Da nobre arte de fazer inimigos e irritar pessoas | Fábio Campana

Da nobre arte de fazer inimigos e irritar pessoas

Modéstia à parte, eu tenho muitos inimigos. Tantos que não conseguiria contá-los. A verdade é que não quero saber quantos são. Meu interesse se concentra nos desafetos que detêm alguma forma de poder e o usa como déspota pouco esclarecido, característica muito comum nos políticos nativos.

Aprendi que não vale a pena gastar tutano e neurônios com os epígonos. A patuléia miúda é numerosa e só existe coletivamente. Não pensa. Reage emocionalmente. Segue o líder com a cegueira da paixão e da burrice.

Não perco tempo com a malta que se infla de raiva e indignação quando o chefe é atingido. Meu alvo é o suserano de alto coturno. Nunca o torcedor fanático. Meus inimigos de estimação são todos de grosso calibre. A eles dedico o melhor de meus esforços e criatividade.

Isso explica porque identifico poucos inimigos, apesar dos áulicos que servem a cada um deles e que me detestam porque coloco em risco a sua segurança representada no mais das vezes por uma sinecura, um salário, um afago, um favor ou simplesmente pela identificação de quem não consegue justificar sua existência de outra forma.

São de variada catadura, mas há algo comum entre eles. Percebo em suas reações raivosas um ressaibo de inveja e frustração que se expressa coletivamente pelo primitivo. Há uma categoria especialmente patética, próxima da bufonaria, nesse universo. É a classe dos apedeutas, dos intelectuais menores ou dos que tentam se fazer passar por intelectuais.

Se dão ares de sábios e exercitam a crítica pessoal como forma de sublimar sua evidente limitação de neurônios ativos. Não há aditivo que possa ajudá-los. Quase não suportam conviver com a própria mediocridade e isso talvez explique as tentativas de suicídio nesse meio, embora também nisso sejam incompetentes. Não há nada mais ridículo que o suicídio frustrado.

Eu não suporto nada que soe a horda. Prefiro insular-me e só ver os amigos mais chegados. Defendo-me das torcidas organizadas com distância e indiferença. Minha formação em verdadeiros partidos comunistas de antanho provou-me que a máxima dos jesuítas depois adotada pelos leninistas, poucos mas bons, é saudável e eficaz para salvar-nos da patologia social.

Os inimigos não me fazem dano. Mais me divirto com a loucura humana do que me irrito. Os inteligentes percebem. Sou uma pessoa de poucas raivas e rancores. Acredito que o pecado do orgulho me protege desses sentimentos. Em minha soberba sempre enxergo os medíocres como bufões. Há décadas tenho detratores profissionais que ganham a vida nessa faina. Eu acho engraçado. Essa profissão é uma originalidade da província.

Compreendo porque deixo de maus bofes os medíocres. Sempre houve em mim uma dose robusta de inconformismo. Tenho dificuldades para aceitar o que está posto e estabelecido. Não aceito regras imutáveis, desconfio das leis restritivas da liberdade individual, tenho horror de qualquer manifestação autoritária e um desrespeito intelectual absoluto pelos governantes e pela burocracia entrincheirada atrás dos poderosos. Daí essa minha natural vocação para o questionamento, a transgressão, a rebeldia e o que chamam de espírito anárquico.

O inimigo é o sal da terra, dizia meu avô Diego Vera. Eles são a evidência de que temos opinião e sabemos defendê-la. O homem que só tem amigos não tem caráter, dizia ele. O bom mocismo é papel para os néscios e figurantes. Eu, modéstia a parte, tenho muitos inimigos e poucos, mas bons e brilhantes amigos, que são a contraprova de que não vim à este mundo para ser coadjuvante e passá-la em branco.

Terrível, desolador, será o dia em que os inimigos desaparecerem. Esse será o verdadeiro sinal do fim.


48 comentários

  1. Marcus
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:00 hs

    Não se cale!
    O seu blog é aberto. É claro que ele é formador de opinião, mas toda e qualquer censura ao que se publica é repudiável. Quando entro em um site e leio algo que não concordo, simplesmente passo para outro assunto ou deixo uma crítica. É assim que se faz e se vive a liberdade.

