Ricardo Barros diz que educação no Paraná possui carências | Fábio Campana

Ricardo Barros diz que educação no Paraná possui carências

Ricardo Barros, candidato ao Senado, declarou que o Paraná precisa de ações para melhorar a educação. Segundo ele, apesar do Estado superar a meta do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o Ideb, deficiências no sistema educacional ainda existem. De acordo com Ricardo, dois educadores em sala de aula e ensino integral são propostas importantes para a área.

Ouça o audio:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Ou clique aqui para baixar o arquivo em formato mp3.


16 comentários

  1. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 18:56 hs

    Ele que pare de dizer obviedades e pense em soluções.
    Esse tipo de diagnóstico, até a “piazada do grupo faz”.

  2. Professor Antonio
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 19:07 hs

    Será que os projetos do Barros para Educação são os mesmos dos 8 anos de terror do governo LERNER…O grupo é o mesmo.Maiores detalhes com qualquer professor da Rede Estadual

  3. Anonimo
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 19:39 hs

    Ele tem razão… Maringá que o diga!!!

  4. quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 20:15 hs

    Tomara que essas açoes do candidato ao senado Ricardo Barros, não seja a de aplicar a ideia das “escolas cooperativas” criadas em sua gestão na prefeitura Municipio de Maringá, que foi intensamente combatida pelos professores e educadores da época. Uma forma disfarçada de privatizar a educação.

  5. Marcela
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 20:30 hs

    Um Politico de Visao. Tem mesmo q investir pesado na Educacao!

  6. Tuku Nare
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 20:39 hs

    1SO FALTA ELE DIZER QUE VAI IMPLANTAR OMODELO DE MARINGA NO RESTO DO PARANA. HAAAAAAAAAAAAA.

  7. Bicudo
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 22:50 hs

    Ok Ricardo, concordo contigo 2 educadores por sala e período integral , é uma grande proposta, arduamente defendida por Cristóvão buarque, por Osmar Dias.
    Agora me resposta caro candidato, foi isso que os senhores imprenderam em Maringá??? foi esta solução lá encontrada??? dentro do espírito neoliberal a qual os Senhores estão tão estreitamente ligados, qual a solução encontrada para os bens públicos??? lembram-se das festas quando se vendiam lotes de ações da Copel, da Sanepar, dos emprestimos e e facilidades dentrodo Banestado??? qual o custo dissomensal??? quantas escolas poderiam ter sido construidas, reformadas, melhoradas, ampliadas, quanto poderia ter sido dado em salários para os professores, para os funcionários públicos??? pense bem antes de prometer sem ao menos olhar para trás……….

  8. Yuri
    quinta-feira, 29 de julho de 2010 – 23:35 hs

    Ele esta usando o mesmo discurso que o Osmar Dias vem usando desde 2001, de ensino integral, e dois professores por sala de aula.

  9. Antônio Nunes
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 0:07 hs

    Dois professores por sala, é!? E quem paga? 99% dos municípios não aguenta mais pagar conta. E o Estado tá falido.
    De onde vem a grana?

  10. Professora Luciana
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 0:18 hs

    Sou Diretora de uma escola pública estadual na cidade de Curitiba e, nesta data, fui surpreendida por um telefonema da Chefe do NRE de Curitiba me convocando para comparecer ao comíssio do Osmar e Lula, no sábado e mais, que levasse pelo menos mais 10 funcionários e professores juntamente comigo. É isso. A educação do Paraná assim vai mal. Estou denunciando o caso a SEED por meio da Ouvidoria da Educação. Com a palavra o Ministério Público Estadual…
    Obrigada.

  11. Bete Gouveia
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 8:47 hs

    O fato é que em época de eleição todos falam o que você quer ouvir. Vão consertar a educação, a saúde, vão ser rigorosos no combate a corrupção, vão acabar com a insegurança da população, combater o tráfico, etc……..Se fosse verdade, já estaria tudo resolvido, pois fazem 500 eleições que eles dizem a mesma coisa. Política no Brasil é feita por razões pessoais, não para o coletivo, que seria a sua finalidade única. O sujeito é vereador e quer ser deputado, o deputado quer ser prefeito, o prefeito quer ser governador e assim vai. Normalmente passam os 4 anos do mandato, independente da função, “trabalhando” para ficar mais 4. É o tal financiamento público de campanha, que só existe para quem tem mandato. Portanto, o que o Ricardo Barros e os demais falam ou deixam de falar, pouco importa, até porque ele e seus assemelhados já tiveram oportunidade de por em prática tudo isso e nada fizeram. Vote em que nunca foi eleito para tentarmos experimentar novas alternativas.

  12. antonio francisco da silva
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 9:25 hs

    principalmente nas grandes cidades,como maringá onde ele (ricardo) e seus parantes manda a quase mil anos.

  13. Zé Venancio
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 9:40 hs

    Me desculpe o Barroso, mas de educação o governo atual entende! As propostas que o Barrosinho cita, nada mais são do que o trabalho que o governo atual implanta. Elas virão ao seu tempo, nada pode ser feito de supetão.
    O ensino integral envolve organização do trabalho pedagógico e administração escolar, projeto político pedagógico, responsabilidade da estrutura e funcionamento do NRE’s e SEED.
    Quanto a mais um professor em sala, devemos cuidar primeiro da valorização e capacitação dos que já estão aí.

  14. André
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 12:15 hs

    Fruit e Gleisi será os nossos senadores.

  15. Professor Antonio
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 22:32 hs

    Uma diretora que escreve “COMÍSSIO” com dois esses não vai fazer muita falta se não entrar na “CAMPANHA”

  16. sábado, 31 de julho de 2010 – 0:51 hs

    E a carência dele de caráter ninguém diz nada?????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*