Medidas do atual governo podem comprometer receita em R$ 700 mi | Fábio Campana

Medidas do atual governo podem comprometer receita em R$ 700 mi

Foto Orlando Kissner

Medidas que estão sendo tomadas pelo atual governo do Paraná, como benefícios fiscais, antecipações de receita e licitações, podem comprometer a receita do Estado em até R$ 700 milhões em 2011. O alerta foi feito pelo líder do governador eleito Beto Richa na Assembléia Legislativa, deputado Ademar Traiano, durante reunião da equipe de transição do novo governo nesta quarta-feira (17). “É um volume de recursos significativo e preocupante, fruto de ações unilaterais, sem conversar com a equipe de transição”, afirmou Traiano.

A equipe de transição do governador Beto Richa se reuniu para discutir as informações recebidas até agora do Governo do Estado. Das 165 questões encaminhadas à equipe de transição criada pelo governador Orlando Pessutti, apenas 60% delas foram respondidas, muitas delas incompletas.

“Muitos órgãos entregaram as informações e, papel, o que dificulta ainda mais o trabalho”, afirmou Carlos Homero Giacomini, coordenador da equipe de transição de Richa. A equipe conta com um grupo de 44 técnicos para buscar informações suplementares em diversas áreas da administração estadual. As informações vão compor um diagnóstico do Estado, que será entregue ao governador Beto Richa. “O diagnóstico vai demonstrar que temos um quadro de grandes dificuldades para a administração do Paraná nos próximos anos”, disse Giacomini.

Beto Richa deve liderar um processo de mudanças na gestão do Estado. “Precisamos de mudanças fortes na área de gestão pública e na direção das políticas públicas. Há um conjunto de medidas que deverão ser adotadas no sentido de dotar o Paraná de uma nova governança, de novas bases pra que o Estado de modo a facilitar a vida e o desenvolvimento econômico das pessoas, e remover medidas que hoje são prejudiciais ao avanço da sociedade”, disse Giacomini.


6 comentários

  1. LEÃOLOBO
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 19:46 hs

    Até 31/12/2010, que manda é o Pessuti e está falado. Depois é com vocês o negócio.

  2. Pina
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 20:23 hs

    Não se tem como legalmente impedir que o “Governador Tosco Caipira” continue a meter os pes pelas mãos causando prejuizo para o nosso Estado do Parana!!!!!!
    A 45 dias da pose de Beto Richa so temos visto besteiras ocasionadas pelo “Pessutão Pessimo Administrador Publico”, e trazendo prejuizos incalculaveis ao Novo Parana!!!!!!!!!!
    Chega Pessuti, caia fora de uma vêz!!!!!!!!

  3. Joãozinho
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:12 hs

    Mais um mês e Pessuti já era graças a Deus.

    Já fez muita burrada e só deu prejuízo ao Estado

  4. quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:20 hs

    O Duce é que tinha razão “…FDP é FDP” vai esperar o que deste falido Pansuti,falido sim,não conseguiu eleger a Dilma no Paraná ,portanto, não vai conseguir carguinhos para sua trupe e para si mesmo…

  5. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:37 hs

    Embora a transição não esteja sendo conduzida de forma correta por parte do Governo, imaginem os viúvos/as que Beto Richa não ficará culpando quem o antecedeu. Aliás, melhor mesmo é esquecer esse período de bravatas, de mentiras e de suspeitas de desvios, muito delas fundamentadas.

  6. Ferreira Junior
    quarta-feira, 17 de novembro de 2010 – 21:43 hs

    Mudanças fortes na área de gestão pública, os gerentes aposentados das estatais SANEPAR, COPEL não irão aceitar! Eles já avisaram que no máximo farão a dança das cadeiras…..(tipo assim: saio dessa gerencia que o Requeijão me deu no sul do Estado e pego a regional leste que o PESSUTAO arrumou)

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*