  2. LPNVDL
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:06 hs

    Que xororô é esse. Te magoaram por dentro?

  3. quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:08 hs

    Parabéns Fábio Campana pelo brilhante texto.
    Embora tenha sido já citado em sua coluna diversas vezes pela minha passagem pela Superintendencia da APPA, cujas opiniões podemos divergir e um dia poderemos conversar sobre elas, compartilho da filosofia essencial da postagem.
    Tenho como você, amigos, inimigos e caráter.
    Mais uma vez parabéns.

  4. Anônimo
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:08 hs

    Em um campo de futebol, se torce pro time “A”, o time “B” vai te odiar. E vice-versa. Um bom jornalista não tem time, assim, não tem inimigos.

    Pense nisso!

  5. Admirador Confuso
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:15 hs

    Luiz Fabio Campana:

    Li com prazer seu texto, estilo preciso, contundente….meio auto-afirmativo demais para um intelectual acima dos 55, mas você mesmo reconheceu sua soberba, então prevaleceu a coerência.
    Só não e’ possível entender o seguinte: Ricardo Barros e Beto Richa são suas referencias de insurgencia? São as alternativas de contrariar a ordem do poder??São seus “amigos inteligentes e fieis”??? São os “bons”, no filtro da Companhia de Jesus e do Camarada Vladimir Ilitch Ulianov???
    Apreciável e agradável o texto, mas só isso: um outro texto, retórico igual aos mais superficiais discursos eleitorais, revelando apenas a triste contradição e decadência de um outrora admirado intelectual que, como a maioria daqueles da mesma geração, não resistiu ao tinir do vil metal das mãos dos seus antigos detratores. Rara manifestação dialética: o texto, a tese, e’ a antítese de quem o escreveu.
    Admirável, de todo o modo.

  6. Rasa Pereira
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:18 hs

    Prezadissimo Fabio. Lamentável o que (IN)justiça fez com este espaço.
    Hoje ao tentar ver este único modo democrático, civilizado, que na sua plenitude deixa e se faz deixar com que todas as pessoas expressem o que realmente gostariam de falar, gritar contra a corrupção, maleficios e bandalheiras, me vi reprimido, cerceado do meu direito.
    Estou neste momento assistindo o horário politico e não por acaso, vem o Sr. Requião com discurso de politico: “Que a segurança e um trabalho da comunidade”. 8 (OITO) anos no poder e ainda esta dizendo que a Vila Zumbi e um dos locais mais calmos do Paraná ! Então porque a policia não entra lá ?
    Lamentávelmente estamos sujeitos a esta pessoa que; LAMENTÁVELMENTE receberão votos de um povo de necessita do assistencialismo.
    Não se deixe calar Fabio, precisamos de profisisonais como você !!!

  7. Carlos Honorato Silva do PT
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:42 hs

    Fabio,
    Belo texto! Seus detratores não vão entender, tamanha a redução neurônica.

  8. Anônimo
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:45 hs

    Lamentável o recurso à censura pelos órgãos que se dizem defensores da democracia. A liberdade de imprensa, sujeita a responder pelos abusos que cometer, como qualquer um, não pode ser suprimida sob qualquer pretexto. É o começo do fim. Há inúmeros exemplos na história da civilização de como a liberdade foi morta pelos que diziam serem seus defensores. Querem a liberdade para matá-la, como nas fábulas de La Fontaine. O nazismo, o comunismo e outros ismos foram exemplos. A verdade do Pravda, é a verdade única. Ainda que haja exageros – que devem ser reparados – a imprensa não pode ser sufocada, sob pena da sufocação de outros valores. Hoje blogs, amanhã jornais, revistas, livros. Fogueiras incendiárias das verdades de muitos, substituídas pela pira sagrada da verdade de um de poucos. Não concordo com todas as posições deste blog, que muitas vezes exagera ou gera sua própria verdade. Mas, suprimir as verdades adversas, pela verdade de alguns poucos é a morte da verdade, que, de fato, só existe nos limites estritos da consciência indevassável de cada um.

