazer os aportes na Paraná Previdência e não fizeram?

  6. Observador
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 17:31 hs

    Quando se paga previdência é visando a aposentadoria. Que visa um aposentado, alguns caindo aos pedaços?
    Se o aposentado paranaense é o único a não pagar a contribuição, com o INSS a dispensa é Nacional.
    De imaginar um ser humano pagando 27,5% de IR, 11% de contribuição, ICMS em tudo que o alimenta, sobre remédios …
    E o dinheiro roubado, via assembleia, não vai retornar?
    E lá vem o CPMF …

    Onde estamos pagando imposto sobre remédio para a cura do câncer … (?).

    QUEM ROUBOU O PARANAPREVIDÊNCIA? Reiro o roubou, é pesado, digo, quem malufou o paranaprevidência? Cadê o dinheiro? O gato comeu, o gato comeu …

  7. Jorge Moreira
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 20:08 hs

    Os representantes da APP participaram do Conselho e assinaram todas as atas dando o seu OK para tudo o que aconteceu. São co-autores do naufragio. Só iam la para pegar o jeton e dizer amem para o presidente de plantão. E agora querem dizer que não tem nada com isso. Tenham dó né….

  8. Joãozinho
    quinta-feira, 18 de novembro de 2010 – 21:54 hs

    kkkkk…como ?? se é o Sindicato que está por trás dessa tramoia

  9. Defer
    sexta-feira, 19 de novembro de 2010 – 10:39 hs

    só nao tirei dinheiro da iniciativa privada para pagar a aposentadoria deles, alias eles como uma classe que deveria formar cidadao ter sua previdencia quebrada, esse é o nivel da educação deste pais!

    se virem funcionarios publicos

  10. Flavio
    sexta-feira, 19 de novembro de 2010 – 11:11 hs

    É mais uma vez nós funcionário públicos iremos pagar uma conta que não é nossa.
    E o atrasado dos funcionários das escolas como fica, quase 15 meses e nada de recebermos os atrasados que são do período de agosto de 2009 à julho de 2010?
    Responda APP e governo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*