PSDB cogita 'desconstruir' Dilma em programa de TV | Fábio Campana

PSDB cogita ‘desconstruir’ Dilma
em programa de TV

Do Blog do Josias de Souza

A cúpula do PSDB amadurece a ideia de usar um pedaço do programa que levará ao ar em 27 de junho para “desconstruir” o currículo de Dilma Rousseff.

O tema vem sendo debatido em reuniões de dirigentes tucanos com o jornalista Luiz Gonzalez, responsável pelo marketing da campanha de José Serra.

Nesses encontros, concluiu-se que, além de exibir Serra, a oposição precisa expor o que chama de “fragilidades” da rival Dilma.

Na prática, o PSDB cogita servir ao telespectador uma espécie de “antídoto” contra o programa que o PT veiculou no mês passado.

Nessa peça petista, Dilma foi apresentada como grande gerente, responsável pelos principais programas do governo Lula.

Falou-se também do passado militante da candidata. Para edulcorar a biografia de sua pupila, Lula chegou a compará-la a Nelson Mandela.

Atribui-se à superexposição que o PT proporcionou a Dilma a subida dela nas pesquisas. Está, hoje, empatada com Serra em 37%, segundo Datafolha e Ibope.

Assim como o PT, o PSDB terá dez minutos de rádio e TV. Rede nacional, entre o telejornal e a novela.

Uma parte do programa tucano será usada para propagandear Serra. Se prevalecer a tese em debate, o outro naco servirá para tratar de Dilma.

A ideia é a de promover, desde logo, um cotejo de biografias. De um lado, um Serra experiente –ex-governador, ex-prefeito, ex-ministro, ex-parlamentar.

Do outro, uma Dilma com pouca experiência administrativa. Nesse trecho, seria martelada a tese de que, sob Lula, os programas confiados a Dilma não andaram.

Entre eles o PAC, em cuja execução o tucanto enxerga problemas de gerência que levaram o programa a caminhar a a passos mais lentos do que alardeia o governo.

Discute-se também a proposta de demonstrar que a propaganda petista turbinou a trajetória de Dilma, falseando-a.

Por exemplo: Na peça do PT, Lula disse que foi Dilma quem idealizou o programa Luz para Todos. Uma inverdade, sustenta o PSDB.

Disse Lula na TV: “Uma das coisas que me impressionaram foi o dia em que Dilma entrou na minha sala me propondo a ideia do Luz pra Todos”.

Na versão do tucanato, dá-se com esse programa algo semelhante ao que ocorreu com o Bolsa Família. Trata-se de uma variante de iniciativa adotada pelo PSDB.

Pretende-se demonstrar que o Luz para Todos já existia sob FHC. Chamava-se Luz no Campo. Previa a universalização do fornecimento de energia até 2015.

Na gestão Lula, o programa mudou de nome, as metas foram antecipadas e o orçamento foi vitaminado.

No final do mês passado foi ao ar o programa do DEM. Serra ocupou 75% do tempo. Mas não se falou de Dilma.

Nesta quinta (10), será exibida a peça do PPS, outra legenda associada a Serra. Mas, nesse caso, a produção não foi confiada a Gonzalez.

“A gente resolveu fazer o programa do nosso partido”, disse ao blog Roberto Freire, presidente do PPS.

“O Serra vai aparecer como participante da reunião que realizamos em 21 e 22 de maio. Tem a imagem do Serra recebendo um documento nosso…”

“…Vamos dizer que estamos entregando contribuições ao programa do nosso candidato, que consideramos o mais preparado”.

Freire acrescenta: “Vamos fazer a crítica ao governo, como sempre fizemos. Mas não vamos incorrer no mesmo crime de Lula, entregando o programa a Serra…”

“…Estamos criticando o presidente pela desfaçatez com que desrespeita a lei eleitoral, desmoralizando as instituições. E queremos continuar fazendo a crítica”.

No mais, haverá o programa do PTB, no dia 24. Roberto Jefferson, presidente da legenda, já deu uma ideia de como será a propaganda.

Entregou a Gonzalez, o marqueteiro de Serra, cerca de oito dos dez minutos a que o PTB tem direito. O candidato irá à convenção do partido, em 19 de junho.

Segundo Jefferson, essas imagens serãoaproveitadas no programa. Resta saber se o PTB também cederá parte de sua inserção para a “desconstrução” de Dilma.