  9. Paulo
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 21:53 hs

    Parabens
    Este artigo deve ser lido e relido

  10. quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 22:10 hs

    Parabéns pelo belo texto

  11. Pedro cavalli
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 22:10 hs

    Belo texto…

  12. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 22:24 hs

    Caraio…

  13. Van
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 22:38 hs

    Parabéns pelo texto! Confesso que me identifiquei em alguns momentos.

  14. Cristiano
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 22:39 hs

    Porque não és sempre brilhante como foste hoje. Parabens até parece que voltou como um raio aqueles tempos em que até de madrugada viviamos ali na rua tibagi tentando rodar os textos que escrevia naquele mimiografo que deixavamos todos sujos, mas no dia seguinte estavamos distribuindo o material.

  15. Cacau
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 22:45 hs

    clap..clap..clap..clap…!!!!!!!!!

  16. filet mignon
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 23:09 hs

    Hoje pela manhã deparei-me com o “MELHOR ESPAÇO DEMOCRÁTICO NUNCA ANTES VISTO NESTE PAÍS” BLOQUEADO.
    Frustração total!
    Minha esposa notou minha impaciência pelos impropérios que bradei alto e em bom som!
    Felizmente retornou…
    Belíssimo texto!
    Excelentes comentários.
    Sito-me honrado em dar meus pitacos neste blog.
    Parabéns FABIO CAMPANA, (com letra maiúscula mesmo).

  17. Hendo Kudokdosul
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 23:46 hs

    * Tamanho século XXI.! Ditadura????
    * Mas que barbaridade!!
    * As urnas dirão em bom tom a resposta do desespero!!!!
    * E viva a tropa! Pouca mangueira e bastante gado!!!

  18. pois pois...
    quarta-feira, 8 de setembro de 2010 – 23:55 hs

    É isso ai o da barba, desce a borduna nos que nao gostam da liberdade de imprensa.

  19. Flávio Barros
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 0:13 hs

    Também calaram o Campana.
    Não vou entrar no mérito, aliás nem é necessário, mas tô com medo dessas “calações em nome da lei”.

    Em 2010, ainda existe desfile militar (e não cívico), ainda se cala opiniões contrarias, ainda se viola privacidades, ainda se usa a polícia como instrumento político para intimidar, reprimir, prender e arrebentar, ainda desaparecem pessoas engajadas em causas políticas, ainda se joga o jogo sujo do poder pelo poder.

    Alguém ai lembra de um período assim?

    E não me venham com essa de que “a esperança venceu o medo” ou balela parecida ou pieguice congênere criada por dudas-mendonças da vida, não!
    Eu estou falando de algo real, que pensavamos, aliás que nem pensavamos mais existir.

    Na ditadura ao menos havia lados. Sabiamos em quem atirar pedras, contra quem lutar. O inimigo vestia cor, verde, e não era o Hulk.

    E agora? O que vem mais.

    P.S.: Mas ficou bom aquilo de “empreiteiro da educação”, heim? Porreta!

  20. quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 0:13 hs

    É… belo texto, parabéns nobre colega jornalista. Espero que os bufões estejam neste momento pensando outro meio de cerceá-lo. Admira-me o profundo silêncio dos petistas hoje pelo Twitter em defender o nobre Campana da tentativa de censura em seu blog. Quando o outro blogueiro saiu do ar – e com certeza com matérias que atingiam a moral e a dignidade do candidato que não é o governista – todos se levantaram contra a Justiça e chamaram aquilo de “cerceamento da liberdade de imprensa”. Que hipócritas, malditos estelares vermelhos!

    Não devemos concordar com tudo que sempre é escrito aqui, mas devemos respeitar e opinar, sempre! Viva a Liberdade de Expressão!

  21. ANTONIO
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 0:31 hs

    BOA FABINHO, VIDA LONGA PRA VC.

