Centrais sindicais levam reivindicações a Richa | Fábio Campana

Centrais sindicais levam reivindicações a Richa

Por iniciativa da UGT – União Geral dos Trabalhadores, as Centrais Sindicais do Paraná preparam um documento de propostas e projetos a ser entregue ao futuro governador Beto Richa. No Leia Mais o documento que servirá de base para o debate entre as centrais sindicais para elaboração do documento comum a ser entregue antes da posse.

Agenda dos trabalhadores para o combate ao desemprego, à pobreza, aos baixos salários e aos acidentes de trabalho

Diante do alto índice de desemprego dos jovens e pobres que os levam para o caminho das drogas e da criminalidade ou mesmo a busca funções de carregadores, biqueiros ou a se prostituir nos paises do primeiro mundo; diante do alto índice de acidentes de trabalho que leva o INSS a aumentar cada vez mais o beneficio de auxilio doença; diante do quadro de geração de empregos de no máximo 2 salários mínimo e da alta rotatividade da mão de obra; diante do quadro em que os idosos recebem benefícios previdenciários de baixo valor e não tem políticas publicas para a sua proteção; a UGT apresenta esta agenda de propostas para o futuro governador do Paraná:

Manutenção do salário mínimo regional;

Pagamento do salário mínimo regional para os trabalhadores terceirizados do Estado;

Manutenção do programa luz fraterna;

Manutenção do programa da tarifa social da água;

Manutenção do programa do leite para as crianças carentes;

Manutenção do fundo de aval para os pequenos agricultores;

Manutenção do programa do trator solidário;

Participação dos trabalhadores nos conselhos das empresas Estatais e fundos públicos;

Construção em conjunto com trabalhadores de uma política de ciência e tecnologia para a agregação de valor na economia do Paraná e a geração de empregos decentes que pague melhores salários;

Participação dos trabalhadores na gestão dos programas de economia solidária e micro-crédito do Estado;

Implantação de um plano de saúde e segurança para os servidores públicos estaduais e pela melhoria dos serviços do SAS;

Construção de centros de referência regional de atendimento de trabalhadores acidentados;

Criação de um programa dos trabalhadores na RTVE;

Apoio e ampliação da contrapartida do Estado nos programas do sistema publico de emprego e renda;

Criação de um programa de apoio aos idosos com a participação do Conselho Estadual do Idoso;

Elaboração em conjunto com Ipardes e Diesse de uma pesquisa sobre a situação do desemprego da juventude das periferias e universitária no Estado e a criação de programas para solucionar este problema;

UGT – UNIÃO GERAL DOS TRABALHADORES


8 comentários

  1. Luiz Afonso
    sábado, 27 de novembro de 2010 – 10:53 hs

    hummm… isso deve ser coisa do Feliciano moreira pra tentar conseguir uma boquinha no governo…

  2. Pedro Malazartes
    sábado, 27 de novembro de 2010 – 11:25 hs

    No lugar de centrais sindicais, leia-se peleguistas.

    Querem que Beto pise nas pegadas de Requião, de quem lhes lambia o escroto.

    Luz Fraterna e tarifa social da água são custeados pela classe média; programa trator solidário é federal, leite das crianças é azedo ( tem caca no fundo do balde ). Mas, muita coisa, muita coisa mesmo precisa ser revista. Certas concessões fiscais, por exemplo: Daquele alarde de retirada de impostos em cima de produtos da cesta básica, o consumidor não se beneficiou nem um tiquinho pois os mercadistas não repassaram porra de desconto algum prá ninguém. Os atravessadores tomaram foi um porre lascado, tanto é que foram os maiores doadores da campanha de Requião, O Terrível.

  3. sábado, 27 de novembro de 2010 – 11:38 hs

    Como citei acima na matéria sobre os 65 milhões de brasileiros que passam “restrição a alimentação” que em minha opinião PASSAM FOME MESMO,e que tais dados somente foram anunciados pelo IBGE agora,após as eleições,da mesma forma vem a UGT – União Geral dos Trabalhadores e as Centrais Sindicais do Paraná denunciar a necessidade de fazer reivindicações junto ao governo federal ,com o apoio do governador eleito,o qual será completamente desnecessário,pois, quem criou o monstro foram voces,agora cuidem.
    Depois das eleições estes afirmam e reconhecem que :
    “…Diante do alto índice de desemprego dos jovens e pobres que os levam para o caminho das drogas e da criminalidade ou mesmo a busca funções de carregadores, biqueiros ou a se prostituir nos paises do primeiro mundo; diante do alto índice de acidentes de trabalho que leva o INSS a aumentar cada vez mais o beneficio de auxilio doença; diante do quadro de geração de empregos de no máximo 2 salários mínimo e da alta rotatividade da mão de obra; diante do quadro em que os idosos recebem benefícios previdenciários de baixo valor e não tem políticas publicas para a sua proteção; a UGT apresenta esta agenda de propostas para o futuro governador do Paraná…”
    Como ficou então,os antecessores do sr. Beto criaram estas situações,vocês elegeram sua cumpanhera “presidenta” e agora vem pedir arrego ao sr.Beto Richa????Vão pra Brasília,pois é de lá que vem a situação criada,eles que solucionem,quanto aos demais programas eleitoreiros do trator, da luz, do leite,etc…estes devem por obrigação serem reavaliados,no restante os cumpanheros devem dar conta do recado,mesmo porque,o fanfarrão de plantão já está fazendo o que a “presidenta eleita determinou,ou seja inviabilizar os governos da oposição”,então nada mais justo que vão atrás da “presidenta eleita” para resolver tais reivindicações…

  4. manoel j silveira
    sábado, 27 de novembro de 2010 – 12:16 hs

    Prezado Fabio, minha opiniao é que se as centras querem reinvindicar algo eles teriam que ter apoiado o governador Richa para sua eleiçoes, mas apoiaram outros, entao nao é mais do que natural esperar quando o partido que els apoiarem ou o gaverno que eles apoiarem na proxima eleiçao ganhe ai eles tem direito , assim tem que esperar que o Governo Bto richa inicie as suas propostas de campanha e depois vamos ver as reinvidicaçoes dos adverssarios politica infelismente é assim, vasmos dar preferencia para os companheiros aos apoiadores se as centrais apoiaram o governo que ganhau, nada mais justa as suas cobranças caso contrario vamos ficar na fila.

  5. Joãozinho
    sábado, 27 de novembro de 2010 – 13:33 hs

    PETEZADA toda de BIQUINHO aberto

  6. joão carlos sorcesse
    sábado, 27 de novembro de 2010 – 13:54 hs

    Essas propostas e projetos com certeza irão para a gaveta de alguma sala do palacio do governo.

    O governador eleito não é muito chegado a trabalhadores não, o negócio dele são diretores de jornais, televisoes, presidente de empreiteiras, de pedágios, industriais, baroes do transporte coletivo e assim vai.
    Se falar em MST e professores estaduais, vai faltar cacetete e bombas de ar lacrimogenio.

    João carlos

  7. Defer
    sábado, 27 de novembro de 2010 – 21:23 hs

    as centrais só nao pedem a reforma tributaria para o governo federal ou seja sao bando de sem vergonhas essas centrais!

  8. mario joao tavares
    domingo, 28 de novembro de 2010 – 16:41 hs

    PTRALHADA, PELEGADA, TODOS QUEREM UM CARGUINHO, JA MUDAM DE LADO.,

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*