Parada Gay de Curitiba mobiliza 150 mil | Fábio Campana

Parada Gay de Curitiba mobiliza 150 mil

Da Gazeta do Povo

Perto de 150 mil pessoas participaram, neste domingo, da Parada da Diversidade de Curitiba, no Centro Cívico. Este é o maior público desde que o evento foi criado, há 13 anos. Com essa marca, a “parada gay”, como a mobilização é conhecida, tornou-se o segundo maior evento de rua do Paraná, o primeiro é a Caiobanda, no Carnaval. Há cinco anos o número de participantes era cinco vezes menor. Em 2010 o lema foi “Vote contra a homofobia. Defenda a cidadania”.

O objetivo é promover a cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais por meio do voto e da democracia.

Atualmente existem eventos semelhantes em 155 cidades do país e Curitiba é a quinta com maior público. Para o coordenador geral da Parada da Diversidade, Márcio Marins, isso mostra que a sociedade está se tornando menos preconceituosa. “Hoje há famílias, crianças, bebês e heterossexuais conosco. É um meio de se quebrar o estigma em torno da população LGBT”, explica. “Escolher bem os legisladores é parte do exercício da cidadania”. A meta do movimento é garantir com que os direitos civis dessa população sejam garantidos, como o recebimento de pensão do companheiro e a união civil.

A presidente do Grupo Dignidade – uma das entidades organizadoras -, Rafaelly Wiest, afirma que o maior mérito da Parada da Diversidade é levar a temática da orientação sexual para o espaço público. “É um enfrentamento direto do preconceito”.

Ela destaca que neste ano o movimento LGBT teve um avanço significativo no Paraná quando a Secretaria de Estado da Educação passou a reconhecer o nome social dos estudantes. Assim, uma travesti pode ser chamada por seu nome feminino ao invés do que consta na certidão de nascimento. Isso ajuda a diminuir a evasão escolar. “Esperamos que os próximos governos também reconheçam nosso poder de mobilização”.

Participantes

A maior parte dos participantes da Parada pertence ao público de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A festa é colorida e democrática. Há desde jovens até pessoas da terceira idade. E, apesar de haver muita irreverência nas fantasias, há espaço para conscientização.

A travesti Gringory Joy, 18 anos, estudante, foi fantasiada com um vestido bordado com camisinhas. “Também promovemos o sexo seguro”, garante. A estilista e Drag Queen Pâmela Becker fez uma grande produção para o evento. “Venho desde a primeira edição”.

As jovens Vanessa Jacinto, 19, e Camila dos Reis, 17, aproveitaram a mobilização para protestar contra o preconceito. “Ainda sofremos muita discriminação. Principalmente na rua, onde o pessoal sempre faz piadinhas”, conta Camila. As duas afirmam que no início as famílias relutaram em apoiar a orientação sexual das garotas, mas depois acabaram aceitando.

Famílias

Famílias, crianças e casais heterossexuais também participaram da mobilização. A funcionária pública Delma Almeida, 48, levou os filhos e colegas para o evento. “Quero que eles vejam um mundo sem preconceito. Apoio a luta contra a homofobia”.

Já a empregada doméstica Miriam dos Santos, 45, entrou no ritmo da festa e até trajava uma pluma cor-de-rosa. Ela também levou a família e o neto de 3 anos. “Como há muita gente que ainda discrimina, faço questão de vir e mostrar o meu apoio”, explica. “Tenho muitos amigos homossexuais e aprendi com eles a respeitar a diferença”. O casal Aline de Fátima e Maurício Vieira também levou o filho e aproveitou para tirar fotos com as Drag Queens.

O evento é organizado pela Associação Paranaense da Parada da Diversidade (APPAD), Grupo Dignidade, Artemis, Centro Paranaense de Cidadania (Cepac), Dom da Terra e Transgrupo Marcelo Prado.


15 comentários

  1. Buemba buemba
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 0:23 hs

    Rolo compressor neles…..

  2. JAMELÃO
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 8:22 hs

    Tem certeza que não era comicio o beto!

