Pessuti seria a salvação, não fosse eliminado da disputa | Fábio Campana

Pessuti seria a salvação, não fosse eliminado da disputa

De André Gonçalves • agoncalves@gazetadopovo.

Orlando Pessuti(PMDB) fez jogo duro o quanto pôde para ser candidato a governador. No começo, chegou até a empolgar o hoje desafeto Roberto Requião(PMDB), depois emplacou um lobby com Michel Temer e a direção nacional do PMDB, até conseguir uma audiência em Brasília com Lula. No final, valeu o consenso de que seria melhor fechar aliança em torno de um só nome governista, ou seja, Osmar Dias(PDT),

“(para o gosto e alivio de Roberto Requião(PMDB) e Gleisi Hoffmann(PT) que tiravam Osmar Dias(PDT) do seu caminho na disputa do Senado)”.

Pois Pessuti poderia ter sido a bóia de salvação para evitar uma disputa que deve se resolver em um só turno. Segundo a pesquisa RPC/Ibope divulgada na última quinta-feira sobre a corrida pelo Palácio Iguaçu, Beto Richa (PSDB) começa a abrir uma margem folgada para vencer já no dia 3 de outubro. O tucano aparece com 59% dos votos válidos contra 40% do pedetista.

O que realmente minou Pessuti foi a tese de que ele tiraria mais votos de Osmar do que de Beto. O certo, contudo, é que ele morderia ao menos um pedaço do eleitorado do ex-prefeito. Estima-se que o peemedebista começaria a campanha com 12% a 15% das intenções de voto, o que parece pouco, mas faria diferença.

Nas duas únicas vezes em que a eleição paranaense foi decidida no primeiro turno o cenário foi muito parecido ao atual. Em 1994, houve só dois candidatos fortes: Jaime Lerner (então no PDT) e Alvaro Dias (então no PP). Lerner atingiu 54,85% contra 38,55% de Alvaro, enquanto os demais quatro concorrentes não passaram dos 6% dos votos válidos.

Em 1998, aconteceu a disputa com o menor número de concorrentes das últimas duas décadas. Júlio de Jesus (PSTU) e Jamil Nakad (Prona) somaram apenas 1,9% dos votos válidos e não serviram nem como coadjuvantes. Lerner (que havia mudado para o PFL) fez 52,2% e impôs a única derrota eleitoral da carreira de Requião, que teve 45,9%.

As duas eleições seguintes tiveram segundo turno graças a disputas radicalmente diferentes. Em 2002, foram 12 candidatos. Enquanto Alvaro e Requião despontaram com 31,4% e 26,1% dos votos válidos, respectivamente, Padre Roque (PT), Beto Richa (PSDB) e Rubens Bueno (PPS) somaram juntos 40,5%.

Em 2006, Requião e Osmar polarizaram a eleição desde o começo, mas disputaram o primeiro turno contra dois coadjuvantes com alguma relevância eleitoral. Flávio Arns (então no PT) teve 9,3% dos votos válidos e Rubens Bueno, 8,07%. Os votos de ambos foram disputados palmo a palmo no segundo turno e o resultado foi a eleição mais disputada de todos os tempos no estado, vencida por Requião graças a uma diferença de 10 mil votos.

Mas não é apenas do ponto de vista numérico que a candidatura de Pessuti poderia ter beneficiado Osmar. Ao receber o apoio do PMDB, o senador herdou o vínculo com Requião. E depois da pancadaria de quatro anos atrás, ver os dois juntos tornou-se o fato mais chocante desta campanha.

Com um candidato peemedebista, ambos manteriam uma distância mais saudável entre si. E aí até poderiam estar juntos no segundo turno, o que não seria tão bizarro.

“(Não descartando a possibilidade de Pessuti ir para o segundo turno e ter o apoio de Osmar(PDT)”.

Era exatamente isso que Pessuti tanto pregava.

*A pesquisa Ibope foi realizada entre os dias 23 e 25 de agosto, com 1.008 entrevistas e margem de erro de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos. Ela foi registrada no TSE sob número 25.671/2010.


