Pessuti veta criação da Ferrosul | Fábio Campana

Pessuti veta criação
da Ferrosul

Do Paraná Online

O governador Orlando Pessuti vetou o projeto de criação da Ferrosul, na manhã de ontem. O projeto promoveria a integração ferroviária do Paraná com Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul e já tinha sido aprovado pela Assembleia Legislativa de três estados.

A iniciativa previa uma sociedade que forneceria 25 % do ativo da Ferroeste, atualmente avaliado em R$ 322 milhões, para cada um dos estados. Futuramente, a malha ferroviária seria integrada entre os estados e poderia chegar até o Chile.

“Como investir em construção de tantos quilômetros de trilhos se a Ferroeste atualmente não consegue sequer pagar o combustível?”, questiona o atual presidente da instituição, Neoroci Antônio Frizzo, favorável ao veto.

Desde que assumiu a presidência, em 14 de julho, ele tenta reestabelecer o equilíbrio financeiro da Ferroeste, que acumula dívidas de R$ 8,5 milhões que não são pagas há mais de um ano. Se não forem pagas até dezembro, o montante pode chegar a R$ 12 mil.

“Esse volume de dívidas, para uma instituição que fatura R$ 1,2 milhão e tem um déficit mensal de R$ 700 mil é inaceitável”, ressalta Frizzo. A empresa coordena 248 quilômetros de ferrovias que ligam Cascavel a Guarapuava.

Um plano de recuperação já está em andamento e haverá ajuda do governo estadual para negociar o parcelamento das dívidas com os dez principais credores.

Os primeiros cortes nos gastos já foram realizados. As más condições das locomotivas e vagões e a falta de manutenção geravam boa parte dos gastos mensais.

Seis locomotivas sucateadas foram devolvidas aos proprietários, gerando uma economia mensal de R$ 65 mil que eram pagos de indenização. A demissão de cinco assessores é outro fator que causou economia de R$ 40 mil por mês.

“Quando assumi encontrei a Ferroeste sob má gestão administrativa dos recursos. Eram pagas até 20 diárias por mês em excessivas viagens da diretoria, por exemplo”, pontua o presidente.

O fim das “brigas” com a América Latina Logística, que administra o resto da malha ferroviária do Estado, também é importante para o desenvolvimento da Ferroeste. O contrato de operação mudará e a empresa privada poderá tracionar nos trilhos da Ferroeste caso haja oferta de carga acima de 130 mil toneladas ao mês.

Apesar de ser contra o projeto da Ferrosul, Frizzo garante que é a favor da integração ferroviária. “Ela é fundamental para o desenvolvimento, mas deve partir da União para que o Paraná seja indenizado por perder o comando da empresa”, afirma.


14 comentários

  1. Flávio Barros
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 11:42 hs

    Para do desenvolvimento do Cone Sul não tem dinheiro, mas para um estádio particular tem?
    Esse é o Pedro Malasartes.

  2. jorge tissot
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 12:14 hs

    parabéns aos administradores da ferroeste

  3. JOCELITO SEM NOÇÃO
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 12:37 hs

    e o kiko?

  4. Araujo
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 12:58 hs

    É, mas dar dinheiro pro time mendigo da baixada…….

  5. Jota Toledo
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 13:35 hs

    Conheço bem o Frizo e tenho certeza que ele tem razão, agora a Ferroeste está em boas mãos, como é que pode o Requião deixar um incompetente fazendo a Gestão de uma Empresa fundamental para o desenvolvimento do Paraná e Mercosul, naturalmente que dá para recuperar, porém demanada tempo e investimento.

  6. j.k.lott
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 13:45 hs

    Onde será que anda Beto Richa… será que está no Caribe de férias com o seu coordenador geral João Elísio…

  7. Ruth
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 17:45 hs

    visão atrasada e de curto prazo dá nisso mesmo!
    a Ferrosul seria um projeto de logistica fundamental ao Paraná, mas pra isso temos que ter ESTADISTAS, o que por enquanto tá faltando no Paraná.
    Só o Beto poderá mudar essa visão estreita dos cumpadres que o atual governador nos principais cargos do governo.
    Falta só 4 meses e 26 dias!!!

  8. Borduna
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 18:25 hs

    è o lobye das montadoras de caminhões e ônibus funcinando…..só atrazo.

  9. C.Gomes
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 18:45 hs

    Até o Balbinoti, aquele deputado que não serviu para ser ministro da agricultura de lulla, referindo-se à falta de visão do atual Governador Tampão, afirmou que este sabe somente ver nas retas e não nas curvas. É um fato Ruth, sem dúvidas precisamos da cultura, da honestidade e da visão de Estadistas no Paraná.

  10. justiceiro
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 19:02 hs

    Durante todo o período em que a ferrovia esteve nas mãos da sub concessionária privada FERROPAR o Estado do Paraná não teve um único tostão de prejuízo.
    Após voltar para as mão da FERROESTE, por determinação do ex-REIquião, a farra dentro dessa ferrovia não teve limites. Foram milhões de reais de prejuízo causados aos cofres do Estado do Paraná pelos roubos e desmandos.
    E pior, o então Governador enviou ao Legislativo um projeto de lei criando a Ferrosul para pelo atual Governo, acabou passando, pois o nosso legislativo aprova qualquer coisa.
    Agora a pergunta, quem pagará todo o prejuízo ocasionado pelos desmandos da FERROESTE?
    Todos sabemos que nossos deputados não estão nem aí. Estão apenas preocupados em ganhar as eleições para continuarem com suas mamatas.

  11. Austragésilo Penaforte
    quinta-feira, 5 de agosto de 2010 – 21:27 hs

    Pessuti está certo. Certíssimo! Não há porque fazer às coisas no afogadilho, já que a empresa está no vermelho, mesmo tendo potencial e condições de se recuperar a curto espaço de tempo, desde que se modernize, agilize e dinamize a sua estrutura e corpo funcional.
    A União é a responsável pela malha federal e investimentos no setor. Num projeto para englobar a Ferroeste, o Estado tem que ser ressarcido, sem dúvida.

  12. RAPHAEL
    sexta-feira, 6 de agosto de 2010 – 0:27 hs

    Meu deus pessuti…agora sabemos pq vc era renegado pelo requião!!
    Visionário hein!!

  13. UM TREM NA CONTRAMÃO
    sexta-feira, 6 de agosto de 2010 – 9:59 hs

    Lamentavelmente o Governador Pessuti com o veto ao projeto da FERROSUL se põe como protagonista de um retrocesso optando por seguir na contramão da necessidade de se mudar a matriz de Transporte No Paraná. Talvez tenha sido induzido pelo seu staff exclusivamente rodoviarista

  14. sexta-feira, 6 de agosto de 2010 – 13:37 hs

    Somente uma observação importante; O Prefeito de Sao Tomé Leo Hernandes declarou apoio a Beto Richa em Publico não influenciado pelo resultado da pesquisa, até porque, a visita da ex Premeira dama Fernanda Richa em cianorte foi um dia anterior a divulgação do resultado da pesquisa referida.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*