Promotores querem acabar com "farra das viagens" de vereadores | Fábio Campana

Promotores querem acabar com “farra das viagens” de vereadores

MP concluiu que parlamentares receberam pagamentos de diárias por cursos que sequer participaram

Da Assessoria de Imprensa do MP

A Promotoria de Justiça de Engenheiro Beltrão, município da região de Campo Mourão, protocolou hoje (10), duas denúncias criminais contra vereadores e servidora pública da cidade por desvio/apropriação de dinheiro público através de diárias de viagem. Os pagamentos indevidos teriam sido feitos a partir de certificados de participação em congressos, seminários e cursos emitidos por empresas de organização de eventos. A investigação conduzida pelo Ministério Público concluiu que os vereadores denunciados não chegaram sequer a participar dessas atividades, realizadas, na sua maioria, em Santa Catarina e em São Paulo, neste ano.

Foram denunciados os vereadores Francisco de Assis Alves, Sandra Maria Alves e Juarez Zuffa, e a servidora pública Neuza Maria Codato. O MP-PR constatou o gasto irregular total de R$ 51.316,17 de dinheiro público para o pagamento das diárias (valores corrigidos e atualizados pelo índice INPC/IBGE). Todos são acusados de peculato (apropriação indevida de recursos/bens públicos por funcionário público). Alves é ex-presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Engenheiro Beltrão.

O promotor de Justiça José Pereira Pio de Abreu Neto, responsável pelo caso, explica que as investigações continuam, agora também em parceria com o Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado GAECO e o Centro de Apoio Operacional de Proteção das Promotorias do Patrimônio Público, e com o Ministério Público de Santa Catarina. “A intenção é esclarecer a participação das empresas no esquema, bem como apurar a ocorrência desta prática em Câmaras de Vereadores de outras cidades”, diz Pio.

Nas denúncias propostas nesta semana, o MP-PR destaca que em junho deste ano a Câmara Municipal de Vereadores de Engenheiro Beltrão já havia extrapolado, na previsão orçamentária anual destinada ao pagamento de diárias, R$ 50 mil. Em função disso, obteve suplementação orçamentária de mais R$ 20 mil. Só o então presidente da Casa Legislativa, Francisco de Assis Alves, recebeu indevidamente R$ 18.033,31 em diárias, segundo apurado até então.


8 comentários

  1. Andressa
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 10:54 hs

    Esta matéria é muito boa!
    O vereador Professor Galdino, já está dando excelentes exemplos de como acabar com afarra do dinheiro público! Parabéns Professor Galdino! Já ganhou o meu voto!

  2. Reni jr
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 10:56 hs

    Incrível a displicência de alguns servidores públicos com o dinheiro público …poderiam realmente realizar os seminários e cursos para aprimorar os conhecimentos …muitos nem sabem o real papel do legislador municipal!

  3. Tem muito Caroço neste Angú!
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 11:43 hs

    “CURSOS,SEMINÁRIOS,ENCONTROS ETC E TAL” esta é uma prática comum dentro dos 3 poderes..é prefeito indo para “cursos de gesticulação em público” vereadores em “Congressos de Manipulação de verbas de Convênios” basta dar uma olhada nas oligarquias Municipais …TEM PREFEITO E VEREADOR QUE TEM MAIS HORA DE HGOTEL QUE URUBU DE VÔO!!!! em Colombo ta uma farra!!!

  4. Zangado
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 14:59 hs

    Interessante e sem prejuizo desse intento do Parquet, mas … quando o ex-governador viajava para o exterior, cada 76 dias aproximadamente, levando comitivas e bebitivas, deputados, comissionados e conselheiros do tribunal de contas, enfim, uma amigalhada, quase sempre passando por Paris (que sem dúvida vale uma missa, mas por certo, nem perto da Notre Dame passaram) nunca se questionou qual o interesse e/ou benefício público de tais viagens custeadas pelo dinheiro público …

  5. FILET MIGNON
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 20:18 hs

    Esta aí o resultado!
    Vereadores seguindo a risca os exemplos do MATRALHA I , Roberto Requião, o qual deveria era fundar uma Universidade para cursos de MESTRADO E DOUTORADO EM IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, aliás, os professores seriam da própria famiglia.
    O METRALHA II, EDUARDO REQUIÃO, NA ESPECIALIDADE DE ADMINISTRAR PORTOS COM TRANSPARENCIA E UM OUTRO MÓDULO, “COMO GUARDAIO O PRODUTO DO ROUBO”…
    O METRALHA III, na espacialidade em LICITACAO ILÍCITA e outro módulo, como aproveitar papéis de ARQUIVOS TRANSFORMANDO-OS EM PAPÉL RECICLADO para atendimento às exigências do Metralha I, REITOR DA UNIVERSIDADE, que obrigou a que todas as secretarias de estado somente utilizassem “paéis reciclado”, que por sinal é mais caro!

  6. cordeiro
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 22:22 hs

    manda eles derem um pulinho aqui em matinhos…
    he brincadeira, so que em vez de irem a foz, vao a camboriu e fpolis e nordeste..
    he mole..
    todos sabem na cidade, fora os que pegam diarias e ficam em casa assistindo filme;;

  7. Jacarezinho
    terça-feira, 10 de agosto de 2010 – 23:16 hs

    Zangado tem razão. O presidente Lula mesmo raramente pernoitava em Brasília. Requião nunca trouxe, na pasta, nem tem, um documento que comprove o resultado concreto de alguma viagem sua. Uns dizem pic-nic, outros convescote.

  8. negroloko
    segunda-feira, 23 de agosto de 2010 – 19:08 hs

    tem alguem levando lucro .
    tem alguem colhendo fruto.
    sem saber o que é plantar .
    ta faltando conciencia .
    ta sobrando paciencia .
    ta faltando alguem gritar .
    feito um trem desgovernado .
    quem trabalha ta ferrado .
    nas mãos de quem só engana.
    feito um mal que não tem cura .
    estão roubando a prefeitura .
    do beltrão que a gente ama .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*