Marina: pesquisas podem ter prejudicado ida ao 2º turno | Fábio Campana

Marina: pesquisas podem ter prejudicado ida
ao 2º turno

Senadora afirma que ‘muita gente se referenciava nas pesquisas’ e lamenta que institutos não conseguiram captar a ‘onda verde’

Da Agência Estado

A senadora Marina Silva (PV-AC) admitiu hoje, em entrevista à Rádio Jovem Pan AM e FM, que os institutos de pesquisa podem ter prejudicado a possível ida dela ao segundo turno. Em mais de uma hora de programa, Marina afirmou que as urnas “teriam, talvez, revelado muito mais se as pesquisas alcançassem o que estava nas ruas”. “Muita gente se referenciava nas pesquisas”, lamentou.

Ela revelou que tem recebido mensagens de arrependimento de eleitores que se pautaram em levantamentos e fizeram o “voto útil”. “Uma eleição não pode se basear nas pesquisas”, criticou. Para Marina, a segunda etapa é uma nova chance não só para os candidatos a presidente Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), mas também para os institutos que não conseguiram captar a força da “onda verde”.

Ao agradecer os 20 milhões de votos, a senadora do PV do Acre avaliou que o resultado da primeira disputa mostrou que os eleitores querem compromissos do próximo presidente, a começar pela questão ambiental, e que estão cansados da repetição da “mesma política”. Na opinião de Marina, o eleitorado do partido apresentou-se diversificado. “Foram pessoas que se mobilizaram por uma nova visão de política”, definiu.


A senadora do PV reforçou que a definição sobre os rumos da sigla na segunda fase da eleição presidencial começará com uma discussão entre os grupos sociais que apoiaram a candidatura dela, passará por uma plenária (provavelmente na sexta-feira) na agremiação e terminará com a formulação das propostas que serão encaminhadas a Dilma e Serra. Marina admitiu também que pode haver divergências no PV sobre o apoio neste novo estágio do pleito, mas que se submeterá ao processo de debate.

“Não tem como imaginar que se tenha um processo único, temos posições diversificadas. Não posso dizer que vai ser uma posição única”, disse. Marina pediu que o partido “não se apequene no discurso da conveniência”. A senadora voltou a repetir o discurso de campanha de que tanto PT quanto PSDB não foram capazes de compreender os “desafios da sustentabilidade” e que os candidatos dos dois partidos a presidente são gerentes e não “estrategistas”.

Aproximação
Marina evitou comentar a tentativa de aproximação de Dilma e Serra do eleitor protestante na questão do aborto e da legalização da maconha e argumentou que seria “presunçoso” julgá-los. “Os fiéis sabem o que é um discurso de crença e o que é um discurso de conveniência”, declarou. A senadora disse ter orgulho da campanha que fez, de não ter feito “baixaria nem guerra suja na internet”.

Sobre o futuro da legenda, Marina afirmou que os verdes não têm a pretensão de ser uma agremiação de massas, mas que buscará um crescimento qualitativo. A senadora verde dispõe-se agora a andar pelo País à frente do Movimento Brasil Sustentável, lutando pela bandeira da sustentabilidade e da economia do século 21. Quanto à derrota nas urnas de figuras como os senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Marco Maciel (DEM-PE), Marina lastimou que a aprendizagem desses partidos – de fazer a “oposição pela oposição” – não foi boa. “A sociedade deu uma lição de que quer uma oposição madura”, afirmou.


13 comentários

  1. Borduna
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 18:55 hs

    É isso aí MARINA. Nem Serra, nem Dilma representam os seus e nossos ideais verdes e cristãos. NEUTRALIDADEEEEEEEEEEEEEEEEEE NELES. Que se arrebentem os dois.

  2. antonio carlos
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 19:27 hs

    E tinha gente aqui no Paraná reclamando de censura. Pesquisa mentirosa só ajuda quem não vai ganhar. ACarlos

  3. Ailma
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 19:41 hs

    Marina tem é que se EXPLICAR por que PERDEU no seu ESTADO, isto sim?????

