Osmar propõe três frentes de combate ao crack | Fábio Campana

Osmar propõe três frentes de combate ao crack

Em campanha na Lapa nesta quarta-feira (28), na Lapa, Osmar Dias (PDT) detalhou seu plano de combate o crack no Paraná. O candidato ao governo garantiu enfrentamento total à droga em três frentes: repressão policial, prevenção nas escolas e recuperação de dependentes.

“Eu converso com professores e vejo que a preocupação chegou nas escolas. Estamos vivendo uma epidemia que, se não combatida, continuará a levar nossos filhos de suas famílias”, disse.

O senador candidato ao governo voltou a citar que 85% dos assassinatos no Estado tem relação direta com drogas, principalmente o crack. A intenção de Osmar é contratar mais policiais, construir novas casas de recuperação e um grande programa de prevenção nas escolas. “Já falei com muitos de nossos educadores e vamos levar em frente um belíssimo trabalho de prevenção das escolas”, garantiu.

Para recuperar os dependentes, será preciso abrir vagas em centros especializados de atenção, onde eles fiquem separados dos pacientes de outras doenças mentais. “Aqueles que não tem dinheiro para se tratar também devem ter oportunidade para retornar às suas famílias com liberdade”, disse Osmar.

Esperança – A coligação A União Faz Um Novo Amanhã, de Osmar Dias, reuniu cerca de 400 pessoas na Lapa, onde tem o apoio do prefeito Paulo Furiati (PMDB). “A cidade nunca teve tantas obras quanto nos últimos anos, devemos votar pela nossa gratidão àqueles que nos fizeram bem. A opção deve ser pela esperança e pela inteligência, para termos muito mais nos próximos anos”, defendeu o prefeito.

Osmar Dias também inaugurou na cidade mais um comitê eleitoral de campanha, em conjunto com os candidatos ao Senado Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) e o vice-prefeito Leandro Borges (PDT), que concorre a deputado estadual.

“Os grupos que disputaram a prefeitura há dois anos agora estão unidos pelo Osmar. Não podemos nos ater a divisões nos municípios esquecendo o futuro do Paraná”, defendeu Borges.


21 comentários

  1. Umbanda
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 0:56 hs

    morro de velho e não vejo tudo…

    chega nessas horas pré-eleição e ficam parecendo os mais comportadinhos moços que se preocupam com a sociedade.

    esquecem que, há poucos dias, estavam discutindo quantos milhões $$$ custaria o apoio deles ao PT para ter palanque aqui no PR.

    tenho nojo disso.

  2. ELEITOR
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 7:33 hs

    AUMENTAR O SALÁRIO PARA O POLICIAL NENHUM DELES QUER, SENDO QUE SERIA O PRIMEIRO PASSO PARA UMA MUDANÇA, POIS UM POLICIAL BEM PAGO COM CERTEZA IA TRABALHAR MOTIVADO COISA RARA HOJE NOS INSTITUIÇÕES POLICIAIS

  3. trabaiadô
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 7:34 hs

    aproveita e peça ao seu idolatrinado capo lula, agora no sábado, p/ ele pedir p/ seu amiguinho chaves parar de mandar seus produtos ,via farc,p/ o Brasil.

    rapaiz BOI DE BOTAS, VC COM SEUS QUADRILHEIROS NÃO FIZERAAM NADA P/ COMBATER O AUMENTO DAS DROGAS, E AGORA QUEREM POSAR DE SALVADOR.

    SE LIGUEM, SEUS MENTIROSOS, CORRUPTOS QUADRILHEIROS

    SERRA PRESIDENTE

    INDIO( AQUELE QUE DIZ A VERDADE) VICE PRESIDENTE

    BETO GOVERNADOR

  4. Luis Carlos Break
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 7:51 hs

    esta copiando de Beto Richa proposta enti-drogas. sera que o candidato não tem vergonha na cara não.

  5. Pier
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 7:53 hs

    Mas tendo como secretario de SEGURANCA o mesmo do governo de REQUIAO a tendencia e piorar mais ainda.

  6. Centro
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 8:20 hs

    Isto é nota de outro blog ams merece consideração:
    (http://jornale.com.br/zebeto/)

    A morte do escritor curitibano que atacou Zé Dirceu a bengaladas
    29 jul 2010 – 15:35
    O curitibano Yves Hublet ganhou destaque no Brasil no dia 29 de 2005 ao atacar a bengaladas o então deputado José Dirceu, que estava sendo processado por envolvimento no “mensalão”. Ele era escritor e morreu na segunda-feira (26) na capital federal em circunstâncias estranhas, segundo relato de seu editor e amigo Airo Zamoner, da editora Protexto. Hublet completou 72 anos em abril passado. Segundo o editor, depois do episódio da bengalada, o escritor enfrentou vários problemas no país e mudou-se para a Bélgica, pois tinha dupla cidadania. ”Voltou em maio último para Curitiba a fim de tratar de um livro a ser publicado por minha Editora e para tratar de papéis de um casamento anterior, pois pretendia se casar novamente na Europa”, revela Zamoner. Segundo este, para retornar à Bélgica Yves Hublet foi até Brasília. ”Ao descer do avião foi preso em Brasília e ficou incomunicável”, segundo o editor. No presídio teria adoecido e foi hospitalizado, sob escolta. “Alegou-se que estava com câncer. Ele teria falado com uma assistente social e passou o telefone de uma ex-namorada de Curitiba de nome Solange. Foi ela quem recebeu telefonema de Brasília comunicando o falecimento do Yves. O corpo dele foi cremado por lá”, informa o editor Zamoner. Yves Hublet escreveu livros infantis como “A Grande Guerra de Dona Baleia” e “Artes & Manhas do Mico-leão-dourado”, além de histórias em quadrinhos para a Editora Abril.

