Lula sanciona lei que cria o Fundo Catástrofe | Fábio Campana

Lula sanciona lei que cria o Fundo Catástrofe


Fundo servirá para ressarcir produtor rural atingido por desastres. Governo vai destinar R$ 4 bilhões ao novo fundo através de títulos

G1/Globo.com

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta quinta-feira (26) a lei que cria o chamado Fundo Catástrofe, que servirá para ressarcir de forma complementar os produtores rurais atingidos por eventos climáticos desastrosos, como seca e excesso de chuva. O governo vai aplicar R$ 4 bilhões no novo fundo através de títulos públicos. Deste total, R$ 2 bilhões serão investidos de imediato e o restante será transferido pela União em três anos.

De acordo com o Ministério da Agricultura, o novo fundo será uma parceria público-privada e terá a participação de sociedades seguradoras e empresas agroindustriais. Ele vai garantir às seguradoras “cobertura suplementar dos riscos do seguro rural nas modalidades agrícola, pecuária, aquícola e florestal”. Com a garantia de recursos para resguardar as seguradoras, a expectativa é ampliar oferta de crédito para seguro rural, já que as empresas terão maior segurança para expandir contratações em áreas de clima instável.


“O fundo permitirá que, nos próximos dez anos, o valor segurado das lavouras seja elevado de R$ 9,6 bilhões para R$ 50 bilhões”, disse o ministro da Agricultura, Wagner Rossi. Os recursos do fundo vão beneficiar 300 mil produtores e 35 milhões de hectares de produção rural, o que significa, segundo o ministério, 56% da área cultivada do país. Atualmente, 10% da área plantada têm cobertura do seguro rural.

O Fundo de Catástrofe terá um conselho diretor formado por representantes do governo e, no mínimo, um representante de cada segmento envolvido, como seguradoras, resseguradoras, cooperativas e empresas agroindustriais.


10 comentários

  1. Aguave
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 12:41 hs

    Vai dar proagro.

  2. Rodrigo
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 13:15 hs

    ESTE FUNDO VEIO NA HORA PARA CAMPANHA DE OSMAR …… AI OSMAR NAO TA TAO RUIM COMO VC PENSA TEM O FUNDO DE CATASTROFE……

  3. Joana Fontes
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 14:28 hs

    A primeira proposta da Lei das Catastrofes, bom que se diga, foi do senador paranaense Osmar Dias.

  4. O Povo
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 14:40 hs

    Pensei que esse Fundo Catástrofe, fosse já antecipando o que poderá ocorrer com o Brasil com um governo desastroso da “companheira” petista Dilma Anta!

  5. OSSOBUCO
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 15:09 hs

    José Serra será o primeiro a utilizar esse fundo dada a catástrofe que é a sua candidatura!

  6. sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 17:57 hs

    Este Fundo servirá para socorrer o próximo presidente ,pois, quando assumir o governo verá que catástrofe que foram estes oito anos de enganação…….

  7. OSSOBUCO
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 22:12 hs

    Na TV, Mercadante e Skaf exibem Dilma; Alckmin não mostra Serra.

    Serra é própria catástrofe!

  8. OSSOBUCO
    sexta-feira, 27 de agosto de 2010 – 22:17 hs

    Até o Financial Times diz que Serra é uma catástrofe:

    Colunista do FT sugere que Serra cometa suicídio político

    Brazil’s election: all over bar the voting?

    por Jonathan Wheatley, no Financial Times

    Faltam 40 dias para as eleições gerais do Brasil em 3 de outubro e como todos sabem, este é um longo tempo em política. Mas no dia de hoje é difícil imaginar qualquer resultado que não seja uma vitória retumbante na disputa presidencial de Dilma Rousseff, a sucessora escolhida do esquerdista PT, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está no poder há oito anos como o presidente mais popular da História do Brasil.

    Uma pesquisa publicada hoje dá a Dilma 18 pontos de vantagem sobre seu rival mais próximo, José Serra da oposição centrista do PSDB. Serra liderou as pesquisas até o mês passado, largamente, parece agora, porque era simplesmente mais conhecido. A esperança dele era manter impulso suficiente para forçar Dilma ao segundo turno no dia 31 de outubro. Mas a pesquisa mais recente dá a Dilma mais votos do que todos os adversários combinados — o suficiente para garantir a ela uma vitória no primeiro turno.

    A campanha da Dilma foi rápida na exploração de sua liderança.

    A campanha de Serra está desorganizada. Ele parece estar concorrendo com um único tema: suas conquistas como ministro da Saúde uma década atrás e os investimentos de saúde que fez como prefeito de São Paulo e governador do estado de São Paulo. Ele ocupou valiosos centímetros de colunas para acusar Evo Morales da Bolívia de traficar cocaína para o Brasil, acusou o PT de ligações com as FARC da Colômbia e acusou o governo de censurar a imprensa — certamente uma das menos censuradas do mundo.

    Nada disso tem qualquer coisa a ver com seu programa de governo. Na verdade, é duro de descobrir qual é o programa dele. Deveria ser a continuação das reformas que o estado brasileiro começou nos anos 90 pelo seu colega de partido Fernando Henrique Cardoso. Em vez disso, Serra permitiu que Dilma se posicionasse como a campeã da ortodoxia e da responsabilidade fiscal, lançando a possibilidade de um “choque positivo” como aquele que foi dado por Lula em 2003, seu primeiro no poder.

    Emtão Lula adotou uma reforma parcial do sistema de Previdência e cortou gastos públicos, antes de permitir que eles passassem a se expandir. Os assessores de Dilma estão prometendo reduzir a meta de inflação do governo e o aumento do superávit primário (antes do pagamento das dívidas — quando incluídas, o governo está em déficit). Se isso vai ser uma jogada de curto prazo para conquistar investidores ou o começo de uma reforma profunda, os brasileiros vão descobrir logo.

  9. CAÇADOR DE PETISTAS
    sábado, 28 de agosto de 2010 – 8:54 hs

    Criminosos.

    A tentativa de transformar crime político em crime comum é a mesma estratégia dos bandidos da pior espécie. A primeira coisa que os advogados de porta de cadeia tentam é transformar homicídio doloso em homicício culposo. Aceitam que o cliente cometeu o crime, mas buscam um enquadramento que reduza a pena. É o que está ocorrendo com o crime de quebra de sigilo de tucanos, para montar mais um dossiê contra José Serra(PSDB). A própria candidata correu para o Jornal Nacional para tentar fazer passar a nova versão de que há um esquema de corrupção dentro da Receita Federal. Que não houve finalidade política. Eles até aceitam o rótulo de corruptos, no programa de maior audiência da TV, pois sabem, desde o Mensalão, que corrupção não perde eleição no Brasil. Outra estratégia é arranjar um “laranja” para assumir o crime. Novamente, do mesmo jeito que os bandidos da pior espécie fazem, colocando menores de idade para assumir assassinatos. Estamos tratando com criminosos da pior espécie, capazes de tudo. O prefeito Celso Daniel que não o diga. Está morto. Assassinado e não investigado.

    Foora corja de bândidos do PT

  10. antonio carlos
    sábado, 28 de agosto de 2010 – 14:16 hs

    Pena que o presidente só fez isto no fim do mandato. Por quê não fez lá em 2002? A nossa agricultura sempre sofreu com estas intempéries, por quê só agora, no apagar das luzes, ele croiu este fundo? E em parceria com seguradoras privadas? Quem vai pagar a conta deste seguro seremos nós, porque nunca vi seguradora boazinha, ou que não vise lucro. Muito lucro, vide os preços de seguro de carro, estão pela hora da morte. ACarlos

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*