  22. Rafael
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 7:00 hs

    Lembrou-me da ditadura, fiquei apavorado.

    Mas o que esperar de um país de governantes que caminham defronte as instituições democráticas constituídas e primam unicamente pela manutenção do poder e favorecimento de seus conchavos?

    O primeiro passo é calar a mídia, ainda em um Estado em que o povo não se apresenta subalterno como os demais e não se vende por poucos migalhas e grandes falácias.

  23. Tuku Nare
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 7:51 hs

    Fabio, parabens pelo seu comentario estamos contigo, mais procure cada
    vez mais a imparcialidade, e a opiniao de cada bloqueiro, teu blog e muito
    importante para formaçao de nossa critica conciente, e a liberdade de varias
    opinioes, e benefica para a nossa sadia conciencia politica.

  24. trabaiadô
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 7:52 hs

    uffaa.. pareceu-me que as trevas do comunismo vermelho e sanguinário que o petismo está instalando no Brasil, já haviam calado sua voz.

    PARABÉNS pelo brilhante texto. POUCOS MAS BONS.

    Certamente fazes parte dos 5% que fazem a diferença, conforme explicou o Renomado doutor ao falar na aula inaugural do curso de medicina,enquanto praticamente todos faziam algazarra e não davam a mínima p/ as palavras que o professor falava.

  25. kaka uuufffaaa
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 8:34 hs

    ola bom dia FABIO CAMPANA que bom que vc esta de volta parabéns ë muito melhor dar a volta por cima

  26. indignado
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 8:45 hs

    Vi aparvalhado, a censura dos anos de chumbo, pesando no teu blog. Para onde estamos caminhando? Um profundo sentimento de desconforto com a caminhada rápida que o país está trilhando para a truculência, censura e boçalidade. Eu me senti mais velho quando vi teu blog fora do ar. Mas velho não de sabedoria, mas de cansado por ver o mesmo filme ser repassado, e a gente ser OBRIGADO a vê-lo. Estámos entrando numa fria…

  27. ANÔNIMO
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 9:04 hs

    Fábio.
    Ainda vale a máxima de Voltaire: “Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las”.
    Apesar de eu concordar com quase tudo o que você diz, lamento seu evidente posicionamento em favor de certos candidatos / dirigentes / patrocinadores / anunciantes.
    Você seria de muito valor para o Paraná se combatesse as mazelas do poder independentemente de suas cores.
    Quem sabe um dia você possa gozar de ampla liberdade para dizer o que pensa, do que quer que seja.
    Esperançosamente,
    Mais um anônimo, apesar do art. 5, inciso IV da nossa CR.

  28. Ouvidor das Araucárias
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 9:24 hs

    Caro jornalista Fábio Campana
    Lamentável o blog ter ficado fora do ar por 24 horas. Fez falta como veículo de comunicação devidamente inserido no dia a dia dos paranaenses.

    Pior do que esse tempo fora do ar foi à maneira como isso aconteceu, por vias de políticos ambiciosos que não se permitem à contestação de seus atos e atuações em período eleitoral ou fora dele.

    Aliás, essa pobreza espiritual desses que se dizem nobres, porém através dos atos diários mostram o contrário que, muitas vezes, chega a confundir com a esperteza.

    Qualquer político inteligente sabe que o cerceamento ao direito de expressão é um erro lamentável e remete-nos aos anos de chumbo, da mordaça e da insensatez da política visionária dos que só pensam no poder e – quem sabe – nas benesses que daí vem.

    Político inteligente quando não concorda com a opinião da imprensa busca diálogo com o veículo para dirimir dúvidas, esclarecer comportamentos, mostrar o seu ponto de vista ou, se necessário, mediante documentos, provar atos e fatos, em detrimento da verdade.

    Se mesmo assim, ainda estiver insatisfeito com notícia veiculada, pode pedir direito de resposta, enviado ao veículo carta-ofício esclarecendo ponto a ponto. Cabe ao veículo publicar e, se achar por bem, comentar a justificativa do missivista. É de direito. Pois a relevância está no fato e não na pessoa, que é conseqüência.

