Chávez proíbe a publicação de imagens sobre violência na Venezuela | Fábio Campana

Chávez proíbe a publicação de imagens sobre violência na Venezuela

Foto: AFP

Presidente acusa imprensa de tentar tirar proveito eleitoral do tema.
Meios de comunicação classificam de censura a medida.

Da France Presse

A decisão da justiça venezuelana de proibir a difusão de imagens sobre violência foi mais um motivo de confronto entre a imprensa e o presidente Hugo Chávez, que acusa os meios de comunicação de tentar tirar proveito de um tema que preocupa o país, principalmente a um mês das eleições legislativas.

Na sexta-feira passada, o jornal “El Nacional” publicou a foto de uma das salas do necrotério de Caras, onde estavam amontoados vários corpos, uma imagem forte, que dias mais tarde foi reproduzida pelo jornal “Tal Cual”, outra publicação também muito crítica em relação ao governo Chávez.

O governo questionou a publicação da imagem, chamando-a de “pornográfica”, enquanto que nesta terça-feira um tribunal da capital proibiu a toda a imprensa escrita que divulgasse imagens violentas, uma ação que os meios de comunicação classificam de censura.

Segundo a sentença, a imprensa escrita “deve abster-se de realizar publicações de imagens violentas, sangrentas, grotescas, que de uma forma ou de outro vulnerem a integridade psíquica e moral das crianças”.

A proibição será aplicada por um mês a contar de terça.

A Defensoria do Povo e o Conselho de Direitos da Criança anunciaram igualmente que abririam ações judiciais contra El Nacional.

“Uma pessoa só pode comover-se quando pensa nas consequências que pode ter na infância, exposta a estas situações”, declarou a presidente deste Conselho, Litsbell Díaz.

Chávez também se referiu à fotografia do necrotério e às críticas pela crescente insegurança na Venezuela, ao afirmar que “há uma manipulação politiqueira e pornográfica do tema da violência e da criminalidade”.

“Este tema da violência, do crime, converteu-se num fator antirrevolucionário de peso”, acusou Chávez, insistindo que o “problema da segurança é um assunto mundial”.

Há alguns dias, o presidente também criticou a transmissão no canal CNN do documentário “Os guardiões de Chávez”, realizado por uma tv espanhola, que falava da violência em Caracas e a suposta presença de guerrilheiros colombianos na Venezuela.

Censura
Não é a primeira vez que Chávez enfrenta a imprensa. Em 2007, a popular emissora de tv RCTV saiu do ar porque o governo não renovou sua concessão e, há um ano, 30 emissoras de rádios foram fechadas pela mesma razão.

Da mesma forma, a justiça iniciou recursos administrativos contra o canal de notícias Globovisión, que Chávez chama de “terrorista midiático”, e ameaçou fechá-lo em várias oportunidades.

“Mas nunca vimos uma atitude como esta”, comentou o professor de Comunicação da Universidade Católica Andrés Bello, Marcelino Bisbal.

“Chama a atenção que a proibição dos conteúdos que tenham a ver com a violência e a insegurança tenha sido ditada por um mês. A coincidência: estamos em campanha eleitoral”, enfatizou.

“A decisão judicial peca em amplitude e imprecisão”, enfatizou, por sua vez, a organização de defesa da liberdade de imprensa, Repórteres sem Fronteiras.

O governo de Chávez não publica cifras da violência há anos e é a imprensa que todas as semanas divulga estatísticas baseando-se no número de corpos que chegam aos necrotérios do país.

Protesto
O editor do jornal Nacional, Miguel Henrique Otero, disse que a intenção da polêmica era a de “causar um choque para que as pessoas reajam ante a violência”.

“Sua publicação chamou a atenção da sociedade, de uma maneira gráfica e oportuna, sobre uma realidade que se tornou cotidiana”, considerou David Natera, presidente do Bloco da Imprensa Venezuelana, que agrupa os donos de jornais e revistas.

“El Nacional” acatou a decisão de um tribunal, mas optou por deixar vários espaços em branco em sua edição desta quarta-feira, preenchidos apenas pela palavra “censurado” em letras vermelhas.