  4. NEM O ACRE
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 20:36 hs

    O POVO É MAL INFORMADO. ATE NO ACRE MARINA NAO CONSEGUIRIA SER ELEITA E CHEGAR AO SEGUNDO TURNO. FALTA AINDA MUITO CHÃO E MATURIDADE PARA A MARINA CHEGAR ONDE DESEJA. NAO É POSSÍVEL QUE A BANDEIRA DO PV SEJA SUFICIENTE PARA ELEGER UM PRESIDENTE. O BRASIL NAO É SÓ VERDE NAO. TEM MUITO MAIS PARA FAZER PELO SEU POVO. MARINA DEVE PENSAR EM QUEM VAI APOIAR, E SE DECIDIR, SÓ PODERÁ SER SERRA. PORQUE OS PROGRAMAS DO PT COM DILMA SAO OS PIORES POSSÍVEIS PARA TODOS NÓS BRASILEIROS. E SE ELA PENSAR NESSAS QUESTOES NAO PODERÁ FICAR OMISSA A TUDO ISSO E AS PRETENSOES ANTIBÍBLICAS DO PARTIDO DOS “””TRABALHADORES””” – ENTRE MUITAS ASPAS… BANDO DE VAGABUNDO ESSA PTZADA.

  5. DILMA - A MENTIROSA
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 20:52 hs

    04/10/2010 – 22h55 – Atualizado em 04/10/2010 – 22h55
    Voto de evangélicos no Estado é de Serra
    A Gazeta
    Rondinelli Tomazelli
    rsuave@redegazeta.com.br

    “Noiva” cobiçada pelo PT de Dilma Rousseff e pelo PSDB de José Serra para o segundo turno das eleições presidenciais, a evangélica Marina Silva (PV) estaria com o tucano em 31 de outubro. Pelo menos é o que querem lideranças evangélicas no Estado, para as quais esse eleitorado capixaba de Marina vai migrar quase que totalmente para Serra, inclusive com influência dos pastores.

    “De 80% a 90% dos evangélicos no Estado tendem a votar em José Serra. Dilma e o PT defendem o aborto e a união de homossexuais, e somos contra. Vamos orientar isso aos fiéis”, declarou o presidente da Associação de Pastores da Grande Vitória, pastor Enoque de Castro.

    Segundo Enoque, a preocupação das lideranças religiosas de seu segmento envolve posições de Dilma em relação a temas polêmicos, abordados inicialmente no recente Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3). Dentro dessas propostas em tese atribuídas à petista, estão a condição de tratamento do aborto como questão de saúde pública e a união civil de pessoas do mesmo sexo.

    “Já conversei com lideranças e nossa tendência é não votar em Dilma. Outro ponto que reprovamos é a restrição de profissão de fé em locais públicos”. Perguntado se essas questões não seriam focos de radicalismo incitados por correntes na internet, o pastor nega desinformação e alega ter ido a Brasília, onde Dilma teria se manifestado a favor das posições contestadas pelas denominações evangélicas.

    A mesma avaliação faz o presidente do Fórum Político Evangélico do Estado, pastor Lauro Cruz, para quem os pastores vão fazer orientação direta aos fiéis para votar em Serra. “O posicionamento histórico de Dilma gera apreensão. Ela é a favor do aborto. Embora tenha negado isso em público e mudado de discurso, não mudou de posição”.

    Para Cruz, outro fator que vai pesar na orientação aos evangélicos é a aliança do grupo político de Dilma com “políticos não confiáveis”. “Ao lado dela estão José Sarney, Jader Barbalho, Renan Calheiros e José Dirceu”, critica. “A postura de Serra preocupa menos que a de Dilma. Dos males, vamos escolher o menor. Não vamos fazer campanha aberta para Serra como fizemos para Marina. Faremos alerta”.

    Antes do primeiro turno, as igrejas apresentaram vídeos de apoio a Marina. “A grande votação de Marina Silva no Espírito Santo foi por adesão dos evangélicos”, reivindicou Enoque. Ele acrescenta que Dilma não teria “luz própria” e estaria à sombra do presidente Lula.