35 comentários

  1. Ed
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 15:04 hs

    José Serra e turma, não façam isso, pois é uma besteira! Passe o material para um partido nanico, para que o mesmo o faça.

  2. CWB
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 15:13 hs

    e era o pt que estava fazendo dossiê??????

  3. trabaiadô
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 15:19 hs

    está certo. O Brasil tem o direito de saber o passado sujo e violento dessa meretrizzzzzzz do planalto, que o etilico e mentiroso presimente quer instalar definitivamente lá.

    Serra p/ presidente já..

  4. Carlos
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 15:20 hs

    O desespero bateu para o lado do Serra e os demais aliados.
    O Lula não tinha experiência adminsitrativa e mesmo asim tirou o Brasil do fundo do poço em que estava e hoje o povo esta contente, a Dilma pode não ter experiência administrativa mas com certeza é mais competente do que o Serra e cia.

  5. CAÇADOR DE PETISTAS
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 15:33 hs

    Que tal mostrar a verdadeira história de Dilma. A sociedade brasileira, precisa saber e a imprensa tem a obrigação de mostrar.

    DILMA / ESTELA – O CÉREBRO DO ROUBO DO COFRE

    REPORTAGEM DE LUÍS HENRIQUE AMARAL

    Com passado pouco conhecido,
    a ministra envolveu-se em ações
    espetaculares da guerrilha

    A ficha nos arquivos militares de Dilma Rousseff, hoje ministra das Minas e Energia: só em 1969, ela organizou três ações de roubo de armamentos em unidades do Exército no Rio de Janeiro

    No atual governo, há dois ex-guerrilheiros com posto de ministro de Estado. Um é o ex-presidente do PT, José Dirceu, ministro da Casa Civil, cuja trajetória política é bastante conhecida. Foi preso pelo regime militar, recebeu treinamento de guerrilha em Cuba e, antes de voltar às escondidas para o Brasil, submeteu-se a uma cirurgia plástica no rosto para despistar a polícia. O outro integrante do primeiro escalão com passagem pela guerrilha contra a ditadura militar é a ministra Dilma Rousseff, das Minas e Energia — mulher de fala pausada, mãos gesticuladoras, olhar austero e passado que poucos conhecem. Até agora, tudo o que se disse a respeito da ministra dava conta apenas de que combatera nas fileiras da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares, a VAR-Palmares, um dos principais grupos armados da década de 60. Dilma Rousseff, no entanto, teve uma militância armada muito mais ativa e muito mais importante. Ela, ao contrário de José Dirceu, pegou em armas, foi duramente perseguida, presa e torturada e teve papel relevante numa das ações mais espetaculares da guerrilha urbana no Brasil — o célebre roubo do cofre do governador paulista Adhemar de Barros, que rendeu 2,5 milhões de dólares.

    O assalto ao cofre ocorreu na tarde de 18 de julho de 1969, no Rio de Janeiro. Até então, fora “o maior golpe da história do terrorismo mundial”, segundo informa o jornalista Elio Gaspari em seu livro A Ditadura Escancarada. Naquela tarde, a bordo de três veículos, um grupo formado por onze homens e duas mulheres, todos da VAR-Palmares, chegou à mansão do irmão de Ana Capriglioni, amante do governador, no bairro de Santa Teresa, no Rio. Quatro guerrilheiros ficaram em frente à casa. Nove entraram, renderam os empregados, cortaram as duas linhas telefônicas e dividiram-se: um grupo ficou vigiando os empregados e outro subiu ao quarto para chegar ao cofre. Pesava 350 quilos. Devia deslizar sobre uma prancha de madeira pela escadaria de mármore, mas acabou rolando escada abaixo. A ação durou 28 minutos e foi coordenada por Dilma Rousseff e Carlos Franklin Paixão de Araújo, que então comandava a guerrilha urbana da VAR-Palmares em todo o país e mais tarde se tornaria pai da única filha de Dilma. O casal planejou, monitorou e coordenou o assalto ao cofre de Adhemar de Barros. Dilma, no entanto, não teve participação física na ação. “Se tivesse tido, não teria nenhum problema em admitir”, diz a ministra, com orgulho de seu passado de combatente.

