Equipamentos obsoletos nos órgãos públicos | Fábio Campana

Equipamentos obsoletos nos órgãos públicos

A insistente e repetida notícia oficial de que a empresa Celepar era uma das melhores empresas públicas de informática do Brasil escondeu uma realidade. A maioria dos órgãos estão com equipamentos de informática antigos. Os núcleos da Celepar nos órgãos não tem competência para aquisição de novos equipamentos. A competência é do próprio órgão, que normalmente prioriza outros problemas. Os equipamentos de informática nos escritórios das secretarias de estado e das empresas no interior são obsoletos. É só visitar escritórios da Seab, Sema, Seed, Sesa, IAP etc. Isso dificulta a produtividade no trabalho e a prestação de serviços públicos.


18 comentários

  1. Jose
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 10:49 hs

    Vá ao PROCON, DEFENSORIA, DEPEN e SEJU – JUSTIÇA ou na SESP -Segurança Publica, IML, IC, IIPR e por ai a fora.

    É uma vergonha. Eles querem utilizar software livre, mas os equipamentos não suportam a instalação.

    E etc

  2. VERDADE
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 11:03 hs

    Nossa que maravilha, o Beto vai comprar equipamento para todos os órgãos do Estado! Não esqueça de avisar o Arns do aumento de 26% para nós professores.

  3. Zangado
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 11:29 hs

    Mas como é que poderia ser diferente na Era Jurássica que representou para o Estado a gestão requiônica ?

    E tem mais, os “dinossauros” – entre os quais o Tiranossauro Rex do pedágio “baixa ou acaba” e seu passivo judicial de mais de 300 milhões – estão prestes a romper as cercas da mentira e virtualidade que prendiam-nos nos escaninhos do governo !

  4. Olho Vivo
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 13:31 hs

    Precisa é fechar a Celepar, e mandar toda a gauchada e sindicalistas para a rua.

  5. povão
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 13:33 hs

    sem contar q não temos pessoas capacitadas para “mexer” nessas maquinas , o problema é maior q se pensa
    Secretárias cheia de estagiários com vontade de trabalhar e profissionais de carreira preste a se aposentar , q não estão nem ai pra nada ….
    e o Req falava tão mal do final do gov. Lerner …..

  6. Carlinhos
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 13:54 hs

    Vai implantar radar nas rodovias estaduais.

  7. Eduvirgem
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 14:10 hs

    Você tem razão quando diz que é responsabilidade do órgão fazer a aquisição de novos equipamentos. Quanto a opção pela utilização de Software Livre, o motivo é bem simples. O Estado deixa de gastar no mínimo 2 mil reais em licença de software por computador.

  8. Prof Luiz André
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 14:22 hs

    Concordo com o José. Não é só computadores que estão ultrapassados. As tvs pendrives já são superadas e de longe por outros recursos mais interessantes e mais baratos; o tal da política do software livre só deu lucros para os consultores do RS; nas escolas só existem softwares educativos inúteis; a internet nas escolas serve para acessar orkut, msn, facebook, etc… pelos alunos e professores.
    Mesmo criticado pelos requianistas, penso que o Pessuti está dando uma grande contribuição para o sucesso do governo do Beto. Muitas iniciativas dele serão perceptíveis em 2011. E se o Beto tiver bom senso, vai levar a fama.

  9. LEAD
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 14:35 hs

    No IAP, a informatização do órgão se deu na gestão do Lerner tendo como presidente o Andreguetto. Nos oito anos do Governo Requião, tendo a frente o Raska e o Burko, pouco ou quase nada se fez. As máquinas e veículos ainda são aqueles adquiridos pelo Lerner/Andreguetto.

  10. Jose
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 14:41 hs

    Enquanto isso na CELEPAR, são 135 cargos em comissão numa empresa de 1.100 funcionários. Mas isto está sendo explicado, são 115 – funcionários + 20 amigos de alguém)

    Ainda disseram que fizeram economia com a utilização do software livre, os funcionários e os órgãos do Estado não veem a hora de acabar com esta porcaria, que só trava os equipamentos ou desconfigura os textos.

