Serra diz que Dilma 'senta na cadeira' antes da hora | Fábio Campana

Serra diz que Dilma ‘senta na cadeira’ antes da hora

Um dia depois de Dilma Rousseff ter dito que estenderá a mão a seus opositores se for eleita, José Serra tratou de levar o pé atrás.

O presidenciável tucano enxergou a mão estendida da rival petista como um gesto desrespeitoso.

“Eu acho que essa declaração tem uma certa falta de respeito para com as pessoas. É alguém sentando na cadeira a mais de um mês da eleição”, disse Serra.

“Me pareceu uma atitude pouco respeitosa com os eleitores”, ele acrescentou.

Dilma fizera a declaração no mesmo dia em que viera à luz o último Ibope, que lhe atribui 24 pontos de vantagem: 51% a 27%. Um cenário de vitória eno primeiro turno.

O comentário de Serra soou na Associação dos Nordestinos do Estado de São Paulo, que ele visitou na companhia da mulher, Mônica.

O candidato dirigiu à colônia nordestina um pedido de voto extensivo aos familiares que deixaram em seus Estados de origem:

“Eu queria pedir para vocês, que me conhecem mais de perto, que escrevam pras suas famílias no Nordeste”.

Em Brasília, Dilma se ocupava de desfazer um burburinho típico de quem flerta com a cadeira que Serra ainda crê desocupada.

A pupila de Lula voltou a negar que os cargos de sua eventual gestão já estejam sendo partilhados. Tachou a discussão de “factóide”.

“Eu desautorizo todas as especulações sobre quem quer que seja, ocupar qualquer que seja o cargo”.

Tratar disso agora, disse a candidata, equivaleria a “colocar o carro na frente dos bois”


12 comentários

  1. DILMA - UMA VIDA DE CRIMES
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 10:00 hs

    ABAIXO COMUNISTAS GUERRILHEIROS! VIVA A DITADURA MILITAR!

    Para quem acredita que Dilma Roussef lutou corajosamente pela DEMOCRACIA.

    Democracia não é a mesma coisa que comunismo, socialismo. A Constituição de 1988 já no seu prefácio diz que os parlamentares reuniram-se em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado DEMOCRÁTICO. No seu Art. 1º esclarece que a “República Federativa do Brasil constitui-se em Estado Democrático de Direito”, não apenas Estado de Direito, mas Democrático de Direito. Cuba é um Estado Democrático? URSS era? Ah! façam-me o favor, aprendam a diferença, e façam a diferença!

    A verdade é que tanto a Dilma como o próprio Lula e outros companheiros nunca quiseram a democracia. Eles lutaram para implantar no Brasil um regime comunista nos moldes de Cuba. Imaginem como seria hoje o nosso Brasil se não tivessemos sido defendidos pelos nosso corajosos militares.

    Hoje que eles estão no poder continuam lutando para implantar uma ditadura socialista nos moldes de Hugo Chaves- Venezuela. É preciso que os brasileiros tomem conhecimento desses fatos.
    Lula, pela alta popularidade que conseguiu graças ao bom trabalho do governo anterior, se acha acima da lei uma especie de semi-deus. Vai deixar uma herança maldita nas finaças brasileiras pelo excesso de gastos publicos. Corremos sério risco da volta da inflação e descontrole financeiro.

    DIGA NÃO AO COMUNISMO DE LULA – DILMA – FIDEL e CHAVES.

  2. RST
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 10:10 hs

    Só Faltava essa agora: O Fhc já está muito magoado com sua “criatura”, pois foi ele que construiu o Serra; e está sendo jogado prá escanteio. O Serra mostra o Lula em seus programas eleitorais mas não mostra o FHC. E agora ainda diz que não se pode sentar na cadeira antes de ganhar a eleição se refirindo à Dilma? Será que ele esqueceu que quem sentou na cadeira antes de ganhar as eleições foi o seu criador? Ou seja o FHC que sentou literalmente na cadeira para prefeitura de S.P. achando que já tinha levado e dançou perdendo, para o Janio Quadros. Esse Zé Chirico não acerta uma, hein?

  3. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 10:21 hs

    Quem SENTA é o FHC do qual o Serra se esconde.