    “A Dilma era tão importante que não podia ir para a linha de frente. Ela tinha tanta informação que sua prisão colocaria em risco toda a organização. Era o cérebro da ação”, diz o ex-sargento e ex-guerrilheiro Darcy Rodrigues, que adotava o codinome “Leo” e, em outra ação espetacular, ajudou o capitão Carlos Lamarca a roubar uma Kombi carregada de fuzis de dentro de um quartel do Exército, em Osasco, na região metropolitana de São Paulo. “Quem passava as orientações do comando nacional para a gente era ela.” O ex-sargento conta que uma das funções de Dilma era indicar o tipo de armamento que deveria ser usado nas ações e informar onde poderia ser roubado. Só em 1969, ela organizou três ações de roubo de armas em unidades do Exército, no Rio. Quando foi presa, em janeiro de 1970, o promotor militar que preparou a acusação classificou-a com epítetos superlativos: “Joana D’Arc da guerrilha” e “papisa da subversão”. Dilma passou três anos encarcerada em São Paulo e foi submetida aos suplícios da tortura.

    O capitão Carlos Lamarca, o maior mito da esquerda armada no Brasil, e Iara Iavelberg, com quem o capitão manteve um tórrido e tumultuado romance. Com Lamarca, Dilma Rousseff polemizou sobre os rumos da guerrilha, numa famosa reunião realizada em Teresópolis. Com Iara, ia à praia, falava de cinema, e tornaram-se confidentes

    A atual ministra era tão temida que o Exército chegou a ordenar a transferência de um guerrilheiro preso em Belo Horizonte, o estudante Ângelo Pezzuti, temendo que Dilma conseguisse montar uma ação armada de invasão da prisão e libertação do companheiro. Durante o famoso encontro da cúpula da VAR-Palmares realizado em setembro de 1969, em Teresópolis, região serrana do Rio, Dilma Rousseff polemizou duramente com Carlos Lamarca, o maior mito da esquerda guerrilheira. Lamarca queria intensificar as ações de guerrilha rural, e Dilma achava que as operações armadas deveriam ser abrandadas, priorizando a mobilização de massas nas grandes cidades. Do encontro, produziu-se um racha. Dos 37 presentes, apenas sete acompanharam Lamarca. Ficaram com boa parte das armas da VAR-Palmares e metade da fortuna do cofre de Adhemar de Barros. Os demais concordaram com a posição de Dilma Rousseff IARA LAVELBERG

    A divergência com Carlos Lamarca não impediu Dilma de manter uma sólida amizade com a guerrilheira Iara Iavelberg, musa da esquerda nos anos 60, com quem o capitão manteve um tórrido e tumultuado romance. Dilma chegou a hospedá-la em seu apartamento, no Rio. Juntas, iam à praia, falavam de cinema, tornaram-se confidentes. Nos três anos que passou na cadeia, seu nome chegou a aparecer em listas de guerrilheiros a ser soltos em troca da libertação de autoridades seqüestradas — mas a ação que renderia sua liberdade foi malsucedida. Aos 55 anos, recentemente separada de Carlos Franklin de Araújo, Dilma Rousseff não lembra a guerrilheira radical de trinta anos atrás

    Somente os fanáticos petistas é que não conseguem ver quem é esta maldita mulher que pretende ser Presidente do Brasil.

    JOSÉ SERRA, nesta corja de quadrilheiros.

  6. Geraldo
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 15:52 hs

    Esses sujeitos não aprendem mesmo.
    O arroz com feijão na mesa do povo vale mais que a fofoca.

  7. PAULO SÉRGIO MOREIRA
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 16:11 hs

    Rossoni vai falar no horário político do PSDB ?
    O piloto dele também ?
    É o Comanadante Bandeira ???????????????

  8. Moizés Braz
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 16:40 hs

    Como disse em outro post, os PETRALHAS, estão tentando invadir os blogs com comentários, são todos da catervafuncionária,que estão com medo de perde a boquinha.
    Quanto aos que dizem que o povo esta vivendo bem no governo do lula, porque não tem a coragem de admitir, que só esta assim porque FHC, foi o grande idealizador do programa, que hoje eles aproveitam, são tão sem vergonhas, que não mudaram a equipe economica, manteram nomes todos ligados ao FHC.
    Ha e tem mais, não “se alembram” que o PT comandando pelo bebum, ( toda a corja) na época votaram contra o Plano Real. e Tem mais, se negaram a assinar a constituição de l988. Grandes brasileiros…

  9. luis tormenta
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 16:42 hs

    TEM QUE FALAR SIM, GUERRILHEIRA, SEQUESTRADORA, ASSALTANTE, (ESQUECI MAIS ALGUMA ATRIBUIÇÃO), TEM QUE FALAR.

