Osmar defende distribuição de passagens aéreas do Senado a parentes | Fábio Campana

Osmar defende distribuição de passagens aéreas do Senado
a parentes

O senador Osmar Dias posa de duro moralista quando trata de problemas éticos no Paraná, mas é bastante liberal quando a ética passa por questionamentos em Brasília e envolve privilégios dos senadores. Na sabatina feita pela Gazeta do Povo Osmar, que é senador há 16 anos, justificou com naturalidade a distribuição de passagens aéreas, pagas com dinheiro público, para seus familiares.

O senador foi apanhado em 2006, em pleno apagão aéreo, dando passagens pagas pelo Senado a familiares. Osmar retruca que essa prática era permitida e ele não se arrepende.

“Foi uma passagem que foi usada durante os 16 anos que estou lá. E, na época, os recursos liberados para o pagamento de passagens dos parlamentares pertenciam ao parlamentar. Era parte de um título chamado remuneração. Portanto, era lícito. Até o momento em que nós mesmos colocamos na lei, e eu era um dos cinco líderes que trabalharam nisso, e pedimos para que a mesa diretora do Senado estabelecesse uma regra clara separando a despesa com passagem da remuneração, para que não houvesse confusão. Portanto, aquilo que foi feito era perfeitamente lícito, ético”, disse Osmar.


16 comentários

  1. coveiro do dinheiro público
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 17:32 hs

    Acho que estamos precisando de um novo AI-5. Confundem licitude com moralidade.
    Socorro !!!! Manda fechar este senado !!!!!!!!!
    10.000 funcionários para atender a 81 senadores.
    Na verdade o problema não é o senado e seus ursupadores, mas sim nós eleitores que não sabemos votar e exigir a decencia e honradez.

  2. josé carlos
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 17:48 hs

    O problema é que não é lícito, e eu explico por que:

    Em primeiro lugar, moramos em um país cuja a Constituição Federal determina que estamos organizados em uma REPÚPLICA. A partir disto, tudo que diz respeito a Administração Pública, inclusive o erário, deve ser tratado como coisa de todos, e não como coisa de ninguem. Este argumento por sí, já deveria ser o suficiente para que ninguém utilizasse algo que é pago com o erário público para fins particulares.

    Porém a Constituição Federal, além disso, já imaginando que algum desavisado pudesse não entender o recado, traz em seu artigo 37 os princípios a serem seguidos por TODOS OS PODERES, ou seja, inclusive Senadores, no que diz respeito aos gastos com dinheiro público. Entre eles o Princípio da Eficiência, que segundo Alexandre de Moraes é: ALEXANDRE MORAES:

    “a persecução do bem comum, por meio do exercício de suas competências de forma imparcial, neutra, transparente, participativa, eficaz, sem burocracia e sempre em busca da qualidade, rimando pela adoção dos critérios legais e morais necessários para melhor utilização possível dos recursos públicos, de maneira a evitarem-se desperdícios e garantir-se maior rentabilidade social.” (MORAES, Alexandre de. Reforma Administrativa: Emenda Constitucional nº 19/98. 3. ed., São Paulo : Atlas, 1999, p. 30.)

    Além disso a Lei de Improbidade Administrativa, no seu artigo 9º veda:
    XII – usar, em proveito próprio, bens, rendas, verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. 1° desta lei.

    e no seu artigo 11º determina:
    Art11. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições,(…)

    Então SENADOR, DEVOLVA O DINHEIRO e admita que errou!

  3. Mac Flay
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 17:49 hs

    Afinal quanto tempo duram as férias dos assessores do senador Osmal? Na entrevista na Gazeta o senador disse: “No meu caso, todos os meus assessores tiraram férias e estão de férias. No momento em que acabarem as férias, voltam para o Senado ou serão exonerados dos cargos”
    Agora o senador tem assessor que já está quase 3 meses em férias, será que eles são diferentes dos trabalhadores

    Quanto ao fato de não aparecer para dar expediente o senador falou no periodo eleitoral disse: O regimento do Congresso diz que o parlamentar tem 60 dias de dispensas do Senado no período anterior às eleições. A campanha é um exercício do mandato.

