Bolsa Família: 431 mil alunos tem 'excesso' de faltas | Fábio Campana

Bolsa Família: 431 mil alunos tem ‘excesso’ de faltas

19,4 mil benefícios foram cancelados neste mês de julho

Do Josias de Souza

Levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social revela que 431.698 crianças e adolescentes de famílias atendidas pelo Bolsa Família tiveram baixa freqüência escolar no bimestre abril-maio.

Há duas faixas de alunos. Na primeira, estão acomodadas as crianças de 6 a 15 anos. Nesse nicho 353.216 alunos tiveram um índice de faltas superior a 15% no bimestre.

Na segunda faixa, que inclui alunos de 16 e 17 anos, 78.482 estudantes faltaram a mais de 25% das aulas nos meses de abril e maio.

O excesso de faltas resultou no cancelamento, parcial ou total, de 19.473 benefícios. Deixarão de ser pagos já a partir deste mês de julho.

A escala de punições do programa é gradativa. Inclui advertência às famílias, bloqueio e suspensão dos pagamentos, até chegar ao cancelamento dos benefícios.

No caso das crianças com idade de até 15 anos, chega-se ao cancelamento quando a meta mínima de presença em sala de aula (85%) é descumprida por cinco bimestres consecutivos. Em julho, perderam o benefício 13.618 mil famílias desse grupo.

Na faixa de 16 a 17 anos, os pagamentos são cancelados quando o índice mínimo de presença (75%) é desrespeitado por três bimestres seguidos. Encontram-se nessa situação os filhos de 5.855 famílias.

A diferença é que, nos casos em que o excesso de faltas envolve os alunos mais velhos, as famílias perdem apenas o pedaço da bolsa relativa à educação dos filhos –R$ 33 quando há um matriculado na escola; R$ 66 quando há dois.

Nas famílias com alunos de até 15 anos, a reiteração das faltas leva à perda total do benefício. Os de valor mais alto chegam a R$ 200 por mês.

O controle de presença escolar é feito pelo governo federal, em parceria com as prefeituras. No bimestre abril-maio, o monitoramento cobriu 83% dos alunos mais novos. Entre os de idade mais avançada, a taxa de aferição foi de 76%.

Hoje, os alunos do programa são contados em 17,2 milhões. Desse total, 15,7 milhões tem até 15 anos. E 1,5 milhão está faixa que reúne os de 16 e 17 anos.

No primeiro grupo, a baixa freqüência escolar afeta 2,69% das crianças. No segundo, o fenômeno tisna a ficha escolar de 6,78% dos alunos.


12 comentários

  1. salete cesconeto de arruda
    sábado, 17 de julho de 2010 – 12:04 hs

    Os políticos tem muito mais FALTAS e ninguém lhes tira a bolsa – Fábio!
    Que cada municipio acompanhe seus alunos.
    Só isso.

  2. Parreiras Rodrigues
    sábado, 17 de julho de 2010 – 12:38 hs

    Bolsa Família deveria ter prazo de validade. Um, dois anos, prá família conseguir o próprio sustento, molecada na escola. Senão, o surgimento de uma geração de parasitas, de ociosos. Do jeito que ai está, trata-se duma retrógrada ferramenta de cabresteamento eleitoral. Dai, a popularidade deste governo. Na outra ponta, nunca em tempo algum, se roubou tanto e tão impunemente como nesta desadministração. Lembro de que perguntando a uma mulher porque ela suportava o marido infiel e violento, a resposta: “Ele me dá o dicumê”.

  3. RST
    sábado, 17 de julho de 2010 – 12:47 hs

    Obrigado, Sr Josias de Souza, é tão dificil prá voces jornalistas tucanos, publicarem uma informação isenta e instrutiva como esta? Eu por exemplo desconhecia as regras e cobranças do Bolsa-Familia, espero que o Sr publique outras informações destas e não tão tendenciosas, como a que foi publicada acima sobre o ” discurso do Lula, ontem”.
    Calculo rápido: Se são 11 milhões de familias que recebem o Bolsa-Familia, supondo-se que cada uma tenha 2 filhos na escola, serão 22 milhoes de crianças na escola, se 350.000 faltam as aulas,serão menos de 2,5% de crianças faltosas o que não me parece muito em relação ao total de crianças que frequentam a escola graças ao bolsa-familia.