    Agora, quando um político entra na Justiça para pedir cerceamento de direito de expressão e consegue aviltar a própria Constituição da República – que permite ao cidadão se expressar livremente – demonstra não estar preparado para a vida pública.

    Mesmo porque estamos fortalecendo a democracia brasileira paulatinamente, nas últimas décadas, em que o estado arbitrário de então – conhecido como anos de chumbo – usava de todas as artimanhas para impor a sua vontade contra tudo e contra todos que não rezassem pela mesma cartilha.

    E calar a boca da imprensa – ou desafetos – é o primeiro passo para o retrocesso. Retrocesso esse que, aliás, estamos vendo ser adubado diariamente por grupos políticos interessados no poder a qualquer preço.

    É um tal de político recorrer à Justiça para cercear direitos e ocultar descaminhos que, mais à frente, pode se tornar um mar de lama como, aliás, é visível entre os ‘fichas sujas’ e às dezenas de milhares de processos que correm país afora.

    Parabéns pelo blog, pela luta ao direito ao verbo e à liberdade de expressão.

  29. Adalberto
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 9:42 hs

    É melhor ir se acostumando com a censura. Porque daqui pra frente a coisa vei pegar com a terrorista no trono.

  30. Leoncio
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:15 hs

    Fabio

    A vida é composta de homens de bem e do mal, os mentirosos e farsantes de plantão estão a postos para sacanear o proximo sabemos que voce não é homem de se abalar com com as falcatruas destes pequenos maus elementos, vai em frente amigo e tenha certeza absoluta que a verdade sempre vai prevalecer

  31. O Povo
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:24 hs

    Bem diferente do que pensam os “tigres de bengala”, não podemos dispor desse espaço democratico, onde os bufões são combatidos e os tigrões rugem, permaneceremos fieis ao seu bravo estilo, e caminhando livres juntos, rumo a nossa liberdade mesmo que parcial, mas nunca deixando-se perder pela esperança de melhores amanhãs!!!!!!!!!

  32. Seven Up
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:24 hs

    Já falei várias vezes, viveremos uma ditadura da esquerda.

  33. Henrique da bob cat
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:31 hs

    Parabéns pelo texto….
    Se esta incomodando isto é bom sinal…

  34. acorda PR.
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:34 hs

    na época dos meus 18, saia de madrugada com amigos- os filhos de um jornalista famoso- pra colar um jornal nas paredes da cidade para que fosse lido pela manhã pelos trabalhadores em sua jornada. morríamos de medo de ser presos nesta empreitada, meu pai só tinha medo de que eu engravidasse, ele não sabia o que fazíamos e até hj acho que tinha um dedinho meu na luta contra a direita….pena que o tal responsável pelo jornal mudou de lado de uma tal maneira que não da nem pra saber de que lado ele está….escrever ele ainda sabe…. embora no passado ele estivesse direcionando seu discurso (bem mais comun) a pessoas que lutavam com suas mãos e sua força de trabalho contra tudo que agora apoia que pena….mas eu não me arrependo de ter colocado minha liberdade a serviço de suas idéias…valeu a pena!

  35. Pepe Deodato
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:41 hs

    Nego véio…
    Tô contigo e não abro.
    Vou continuar acompanhando a sua filosofia eternamente!
    Os cães latem e a caravana passssssssaaaaaaaaa!

  36. Anônimo
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 10:56 hs

    Não existe solene desprezo, como o que se afirma no texto acima. Algo que não incomoda não é objeto de brilhante criação literária, fruto de inspiração e transpiração – não sabemos ao certo em qual proporção.
    Sou admiradora do seu blog, mas confesso que deixei de ler todos os dias desde que a campanha teve início, pois as recorrentes notícias relativas ao Ricardo Barros, a Gleise e ao Beto (em quem pretendo votar) tornaram a pauta monótona, para não dizer excessivamente comprometida. Não acredito em imparcialidade e também não gosto dela. Minha reivindicação é que nos últimos tempos tenho sentido falta do tempero caseiro, provinciano, risível, colhido nos bastidores do poder em diferentes grupos, o que costumava me prender ao seu blog.

