Milton e Vera, no Gente de Ideias | Fábio Campana

Milton e Vera, no
Gente de Ideias

A Revista Ideias traz, todo mês, perfil de pessoas com projetos e histórias incontestáveis, fundamentais, únicas. A publicação de setembro conta sobre os pioneiros Milton e Vera Vianna Baptista, que em 1949 chegaram a Primeiro de Maio, norte do Paraná, vila de uma rua só.

Milton, médico por formação, humanista nas ações ― fincou o pé na terra roxa e arregaçou as mangas. Vera, atenta a tudo e sempre a seu lado, uniu esforços planejando ações integradas comunitárias, com os recursos existentes na área médico-sociopsicopedagógica. Fundou a APMI (Associação de Proteção à Maternidade e à Infância) que supervisionava o Posto de Puericultura, o Clube de Mães, o Centro de Recreação Tia Isaura e o CEMIC (Centro de Estudos do menor e sua integração à comunidade). Em 1967, criou a APAE (Associação de pais e amigos dos excepcionais) e construiu a escola para crianças com necessidades especiais.

Na vida repleta de ensinamentos, amor e luta, criaram pessoas, raízes, paisagens. Leia essa história, contada à margem da represa do Capivara, na Revista Ideias de setembro que está nas bancas.


19 comentários

  1. Anna Maria B.Vianna Baptista
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 10:50 hs

    Estou ao lado deles hoje, aqui em Primeiro de Maio, numa casinha de chácara construída sobre pilotis de pedras no topo da colina onde a vista alcança através das paredes de vidro a lonjura de uma paisagem exuberante, silenciosa e colorida. Conquistaram este canto e ainda encantam todas as vezes que sáem à rua. As pessoas não se cansam de agradecer pelo bem que receberam e até pedem que voltem à ativa! É comovente, todos os dias, todas as vezes, para quem fez, para quem recebeu e para quem assiste, como eu, ainda me sentindo uma estranha num oásis de onde saí há mais de 50 anos. O sentimento, o vento, o movimento…

  2. terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 12:51 hs

    eles sao demais mesmo. muito especiais.

  3. pescador
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 15:04 hs

    Essas pessoas são verdadeiras não é como pessoas que vem la de fora que não é do Paraná e fazem comicios contando mentira encima de um palangue eo outro fazendo que tá chorando so pra enganar o povo do Paraná.

  4. Nelo Pardini Filho
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 15:33 hs

    Parabens à Primeiro de Maio que teve no seu inicio gente do quilate deste casal. Fico orgulhoso, porque sou desta região, Alvorada do Sul. O Paraná e o Brasil necessita de muito mais Miltons e Veras.

  5. josely
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 16:13 hs

    o segredo do abraço
    está na graça de quem faz o agrado

    água recortando o nado de um peixe
    sem deixar rastro

    ISSO ME LEMBRA VCS, SEMPRE BATALHANDO, COM DESPRENDIMENTO E ENTUSIASMO, SEM ESPERAR NADA EM TROCA, TRANSFORMANDO UTOPIAS EM REALIDADE.
    E lembro aqui tb, à guisa de agradecimento pessoal, a frase do Roa Bastos: “Se a eternidade tem alguma forma, deveria ser a da gratidão. Agradecer é reconhecer as mãos dos demais na construção de nossa vida. É um gesto gratuito e ao mesmo tempo a raiz de todos os nossos valores”.
    Vocês são muito amáveis e queridos. E são cada vez mais um exemplo
    de dignidade, beleza, ética, fibra e generosidade.
    Um abração aqui da Ilha de Santa Catarina!
    Precisamos de vocês aqui!

  6. testemunha 1
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 16:54 hs

    Fui testemunha durante anos da grandeza desse casal e do trabalho que desenvolveram com a comunidade de toda aquela região, e não só de uma cidade! eles construiram VALORES, deram exemplos concretos de integridade, humanidade e honestidade. Viveram para ajudar os outros, formaram profissionais e investiram em educação e no trabalho social, sem qualquer interesse pessoal, ou partidário. Sempre penso como o Brasil seria melhor com mais pessoas assim.

  7. Mônica
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 18:49 hs

    Cosigo recuperar esta foto tirando todas as dobras (ou quase todas), deixando a foto como original. Se tiver interesse entre em contato pelo e-mail deixado acima.

  8. Pedro A. Borges
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 19:22 hs

    São as melhores pessoas que eu conheci na minha vida toda.

  9. francisco
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 19:22 hs

    Admirável. Basta dizer que um grande país só se faz com (muitas) pessoas como Vera e Milton. O Brasil só terá um grande futuro quando o exemplo de vida deles inspirar outras pessoas, e quando muitos mais forem ampliando essa necessária ação de estruturar o retorno social. Pra que esperar tudo dos governos? Não! O certo é inspirar os governos, dar o exemplo aos governos, isso sim. Se nós mesmos fizermos, os governos virão atrás. Então, lá foram eles, nada de reclamar, nada de trololó, nada de achar tudo encardido, impossível e inalcançável. Vera e Milton tomaram a dianteira e fizeram acontecer. A vanguarda dessa nação é de gente como eles. Parabéns aos dois.