  4. RST
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 10:48 hs

    Até o POLVIDENTE tucando Montenegro do IPOBE já diz que a Dilma esta eleita:
    Na IstoÉ
    N° Edição: 2129 | 27.Ago. 2010 – 21:00
    por Octávio Costa e Sérgio Pardellas

    “O Brasil já tem uma presidente”

    Presidente do Ibope admite que errou ao prever que Lula não faria o sucessor e diz que Dilma Rousseff será eleita no primeiro turno

    Há exatamente um ano, o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, declarou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não faria o sucessor, apesar da alta popularidade. Na ocasião, o responsável por um dos mais tradicionais institutos de pesquisas do País assegurava que o presidente não conseguiria transferir seu prestígio pessoal para um “poste”, como tratava a ex-ministra Dilma Rousseff. Agora, a um mês das eleições e respaldado por números apresentados em pesquisas diárias, Montenegro faz um mea-culpa. “Errei e peço desculpas. Na vida, às vezes, você se engana”, afirmou. “O Brasil já tem uma presidente. É Dilma Rousseff.” Segundo Montenegro, a ex-ministra da Casa Civil vem se conduzindo de forma convincente e confirma, na prática, o que o presidente disse sobre ela na histórica entrevista concedida à ISTOÉ na primeira semana de agosto: “Lula acertou. Dilma é um animal político. Está mostrando muito mais capacidade do que os adversários.”

    O tucano José Serra, na opinião do presidente do Ibope, faz uma campanha sem novidade, velha e antiga. “O PSDB está perdido”, assegura. Neste fim de semana, o Ibope vai divulgar uma nova pesquisa, que confirmará a categórica vantagem da petista. “Fazemos pesquisas ­diárias. E Dilma não para de crescer. Abriu 20 pontos em Minas, onde Serra já esteve na frente. Empatou em São Paulo, mas ali também vai passar. Essa eleição acabou”, conclui Montenegro.

    A entrevista:

    Istoé – O sr. disse que o presidente Lula não conseguiria transferir seu prestígio para a ex-ministra Dilma Rousseff, mas as pesquisas mostram o contrário. O sr. ain­da sustenta que o presidente não fará o sucessor?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Eu nunca vi, em quase 40 anos de Ibope, uma mudança na curva, como aconteceu nesta eleição, reverter de novo. Por mais que ainda faltem 30 e poucos dias para a eleição, o Brasil já tem uma presidente. É Dilma Rousseff. Ela tem 80% de chances de resolver a eleição no primeiro turno. Mas, se não for eleita agora, será no segundo turno.

    Istoé – A que o sr. atribui essa virada?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Houve uma série de fatores. Primeiro a transferência do Lula, que realmente vai sair como o melhor presidente do Brasil. Um pouco acima até do patamar de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubitschek. O segundo ponto é o preparo da candidata Dilma. Ela tem mostrado capacidade de gestão, equilíbrio, tranquilidade e firmeza. A terceira razão é seu bom desempenho na televisão, inclusive nos debates e entrevistas. Lula acertou ao dizer, em entrevista à ISTOÉ, que ela era um animal político. Está mostrando muito mais capacidade que os adversários e mostra que tem preparo para ser presidente.

    Istoé – Mas há um ano o sr. declarou que Lula dificilmente faria o sucessor.

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Errei. Eu dizia de uma forma clara que, apesar de o Lula estar bem, ele não elegeria um poste. Foi uma declaração extemporânea, descuidada e muito mais fundamentada num pensamento político do que com base em pesquisas. Foi um pensamento meu. Acho que eu tinha o direito de pensar daquela forma, mas não tinha o direito de tornar público. Peço desculpas. Na vida, às vezes, você se engana.

    Istoé – O que mais o surpreendeu desde o momento do lançamento das candidaturas?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – A oposição errou e essa é a quarta razão para o sucesso de Dilma. A campanha do Serra está velha e antiga. Não tem novidade. O PSDB repete 2002 e 2006. Está transmitindo para o eleitor uma coisa envelhecida. Vejo um despreparo total. O PSDB está perdido, da mesma forma que o Lula ficou nas eleições de 1994 e 1998 contra o Plano Real. Na ocasião, ele não sabia se criticava ou se apoiava e perdeu duas eleições.

