Polícia no Brasil mata em níveis alarmantes | Fábio Campana

Polícia no Brasil mata
em níveis alarmantes

Do Portal Banda B

O Brasil não cumpriu integralmente nenhuma das 33 recomendações feitas pela ONU

O Relatório sobre Execuções Sumárias da Organização das Nações Unidas (ONU), a ser divulgado hoje (1º), mostra taxas “alarmantes” de violência policial no Brasil e a ação de grupos de extermínio no país. De acordo com o documento, o Brasil não cumpriu integralmente nenhuma das 33 recomendações feitas pelas Nações Unidas, depois que o relator especial da ONU sobre Execuções Sumárias, Arbitrárias ou Extrajudiciais, Philip Alston, visitou o país em 2007.

“Quase nenhuma medida foi tomada para resolver o grave problema dos assassinatos de policiais em serviço, ou para reduzir os elevados índices de assassinatos justificados como “autos de resistência”. A maioria das mortes nunca é investigada de forma significativa. Pouca coisa foi feita para reduzir a prisão e a violência”.

O relatório contabiliza que das 33 recomendações feitas no relatório de 2008, nenhuma foi integralmente assimilada, 22 foram descumpridas e 11 foram classificadas apenas como “parcialmente cumpridas”. O documento denuncia que o governo brasileiro tem falhado em tomar medidas necessárias para diminuir as mortes causadas pela polícia.

Trata-se de um “relatório de seguimento”, ou seja, analisa se o Brasil cumpriu ou não as orientações o órgão internacional. O documento tem 22 páginas e afirma que “execuções extrajudiciais continuam em grande escala” no Brasil.

Além da violência policial e dos chamados ‘autos de resistência’, o relatório também trata das mortes ocorridas dentro de unidades prisionais, a atuação de milícias e de grupos de extermínio formados por agentes públicos. O relatório também aponta falhas e vícios presentes no aparato de investigação e no processamento judicial. Essas falhas, de acordo com a ONU, propiciam a não responsabilização de crimes cometidos por representantes do Estado.

O documento cita avanços pontuais como a investigação sobre as milícias, no Rio de Janeiro, ou a ação de polícia pacificadora, implementada em favelas da zona sul carioca.

“No Rio de Janeiro o grande inquérito sobre milícias produziu uma relatório detalhado e abrangente, bem como uma série de prisões e processos. Num pequeno número de favelas no Rio de Janeiro, operações violentas da polícia e contra-produtivas têm sido substituídas pela presença da polícia e pela introdução de alguns serviços básicos”, destaca o documento.

Além disso a ONU reconhece avanços nas ações de combate ao Esquadrão da Morte, em Pernambuco. O documento também cita a atuação do Ministério Público de São Paulo como provedor de Justiça de São Paulo na responsabilização de policiais que cometem crimes.

“São passos importantes para promover a responsabilidade para a polícia”, aponta o relatório.


14 comentários

  1. CLOVIS PENA -
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 15:22 hs

    É hora de editar novamente a pergunta aos candidatos.
    Quais as respectivas propostas concretas para melhorias na segurança pública paranaense.

  2. Geraldo
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 16:04 hs

    E apesar de tudo isso que já é de conhecimento geral, eles ainda querem tirar do Ministério Público o direito de investigar esses atos.
    São considerados bandidos de farda, sendo preferível lidar com os assaltantes.

  3. Mozinha
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 16:14 hs

    Vagabundo a Polícia tem mais é q matar mesmo…

  4. VALETE DE PAUS
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 16:32 hs

    EU PARTICULARMENTE ACHO QUE NOSSA POLÍCIA AINDA TÁ MATANDO POUCO. DEVERIA SIM E MATAR MAIS SE FOSSEMOS COMPARAR COM O ÍNDICE DE MORTES CAUSADAS PELOS TRAFICANTES DE DROGAS.
    BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO, QUE VIVA OS TRABALHADORES…

  5. TO LIGADO!
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 16:53 hs

    É verdade que algumas vezes incorrem em erros hediondos, como o menino que estava no carro da mãe, no Rio de Janeiro, do senhor com a furadeira e outros casos. Mas é mais por falta de treinamento doque por erro. Vagabundo tem que morrer mesmo,pois não temos um sistema carcerário que eduque o marginal, então tem que liquidar o cara, para diminuir os crimes, pois imaginem quantos crimes a mais teriamos se não matassem os irrecuperaveis que estão por ai. Quando é bandido que mata ninguem fala nada. Bala neles!!!!!!!!!!!!