  10. paulo todero
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 20:20 hs

    obrigado dna vera e dr milton por tudo que fizeram pela nossa cidade e pelo nosso povo.um abraço

  11. Iara Teixeira
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:36 hs

    Sou fã de carteirinha da família toda! Vou já comprar meu exemplar na banca do Toninho!

    Abraços

  12. Kota Baptista
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 23:20 hs

    Verdadeiramente eles foram fundamentais para o crescimento daquela região, um casal que somente tem bons exemplos a dar. Basta ver os frutos maravilhosos que estão colhendo até hoje! Também sou fã e apaixonada por esta familia inteira e tenho saudades daquele tempo bom em que podia curti-los mais de pertinho. Qualquer hora me mando até Primeiro de Maio… um beijão para voces meus queridos e que Deus os abençoe muito!

  13. iracema
    sábado, 11 de setembro de 2010 – 21:28 hs

    Casal pioneiro do norte do Paraná, idealistas , lutadores que muito contribuiram para o desenvolvimento desse pedaço de nosso estado.
    Pessoas altruistas , de boa estirpe exemplo para os brasileiros que amam de fato o nosso país.

  14. Beth
    domingo, 12 de setembro de 2010 – 17:55 hs

    Amadureci e aprendi muito ao lado desse casal que tanto admiro e quero bem. Nunca desanimaram diante de nada. Enfrentaram barreiras, mas sempre continuaram em frente, pois o ideal de vida era maior que todos os impecilhos que encontraram. Sonhos para eles não existem. O que existe realmente é tornar o mundo melhor.É trazer para nossa pequena cidade uma realidade onde todos possam usufruir dos mesmos direitos e mesmas oportunidades. Peço muito para que muitos de nossos jovens fortaleçam seus ideais em exemplos como esses.Vocês moram em meu coração. Agradecida por tudo que me proporcionaram e proporcionam até hoje… Beijos

  15. elizabeth schunemann
    domingo, 12 de setembro de 2010 – 19:08 hs

    Aprendi a admirar esse casal primeiramente através da sua doce, bela e forte Anna Maria que me contou a historia extraordinaria de pessoas determinadas a mudar duras realidades com amor e dedicação. Que história linda! Que vidas inspiradoras! Isso restaura em nós a fé no ser humano. Obrigada por existirem.

  16. ana gillies
    segunda-feira, 13 de setembro de 2010 – 18:00 hs

    que bacana conhecer a vida exemplar desse casal. principalmente no momento em que vivemos, eles me inspiram, nos inspiram. vou mantê-los em minha mente e meu coração, transmitir sua história à minha família e tomá-los como exemplo. essa vida é tão dura! é melhor nos concentrarmos em fazer o que pudermos para os outros. possivelmente esta é a grande lição: o que cada um de nós pode fazer para o próximo nosso irmão. São pensamentos assim que esse casal e suas ações inspiram.

  17. jaques brand
    sábado, 18 de setembro de 2010 – 23:31 hs

    Um lado bacana entre os muitos dessa incrível história de Milton e Vera é que mostra como o pessoal do Sul, do velho Paraná, também participou da saga do Nortão.

    Nos tempos do jornal Nicolau, criado aliás por uma pequena e brava equipe e não apenas por uma só pessoa, dona Vera escreveu por minha instigação o texto inaugural de toda uma secção dedicada à experiência paranaense, “Nós à beira do Paranapanema”, uma delícia de texto de reminiscências.

    Ela lembrava ali como chegou de hidroavião para fazer toda uma nova vida nas terras de Primeiro de Maio.

    Essa imagem da moça curitibana, acostumada às graças da cidade, a desembarcar no sertão, vale por dez longas-metragens.

    Vamos ver se dona Vera se anima e cumpre uma antiga promessa, a de escrever tim-tim por tim-tim a saga inteira do doutor e da sua mulher nos matos e na beira do rio.

    Um grande abraço nos dois, deste seu fã incondicional.

  18. FLAVIO
    terça-feira, 23 de agosto de 2011 – 22:09 hs

    Cresci vendo esse elegante casal em seus passeios de Dodge Dart. Dona Vera com seus chapeus e Dr. Milton, que foi meu medico no nascimento e durante pelo menos uns 15 anos da minha vida.
    Estirpe de nobres, elegantes ao natural. Bons tempos em Primeiro de Maio.

  19. domingo, 30 de junho de 2013 – 21:26 hs

    Minha mãe, D.Madalena Brasil ( em memória ) foi, na sua adolescência, empregada do Dr. Milton e D.Vera e sempre fez excelente comentários a respeito de seus patrões e do tratamento gentil e humano que sempre a trataram. Isso são valores humanos e só podem oferecer quem os tem. Mesmo sem conhece-los pessoalmente, desejo que estejam muito bem.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*