    Istoé – O bom momento da economia, a geração de empregos e o consumo em alta não fazem do governo Lula um cabo eleitoral imbatível?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Essa, para mim, é a razão principal. O Brasil nunca viveu um momento tão bom. E as pessoas estão com medo de perder esse momento. O Plano Real acabou derrotando o Lula duas vezes. Mas o Lula, com o governo dele, sem querer ou por querer, acabou criando um plano que eu chamo de imperial. É o império do bem, em que cerca de 80% a 90% das pessoas pelo menos subiram um degrau. Quem não comia passou a comer uma refeição por dia, quem comia uma refeição passou a fazer duas, quem nunca teve crédito passou a ter crédito, quem andava a pé passou a andar de bicicleta ou moto, quem tinha carro comprou um mais novo e quem nunca viajou de avião passou a viajar. Os industriais também estão felizes, vendendo o que nunca venderam. Os banqueiros idem.

    Istoé – Mas esse fator não pesou logo de início, quando os candidatos lançaram os seus nomes e Serra permaneceu vários meses na frente.

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – No início, houve transferência do Lula. Mas, de uns três meses para cá, o Lula está associando o êxito dele ao êxito do governo como um todo. E está mostrando que Dilma é a gestora desse governo. O braço direito dele. E as pessoas estão confiantes nisso e não estão querendo perder o que ganharam.

    Istoé – É possível dizer então que o programa de tevê do PT é mais eficiente do que o da oposição?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – A tevê ajudou na consolidação. Mas a virada de Dilma Rousseff na corrida para presidente da República se deu antes da tevê. Pelo menos antes do horário eleitoral gratuito.

    Istoé – Isso derruba o mito de que o programa eleitoral é capaz de virar a eleição?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Quando a eleição é disputada por candidatos pouco conhecidos, ele pode ser decisivo, sim. Por exemplo, a televisão está ajudando a eleição de Minas Gerais a se tornar mais dura. O Aécio está entrando agora, o Anastasia é o governador e eles estão mostrando as realizações do governo. Por isso, o Anastasia está crescendo. O Hélio Costa largou na frente porque já era uma pessoa muito mais conhecida do que o Anastasia. Mas, quando você pega uma eleição em que todos os candidatos são bem conhecidos, o uso da tevê é muito mais de manutenção e preenchimento do que para proporcionar uma virada.

    Istoé – E os debates? Eles podem mudar a eleição?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Só se houvesse um desastre. Cada eleitor acha que o seu candidato teve desempenho melhor. Vai ouvir o que está querendo ouvir. Já conhece as propostas anunciadas durante a propaganda eleitoral. Falando especificamente dessa eleição presidencial, repito que a população está de bem com a vida. Quer continuar esse bom momento. O Brasil quer Dilma presidente.

    Istoé – A candidatura de Marina Silva não tem força para levar a eleição até o segundo turno?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Cada vez mais a vitória de Dilma no primeiro turno fica cristalizada. Temos pesquisas diárias que mostram que essa eleição presidencial acabou. Agora, mais uma vez, o Brasil está dando um show de democracia. É bom dizer que os três principais candidatos são excelentes. Todos têm passado político, currículo e história. A história da Marina Silva, por exemplo, é maravilhosa. A luta dela pelo meio ambiente é muito importante. Mas a Marina até outro dia estava com Lula e as pessoas a relacionam com o presidente. Você pega a luta do Serra e ela também é fantástica. E o Serra, até outro dia, também estava no palanque do Lula, na luta contra a ditadura.

    Istoé – O fato de Dilma nunca ter disputado uma eleição não deveria pesar a favor de José Serra?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – No Chile, Michele Bachelet tinha 80% de aprovação, mas não conseguiu fazer o sucessor. Por quê? Porque ele tinha passado. Já tinha concorrido. Quando você concorre, você pega experiência por um lado, mas a pessoa deixa de ser virgem, politicamente falando. Sempre há brigas que você tem que comprar e vem a rejeição. No caso da Dilma, o fato de ela nunca ter concorrido, ter sido sempre uma gestora, uma técnica, precisando só exercitar o seu lado político, ajudou muito.