  6. observando
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 16:53 hs

    Muito triste:
    Não é a polícia, são os bandidos fardados.
    Não é política, são os políticos.
    Quando seu carro é parado (…) você não fica feliz por ser saudado e/ou orientado por um policial verdadeiro, pode ser um bandido de farda. Se vc apavorar e acelerar pode receber uma bala nas costas, se parar o bandido te assalta. Muito difícil saber quem é o policial, como é bom ser atendido por policial e não por bandido que usa a farda indevidamente, por vezes atirando sem antes perguntar … Para depois justificar com as frases decoradas: “Eu pensei …”. Pensou?

  7. PM
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 17:01 hs

    Bandido bom é bandido morto e tem que ser enterrado em pé para não ocupar espaço.

  8. antonio carlos
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 19:13 hs

    A questão da Polícia neste País é tratada como a violência era tratada, pelo secretário de Segurança anterior, negando-a. Dizer que o pessoal de ambas as polícias ganham mal, é conversa fiada. Porque se isto fosse verdade, a polícia do DF seria a melhor do País, porque lá pagam ótimos salários. E não haveriam tantos casos de corrupção na PF. Que também paga bem. O que falta é uma melhor seleção e preparo do pessoal, e salários melhores também ajudam, mas jamais substituem um bom preparo. O assunto polícia neste País é tratado, como o assunto saneamento básico, com absoluto descaso .ACarlos

  9. bombeiro
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 19:43 hs

    para o geraldo que disse que prefere acreditar em bandidos fique a vontade, pois bandido bom é bandido morto. e cidadão é aquele que não incomoda a sociedade, e consequentemente não dá trabalho pra policia.

  10. De nome aos bois.
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 20:19 hs

    Interessante, qual o motivo de não dá nomes aos Bois, como assim a Policia no Brasil, hora vamos aos fatos, quando foi a ultima vez que vcs ouviram que a PF matou algum bandido “em troca de tiros”, quando foi a ultima vez que vcs ouviram que a PRF matou alguem em “troca de tiros”, quando foi que vcs ouviram que a PC matou alguem em “troca de tiros” ? Mas agora, me diz quando foi que vcs ouviram que a PM em confronto com bandidos armados e perigosos acabou tendo vitima fatal…
    Temos que da nome aos bois, não é a policia brasileira que mata, é a PM no Brasil que mata, mais isso o MP não quer investigar, existe um pacto de conivencia e omissão entre o MP e a PM principalamente em que pese no Paraná.
    Eu gostaria de obter uma informaçâo que seja de um Promotor, porque do confronto de policiais militares a orientaçâo é que a Policia Civil não atenda a ocorrencia, pois justamente esse é o procedimento na minha cidade. Confronto com PM de acordo com as orientaçôes é de competencia de Justiça Militar, então logo não é a Policia no Brasil que mata, pois a PM não e nunca será a unica Policia no Brasil. Somente chegaremos a ponto crucial justamente quando acabar com a Justiça Militar. Essa é responsável pela impunidade.

  11. Geraldo
    quarta-feira, 2 de junho de 2010 – 12:17 hs

    E para completar querem salário de GENTE com a PEC 300, bem disse o Lula:
    -A corroão da nossa polícia é centenária.
    Parece que a cada dia ela seduz mais bandidos para tentar entrar em seus quadros. Eo pior é que conseguem.

  12. quarta-feira, 2 de junho de 2010 – 13:27 hs

    Enquanto o sistema carcerário não recupera ninguem, coisa que nunca vai acontecer, o negócio é matar mesmo pois, quem vai sentir falta de um bandido ou de um traficante? Só a mãe dele. e que diriam as mães dos usuários de drogas, das vítimas de assalto, rubo, furto, estupro… pra esses não existe direitos humanos, só a polícia.
    PRA OBSERVANDO.
    Se vc foge de uma abordagem poolicial é pq vc deve. Se algum policial levou algum dinheiro seu, foi pq vc ofereceu prqa não ser punido(a) de algo. Então, vc é tanto quanto igual…

  13. Mozinha
    quarta-feira, 2 de junho de 2010 – 16:27 hs

    É ISSO AÍ:BANDIDO BOM É BANDIDO MORTOOO…
    ANTES CHORE A MÃE DE UM BANDIDO,DOQUE A DE UM POLICIAL…

  14. Sérgio Oliveira
    sexta-feira, 16 de julho de 2010 – 20:35 hs

    Enquanto se discuti o aumento da violência, jogando a culpa nos policiais e bandidos, verifica-se que a sociedade esqueceu de cobrar dos verdadeiros culpados por essas mazelas, os políticos estão imunes enquanto a POLÌCIA carrega a culpa por tudo que acontece nesse país.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*