  7. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 8:47 hs

    A repressão policial começa com um policiamento fodido na fronteiras brasileiras – seca, aérea e fluvia, com o Paraguai e a Colombia que o governos brasileiro e o paranaense não tem peito prá fazer. Ou existe um acordo branco… sei lá, depois dessa denúncia serissima de mancomunação com a guerrilha.

  8. Mauro Fregonese
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 8:48 hs

    É culpa do hotel bourbon, que cobra R$ 75,00 a dose do Whisky Swing. Puro assalto!

  9. Zaroio
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 9:13 hs

    É…

    A Lapa está precisando mesmo que se combata o uso do crack!

    Mas…se em 8 anos o agora candidato a Senador não fez quase nada pela segurança pública do Estado, por que acreditar que seu novo “pupilo” fará…já que agora os dois senhores que há 4 anos se odiavam agora pregam as mesmas coisas?

    Não voto em políticos que têm desvios de personalidade!

  10. Duval Simões Araújo-Londrina
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 9:17 hs

    Mas a coligação Frankstein de Osmar Dias já comanda o Paraná há sete anos e o Brasil também por sete anos e a droga está tomando conta. Essa gente não tem competência para resolver nada. E o que Osmar Dias fala ninguém mais acredita. è o maior mentiroso da política paranaense. Só vive de política há anos.
    Quem tem projeto de realmente combater o Crime no país, principalmente o tráfico de drogas e de armas é Zé Serra com a criação do Ministério da Segurança Pública, trabalhando em conjunto com os Municípios e Estados para atacar o crime.
    E quem está com Serra no Paraná é Beto Richa.

  11. PEDRÃO DE REALEZA
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 9:34 hs

    Realmente, a questão das drogas é muito sério e grave. E para enfrentar este problema, além do Estado, tem que ter o envolvimento da sociedade. Ninguém resolve sózinho isso. Pois é talvez o mal do século no Brasil e no mundo,.Seria interessante todos os candidatos se manifestarem de como enfrentar isso.

  12. Piá Curitibano
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 9:41 hs

    Também, no mesmo tema, Droga, seria oportuno ele antecipar qual será sua postura com relação aos Trangênicos da Monsanto.

  13. sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 10:00 hs

    Aprendeu com lulla a fazer promessas e mais promessas, sendo a maioria insustentável.

  14. Nortão
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 10:04 hs

    Agora que o craque tomou conta estes políticos que pensa apenas no seu umbigo ve abordar este assunto. Este Senhor e provável Ex Senador nunca fez nada para amenizar isto. Boa aposentadoria Osmar Noites.

  15. Rubens Tavares
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 10:56 hs

    mais uma vez nada de novidade no combate as “drogas” propostas vazias e assentadas na mesmice de sempre, aumenta-se o quadro de policiais, as escolas como sempre e os educadores mais uma vez assumem papéis que deveria ser do Estado e os que se propõem a representá-lo, reproduz a lógica brasileira contra a violência, as drogas, contrata-se mais policiais, aumenta-se a vigilância e a punição. Infelizmente o candidato segue o mesmo caminho de sempre e poderia propor medidas socio educativas, o combate a sociedade de consumo e seus inúmeros artificios de sedução, os privilégios de classe, cor, de saber, que tanto mantém o velho discurso “sabe com que fala” a lentidão da justiça quando trata-se de punir esse mesmos priveligiados e rápida na punição dos menos favorecidos, a alteração da situação do campo, a terra sendo um bem produtivo e não meramente economico como o agronegocio, a resdistribuição de terras, de créditos, de acesso a informação a realmente a quem necessita. um novo olhar sobre a juventude e seus problemas, falta de empregos, de espaços de lazer, de boas escolas, de serem incentivados a participarem nos destinos de seu país……… mas segue-se o velho modelo que garante votos e o que é mais ironico com o aval do Partido dos Trabalhadores, que também segue na mesma direção do discurso fácil e de propostas que agradam tanto “aos gregos e aos troianos”………. sem rupturas com a ordem vigente do velho e bom capitalismo atrasado brasileiro, que é sempre bom lembrar que somos depois do Haiti, Bolivia, o terceiro país mais injusto das américas………………………

  16. Hernani Moura_Londrina
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 11:53 hs

    Se nosso governo é simpatizante de uma organização terrorista (FARC) que é financiada pelos quartéis da droga na América do Sul como será que eles pensam em acabar com a droga no país? Algum sábio teria a resposta?