    Istoé – Em que medida o fato de Dilma ser mulher a ajudou nessas eleições?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Acho que não ajudou muito. Mas é algo diferente. O Brasil já tem implementado coisas novas na política, como foi a eleição de um sindicalista. É um fato interessante, mas a competência do Lula e da Dilma ajudaram muito mais.

    Istoé – O atabalhoado processo de escolha do vice na chapa do PSDB prejudicou a candidatura de José Serra?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Não. Nunca vi vice ganhar eleição. Nem perder.

    Istoé – O sr. acredita que Lula possa puxar votos para candidatos do PT nos Estados, como em São Paulo, por exemplo?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Acho muito difícil. O Lula tinha toda essa popularidade em 2008, apoiou a Marta e ela perdeu do Gilberto Kassab, que estava fazendo uma boa administração.

    Istoé – Dilma eleita, qual a saída para a oposição?

    CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO – Está provado que o modelo da oposição não deu certo. Talvez ganhe em alguns Estados importantes, como São Paulo, Minas, Paraná e Goiás. Sempre terá um papel importante. Mas essa eleição mostra que está na hora de uma reforma política. É preciso diminuir o número de partidos. Os programas partidários também precisam ser mais respeitados. Os partidos são os pilares da democracia.

  5. FISCAL DE REALEZA
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 12:23 hs

    É UM POUCO DIFICIL ELE ACEITAR MAS COM O TEMPO ELE ACOSTUMARA SEU PAIS SENDO DIRIGIDO POR UMA MULHER
    POR SINAL MUITO COMPETENTE
    THAU SERRA

  6. Xulipa
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 13:07 hs

    Porquê será que toda vez que a elite está prestes a não ganhar uma eleição se comenta em reforma eleitoral.

  7. Antonio Nunes
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 13:49 hs

    O MUNDO ESTÁ PERDIDO MESMO!

    QUE VENHA 2012 PRA ACABAR O MUNDO PORQUE JÁ ESTÁ TUDO PERDIDO

  8. Ed
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 13:59 hs

    Vai acontecer igualzinho no tempo do Collor. Todo mundo achava que o Collor era um deus! No dia seguinte à eleição, ele rapou todo o dinheirinho dos pobres. Muitas empresas e grupos grandes foram avisados para sacarem o dinheiro antes. Só se via eleitorzinho do Collor com o rabinho debaixo das pernas. E deu no que deu, Collor foi cassado e o Itamar governou. Com a Dilma, quem governará será o Sarney, ajudado pelo Collor, pelo Renan, pelo Jáder Barbalho; isto se ela não for cassada e o Michel Temer assumir de vez. O povo gosta mesmo de sofrer e não aprende. Quem viver verá!

  9. LUIZ
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 14:15 hs

    SERRA CAI FORA ESTA CADEIRA NÃO TE PERTENCE, os vendilhões nos não queremos mais SERRA FHC BETO LERNE TANIGUCHI O ALCENI GUERRA CORDENADOR DO BETO VCS ESQUECERAM OS GUARDA CHUVAS DO ALCENI Ë ESSES QUE VCS QUEREM, ALCENI AJUDOU O ARRUDA DO DF E DEPOIS CAIU FORA

  10. Adriano
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 14:49 hs

    FHC é um professor para o Serra no sentar na cadeira antes!

  11. trabaiadô
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 16:55 hs

    AO RST BEM MENOS , MAS MUITO MENOS….

    VAMOS TE RELEMBRAR AS DUAS SURRAS HOMÈRICAS QUE O SEU CORRUPTO ANALFABETO CACHACEIRO CAPO LULA LEVOU NO PRIMEIRO TURNO. do FHC….. OU VC ACHA QUE O MUNDO COMEÇOU EM 2002?????

    vc é muito tapado, se o lula falar que ele inventou a roda, vc logo acredita e sai mundo afora divulgando aos quatro pontos cardeais, o grande feito do sei IDOLATRINADO, p/ ver se convences bastante tongos a acreditarem tambem.

  12. OSSOBUCO
    segunda-feira, 30 de agosto de 2010 – 21:44 hs

    eita trabaiadô de araque, esse nunca trabaiô!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*