“Estamos censurados. Isso é inconstitucional e atenta contra a liberdade de expressão”, protestou Otero.

“Se aqui houvesse uma foto, vocês veriam um pai chorando por um filho que morreu”, afirma a legenda de um dos espaços em branco publicados na edição de hoje.

Em Caracas, há cerca de 50 mortes violentas a cada fim de semana e, em todo o país, os assassinatos superaram 16.000 em 2009, segundo cifras extraoficiais que transformam a Venezuela no país mais violento da região.

O tema está no centro do debate político nos últimos dias, ante as cruciais eleições legislativas de 26 de setembro, nas quais o governo aspira manter pelo menos dois terços da maioria.


16 comentários

  1. Anônimo
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 16:31 hs

    Este blog está parecendo a Folha de São Paulo, que publica um titulo e quando se vai ler o corpo da noticia, a noticia é outra. Afinal foi o Chavez ou foi a justiça que censurou os jornais?

  2. CAÇADOR DE PETISTAS
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 16:39 hs

    Há muito venho falando sobre isso. Há muito venho tentanto abrir os olhos dos eleitores sobre o perigo que DILMA representa a DEMOCRACIA BRASILEIRA

    Puxe a descarga em outubro .

    Amigo leitor, leia um trecho do programa de Dilma e a proposta factóide que se refere aos meios de comunicação:

    44. O aprofundamento da democracia brasileira passa por uma forte circulação de idéias, pelo livre acesso aos bens culturais de toda a humanidade e pela possibilidade de expressão de nossa diversidade cultural, das manifestações populares às de vanguarda.

    45.Para tanto será necessário:
    (…)
    i) medidas que promovam a democratização da comunicação social no país, em particular aquelas voltadas para combater o monopólio dos meios eletrônicos de informação, cultura e entretenimento. Para isso, deve-se levar em conta as resoluções aprovadas pela lª. Confecom, promovida por iniciativa do governo federal, e que prevêem, entre outras medidas, o estabelecimento de um novo parâmetro legal para as telecomunicações no país; a reativação do Conselho Nacional de Comunicação Social; o fim da propriedade cruzada; exigência de urna porcentagem de produção regional, de acordo com a Constituição Federal; proibição da sublocação de emissoras e horários; e direito de resposta coletivo.

    A palavra mágica – “Confecom” – está no programa de governo da companheira. Por baixo desse lerolero sobre “democratização”, o que se tem é tentação dirigista e liberticida. Se a própria candidata diz que devem ser “levadas em conta as diretrizes” da tal Conferência, a “democratização” se faria por meio da criação de mecanismos de controle e, na prática, censura.

    Abaixo, seguem algumas das propostas da Confecom, com as quais Dilma pretende “democratizar” a comunicação se for eleita:

    – Fiscalização com controle social do financiamento, das obrigações fiscais e trabalhistas das empresas de comunicação. Grupos sociais poderiam ter acesso as contas das empresas de comunicação;

    – Criação de cotas para canais e programas nacionais em TV por assinatura. Pelo menos 50% dos canais de qualquer pacote teriam que ser nacionais;

    – Criação de cotas para programas educacionais, culturais e informativos em TVs abertas e por assinatura;

    – Criação de uma nova Lei de Imprensa – que foi derrubada pelo STF recentemente – que garanta direito de resposta e assegure a pluralidade de versões em reportagens controversas;

    – Criar mecanismos de fiscalização para punir rádios e TVs que veiculem conteúdos depreciativos contra minorias. Não há indicações de como isso seria feito;
    – Criação do Observatório Nacional de Mídia e Direitos Humanos, para coibir supostos desrespeito a movimentos sociais, comunidades como quilombolas, gays, deficientes, crianças e idosos.

    – Criação do Conselho Federal de Jornalismo para fiscalizar as atividades de jornalistas e meios de comunicação;

    – Criação do Código de Ética do Jornalismo para regular a prática do jornalismo.

    A democracia deste país está sendo ameaçada pelo PT e o seu continuísmo no poder. Os “companheros” Castro e Chaves,sabem muito bem que com democracia não haverá liberdade para eles governarem ao seu bel prazer. A América Latina está em período pré-ditatorial. Estamos lentamente regredindo as priscas eras do comunismo.