    A CELEPAR deve passar por uma gestão profissional.

  11. sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 14:56 hs

    Esta situação já vem de governos anteriores,cada governo que se instala no comando não vê ou não quer ver esta prioridade que é a atualização de softwares. Caso do software livre,isto é um papo dos “MAGNÍFICOS DA CELEPAR”,os quais também criaram um Conselho chamado de COSIT,este comanda toda a estrutura desta área,e, é um atraso só.Não digo só pela implantação do software livre,que até pelo seu objetivo como software tem seu valor simbólico,mas, vamos analisar : vamos tratar o Estado do Paraná como uma “Instituição única ou empresa única” suas secretarias e demais estruturas seriam seus “setores” como uma grande empresa ela adquire softwares ,sim não deveriam ser mais de 1 unidade de cada software e não milhares como querem,e não é pirataria,a matriz ou as matrizes ficariam com a CELEPAR e esta instalaria em todos os órgãos públicos,portanto não havendo a necessidade de comprar 100 softwares de cada se a instituição,como disse ,é única,pois, estamos tratando o Estado como uma Instituição igual a tantas outras existentes,porque o Estado teria que ter um tratamento diferenciado.
    Portanto,este não é o entendimento do COSIT/CELEPAR,em minha opinião há outras formas de encarar esta situação.
    Quanto a atualização de equipamentos,estes por sua vez tem que ser feitos a cada cinco a seis anos,principalmente para quem necessita de equipamentos atualizados para prestar bons serviços a comunidade. Mas, o Conselho e a CELEPAR,pelo que parece, não pensam assim,chegam ao cúmulo de verificar que uma Secretaria ou outro órgão do Estado tem os recursos orçamentários e financeiros para a aquisição dos equipamentos,os quais também já contam com a participação dos técnicos da própria CELEPAR para haver o dimensionanto dos equipamentos.
    Mas não é fácil como deveria ser, o próprio Conselho e a CELEPAR emperram a autorização para licitar a compra de tais equipamentos dimensionados por eles mesmos por mais de 1(um) ano,dá para entender??????? Quando o COSIT e a CELEPAR autorizam estas aquisições elas já estão defasados em 1 ano,é mole ou quer mais.Este é um dos motivos que o novo governador tem que ver,ou seja,fazer uma reestruturação técnica em toda a CELEPAR e rever integralmente a função do COSIT.
    Apenas lembrando, desde 1990,primeiro governo do Duce, já estava sendo previsto a necessidade de uma reestruturação total da CELEPAR,a proposta era atingir em cheio o coração da citada empresa,é o que o novo governo tem que fazer senão continuaremos a andar para trás, ISTO NÃO DEVE CONTINUAR ACONTECENDO,está vindo uma COPA DO MUNDO aí e o Estado do Paraná com seus órgãos NÃO DEVEM continuar a ficar na mão de meia dúzia de técnicos retrógrados,ou substituem ou é decretada a falência da CELEPAR….
    HÁ QUANTO TEMPO NÃO É FEITO UMA ATUALIZAÇÃO PARA VALER,TODOS SÓ FICAM PRA VER NO QUE VAI DAR,SOLDANDO FIOZINHOS QUANDO NA REALIDADE DEVERIAM ESTAR DANDO SUPORTE TÉCNICO,ESTA ÁREA REALMENTE ESTÁ SUCATEADA,VAMOS MUDAR GOVERNADOR BETO RICHA!!!!!!!

  12. Eduvirgem
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 15:13 hs

    José. Você não sabe o que está falando.

  13. Astolfo
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 17:40 hs

    A Nego Véio. Como assim? Acho que você não sabe como funciona o licenciamento de software. Pelo que você está dizendo se eu comprar uma licença de Sistema Operacional ou suíte de escritório posso instalar em quantos computadores quiser?