10 comentários

  1. Duval Simões Araújo-Londrina
    quarta-feira, 1 de setembro de 2010 – 9:32 hs

    Sou mais simples ainda na análise do assunto. Se o PT, com a ascensão de Dilma, tivesse candidato próprio, já estaria nas rebarbas do fraco e titubeante Osmar Dias e possivelmente iria para o 2º turno com Beto Richa. De quebra o PT teria sua candidata ao senado em 1º e elegeria pelo menos 10 estaduais e 8 federais. A coligação PMDB/PDT/PT só ajudou o PMDB e Requião. Além de tirar Osmar de seu caminho, que apoiado pela turma do Beto estaria eleito com Gleisi para o senado, Requião conseguiu viabilizar a manutenção de sua bancada e a hegemonia do partido nas bancadas de deputados estaduais e federais.
    O maior sacrificado da coligação foi o PT, que além de perder pelo menos metade da bancada que faria, corre risco de perder a vaga ao senado para Requião e Fruet ou Ricardo Barros.

  2. quarta-feira, 1 de setembro de 2010 – 10:24 hs

    Com um resultado destes 59% pró BETO e 40% pró Osmar(estou achando muito,ele não está com toda esta bola não),imaginem se fosse o Panssuti.
    Quem imagina que este sr.,mesmo que com toda a máquina administrativa pública para desfrutar, não conseguiu passar dos humilhantes 5% de aceitação,este é o real motivo da “desistência do Panssuti”,e, a promessa do Duce se cumpriu,se ele não chegasse a dois dígitos ele não sustentaria sua candidatura,e seria descartado,foi isto é que aconteceu.
    Quero que esta turma toda do Duce do Pansssuti vão todos pastar cambada de cavalgaduras que só servem para puxar arado….muares….

  3. Marcos Pop
    quarta-feira, 1 de setembro de 2010 – 10:55 hs

    Podem ficar tranquilos que Pessutti foi muito bem recompensado para vender a candidatura para Osmar Dias dar palanque forte único para Dilma no Paraná. Se Pessutti saísse candidato ele dividiria os votos de Osmar e não tiraria votos de Beto. Estariam hoje cada um na faixa de 15% a 20% e Beto ganharia no 1º turno da mesma forma que vai ganhar de Osmar sozinho. O povo quer mudar pois não aguenta mais oito anos da administração Requião/Pessutti sem segurança para as famílias, sem policiais suficientes, com 3 de cada 5 cidades paranaenses sem delegados, Com cadeias superlotadas e com fugas de bandidos quase toda semana. Interior sem infrestrutura e quase no abandono na área da saúde e educação. Emater mantida pelas prefeituras, senão fechava. Sanepar e Cohapar quebradas. E essa gente ainda quer ficar mais quatro anos através do fraco e incompetente Osmar Dias.

  4. Luis Adolfo Kutax - Contenda
    quarta-feira, 1 de setembro de 2010 – 11:29 hs

    As qualidades do Pessuti são indiscutíveis e o seu jeito caboclo cativa a agrega pessoas. Por isso acredito no bom trabalho do Pessuti…

  5. Noroeste
    quarta-feira, 1 de setembro de 2010 – 15:42 hs

    Pesquisa da Comprada RPC, hahaaaaaaaaaaaa
    Só podia ser uma narrativa de conto de fadas!
    Fala q esta com 80% logo, já que gosta de mentir, então aumenta bastante as contabilidades!
    Pq até o presente momento não conheço um ser humano q tenha sido entrevistado!

  6. Luis Feio - Contenda
    sábado, 11 de setembro de 2010 – 19:51 hs

    O Luis Feio – Contenda não para de puxar…

  7. Maria Gorete Manoel
    domingo, 12 de setembro de 2010 – 14:44 hs

    Penso que não, perderíamos a eleição, já com Osmar estamos quase lá, só crescendo, e o outro, o bonitinho, só descambando… serrabaixo…

  8. Maria Gorete Manoel
    domingo, 12 de setembro de 2010 – 14:53 hs

    .Clima de velório na campanha de Beto Richa

  9. Luis Feio - Contenda
    segunda-feira, 20 de setembro de 2010 – 13:52 hs

    DEUS ABENÇOE E GUIE SEUS PASSOS, AINDA ACREDITO QUE VOCÊ ENCONTRARÁ SEU CAMINHO, DEIXANDO UM POUCO DE SER TÃO INVEJOSO, FRUTO DE SUA MÍOPE INSIGNIFICÂNCIA. ESTOU REZANDO TODOS OS DIAS POR VOCÊ, PARA QUE ALCANCE O SUCESSO!!!

  10. Luis Feio
    quinta-feira, 14 de outubro de 2010 – 8:11 hs

    o meu caminho já achei o meu.. e vc já achou o teu.. LAPA…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*