  4. FILET MIGNON
    sábado, 17 de julho de 2010 – 13:00 hs

    Pois é!…
    Neste País criam-se programas, distribui-se dinheiro sem no entanto cobrarem efetivamente contra-partida dos beneficiados.
    Se um funcionário público tiver mais que cinco faltas em um período, não goza do direito da Licença especial, o que é PWERFEITAMENTE CORRETO!.
    Da-se bolsas família, vale gas, luz fraterna, água social a uma parcela da população com o dinheirio daqueles ao produzirem, pagam seus impostos… Qual a contra-partida?
    Existe de fato e de direito algum progra responsa´vela pela realocação esses beneficiados à força do trabalho?
    O Governo distribui recursos aos estados e municípios para esse e aquele programa, quer seja social ou de saúde… Cobra-se resultados?
    No caso do Bolsa Escola, à partir da terceira falta sem justificativa, cortar-se-ia o benefício.
    No caso de dinheiro dirigido aos Programas de municípios e aos estados, metas de cumprimento dos objetivos, estabelecidas na assinatura do convenio, em não seno cumpridas rigorosamente as etapas, cortar-se -ia os recursos imediatamente…
    Não existem projetos sustentáveis apresentados por municípios…
    A distribuição de recursos da-se de forma político-eleitoreira.
    O cargos de gestão dos estados e municípios são preenchidos ao rigor da escolha UNICAMENTE POLÍTICA, sem qualquer zelo pela qualidade técnica-profissional, portanto, como se pode esperar resultados?
    É UMA VERGONHA!
    É UM DESCALABRO COM O DINHEIRO PÚBLICO!
    VERGONHEIRA PURA!

  5. Teodoro
    sábado, 17 de julho de 2010 – 13:57 hs

    Dão o peixe e não ensinam a pescar!
    Querem ficar com as pessoas reféns das bolsas!
    Usam politicamente todos os benefícios que são feitos com dinheiro público!
    Isso tem que ter forma educacional de ser dado, e regras claras tem que nortear esse assistencialismo, que deve ser provisório e não definitivo!

  6. SOLANGE LOPES
    sábado, 17 de julho de 2010 – 14:20 hs

    No nordeste, as meninas de 12, 13, anos estão engravidando propositalmente para receber os benefícios do bolsa família (esmola).

  7. sábado, 17 de julho de 2010 – 14:34 hs

    Ser popular como o Lula, com o dinheiro gasto atoa com estas bolças em busca de votos, ate eu o Jeca Tatu do mato

  8. Reinoldo Hey
    sábado, 17 de julho de 2010 – 19:19 hs

    Meu testemunho: sou professor em Fazenda Rio Grande e há pais que só matriculam os bacuris para pegar o Salário Família. Os piás nem comparecem , pois estão a serviço do tráfico de drogas. Digo pais, mas na verdade são mães e avós, pois pais mesmo …
    Temos um débil mental como prefeito, um sujeito que nem mesmo conseguiu fazer crescer a própria loja de materiais de construção na cidade que mais cresce em termos populacionais no BRASIL.
    Os alunos erram o próprio nome na prova. O tal de chico santos paga quinhentos reais para professor…Conclusão: só tem pangaré!
    Até quando eu vou ter que ensinar alunos da prefeitura a assimar o próprio nome e , enfim, passar para a série seguinte, hein seu xico çantos ?
    Lula, chega de esmola, o povo quer trabalhart, afinal ninguém teve a sorte de indenizar ujma empresa e chegar ao poder por ter perdido um dedo num trabalho que até hoje ninguém provou quew teve.
    Chega de ABC… O Brasil merece d, e, f, g…

  9. salete cesconeto de arruda
    domingo, 18 de julho de 2010 – 13:30 hs

    E O SERRA VAI AUMENTAR em 50% O BOLSA FAMILIA.

  10. PROFESSOR DO INTERIOR
    domingo, 18 de julho de 2010 – 16:21 hs

    Conforme a LDB Nº9.394/96, é exigida a freqüência mínima de 75% do total de horas letivas para aprovação.
    Ou seja, os alunos com mais de 25% de faltas já estão REPROVADOS! ISSO LÁ É EDUCAÇÃO?

    CHEGA DE POLITICAGEM ÀS CUSTAS DO CONTRIBUINTE, QUE TRABALHA O ANO TODO E ENTREGA DOIS MESES DE SALÁRIO PARA O GOVERNO!

    PERGUNTEM PARA AS FAMÍLIAS QUE RECEBEM A BOLSA FAMÍLIA SE ELAS PREFEREM TRABALHAR OU CONTINUAR COM O BENEFÍCIO…???!!!

  11. ELEITOR
    domingo, 18 de julho de 2010 – 16:34 hs

    O BOLSA FAMÍLIA DEVERIA SER UM AUXÍLIO TEMPORÁRIO, ATÉ QUE O TRABALHADOR CONSIGA UM EMPREGO…
    MAS NÃO TEMOS MÃO DE OBRA QUALIFICADA PELAS PÉSSIMAS CONDIÇÕES EDUCACIONAIS.
    SE HOJE VIVEMOS ESSE CAOS NA EDUCAÇÃO, IMAGINEM DAQUI A ALGUNS ANOS, QUANDO COLHERMOS O RESULTADO DO “BOLSA FAMÍLIA” .

  12. anonima
    quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – 12:56 hs

    bolsa familia nao deveria existir jamais, é um absurdo os pais tirarem lucros em cima dos filhos desta forma, estudo tem que ser no minimo uma obrigacao. e o pai que nao cumprir essa obrigacao, devera ser punido pelo estado. ai queria ver se a educacao nao iria funcionar. nao tem nada que virar gigolo do estado, vai cuidar dos filhos que vc colocou no mundo. senao sera penalisado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*