    Lula se notabilizou por defender os piores corruptos deste país, agora, se notabiliza por defender ditadores sanguinários como Fidel Castro e Mahmoud Ahmadinejad, a quem chama de “grande amigo”. Temos que ouvir frequentemente as mentiras petistas em horário nobre, Dizem os petralhas que o Brasil é “respeitado” lá fora.Uribe, que difere de Lula por falar pouco e fazer muito dispara a nota, “deplora que o presidente brasileiro, com quem temos cultivado as melhores relações, refira-se a nossa situação com a Venezuela como se fosse um caso pessoal.”Trata-se da primeira demonstração da perda de respeito por Lula no exterior – e ele só tem a culpar por isso a sua irreprimível logorreia. Não terminasse o seu mandato daqui a 5 meses, a erosão de sua imagem internacional só se intensificaria.

    Em qualquer democracia em pleno estado de direito cabe ao presidente da República, chefe supremo da Nação, dar o exemplo e respeitar as leis. Dilma e Lula, a dupla ficha suja já foram multados oito vezes pelo TSE por propaganda política fora do tempo. Em matéria de ilegalidade lula dá aula, o MST é calado por vultosas quantias que são repassadas todos os anos de forma ilegal a esse braço político-ideológico a serviço do PT.

    Se antes a criminalidade se limitava ao cangaço no sertão nordestino (Lampião), à periferia das grandes cidades (o Bandido da Luz Vermelha, Escadinha, Fernandinho Beira-Mar), hoje os bandidos tomaram conta de todos os órgãos públicos, através do assalto esquerdista ao Estado brasileiro que se iniciou com a Nova República, atingindo seu ápice depois da eleição de Lula da Silva e seus 20 mil “aspones”. Com o tsunâmi de lodaçal que está enterrando o Executivo e o Legislativo na Praça dos Três Poderes, por obra exclusiva de Lula e de sua gangue petista, tem-se a certeza de que nenhum órgão público, hoje, consiga passar incólume pelo crivo de uma rigorosa fiscalização.

    A mídia nacional é invadida com mentiras populistas bem ao gosto da patuléia ignorante e dos fanáticos de esquerda. A choldra ignara se ilude com a falsa piedade de lula pelos menos favorecidos. Lula tem um projeto de poder, não de governo, além do mais não existe governo que governe somente para pobres, isso é um engodo.

    Estamos cada vez mais próximos da Venezuela, país em que Hugo Chávez faz o que bem entende, rasga a Constituição, persegue opositores políticos, cala a imprensa e impera sobre uma massa de miseráveis que ele próprio fez crescer. É o império do partido único, onde os cidadãos são apenas convidados para adular o ditador, e onde os opositores que fazem críticas contra os crimes do governo são chamados de “elites”, “denuncistas”, “golpistas”, “direita” e são trancafiados em leoneiras, como ocorre em Cuba.

    Na Venezuela, do ditador Chaves as coisas vão de mal a pior.A Venezuela vive a maior recessão dos últimos anos. Sua inflação deve ficar em 35%, a mais alta do mundo. O desemprego está em 8,5%. Enquanto toda a América Latina cresce, o PIB da Venezuela vai encolher 4,4%, depois de ter recuado 3,3% no ano passado. A produção de petróleo, arrimo do país, deve cair 1%. O racionamento de energia deixa milhões de venezuelanos até 6 horas por dia sem luz.

    Apesar disso Chavez despeja em Cuba 5 bilhões de dólares todos os anos para manter de pé uma ditadura sanguinária e putribunda comandanda pelo barbudo Fidel, o representante mor da burrice ideológica e do atraso. Condoídos, assistimos vários cubanos fugindo da ilha de Castro, não para o sonho americano, mas do pesadelo cubano.

    A atuação do governo, na pessoa de seu presidente, nesses últimos anos; tem uma pesada dose de populismo, somado a muita mentira em horário nobre na tv e a uma postura despreocupada em relação à ética e a moral (tanto própria quanto à daqueles que o cercam).