  10. WILSON ANTONIO
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 16:43 hs

    SE O TUCANATO ESTA ASSIM É PORQUE DILMA JA GANHA NO 1º TURNO, HAJA DOR DE BARRIGA NA TUCANALHA!!!!

  11. Andre Vargas
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 17:36 hs

    Estamos torcendo para que eles adotem esta linha.As pesquisas vão demonstrar o sucesso da estratégia.Poderiam também mostrar o FHC fazendo a crítica ao LULA,dizendo que todos os bons resultados colhidos agora são fruto da atuação dos tucanos.manda brasa minha gente.Não percam tempo

  12. Aguave
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 17:52 hs

    O caçador de ptistas também vai falar no horário do PSBD?
    Bobão, quanto mais batem mais sobe o ibope dela.

  13. Lelo
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 18:34 hs

    Caçador de Petistas você é um chato! Quando o Lula era candidato ele comia criancinha!

  14. Rock
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 18:41 hs

    Então o proprio PSDB, vai confirmar que a luz para todos é programa do PT., os Tucanos mesmo estão afirmando que o programa deles era luz no campo, como 90 % da população brasileira reside nas cidades logo da para se entender que essa parcela do povo não seria comtemplada pelo governo Tucano. Agora esse Roberto Freire é a maiolr enganação da politica brasileira, deu um baita professor para o Voto Limpo.

