Na Agroleite, Gleisi confere os avanços das cooperativas do Paraná | Fábio Campana

Na Agroleite, Gleisi confere os avanços das cooperativas do Paraná

Na tarde desta sexta-feira (13), a candidata ao Senado Gleisi Hoffmann (PT) visitou a maior feira de leite do País, a Agroleite, realizada em Castro, na região dos Campos Gerais.

Gleisi surpreendeu-se com os números apresentados pelo prefeito em exercício, Álvaro Telles (foto1). Ele explicou que, somente em 2009, 173 milhões de litros de leite foram produzidos pela Cooperativa, o que representa 10% da produção do Paraná e 1% de todo o Brasil. Os dados colocaram Castrolanda como a maior produtora de leite de todo o País.

O prefeito destacou a importância da cooperativa para o município, por conta da geração de empregos e pelo aquecimento da economia local. “A Castrolanda tem 700 produtores e 40% deles são da agricultura familiar”, afirmou.

Gleisi conversou com os produtores (foto2) e declarou que uma de suas propostas é apoiar o desenvolvimento da agroindústria e da agricultura familiar, as cooperativas e o pequeno produtor. “Defendo linhas de crédito e a promoção de nossos produtos no Brasil e no exterior, como forma de melhorar os rendimentos do setor”.


7 comentários

  1. Duval Simões Araújo-Londrina
    sexta-feira, 13 de agosto de 2010 – 19:47 hs

    13/08/2010 às 19:30:04 – Atualizado em 13/08/2010 às 19:30:04

    Stedile, do MST, recomenda voto em Dilma

    Em entrevista ao jornal Brasil de Fato, ligado aos movimentos sociais, o principal líder do Movimento dos Sem Terras (MST), João Pedro Stedile, declara que a candidatura de José Serra(PSDB) representa “o núcleo central dos interesses da burguesia e a volta do neoliberalismo”.

    Para Stedile, o tucano está a serviço dos “interesses da burguesia internacional, da burguesia financeira, dos industriais de São Paulo, do latifúndio atrasado”. Frente a esse cenário, ele defende que, “como militantes sociais, e como movimentos sociais, temos a obrigação política de derrotar a candidatura Serra”.

    Dilma Rousseff (PT), segundo o líder do MST, representa “setores da burguesia brasileira que resolveram se aliar a Lula, setores mais arejados do agronegócio, a classe média mais consciente, e praticamente todas as forças da classe trabalhadora organizada”.

    Diante disso, ele recomenda: “Achamos que a vitória da Dilma permitirá um cenário e correlação de forças mais favoráveis a avançarmos em conquistas sociais, inclusive em mudanças na política agrícola e agrária”. “E evidentemente que nesse cenário incluímos a possibilidade de um ambiente propício para maior mobilização social da classe trabalhadora como um todo, para a obtenção de conquistas”, acrescentou.

    Durante a entrevista, Stedile também comentou os ataques de Serra ao MST: “Na minha avaliação, a coordenação tucana acha que a única chance do Serra crescer eleitoralmente é adotar um discurso de direita, para polarizar e, então, se mostrar mais de confiança do que a Dilma”.

    Na avaliação do líder sem-terra, por esse motivo que Serra “adotou todos os ícones da esquerda para bater”. “Bate em nós, em Fidel, em Cuba, Chávez, Evo Morales, até no bispo Lugo ele bateu”, analisa. “Achou uma conexão das Farc com o PT absurda, ele sabe que o partido está mais próximo da social-democracia, não é por ignorância, é por tática eleitoral”.

  2. Urutu Cruzeiro
    sexta-feira, 13 de agosto de 2010 – 20:28 hs

    De boas intenções o inferno está cheio. Esse tipinho de lobo em pelo de cordeiro todos já conhecem. Comunistas são comunistas e ponto, além de serem ateus. Voto Gustavo Fruet e Ricardo Barros.

  3. gerson
    sexta-feira, 13 de agosto de 2010 – 21:51 hs

    vamos vare esses pt do parana pelo amor de deus

  4. Da Poltrona
    sexta-feira, 13 de agosto de 2010 – 23:11 hs

    Eis Gleise sendo apresentada à Agroleite …
    Agroleite, eis Gleise …
    Logo a candidata sabe tudo e faz a nata das promessas para o agronegócio …
    Só faltou o moranguinho …

  5. Lorena Meyers
    sábado, 14 de agosto de 2010 – 16:32 hs

    Gleisi na Agroleite, Osmar no Agroleito e o Requeijão rindo deitado.

  6. CAMPOS GERAIS
    sábado, 14 de agosto de 2010 – 16:37 hs

    PARA QUEM NÃO CONHECE A IMPORTÂNCIA DA CIDADE DE CASTRO, DEIXO AQUI UM POUCO DE SUA HISTÓRIA.

    CASTRO – A Primeira Cidade Verdadeiramente Paranaense.

    Um fato histórico que não se pode negar, é que Castro, elevada à cidade em 21 de janeiro de 1857, foi a primeira cidade instituída no Paraná, sendo conhecida como ‘Cidade Mãe’, porque foi a primeira cidade fundada no estado quando o Paraná emancipou-se de São Paulo, em 19 de dezembro de 1853. Nessa época, Castro figurava em segundo lugar em contingente populacional, assim distribuído: Paranaguá – 6.533 habitantes; Castro – 5.899 habitantes; Curitiba – 5.819 habitantes; Vila do Príncipe, atual Lapa – 5.406 habitantes. Curitiba e Paranaguá, antes de 1853, já eram cidades, quando a terra e as decisões pertenciam aos paulistas.
    Castro: Capital do Estado

    Castro também já foi capital do Paraná. Isso aconteceu em 18 de janeiro de 1894 durante a Revolução Federalista (1893-1895). Assim, o governador da Província, doutor Vicente Machado instaurou o Decreto numero 24 de 18 de janeiro, que tornava Castro a capital do Paraná, sendo revogado em 19 de abril do mesmo ano. Dessa forma, Castro foi a capital do Paraná durante três meses e 11 dias. Esta foi a primeira e única vez que a capital saiu de Curitiba.

    Amilton Oliveira – Castrense/Socavão – Curitiba

  7. Castrense
    sábado, 14 de agosto de 2010 – 16:46 hs

    Pela importância da Castrolanda e da região como um todo, causa estranheza a demora da pavimentação da Rodovia do Cerne (PR-090), que liga Curitiba ao Norte Pioneiro, passando pela Castrolanda…..esse trabalho iniciou-se pelas duas bandas (Castrolanda e Curitiba), mas as obras estão paradas ha muito tempo e sem previsão de conclusão…..será que algum candidato se digna a comprometer-se mandar concluir tão importante empreitada ???
    Com certeza o Governo que concluir esta obra será idolatrado pelo povo da região, que tato sofre com a situação atual, tendo que viajar 170 Km, e pagar 3 pedágios para se deslocar de Castro à Capital, ao passo que pela PR-090, o deslocamento não chega a 100Km….
    Estamos de olho !!!!!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*