Datafolha mostra que Dilma caiu no Paraná e despencou em Curitiba | Fábio Campana

Datafolha mostra que Dilma caiu no Paraná e despencou em Curitiba

A última pesquisa Datafolha sobre sucessão presidencial mostra que a candidata do PT Dilma Rousseff sofreu uma queda pesada em Curitiba, onde perdeu 8 pontos percentuais de intenção de voto em cinco dias. A petista, que havia conseguido empatar com Serra na capital paranaense, voltou a ficar atrás do tucano. Ela tem hoje 28% das intenções de voto contra 36% de Serra. No Paraná Dilma sofreu uma queda de um ponto por dia nos últimos cinco dias. A petista ainda lidera no estado, mas por uma margem mais estreita: 41% a 35%.

A reviravolta na corrida presidencial em Curitiba e a queda expressiva de votos de Dilma no Paraná podem afetar de forma decisiva a disputa pelo governo do estado. O candidato do PDT, Osmar Dias, concentrou sua estratégia para superar o tucano Beto Richa que lidera a disputa (44% a 38% segundo o Datafolha e 47% a 38%, pelo Ibope) na identificação total com Dilma e Lula. Osmar repete todos os dias no horário político um diálogo com o presidente em que anuncia que, se eleito, pretende governar pedindo conselhos para Lula e reivindica a honra de entrar “pela porta da cozinha de Dilma”. Essa identificação excessiva pode se voltar contra ele.

A pesquisa do Datafolha foi direcionada para mensurar os possíveis efeitos eleitorais dos escândalos da quebra dos sigilos dos tucanos e o tráfico de influência na Casa Civil. O resultado sugere que, afora o Paraná e Brasília (onde Dilma caiu de 51% para 43%) os escândalos tiveram pouco efeito sobre o eleitorado. No computo geral, a vantagem de Dilma sobre Serra continua inalterada: 51% a 27%. Efeitos importantes, capazes de produzir um segundo turno na eleição presidencial, por exemplo, só serão detectados nas próximas pesquisas.

O Datafolha apurou que 57% dos eleitores tomaram conhecimento da quebra dos sigilos e do tráfico de influência na Casa Civil. Mas só 12% se consideram bem informados a respeito. Os eleitores mais informados e capazes de entender a gravidade das denúncias se situam entre os mais escolarizados (86%) e os que têm maior renda mensal (84%). Como são segmentos minoritários não foram capazes de provocar, ainda, alterações no quadro geral.

Entre os que se declaram mais bem informados, a taxa de intenção de votos de Dilma fica em 46%. Serra sobe a 33% e Marina vai para 14%. Nesse segmento, a soma do tucano com a verde daria 47%, e o cenário seria de um possível segundo turno.


Um comentário

  1. kate
    sábado, 25 de setembro de 2010 – 18:08 hs

    Como alguem pode votar em Dilma, ela veio de familia rica teve tudo que sempre quis, o Serra nao, veio de familia pobre,sofreu, e sempre batalhou.Quero que voces pensem em quem vai votar, veja o passado dos candidatos e tudo o que eles fizeram. O Presidente Lula diz que foi Dilma que fez isso, fez aquilo, mas ninguem sabe se é verdade, ele pode simplismente falar que foi ela, mas na verdade quem fez foi o próprio Lula.Jesus pode sim tirar a candidatura de Dilma.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*