  15. RST
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 19:49 hs

    Homenagem ao idiota “caçador de petista

    Biografia de José Serra Eleições 2010 » pesquisa
    Altamiro Borges comenta a “virada” no DataFolha
    publicada segunda-feira, 24/05/2010 às 15:54 e atualizada quinta-feira, 27/05/2010 às 15:35
    Por Rodrigo Vianna
    Altamiro Borges, presidente do Centro de Estudos Barão de Itararé, comenta em seu blog o estranho ajuste dos números no DataFolha. O instituto finalmente “descobriu” o que os outros já haviam mostrado há um mês: Dilma subiu e empatou com Serra.
    Os novos números trazem duas consequências: mudanças na estratégia serrista (de “bonzinho” e amigo de Lula, ele pode se transformar em bate-estaca da direita), e aumento da pressão para que Aécio aceite ser o vice na chapa tucana (como bóia para salvar a candidatura).
    ===
    A VIRADA NO DATAFOLHA – http://altamiroborges.blogspot.com/
    por Altamiro Borges
    A nova pesquisa do Datafolha, divulgada neste final de semana, não deve ter causado desarranjo apenas no comando da campanha demotucana. Ela criou graves desajustes na direção do próprio instituto, comandado pela famíglia Frias, que também é proprietária do jornal FSP (Folha Serra Presidente). Em abril, quando todos os outros institutos confirmavam o crescimento de Dilma Rousseff e o empate técnico com José Serra, o Data-da-Folha surpreendeu ao indicar o aumento da distancia – da boca do jacaré, no jargão do setor – entre o tucano e a petista (12 pontos).
    Em cerca de um mês, aqueles doze pontos de diferença simplesmente sumiram – num verdadeiro “fenômeno sísmico”, segundo a ironia do blogueiro Paulo Henrique Amorim. Agora, segundo o suspeito instituto, os dois candidatos estão empatados em 37% – Serra despencou cinco pontos e Dilma subiu sete. Diante destes números “impressionantes”, o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, sacou uma desculpa risível. “O principal fato que pode ser apontado como responsável por essa alta da candidata é o programa partidário de TV que o PT apresentou recentemente”.
    Desculpa esfarrapada e cinismo
    Talvez temendo pelo seu emprego, Paulino evitou comentar possíveis “erros” – ou manipulações – na pesquisa anterior, tão favorável ao demotucano num momento crucial para consolidação dos apoios a sua candidatura. Na ocasião, vários especialistas em pesquisas denunciaram mudanças metodológicas que beneficiaram Serra – como a maior coleta de dados em bairros e cidades das elites brasileiras e sua redução nas regiões Norte e Nordeste. Encurralado, o Datafolha deflagrou uma guerra de baixarias contra os outros institutos para tentar salvar a sua pele.
    A desculpa apresentada agora para justificar o “fenômeno sísmico” também é furada. Afinal, no mesmo período da pesquisa, o DEM também expôs seu candidato no horário gratuito de rádio e televisão. Além disso, o governo de São Paulo promove um intenso bombardeio de propaganda sobre o “paraíso” da administração tucana no estado. Já a mídia golpista não cessa sua artilharia contra o governo Lula – inclusive opondo-se ao acordo Brasil-Irã – e mantém a total blindagem sobre José Serra. O “Zé Alagão”, por exemplo, até sumiu das telinhas no período das enchentes.
    A crise de identidade demotucana
    A nova pesquisa Datafolha, agora mais próxima da realidade, revela as dificuldades da oposição neoliberal-conservadora. A fantasia do “Serrinha paz e amor” não colou. A bruxaria marqueteira, que tentava vender a imagem do tucano como “continuador” do governo Lula, não surtiu efeito. Se a aparição de Dilma Rousseff num único programa já causou este “fenômeno sísmico”, segundo a desculpa esfarrapada de Mauro Paulino, imagine quando tiver início a propaganda eleitoral de rádio e TV, em agosto. A candidata será ainda mais identificada com o presidente Lula!
    Como observa o sítio Carta Maior, o “cavalo-de-pau” do Datafolha “reflete a crise de identidade na candidatura Serra. O patético figurino do candidato ‘cordial progressista’ tentado nos últimos meses derreteu pelo artificialismo abusivo que nenhum gênio do marketing pode contornar… Só o Datafolha ainda não havia mensurado esse vazio, mas agora não dava mais para esconder. As coisas então ficam assim: ou a mídia muda totalmente seu discurso golpista e adere ao ‘lulismo’ de Serra; ou Serra sai do armário e se junta ao udenismo anti-Lula do diretório midiático”.
    Ajuste no discurso para a guerra
    Tudo indica que vingará a segunda alternativa. Já na reunião do diretório nacional do PPS, José Serra promoveu ajustes no seu discurso, abandonando sua pele de cordeiro. Ele fez duros ataques ao governo Lula, num discurso terrorista sobre a existência do “bolchevismo sem utopias”. Sem ter mais como esconder, Serra também defendeu as privatizações do reinado de FHC, atacando o “patrimonialismo selvagem” do atual governo. Para alegria da mídia golpista, o tucano assume o figurino do brucutu neoliberal e sinaliza que a campanha tende para baixaria, nua e crua.
    Diante desta tendência belicista, o Movimento dos Sem Mídia (MSM), liderado pelo blogueiro Eduardo Guimarães, acertou em cheio ao ingressar com representação junto à Justiça Eleitoral solicitando a fiscalização dos institutos de pesquisa

  16. RST
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 20:32 hs

    Biografia de José Serra
    escrito por Guina em 20/05/2010

    Segue abaixo uma verdadeira biografia de José Serra, onde pode-se analisar friamente, porque o mesmo não reúne condição alguma para suceder Lula.

    Biografia completa de José Serra:

    José Serra tem 68 anos é paulista, filho único de italianos. Seu pai era um bem sucedido comerciante no ramo de frutas. José Serra foi criado em uma ampla e confortável casa na Mooca, São Paulo.
    Quando Serra tinha 11 anos, sua família mudou para uma luxuosa casa em São Paulo na Rua Antônio de Gouveia Giudice, no bairro nobre de Alto Pinheiros.
    Imóvel não era problema para a rica família Serra, que passava férias no Rio. Um dos espaçosos apartamentos foi cedido para Serra utilizar, exclusivamente, como esconderijo seguro para os grupo terrorista Ação Popular do qual foi um dos fundadores, que pouco tempo depois viriam a praticar atentados, roubar e seqüestrar.

    Serra, neste período, ajudou a fundar a Ação Popular (grupo radical e adepto da luta armada que explodiu o aeroporto de Gurarapres em 25/07/1966).
    Quando presidente da UNE vivia encangado na barra da calça de Jango.