    Me desculpe. Se for isso mesmo o Sr. está completamente enganado.

    Quanto ao projeto das escolas. É o melhor e maior projeto de informatização do Brasil. Dem uma lida neste artigo.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Paran%C3%A1_Digital

  14. Já vai tarde !
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 17:45 hs

    Tem que ter muito cuidado com esta área. Terceirizar por terceirizar a gente sabe o que acontece, é só lembrar dos anos Lerner, que fez caixa 2 através da informática. Só que os serviços quando eram entregues pelas contratadas eram de péssima qualidade. Vide o caso Detran.
    O software livre não é tão ruim assim, ele economisa muito dinheiro e cria know-how próprio, só precisa ser melhor planejado. Você não pode obrigar uma secretária de órgão do estado a usar Linux, isso é autoritarismo, mas você deve forçar o uso pelo pessoal técnico. Nem tanto ao mar nem tanto ‘a terra.

  15. Educador
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 19:27 hs

    Esta idéia de PRD ser o maior projeto do mundo é papo. O PR Digital ficou pela metade, só tem micros lentos para rodar os BR OFFICE. A internet é lenta. Distribuir 40 mil computadores não signfica que o projeto é consistente. A concepção em 2003 era ótima, mas por incompetência de seus gestores hoje já começa a ser um garande entulho de hardware.
    No mercado existem soluções extremamente funcionais que tornariam o PRD um ambiente de fato educacional. A incompetência foi tanta que o SR Ricardo Bezerra não soube levar adiante a licitação dos novos servidores.
    Cabe ao Pessuti corrigir a asneira geral, não sei se vai dar tempo.

  16. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 29 de outubro de 2010 – 23:08 hs

    É uma pena.

    O Celepar serviu de modelo para os dmais sentros de processamento de dados dos outros estados e inclusive para o Serpro.

    Foi criado pelo Ney , entes mesmo da união ter processamento.

    Homem de visão o Ney Braga. Entre outra coisas, construiiu a Rodovia do Café, a estrada de ferro Central do Paraná e conseguiu a instalação da Refinaria Getúlio Vargas (aquela que fica em Pinhais, segundo a Dilma. kkkk) .

    Quando as mágoas do Regime Militar forem esquecidas, o Paraná vai reverenciar o Ney Braga.

    O processo de modernização deve muito aos governadores:

    Ney, Paulo Pimentel, Canet Jr., Lerner, Richa, entre outros.
    Pena que o Requião governou 12 longos anos.

  17. Astolfo
    sábado, 30 de outubro de 2010 – 0:08 hs

    Acima de tudo tem que ter bom senso. E software livre economiza muito dinheiro.

  18. Tempo fechado
    sábado, 30 de outubro de 2010 – 9:33 hs

    É impressionante a falta de conhecimento e comentários absurdos a respeito da Celepar nesse blog. Não desprezem uma Empresa que tem reconhecimento nacional no mundo da informática. Quem tiver oportunidade vá a um evento de software livre com a mente aberta, disposto a quebrar paradigmas. CERTAMENTE, todos que criticam software livre SEGURAMENTE têm no computador da sua casa uma licença LEGALIZADA (não pirata) de Windows e Office da MICROSOFT. Será?????? Não é preciso ser xiita e afirmar que tudo tem que ser em software livre, cada caso é um caso. Hardware fica obsoleto independente do software utilizado. Cada vez mais os softwares proprietários (não softwares livre) precisam de mais recursos de hardware. Portanto, não é só mudar para WIndows e TABAJARA!!!, todos seus problemas resolvidos. Voltando à Celepar, como qualquer Empresa, tem seus problemas mas repito não à desprezem, qualquer órgão de governo de outro Estado do Brasil gostaria de ter uma Celepar.
    Sei disso pq tenho contato com eles…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*