  37. ELEITOR DE COLOMBO
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 11:15 hs

    PARABENS PELO TEXTO, REVIVI BONS TEXTOS DE UMA ÉPOCA NO COL EST ANTONIO LACERDA BRAGA EM COLOMBO QUANDO A SAUDOSA PROFª TERESINHA NOS ENCANTAVA COM SEUS ALTOS 60 E POUCOS ANOS COM TEXTOS RICOS E CHEIOS DE NOBRESA COMO O SEU, MAIS UMA VEZ PARABENS E FORÇA POIS OS DÉSPOTAS E BOBOS DA CORTES TODOS ELES UM DIA CAEM POR ROEREM SUA PRÓPRIAS PERNAS.

  38. quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 11:51 hs

    Fábio, é isso ai, estou com você e não abro, parabéns

  39. Gilda Poli
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 11:58 hs

    Parabéns, Fábio, por sua altivez e coragem continua. É com admiração que acompanho sua forma de encarar o mundo. Abraçs. Gilda.

  40. GORÓ
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 12:24 hs

    Alguém tá falando do bob req?

  41. capitão nascimento
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 12:38 hs

    Senhores. O modelo chavista de democracia vem se instalando já faz tempo neste Brasilzão. É censura à imprensa e aos programas de humor que ridicularizam (com toda a razão) a classe política, é quebra de sigilo fiscal, é o estado todo poderoso colocado acima do cidadão que trabalha e produz, é invasão de terra produtiva, é a troca de votos por alguma bolsa do governo, é o nepotismo, é o apoio a governos de ditadores que apedrejam mulheres, é o imposto descabido que recai sobre nós para manter tudo isto, é falta de justiça e de segurança, é a arrogância e a prepotência estatal e por aí vai.
    Só não enxerga, ou não quer enxergar, quem está ganhando com tudo isto. Ou então, é um ignorante político!

  42. PARNAGUARAS
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 13:40 hs

    Após ler os comentários, percebi que Fábio C. desfruta de admiração de amigos e inimigos. Aliás, o que seria deste BLOG sem os inimigos né?! certamente não teria graça!

  43. Alexandre Zamboni
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 14:01 hs

    Fábio, vc esta na minha lista de amigos!!
    Abraços
    Alexandre

  44. Julio Cesar Fernandes
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 14:25 hs

    Campana:
    é muito bom acessar este site e pode ler, novamente, os seus bem informados e humorados comentários. Uma vergonha que a censura o tenha deixado um breve período fora do ar.
    Quanto às considerações sobre os “inimigos”, o mais interessante é que este tipo de situação faz caírem as máscaras. As pessoas se desnudam. E a gente fica sabendo melhor quem é quem.

  45. Rosanne
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 15:22 hs

    FABIO,

    QUE BOM TE VER NOVAMENTE.
    A LIBERDADE FICOU DE LUTO POR ALGUMAS
    TRISTES HORAS…
    ABRAÇO VALENTE DA NETA DA VOVÓ JOANA.

  46. Chrystian Sobania Wowk
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 18:38 hs

    Parabéns pelo belo texto, e ademais, reconhecemos o tamanho do homem pelo número de inimigos, e assim, sei que tu é grande Campana, articulista político lúcido, sem deixar o pires como em outros blogs que detêm cargos políticos.

    Abraços, e viva a democracia!!!

    Chrystian Sobania Wowk

  47. CACA( carvalho)
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 19:23 hs

    fabio……e isso ai…. liberdadce de imprensa sempre.

  48. Professor
    quinta-feira, 9 de setembro de 2010 – 20:10 hs

    Véi…rasgaram a constituição…mas se foi para LER isso que escreveste…VALEU. Tua resposta doeu na medula cara…Tah na hora dos blogueiros politicos se unirem… identifica o autor da maracutaia…quem enfim entrou com a ação contra TU? Fico no aguardo..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*