Executivo tem R$ 2,5 bi livres para gastar | Fábio Campana

Executivo tem R$ 2,5 bi livres para gastar

Apesar da receita menor, governo libera verba com o intuito de incrementar a candidatura de Dilma Rousseff

Gabriel Caprioli do Correio Braziliense

Com o aval do presidente Lula, o Ministério do Planejamento ampliou ontem os limites para a gastança com o objetivo de incrementar a candidatura da petista Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto.

Ao fazer mais uma reavaliação bimestral de receitas e despesas do Orçamento da União, a Pasta comandada por Paulo Bernardo anunciou a liberação de R$ 2,5 bilhões, que poderão ser gastos livremente pelo Executivo. Ou seja, são verbas sem qualquer tipo de carimbo, ou recursos não obrigatórios, como gostam de falar os técnicos.


Com essa liberação às vésperas das eleições presidenciais, o governo começou a desmontar o contingenciamento de cerca de R$ 29 bilhões feito nas duas reavaliações anteriores do Orçamento. Esse bloqueio de verbas teve o claro objetivo de tentar calar os críticos da ânsia do Executivo em ampliar as despesas. Era grande o questionamento dos analistas quanto à capacidade do setor público de fechar o ano com economia de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) para o pagamento de juros da dívida.

Segundo o Planejamento, a ampliação dos gastos foi possível devido ao aumento da previsão de crescimento econômico do país em 2010, de 5,5% para 6,5%, projeção ainda inferior à do Banco Central, que estima expansão de 7,3%. O percentual do Planejamento também é menor do que a estimativa feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que acredita em alta entre 6,5% e 7% do PIB. Quer dizer: em setembro, quando refizer mais uma vez as contas, o governo poder abrir novamente os cofres ainda com apelo eleitoral.

A nova projeção para o PIB permitiu o desbloqueio dos R$ 2,5 bilhões mesmo considerando uma receita menor. Na revisão, o governo reduziu em R$ 195 milhões — de R$ 637,1 bilhões para R$ 636,9 bilhões — a expectativa de recolhimento de impostos e contribuições. Outro fator que permitiu a ampliação do caixa do Executivo foi a redução em mais de R$ 1,6 bilhão das transferências federais para estados e municípios. A previsão para o deficit da Previdência Social, por sua vez, caiu em R$ 1,5 bilhão, também ampliando a folga para novas despesas.

Facilidades
Com as novas projeções de crescimento econômico, o governo terá que poupar mais em valores absolutos para pagar juros da dívida pública. O superavit primário ficará R$ 806,7 milhões maior para se chegar aos 3,3% do PIB, mas parte dessa quantia poderá ser compensada pelas despesas obrigatórias, pois a estimativa de gasto nessa rubrica diminuiu em R$ 300 milhões.


5 comentários

  1. anonimo pcps
    quarta-feira, 21 de julho de 2010 – 11:11 hs

    vao dá até o patrimonio publico se for preciso, mais o lula quer socar essa mulher de gualquer jeito na presidencia,,,,,o povo tem que acordar.,enguanto pode,nao tem bom., mais sou mais JOSÈ SERRA E BETO RICHA, dinheiro aparece de todo lado na cueca na bolsa,o memsaleiros,. vamos mudar,com serra e beto…………

  2. Duval Simões Araújo-Londrina
    quarta-feira, 21 de julho de 2010 – 11:31 hs

    Enquanto isso municípios atingidos por catástrofes no Paraná (enchentes e seca do ano passado) nada receberam do governo petista de Paulo Bernardo. Só vai para o Rio e Nordeste, que votam na muié do lula. Faltam menos de seis meses para nos vermos livres dessa gente em Brasília.

  3. Marcos Pop
    quarta-feira, 21 de julho de 2010 – 12:05 hs

    Pois é são 41 milhões a mais em publicidade que a lei permite em ano eleitoral. É dinheiro distribuído 3 meses antes da eleição. E a Justiça Eleitoral não faz nada nesse país. Estamos vivendo um ditadura sindical disfarçada de democracia, pois o processo eleitoral está sendo viciado.
    Imprensa que hoje se cala por dinheiro. Amanhã será calada pela censura. Estamos no mesmo caminho da Venezuela. E a Justiça, ameaçada por Lula, se cala.

  4. Vanessa
    quarta-feira, 21 de julho de 2010 – 13:23 hs

    Vergonha!! Ao invés de gastar indiscriminadamente deveriam investir. Crescimento que se preze tem no mínimo 2 dígitos.
    Já na campanha a Dilma da provas de que é da corrupção. Xô Dilma!!! Xô Gleisi!!!!!

  5. ALEMÃO
    quinta-feira, 22 de julho de 2010 – 20:48 hs

    Pois é, assim se usa a maquina pública, desavergonhadamente e nos chamando de otários.Pior é a justiça eleitoral que não faz nada e nem os procuradores querem fazer alguma coisa.
    VERGONHA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*