    PV adia definição

    A presidente regional do Partido Verde (PV), Cidinéia Fontana, já anunciou que o partido no Estado só vai tomar posição sobre apoio a Dilma ou Serra no segundo turno depois que houver definição nacional da sigla. Ela vai estar, ainda esta semana em reunião de Marina com dirigentes regionais do PV para debater os rumos para 31 de outubro.

    “As pessoas que levaram Marina até onde ela chegou vão decidir para onde iremos. A situação ainda está conturbada, o direcionamento virá da nacional, e no Espírito Santo ainda não podemos tomar posição”, ponderou Cidinéia, segundo quem Marina ultrapassou expectativas ao ter, no Estado, “sua maior votação percentual do país”.

  6. carlao
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 21:04 hs

    Marina votei em vc no primeiro turno agora vou de Dilma ou BRANCO

  7. jose
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 21:22 hs

    Está em gestação mais um monstro?
    O voto na Iara, a mãe terra, Pachamama, teve origem na insatisfação. O eleitor mandou o recado para os dois mais bem votados: “Tá insuficiente…”, e tome voto na Marina que nasceu de mãe analfabeta, foi pobre, quase morreu intoxicada e cometeu o disparate de estudar já na adolescência. Foi só. Outsider que pegou carona no vazio dos outris dois.
    Para o verde, embora apropriado e defensável, ser portador de 20 milhões de votos, nem o Hulk em crise de fúria.
    Agora atentemos para a auto-elevação do sou maior que o partido.
    Com 20% dos votos já está assim. Com as instituições fragilizadas a ponto de dificilmente serem recuperadas na próxima década, quanto vamos esperar para recompor a verdade antes que o dragão da floresta consuma com o nosso livre arbítrio e assistamos assustados cortadores de grama serem execrados em praça pública?

  8. quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 23:00 hs

    Marina com uns pontinhos a mais está se achando …Cruzesss

  9. Pedro
    quinta-feira, 7 de outubro de 2010 – 7:20 hs

    Creio que a neutralidade seria a solução para Marina.Não poderá ser Serra porque jamais apoiaria o representante da DIREITA que ela tem tanta ojeriza por oprimir e não ter interese pelos menos favorecidos. A Dilma não poderá apoiar a Dilma porque ,devido aos seus ideais VERDES,foi afastada do Ministério dando lugar a alguem verde tendendo mais ao AMARELO(MInc).

  10. Paulo Licursi
    quinta-feira, 7 de outubro de 2010 – 8:28 hs

    Concordo com a MARINA. As pesquisas foram tendenciosas. O Beto Richa teve razão em bloquear algumas. Principalmente a última pesquisa onde apontava a “virada” do Osmar, em respeito ao próprio Osmar. A pesquisa de fato apontava que o Osmar tinha VIRADO……..BI- DERROTADO!!!

  11. JAMELÃO
    quinta-feira, 7 de outubro de 2010 – 8:48 hs

    Esses 20 milhões de votos foram dos orripilados que acreditaram nos videos difamadores sobre aborto.
    Ficam orripilados, porém cometem os mesmos crimes contra a vida, ou pensam que a Igreja não condena: a pílula, a camizinha, o sexo antes do casamento, etc…

  12. rosemeri
    quinta-feira, 7 de outubro de 2010 – 12:29 hs

    Para mim não existe esse tal de “voto útil”.
    Isso é desculpa de quem não tem ou capacidade de decisão ou coragem de seguir suas convicções.
    Em vez de voto útil deveria ser chamado de VOTO MARIA-VAI-COM-AS-OUTRAS.

  13. Ester
    sexta-feira, 15 de outubro de 2010 – 6:33 hs

    O momento é pensar no povo brasileiro. Será que desejamos um País com regime de ditadura? Chega de sermos bonecos nas mãos daqueles que sentiram o gosto do poder (impondo) a todos nós. Marina, por favor, ficar em cima do muro, todos iremos ser atingidos por essa epidemia de desonestidade e falcatruas que anda pelo Brasil a fora e escancaradamente sem que poçamos fazer nada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*