    Aos 18 anos, Serra ingressou no curso de Engenharia Civil da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, o qual nunca concluiu. Com o golpe militar de 1964, ele exilou-se na Bolívia, no Uruguai e, em seguida, no Chile, onde fez o “Curso de economia” da Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), de 1965 a 1966, especializando-se em planejamento industrial. Apenas 2 (dois) anos de curso! Quer dizer, não é um curso superior formal. Depois disso, fez mestrado em Economia pela Universidade do Chile (1968), da qual foi professor entre 1968 e 1973. Em 1974, fez Mestrado e Doutorado em Ciências Econômicas na Universidade Cornell, nos Estados Unidos, sem nunca ter concluído uma faculdade. Como foi possível isso? No Chile e nos EUA não é exigido curso superior para fazer pós-graduação, o que não é permitido aqui no Brasil. Além disso, os cursos de pós-graduação que Serra cursou na Cornell (com que dinheiro não sei, porque são caríssimos) não são “strictu senso“ mas “lato senso“ como os fornecidos pela rede privada aqui no Brasil. Em suma: não valem nada em termos acadêmicos. Serra permaneceu 13 anos longe do Brasil. Autoexilando-se (ou melhor, fugindo) no Chile, junto com FHC ao invés de lutar pelo povo contra a ditadura. Na volta ao Brasil, logo locupletou-se com as elites brasileiras.

    Em 1978, Serra iniciou a sua carreira política, que este ano completa 32 anos. Teve sua candidatura a deputado impugnada, pois estava com os direitos políticos suspensos devido à explosão do aeroporto de Guararapes. Foi admitido como editorialista do jornal que também apoiou a ditadura (Folha de São Paulo).

    Em 1983, Serra iniciou, efetivamente, a sua carreira como gestor, assumindo a Secretária de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo, quando fez um péssimo trabalho. Braço direito do governador Montoro, não conseguiu sequer arrumou as finanças do Estado, sucateando ainda mais a Educação e a Saúde.

    Em 1986, Serra foi eleito deputado constituinte, e teve um dos piores desempenhos, como pode-se conferir abaixo:

    a) votou contra a redução da jornada de trabalho para 40 horas;
    b) votou contra garantias ao trabalhador de estabilidade no emprego;
    c) votou contra a implantação de Comissão de Fábrica nas indústrias;
    d) votou contra o monopólio nacional da distribuição do petróleo;
    e) negou seu voto pelo direito de greve;
    f) negou seu voto pelo abono de férias de 1/3 do salário;
    g) negou seu voto pelo aviso pró prévio porcional;
    h) negou seu voto pela estabilidade do dirigente sindical;
    i) negou seu voto para garantir 30 dias de aviso prévio;
    j) negou seu voto pela garantia do salário mínimo real;
    Fonte: DIAP — “Quem foi quem na Constituinte”;pág. 621.

    Serra foi um dos fundadores do PSDB, em 1988. Foi derrotado por Luiz Erundina, (á época do PT), nas eleições para prefeito de São Paulo. Em 1990, foi reeleito deputado federal quando teve novamente péssimo mandato.

    Em 1994, Serra foi um dos grandes apoiadores do Plano de Privatização de Fernando Henrique Cardoso, deixando um rastro de enormes prejuízos para o povo brasileiro:
    • 166 empresas privatizadas entre 1990 e 1999;
    • 546 mil postos de trabalho extintos diretamente;
    • 17,1% dos 3,2 milhões de empregos formais perdidos na década.
    (Fontes: Pochmann, Márcio. A década dos mitos. São Paulo, Editora Contexto, 2001. Biondi, Aloysio. O Brasil privatizado. São Paulo, Editora Perseu Abramo, 2001)

    Depois foi eleito senador por São Paulo, em seguida, assumiu o Ministério do Planejamento, onde por pura incompetência deixou o país à mercê de um racionamento durante o famoso “apagão” no governo FHC que durou Oito meses.

    Em 1998, José Serra assumiu o Ministério da Saúde. Junto com FHC, zerou o investimento na área de saneamento, o que causou a propagação de várias doenças no país. Além disso, José Serra demitiu seis mil mata-mosquitos contratados para eliminar os focos do Aedes Aegypti. Dos R$ 81 milhões gastos em publicidade do seu ministério em 2001, apenas R$ 3 milhões foram utilizados em campanhas educativas de combate à doença. O resultado desta política criminosa se fez sentir no Rio de Janeiro que, entre janeiro e maio de 2002, registrou 207.521 casos da dengue e a morte de 63 pessoas.