    Esse é o candidato moralista que todos desejam, tudo é permitido desde que seja para beneficia-lo. Por isso, vai ficar sem mandato e chorar para o Lula depois.

  4. cejota
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 17:50 hs

    1 passagem que descobriram , as outras foram bem escondidas

  5. Emerson
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 18:07 hs

    EPA, EPA, EPA…

    Lícito até poderia ser.

    Ético, jamais!!!

  6. quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 18:10 hs

    Osmar no senado e O POLVO NO PODER

  7. Amèlie
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 18:19 hs

    Vamos lhe dar uma passagem para casa, e vai poder escolher entre Maringá ou Formoso do Araguaia no TO…

  8. José Carlos Andrade
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 18:25 hs

    Além de tudo que foi exposto, ainda existe o Princípio implícito da Supremacia do Interesse Público, que determina que o interesse público deve ser atendido sempre prioritariamente quando entra em conflito com o interesse particular. Quero que o Senador me mostre como o Interesse Público foi atingido quando a filha dele utilizou a passagem do Senado para ir a Buenos Aires….

    Dizer que não era ilegal pode até enganar pessoas sem estudo, mas por favor, o Paraná é um Estado muito mais qualificado que outros e o povo tem mais noção das coisas…

  9. jacomel
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 18:44 hs

    osmar dias é uma caixinha de surpresa. façam um dna no homem para ver se o mesmo que disputou a eleição em 2006! agora virou amigo do requião, cupincha do PT e do MST e ainda começou a achar natural tudo que é mutreta. chamem um exorcista! o homem está possuído!

  10. Elcio Daniel
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 18:56 hs

    Melhor explicar melhor, né sr. Fábio.
    Ele assume que as mordomias estão instaladas no Senado!
    E defende que se mude o regimento interno do Senado e as leis para acabar com essas mordomias, que não foi ele “Osmar Dias” que as criou!
    Viu só que interessante… Como é diferente o contexto!

  11. CHICO 1
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 19:32 hs

    Pode até ser lícito, já que votaram uma “lei”!!!! Mas o destrambelhado senador não tem o mínimo conhecimento do que seja ÉTICA!!!!!

  12. Euclides Duarte
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 21:12 hs

    Esse é o Osmar!
    É o mesmo Osmar que agrediu funcionários da Emater quando foi secretário da agricultura do Álvaro Dias!
    É o mesmo Osmar que foi agredido pelo Requião na eleição passada e hoje ele esqueceu e se abraça sem nenhum constrangimento!
    É o mesmo Osmar que chamou no Senado Federal o Lula de “Chefe do Mensalão” e hoje “puxa-o-saco” descaradamente para se aproveitar.
    Ter um governante assim não é nada bom para o nosso Paraná!
    Falando muito sério: uma pessoa assim é perigosa! Tem problema de personalidade e lança sobre os outros a sua Ira, que Não é Santa!

  13. quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 21:12 hs

    FALTA VERGONHA + IMORALIDADE = OSMAR

  14. O Povo
    quarta-feira, 22 de setembro de 2010 – 23:09 hs

    Esse Osmar é um corrupto e ladrão do dinheiro público, deve pagar cada centavo disviado irregularmente no Senado Federal!
    Junto com Requião vai puxar cadeia nos vários processos que possuí!!!!!!

  15. letycia
    quinta-feira, 23 de setembro de 2010 – 13:16 hs

    eu sempre soube que os dias não prestam eu nuca votei e não voto eles saõ pior doque a elenice não sabemos so ficamos sabendo quem e agora que estouro os roubos e nepotismo na cara do lula os dias eu ja sabia que não tem palavra vai conforme cai mais grana alvaro e osmar nunca foram amigos sempre foram cada qual pra si so quando o negoçio e dinheiro estão juntos agora time esta pronto os professor que se quide REQUÃO OSMAR ALVARO SERA QUE REQUIÃO VAI DAR FAZENDA PRA REFORMA AGRARIA OU VAI DAR PRO LULA EU MORRO e não vejo tudo que caterva

  16. comandante
    quinta-feira, 23 de setembro de 2010 – 20:16 hs

    A Revista VEJA está com a razão O POLVO com seus tentáculos possui capacidade de transformar a IMORALIDADE em MORALIDADE, graças ao LULA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*