    Que Brasil queremos? Uma República Democrática num Estado de Direito ou uma República Socialista num Estado Autoritário? A maioria do povo não sabe diferenciar um Estado de Direito de um Estado Autoritário? A diferença fundamental é que no Estado de Direito impera a Lei e no Estado Autoritário impera o Ditador ou a “nomenclatura” – um pequeno grupo de audaciosos fanáticos que representam a lei e que a história mostra que se transformam em canalhas que defendem seus interesses e pela tirania, eliminam todos os seus opositores.

    As Repúblicas Socialistas de viés marxista-leninista são formadas pela infiltração de seus “lideres” nos pontos chaves de uma Nação e no Congresso e através de um “golpe” de lideranças no Congresso e/ou de uma revolução armada, assumem o Executivo e condicionam o funcionamento do Congresso e do Judiciário. Aqui nasce o Estado de Direito Autoritário, onde uma “nomenclatura” (grupo de ideólogos) acaba com o pluripartidarismo, o império da lei, e dá toda a força ao Estado. Daqui para frente, o povo não precisa pensar, ninguém pode sonhar, as liberdades serão ditadas pela “nomenclatura”, o Estado é a Lei, normalmente, dirigido por um Ditador. Vejam os exemplos de Hitler, Mussolini, Stalin, Fidel Castro e do aprendiz de ditador Chávez, etc.

    Em 1935, 1964, 1968 os fanáticos comunistas tentaram pelas armas impor uma República Socialista ao Brasil. Fracassaram e desistiram de usar as armas adotando a filosofia de Gramsci da “hegemonia” (conquista das mentes), e da ocupação dos pontos chaves do País.

    Os ideólogos do marxismo-leninismo do Foro de São Paulo (criado por Lula), tendo a frente as mais radicais lideranças socialistas mundiais como Fidel Castro, Lula, Hugo Chávez, representantes da FARC adotaram o decálogo de Lenine e formularam o seu próprio decálogo que vem inspirando o governo “socialista” de Lula e agora forma a plataforma política da guerrilheira Dilma, senão vejamos:

    1)-aparelhar de forma absoluta as empresas estatais e os poderes da República com os comuno-socialista;

    2)-seguir uma linha política-social, fundamentada no decálogo de Lenine;

    3)- adquirir poder econômico financeiro por todos os meios, mesmo os ilícitos, a corrupção, a subversão e cooptação de parlamentares e das organizações empresariais, com vista a tomada do Poder;

    4)- difamar e mesmo desmoralizar as FFAA para assumir o seu controle com civis leais ao comando do PT/Foro de São Paulo, promovendo o seu sucateamento, aviltando os salários e pelo desgaste moral de comandantes e subordinados;

    5)-colocar o Poder Judiciário, os tribunais superiores a serviço da ideologia comuno-socialista;

    6)-controlar as principais Instituições Nacionais como as FFAA, a OAB, a CNBB, a Mídia subornada, as Universidades, os Sindicatos, as Entidades Empresariais, através de ações e reações em face do interesses do partido único;
    7)-desarmar a sociedade civil e localizar/controlar os cidadãos que tem armas legalizadas para neutralizá-los no momento oportuno;

    8)-promover a compra de votos através das “políticas” assistencialistas e clientelistas irresponsáveis;

    9)-criar uma Força de Segurança, subordinada à Presidência para atuação nacional, e transformar a polícia Federal em uma Polícia Política Ideológica, para agir coercitivamente contra todos que se opuserem à tomada do poder;

    10)-motivar o desenvolvimento permanente de uma força paramilitar de emergência, através dos movimentos sociais a fim de enfrentar qualquer reação da sociedade que tentar de forma coletiva, contra os ideais do Foro de São Paulo.O PNDH-3, assinado por Dilma e Lula ratifica tudo isto.

    POR FAVOR, ACORDEM BRASILEIROS DE BEM.
    DILMA – CHAVES – LULA e o SOCIALISMO esta batendo as nossas portas.

  3. luiz
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 16:46 hs

    Esse é o amiguinho do LULA.
    Cruiz Credo.

  4. quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 18:03 hs

    Igual ao Requiao, ate quando vamos ter que aguentar esta tipo hipocrita?