  17. henrique
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 12:17 hs

    EU PROPONHO QUATRO FRENTES PARA ACABAR COM OS PERNAS DE PAU DA POLITICA PARANAENSE.A PROPÓSITO O BETO TÁ BATENDO UM BOLÃO,FAZENDO GOLS DE LETRA E CORRENDO PARA A GALÉRA,SINTA INVEJA OSMAR VOÇE É UM TREMENDO PERNA DE PAU´, E PÉ FRIO TAMBÉM.

  18. Ed
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 12:55 hs

    Será que agora que o Osmar está mancomunado com o PT e falando em combater o uso de drogas, o PT não vai mais pedir a liberação da maconha, como seus políticos sempre defendem? Será que os Sem-terra não vão mais invadir propriedades e empresas que defendem os transgênicos? Agora o Osmar não defende mais os transgênicos? Ou tudo agora ficou em paz só para dar um palanque para a Dilma? Agricultores acordem!

  19. Da Poltrona
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 14:38 hs

    Sim, uma proposta séria e efetiva nesse tema não é para ser desprezada, mas enquanto não se atentar para a “especificidade do crack”, qual seja, avassalador poder viciante, baixíssimo custo, altíssimo lucro, facílimo comercio varejista e massa de reposição de clientela a dar com o pé (neste país de tributação exorbitante, juros escorchantes, corrupção política monstruosa, fronteiras abertas ao tráfico de armas e drogas, educação geral precária e desemprego e falta de qualificação e oportunidades à juventude) e não se alterar o tratamento repressivo e legal a ser dado ao traficante, ao produtor e ao financiador do crack será cavar na areia.

  20. ... e agora José
    sexta-feira, 30 de julho de 2010 – 16:11 hs

    A informação está errada. Os crimes cometidos por envolvimento com drogas, especialmente o crack chega a 98%. O candidato Osmar e sua companheira Dilma, estão por fora; também pudera, ambos descobriram, há poucos dias ,que o Brasil está assolado pela DROGA.

  21. Carlos Zatti
    sexta-feira, 6 de agosto de 2010 – 22:11 hs

    Escritor IVEZ HUBLET morre em Brasília, de forma estranha, após ser preso
    incomunicável.

    Amigos,

    Em maio deste ano, esteve no Brasil para assuntos particulares tendo,
    inclusive, estado em Curitiba quando me telefonou para me cumprimentar.
    Disse estar contratando a Editora Protexto, do escritor Airo Zamoner, para a
    edição de mais uma obra.

    Antes de retornar à Bélgica, passou por Brasília e, ao desembarcar, foi
    preso, incomunicável, não tendo sequer o direito de contatar advogado ou
    amigos.

    Adoeceu no cárcere e foi levado a um hospital onde acabou falecendo.

    Apenas esta semana, vazou a morte deste escritor paranaense, que ficou
    revestida do mais absoluto silêncio dentro dos órgãos governamentais, ao
    molde dos piores anos que esta Pátria teve. Será que estamos voltando aos
    porões de uma ditadura?

    Se a informação for verídica, tempos negros envolvem a capenga democracia e
    os mais elementares direitos humanos.

    “Pátria amada, salve, salve!”

    Carlos Zatti – Escritor

    Membro do IHGPR e do CTG Porteira Aberta

    ———————————————————-

    A
    morte do escritor curitibano que atacou Zé
    Dirceu a bengaladas

    29 jul 2010 – 15:35

    O curitibano Yves Hublet ganhou destaque no Brasil no dia 29 de 2005 ao
    atacar a bengaladas o então deputado José Dirceu, que estava sendo
    processado por envolvimento no “mensalão”. Ele era escritor e morreu na
    segunda-feira (26) na capital federal em circunstâncias estranhas, segundo
    relato de seu editor e amigo Airo Zamoner, da editora Protexto. Hublet
    completou 72 anos em abril passado. Segundo o editor, depois do episódio da
    bengalada, o escritor enfrentou vários problemas no país e mudou-se para a
    Bélgica, pois tinha dupla cidadania. “Voltou em maio último para Curitiba a
    fim de tratar de um livro a ser publicado por minha Editora e para tratar de
    papéis de um casamento anterior, pois pretendia se casar novamente na
    Europa”, revela Zamoner. Segundo este, para retornar à Bélgica Yves Hublet
    foi até Brasília. “Ao descer do avião foi preso em Brasília e ficou
    incomunicável”, segundo o editor. No presídio teria adoecido e foi
    hospitalizado, sob escolta. “Alegou-se que estava com câncer. Ele teria
    falado com uma assistente social e passou o telefone de uma ex-namorada de
    Curitiba de nome Solange. Foi ela quem recebeu telefonema de Brasília
    comunicando o falecimento do Yves. O corpo dele foi cremado por lá”, informa
    o editor Zamoner. Yves Hublet escreveu livros infantis como “A Grande Guerra
    de Dona Baleia” e “Artes & Manhas do Mico-leão-dourado”, além de histórias
    em quadrinhos para a Editora Abril.
    ——————————-
    A “Imprensa Canalha” como diz o Requião, de Curitiba, se nega a noticiar a morte do esfritor.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*