  3. segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 8:36 hs

    A Ordem do Governo do PT é para cometer crime que ELLES seguram as pontas ou rua.

  4. FCH
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 9:06 hs

    Resultado: Bagunça, sujeira, tiroteiro, drogas, pixações, desordem, falta de pudor, imoralidade. Vergonha, tristeza, …..

  5. Triste
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 10:25 hs

    Essa parada Gay é uma vergonha … esse pessoal que participou nao tem a menor educaçao e nao sao todos nao, tem pessoas boas ainda nesse meio, mas os bons nao participam e nao concordam com isso. Tudo porque o PT prometeu que vai regularizar a situação antibíblica deles e imoral q é o casamento entre homossexuais. A CNBB está pedindo para nao votar em DILMA E NEM NO PT… LEIAM NA INTERNET O MANIFESTO…
    ESSA DILMA NAO PODE CONTINUAR O PT QUER DAR UM CALA-BOCA NO POVO INCLUSIVE COM CENSURA NA IMPRENSA QUE VEM A CADA DIA MAIS AUMENTANDO E CALANDO A BOCA DOS JORNALISTAS INFORMADOS… POVO TEM QUE ACORDAR. E ESSA URNA ELETRONICA É UMA OUTRA FALCATRUA POVO… ACORDA BRASIL!

  6. Irineu Rodrigues Jr
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 10:32 hs

    Adoro a diversidade, a festa estava maravilhosa estava lá antes de ir no couto!!!

  7. Buemba buemba
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 10:32 hs

    Não publicaram meu outro comentário, mais estou com o FCH!!
    Deus nos fez homens e mulheres, qualquer coisa fora disso é fora da ordem dívina, quando temos nossos filhos, ficamos na espectativa de ser homem ou mulhere, algum pai já esperou um filho disvirtuado!! O médico falando, parabéns pais vc tireram um lindo gayzinho!!
    Um vergonha pra humanidade!

  8. VV
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 11:27 hs

    Complementando o comentário acima: confusão no trânsito e música alta da pior qualidade até às 10 da noite. Pobre de nós moradores do Centro Cívico!

  9. anonima
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 11:30 hs

    O velho e saudoso FNM (fenemê) não merecia tanta humilhação

  10. Tyllerand
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 11:46 hs

    Está na hora das capitais construírem seus passeódromos. Passeata nas ruas é um tremendo incômodo logístico e só serve de palanque para os oportunistas políticos de plantão.

  11. um pelo menos !
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 12:57 hs

    Para ver como as categorias e classes são todas desunidas na hora do voto! Categoria não vota em categoria, pois se votassem nos teraimos Vereadores, prefeitos, deputados dos mais diversos segmentos! policiais, garçons, carteiros, guardas municipais, porteiros! a unica classe unida é a das Profissionais do sexo, pois sempre um filho se elegem !

  12. Pérola
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 16:22 hs

    E viva a diversidade!

  13. FILET MIGNON
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 17:15 hs

    O BOB REQUI – INSANO não estava?

  14. Ana Marcia- Simpatizante
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 18:02 hs

    Sou simpatizante da causa e ex simpatizante do evento Parada da Diversidade.Pena que esse movimento que deveria ser acima de tudo apartidário serviu de palanque político. Esse evento é custeado com recursos públicos e foi de forma vergonhosa usado por um deputado federal do PT para pedir votos para ele e seus aliados. Vale lembrar que esse mesmo deputado se diz uma pessoa etica e defensor da moralidade para com o uso do dinheiro público.Bem, com certeza isso foi combinado com a organização do evento. Isso é uma vergonha .

  15. ANDERSON RODRIGUES
    sexta-feira, 24 de setembro de 2010 – 18:09 hs

    A PARADA GAY DE 2010 FOI MAL ORGANIZADA
    A NOSSA CIDADE FICOU UM LIXO )
    E A PARTICIPAÇÃO DOS POLICOS FOI UM ATO
    VERGONHOSO PARA TODOS .
    É NESSA HORA QUE ELES SAO A FAVOR DOS GAYS DEPOIS CHUTAO OS COITADOS .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*