A infidelidade ao alcance de todos | Fábio Campana

A infidelidade ao alcance de todos

Ilustração: Clarissa Menini

Paloma Barbieri conta em sua matéria na Revista Ideias deste mês tudo o que você sempre quis saber sobre infidelidade e tem vergonha de perguntar. Paloma revela o tabu da infidelidade conjugal. Prática que tornou-se habitual entre os mais “bem casados” da sociedade curitibana.

O dado assustador da matéria é a adesão em massa das mulheres a tal comportamento, que aproveitam horários de jogos de futebol, entre outros compromissos de seus parceiros, para trair. De acordo com a sexóloga Adriane Barbará entrevistada por Paloma, apenas 25% das mulheres podem ser consideradas absolutamente fiéis.

Portanto, o território antes conhecido por sua homogeneidade masculina, agora inverteu-se. Os homens que se cuidem.


13 comentários

  1. FCH
    domingo, 5 de setembro de 2010 – 15:40 hs

    Triste retrato de nossa atual sociedade, onde se banalizou tudo o que é sagrado, como o casamento, a fidelidade (não apenas conjugal), a liberdade de expressão, a vida (querem legalizar o aborto), o diálogo entre pais e filhos, entre tantos outros assuntos que hoje em dia muitos já acham: “ISSO É NORMAL”…. Para onde vamos?!?!

  2. Rosanne
    domingo, 5 de setembro de 2010 – 15:57 hs

    Pra quem quiser saber mais um pouco:

    INFIDELIDADE FEMININA
    por Claudia Morais.

    Já aqui escrevi sobre os mitos associados à infidelidade. E também já expressei a minha discordância em relação à estereotipagem dos papéis de género, que enfatizam a ideia de que os homens e as mulheres pensam e sentem tudo de modo diametralmente oposto. Hoje decidi desmontar uma crença há muito enraizada: a de que os homens traem mais do que as mulheres.

    Ainda há quem defenda que os homens são incapazes de ser monogâmicos e que as mulheres – coitadas – não passam de vítimas nas suas mãos. A própria ficção – a literatura, o cinema ou a televisão – continua a alimentar a ideia de que as mulheres que se envolvem com homens casados são frágeis, dominadas por uma combinação explosiva de fraca auto-estima e dependência emocional. A mulher que é apanhada num caso de traição é quase sempre a amante do marido, e não a mulher casada.

    Ora, as estatísticas – e a minha experiência clínica – demonstram exactamente o contrário. Alguns estudos indicam que 45-55% das mulheres casadas e 50-60% dos homens casados têm relações extraconjugais. Numa sondagem levada a cabo nos Estados Unidos 74% dos homens e 68% das mulheres admitiram que seriam capazes de ter um affair se tivessem a certeza de que não seriam apanhados.

    Bem sei que as coisas não foram sempre assim e que no tempo dos meus avós a disparidade dos números seria maior. Mas enganam-se aqueles que consideram que nesse tempo não havia infidelidade feminina!

    A infidelidade – masculina ou feminina – depende, também, da oportunidade, pelo que é importante considerar que a emancipação da mulher potenciou o contacto com pessoas do sexo oposto, favoreceu o equilíbrio em termos do poder conjugal e minimizou a dependência em relação ao marido. Mas as donas de casa também têm affairs. E tê-los-iam há trinta ou quarenta anos atrás, ainda que poucos suspeitassem.

    Quanto às razões subjacentes à infidelidade: de um modo geral (cada caso contém as suas próprias especificidades), as pessoas traem o cônjuge pelas mesmas razões por que se separam, isto é, porque as suas necessidades afectivas não estão a ser preenchidas pela relação “oficial”. Em muitos casos, o que está em causa é a ligação emocional.

    Mas o peso do “pecado” também já não é o mesmo e o sexo pelo sexo também existe – nos dois géneros, claro.

