"Só Deus vai me tirar da vida pública", diz Maluf | Fábio Campana

“Só Deus vai me tirar da vida pública”, diz Maluf

De Márcio Neves para a Folha

A Procuradoria Eleitoral de São Paulo vai impugnar o pedido de registro de candidatura do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) com base na Lei da Ficha Limpa. Apesar disso, o político afirmou nesta terça-feira que “só Deus” o tiraria da vida pública e que “ninguém tem a ficha mais limpa” que ele próprio.

“Como impugnar algum candidato que não tem condenação?” É o que questiona Maluf no vídeo a seguir.

O principal fundamento para considerar Maluf “ficha-suja” é a condenação do deputado pela suposta participação em um esquema para superfaturar uma compra de frangos da Prefeitura de São Paulo. O ex-prefeito da capital foi condenado pelo TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo em abril deste ano.

A definição sobre a impugnação da candidatura ocorreu ontem, após o TJ rejeitar um recurso de Maluf contra a condenação nesse caso.

Além dessa punição, a Procuradoria está buscando outros processos nos quais Maluf é parte, inclusive na Justiça Eleitoral, para tornar ainda mais robusta a impugnação contra o congressista.

O prazo para apresentar a ação contra a candidatura de Maluf termina amanhã.

A impugnação será julgada pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, que tem até o dia 5 de agosto para decidir o caso. Se a ação for julgada procedente, ele ainda poderá recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ao STF (Supremo Tribunal Federal). Leia mais sobre o caso.


6 comentários

  1. CLOVIS PENA - tadinho !
    quarta-feira, 28 de julho de 2010 – 5:30 hs

    Maluf é engraçado e tem muita habilidade para falar de crimes como se fossem coisas banais, criadas pela maldosa oposição.
    Faz com que o vejam como vítima, parecendo perseguido por invejosos. Um fantástico malabarista, que salva-se no perfil do bom cidadão, com carismático perfil do “sou, mas quem não é ?”.
    Pena que desta cena toda passe desapercebido que o passaporte de Maluf para a política, continua válido com o aval da impunidade.

  2. anonimo
    quarta-feira, 28 de julho de 2010 – 8:35 hs

    já pensou se fosse um pais sério nao terria candidato em 2010., todos ficha limpa., guanto a moral nao sabemos., SÒ GENTE BOA mais a ficha é limpa., dirceu josé sarnei rosiane sarnei ,tres dias direto nao dá escrever os nomes dos artistas,.se nao deixerem eles concorrer ficam bravos., ficha limpa term muito nao muita moral ,,carater de ser um ser humano, onesto., segundo as reportagems,os jornais a tv., mostra… o maluf tem a ficha mais limpa do pais.

  3. Eleição 2010
    quarta-feira, 28 de julho de 2010 – 8:55 hs

    ÉÉÉÉ o pau do galinheiro lá em casa também é limpinho que nem a ficha do Ilustre aí em cima!
    Pô, estão de brincadeiro o Povão!
    Já deviam ter cassado essa turma.
    Vamos votar em gente nova na Política!
    O Paraná precisa, o Paraná quer MUDAR.
    Não esqueçam;
    “DEPUTADOS E FRALDAS, DEVEM SER TROCADOS FREQUENTEMENTE PELAS MESMAS RAZÕES!”
    E tenho dito!!!

  4. PEDRÃO DE REALEZA
    quarta-feira, 28 de julho de 2010 – 9:29 hs

    É repugnante ver um ex-prefeito, ex-governador afrontar a legislação eleitoral. Esse é o nosso país, mais um que quer continuar em Brasília, para ter imunidade parlamentar.Como diz o BORYS CASOY, é uma ‘vergonha’.

  5. Jacarezinho
    quarta-feira, 28 de julho de 2010 – 11:17 hs

    Não me conformo: Malluf solto e Fernandinho Beira-Mar na cadeia.

  6. Jotaerre
    terça-feira, 14 de dezembro de 2010 – 16:55 hs

    Somos órfãos de Poder Judiciário no Brasil. Nós, eleitores é que devemos e podemos fazer a limpeza política do nosso país. Foi dado o início (pequeno ainda) dessa limpeza com a não reeleição dos seguintes parlamentares: Arthur Virgílio, Tasso Jereissati, Marco Maciel, José Carlos Aleluia, César Maia e José Genoíno. O importante é darmos prosseguimento a esse processo e esquecermos de vez o Judiciário, pois, ele é inoperante. Conseguir que o voto SEJA FACULTALTIVO, também é de suma importância. Essa idéia de voto obrigatório partiu de políticos desqualificados que almejam ganhar voto a qualquer custo, principalmente dos menos esclarecidos. Aí sim, estaremos no caminho certo de uma democracia melhor. Abraços.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*