  17. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 8 de junho de 2010 – 21:22 hs

    O movimento armado apenas prolongou o período da ditadura pós-64.

  18. terça-feira, 8 de junho de 2010 – 22:50 hs

    É pura especulação .

    Depois que a PTzada colocou dossiê de merda no ventilador, elles estão mal cheirosos e querem desviar o assunto.

  19. terça-feira, 8 de junho de 2010 – 23:09 hs

    Porque o dossie contra dilma pode e os contra o serra repercute tanto?

  20. terça-feira, 8 de junho de 2010 – 23:13 hs

    voto na dilma por ela não negar seu passado, nmão faz como serra que mente, nega seu passado comuista maoista, e ainda a imprensa baba ovos fica elogiando tão s´rodida figura, somente quem não teve militanci a politica durante a ditadura elogia serra e vota nele, os retrógrado de sempre, corja de reacionariso responsaveis pelo trabalho escravo no brasil até os dias de hoje.O jornalista que assina a matéria, de nome vulgar e comum deveria se envergonhar de prestar tamananho desserviço ao brasil e aos brasiloeiros, defende, o psdeujornalista o que existe de mais desumano e cruael em matéria de politica sociaol da ame3rica do sul.

  21. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 7:50 hs

    …e desconstruir o quê?

  22. leonardo
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 8:01 hs

    Descontruída ela já é! Agora é só mostrar…

  23. O democrata
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 9:22 hs

    Onde os Ptralhas investiram os nossos impostos q. pagamos,se no Brasil a infraestrutura está toda sucateada,necessitando amplia-la, quer em estradas,aeroportos,portos,ferrovias,energia etc,não adianta dá bolsa esmola q. uma hora o país vai sentir esta falta de estrutura e a economia vai parar.E vcs vão por a culpa em qual partido.Fora Lula/Dilmente etc.

  24. OSSOBUCO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 12:00 hs

    A TV e a grande mídia já estão fazendo isso há meses e a Dilma só vem subindo nas pesquisas, podem continuar com essa tática suicida, daí vai dar Dilma no 1º turno!

  25. OSSOBUCO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 12:01 hs

    O Democrata descreveu perfeitamente os 8 anos do governo FHC!

  26. OSSOBUCO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 12:04 hs

    Seguindo a lógica dos curitibocas reacionários o Serra também foi terrorista da AP junto com o Gabeira, a AP sequestrou o embaixador dos EUA, só para constar.

  27. OSSOBUCO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 12:22 hs

    Onézimo, Serra e FHC = Quadrilha

    O ex-delegado da Polícia Federal Onézimo Sousa paraceu ontem para dizer ao jornal Estado, que a vai negar a acusação de que tenha trabalhado numa equipe de espionagem montada pelo deputado Marcelo Itagiba, também ex-delegado federal, a serviço de Serra quando este era ministro da Saúde no governo Fernando Henrique Cardoso. Mas, Onézimo admitiu ao jornal ter ligações com José Serra e Fernando Henrique Cardoso.

  28. ZÉ DO GARFO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 12:26 hs

    Num País onde o contingente de malandros é superior aos que verdadeiramente produz, não há alternativa melhor para se ganhar e perpetuar no comando que a velha e conhecida tática dos ANTIGOS ROMANOS.

    “DAR AO POVO PÃO E CIRCO”

    Para que investir em Educação, Infra-estrutura, Saúde, Segurança….isso é bobagem!!!

    Dar cestas básicas e utilizar a mídia fazendo macaquiçe rende muito mais..

  29. OSSOBUCO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 12:37 hs

    O que Serra faria se ganhasse?

    – Tiraria o Brasil do Mercosul

    – Tiraria o Brasil dos Brics

    – Nomearia Celso Lafer, – aquele que tirou o sapato para poder entrar nos EUA, reimplantando a Diplomacia dos “pés descalços”. – para o Ministério de Relações Exteriores e Rubem Barbosa para Embaixador nos EUA

    – Paulo Renato, para reiniciar a privataria na educação

    – Katia Abreu, para levar adiante a modernização da agricultura brasileira

    – Privatizaria a Caixa Econômica Federal, a Petrobras e o Banco do Brasil

    – Colocaria um oficial da PM paulista para dirigir o Ministério da Segurança

    – FHC como Embaixador em Paris

    – Colocaria Daniel Dantas no Ministério da Privataria

    – Nomearia a irmã de Daniel Dantas para assessoria de licitações

    – Compraria assinaturas da Veja para todas as repartições publicas e instituições federais

    – Arnaldo Jabor para o Ministério de Comunicações

    – Diogo Mainardi para cônsul em Veneza

    – Artur Virgilio para dirigir a Zona Franca de Manaus

    – Roberto Freire para Ministro da Pesca

    – Tornaria o Banco Central um departamento da Febraban

    – Colocaria Ronaldo Caiado para tomar conta da Agricultura Familiar e do Incra.