  5. Capitão Nascimento
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 18:07 hs

    Este é o modelo de governo que o reiquejão, a dilma e a PTzada em geral adoram. Pura ditadura de esquerda. E antes que eu me esqueça, as ditaduras de direita eles não gostam. Só as de esquerda, porque assim eles prendem, arrebentam e usufruem.

  6. quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 18:16 hs

    Chavez é uma Dilma da vida….esconde as falcatruas, passado e ignorância

  7. Teo
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 18:20 hs

    Assim igual Chaves na Venezuela, vai ficar o Brasil se a Dilma ganhar as eleições, censura previa, falta de liberdade, invasões de terras e guerrilha urbana e aumento do trafico de drogas e escalada de violência social! Não quero isso para o nosso Brasil!
    Vou de Jose Serra!!!!!

  8. SENSITIVEL
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 18:46 hs

    ESSE É O BRASIL QUE TEREMOS!
    AGUARDEM. A COMPANHEIRA DILMA FARÁ A PARTE TRANSITÓRIA.
    DENTRO DE 5 ANOS JÁ ESTAREMOS COMO A VENEZUELA.
    QUEM SOBREVIVER VERÁ E SENTIRÁ A GRANDE MUDANÇA.

  9. Dilma
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 19:10 hs

    seguirei os passos dele!

    Viva o Foro de São Paulo

  10. antonio carlos
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 19:47 hs

    Lá como cá, nos tempos do Chavez paranaense só faltou isto, a censura aos jornais. O chavito nativo chamava toda a imprensa toda de canalha, imagine se ele fosse eleito presidente como pensou. Estavamos todos roubados. ACarlos

  11. quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 20:03 hs

    É ISSO QUE ME DÁ MEDO EM UMA CONTINUAÇÃO DE MANDATO;;;;;

  12. SOLANGE LOPES
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 21:45 hs

    Existe um vídeo no youtube em que aparece o Chavez referindo-se à candidata do PT como ¨companheira Dilma¨. Quem se junta se parece.

  13. Austragésilo Penaforte
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 22:11 hs

    O que ‘vulnera a integridade psíquica e moral das crianças’ é o festival de barbaridades perpetradas por esse senhor – que muitos chamam de tresloucado – que atende pelo nome de Chàvez.
    O povo venezuelano pagará um altíssimo preço para sair do buraco em que se meteram. Quem sabe, precisarão de uma ou duas gerações para sair do atraso que o atual governo lhes impôs e impõe todos os dias.
    Isso sim coloca em risco a futura geração da Venezuela.
    Lembrando que a Justiça do país está atrelada ao próprio Chàvez.

  14. ALEMÃO
    quarta-feira, 18 de agosto de 2010 – 22:59 hs

    O futuro do Brasil aí gente. A bandida, ladra e sequestradora já tem todods os pré requisitospara instalar um regime igual por aqui.Aliás, foi por um regime assim que ela pegou nas armas, e não para lutar contra a ditadura. O que ela queria era implantar o socialismo, mas para isso tinha que derrubar a ditadura e não dar chance para a democracia. Tudo que falam dela na campanha sobre a luta aramada é mentira, assim como é mentira a formação superior que ela diz ter.E o povo burro acredita….

  15. HENRY
    quinta-feira, 19 de agosto de 2010 – 11:48 hs

    É O QUE OS ELEITORES MENOS ESCLARECIDOS, PARA NÃO DIZER OUTRA COISA, ESTÃO QUERENDO FAZER NO BRASIL COM A ELEIÇÃO DE UMA QUADRILHEIRA ASSALTANTE DE BANCOS DA TURMA DOS MENSALEIROS. AGUARDEM E VERÃO O QUE SERÁ O FUTURO (?) DESSA NAÇÃO CHAMADA BRASIL. E ESSA É A CANDIDATA A PRESIDENTE DO SENADOR OSMAR “indeciso” DIAS.

  16. DON QUIXOTE
    quinta-feira, 19 de agosto de 2010 – 21:46 hs

    É esse o modelo do novo socialismo da américa latrina ?
    Stalin deve estar feliz.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*