    Há diferenças de género, sim, na forma como homens e mulheres lidam com a revelação de que foram traídos. Os homens tendem a isolar-se mais, pelo que apresentam maior resistência a pedir ajuda externa.
    Disponivel em:http://www.apsicologa.com/search/label/Infidelidade

  3. FCH
    domingo, 5 de setembro de 2010 – 16:08 hs

    INIQUIDADE, VEJAM O QUE ACONTECE DIA APÓS DIA E NÓS SIMPLESMENTE ACEITAMOS TUDO ISSO COMO “NORMAL”.

    VEJA E REFLITA

    http://www.youtube.com/watch?v=ICRyigVpkrk

  4. CURTA E FINA
    domingo, 5 de setembro de 2010 – 17:23 hs

    HAHAHHA

    ME ENGANA QUE EU GOSTO!

  5. domingo, 5 de setembro de 2010 – 17:23 hs

    a ilustração não tem nada a ver com a materia!
    machista e desnecessária!!!

  6. salete cesconeto de arruda
    domingo, 5 de setembro de 2010 – 19:52 hs

    Barbaridade!

  7. juca
    domingo, 5 de setembro de 2010 – 21:59 hs

    negócio é ser solteiro minha gente…….

  8. Observador tucano
    segunda-feira, 6 de setembro de 2010 – 0:51 hs

    andei sabendo que na juventude do Osmar isso é pratica…….rs

  9. Ju
    segunda-feira, 6 de setembro de 2010 – 8:28 hs

    Fiquei abismada quando ouvi em um salão chique de Curitiba que se você(mulher) não trai é “careta”, mulher moderna trai…apenas por trair. Onde estão os valores da família curitibana? As mulheres começaram vestindo calças, queimando sutiãs e agora conseguiram descer ao nível masculino.

  10. creuza
    segunda-feira, 6 de setembro de 2010 – 12:05 hs

    eu moro na vila, como a maioria das mulheres…trabalho o dia inteiro e tambem no fim de semana…e sou meio feia e meio gorda e a ultima coisa que me sobra tempo pra pensar é sacanagem…eu não pesquizam
    devem pesquizar só as dondocas nos salão de belesa
    essas tem tempo mesmo pra si divirtir

    muda la na materia…em vez dos tal 25% das mulher pra 25% das dondocas

  11. ▄▀▄†Ψ REQUEIJÃOΨ†▄▀▄™
    segunda-feira, 6 de setembro de 2010 – 17:53 hs

    cornolhos

  12. CURTA E FINA
    segunda-feira, 6 de setembro de 2010 – 21:20 hs

    PACABÁ NÉ MEU POVO…..

    CONCORDO COM A CREUZA E JU….NÃO EXISTE LUGAR MAIS FÚTIL DO QUE UM SALÃO DE BELEZA….ME DESCULPEM OS PROPRIETÁRIOS, QUE SOBREVIVEM DA FUTILEZA ALHEIA…..

    MAS FUTILEZAS À PARTE…..

    DONDOCA PULA CERCA, TEM DESVIO DE CONDUTA, É SEXOMANÍACA…VAI PRO PSICÓLOGO TRATAR…..

    POBRE PULA CERCA, É PUTA…….INFELIZMENTE A NOSSA SOCIEDADE ASSIM AGE…..O FATO EM SI É O MESMO…..MAS O QUE CONTA É QUANTO SE TEM NO BOLSO PARA QUE A OFENSA MORAL, SEJA, DIGAMOS, RSRSRS MENOS PESADA…..

    O QUE SE PREGA HOJE EM DIA É A LIBERTINAGEM….

    CLARO NÉ….O GOVERNO DÁ CAMISINHA…( SE BEM QUE POUCA GENTE USA, A JULGAR PELOS ALTOS ÍNDICES DE HIV NO BRASIL)…….SÓ FALTA O GOVERNO DAR O VALE MOTEL RS….E OLHA, QUE QUEM SE APROVEITARIA DISSO NÃO SERIA A CLASSE TRABALHADORA QUE NÃO TEM TEMPO DE PULAR A CERCA COM NINGUÉM…….

  13. Julio
    terça-feira, 7 de setembro de 2010 – 17:36 hs

    Observador Tucano

    Conte aí mais detalhes……, no desespero de perder a eleição eles estão se traindo até internamente…….hahahahahhahaa

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*