    – Abriria uma sucursal do PCC e da Cracolândia em cada capital brasileira.

    – Nomearia porta-voz da presidência o experiente Sargento Alexander Garcya, ex porta-voz da ditadura do general Figueiredo.

    – Myrian Leitão para o Ministério da Fazenda.

    – Mudaria o nome da Folha de São Paulo para Diário Oficial.

    – Mudaria a capital do Brasil para São Paulo

    – Mandaria instalar um pedagiômetro em cada veículo em circulação no país, passando a cobrar pedágio por quilômetro rodado.

    – Acabaria com o PROUNI

    – O Programa Minha Casa minha Vida seria para familias que recebem no mínimo 150 salarios mínimos mês.

    Mas nada disso acontecerá pois a Dilma ganha no primeiro turno e a base aliada fará maioria absoluta no Congresso.

  30. ILDO BALDO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 14:19 hs

    NO PROGRAMA DO PSDB VAI FALAR O
    ROSSONI O CASADOR DE PETISTAS EO JOAZINHO
    E ESTA FORMADO OTRIODA BURICE E MEDIUCLER CONVERSA
    E QUANTO MAIS CRITICAM A PODEROSA DILMA MAIS O IBOP CRESCE E COM CERTEZA VAMOS GANHAR NO PRIMEIRO TURNO

    E MANDA R A TUCANADA PASTAR COM A GRAMA MORTA DA GIADA E VAI SER DE OCULOS VERDES

    ZUCCHI E BETO DOIS GAFANHOTOS QUE NÂO SE PREOCUPAM COM O POVO

    O ZUCCHI COM AS LAVOURAS E AVIARIOS LÁ EM ITAPEJARA D´´ OESTE

    O BETO COM O VINHEIRO DO SEU SOGRO LA EM PORTUGAL

    RESUMINDO PRIVATIZAÇÔES A VISTA

    QUALIDADE ESPECIAL DO PSDB E DEM E AGORA DO PDT

  31. Mozinha
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 15:34 hs

    Em pensar q tem trouxa q ainda acredita e confia nessa BOSTA desse pt me dá até Nojo. Oooo povinho BURRO…

  32. OSSOBUCO
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 16:17 hs

    Prezada Mozinha, e pensar que tem gente que confia no DEM e PSDB.

    Em baixa depois do mensalão, o governador José Arruda (DF) já foi muito festejado.
    Em 2008, foi editado o livro “Brasília: Preservação e Legalidade. Desafios do Governo”.
    A orelha da publicação é recheada de elogios.
    1. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: “Pela boa administração que exerce no DF, José Roberto Arruda é hoje uma das principais lideranças do cenário político nacional”.
    2. O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM): “Arruda serve para ser candidato a presidente da República pelo Democratas”.
    3. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR): “Arruda não fez barganha. Não instalou um balcão de negócios para oferecer a este ou àquele partido”. Que coisa! ”

  33. Fabio
    quarta-feira, 9 de junho de 2010 – 20:19 hs

    mozzzzzzzzzzzzzzzinha, beijossssssssssss Ptistas para tu bemmmmmmmmmmmmmm

  34. Jacarezinho
    quinta-feira, 10 de junho de 2010 – 13:10 hs

    Ossobuco: Alfafa em demasia faz mal até para quadrúpedes. Pare, respire, tome um copo de água e se abane…Você está com uma cor esquisita. E essa braguilha aberta.

  35. OSSOBUCO
    quinta-feira, 10 de junho de 2010 – 21:37 hs

    E tú Jacarezinho, perdestes a hora de tomar seu remedinho para oligofrenia? Já parastes de tomar água da privada? Pelo jeito ainda não.
    Tu és um perdedor, vais perder mais uma eleição!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*