Consórcio do lixo lança edital de credenciamento de aterros | Fábio Campana

Consórcio do lixo lança edital de credenciamento de aterros

O Consórcio Intermunicipal para Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos lançou nesta terça-feira (1) o edital para credenciamento de aterros sanitários na região metropolitana de Curitiba que poderão receber o lixo dos municípios da região metropolitana integrantes do Consórcio. O edital pode ser retirado na Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba, sede do Consórcio, na avenida Manoel Ribas, 2727. O prazo para o credenciamento é de 30 dias.

O aterro de Curitiba tem autorização judicial para receber lixo até novembro. O credenciamento de outros aterros para receber as 2,4 mil toneladas de lixo produzidas diariamente nos municípios é solução intermediária até o desfecho da licitação do SIPAR, que começou em 2007 e aguarda decisões judiciais para finalização do processo. O SIPAR usará tecnologias industriais para aproveitar o lixo que hoje é enviado a Caximba.

A principal exigência do edital de credenciamento é que as empresas interessadas apresentem a licença de operação até outubro de 2010. As demais regras são as mesmas válidas em processo de licitação como habilitação jurídica da empresa, regularidade fiscal e outras.Serão credenciadas e todas as empresas que atenderem ao edital.


7 comentários

  1. CWB
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 16:20 hs

    PODERIAM USAR O PRÉDIO DA CÂMARA P/ DEPÓSITO DE LIXO.
    TERIA UMA DESTINAÇÃO MAIS ÚTIL QUE A ATUAL, QUE É SE ARVORAR DE GUARDIÃ DA MORAL E BONS COSTUMES DE NÓS, POBRES COITADOS QUE NÃO SABEMOS NOS CUIDAR!

  2. terça-feira, 1 de junho de 2010 – 17:15 hs

    Bem pode se preparar porque daqui a pouco aparece alguém do MP, que nesse caso parece estar em 1910, pra dizer que “acham” que o lixo tem que ser problema de cada municipio, que tem que MULTAR quem não faz isso ou aquilo e que tem que enterrar no próprio terreno restos de alimentos….pior de tudo, diz que teremos que levar o lixo pra PG e que os custos serão do tal consorcio do lixo, como se isso não fosse uma conta a ser paga pela população….O MP tem sempre boas atuações, mas nesse caso é um verdadeiro festival de besteira que está promovendo…vamos aguardar…

  3. valdir izidoro silveira
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 17:53 hs

    Essaquestão do consórcio do lixo vem de longe; já preconizamos essa prática na década de 90 quando assessorávamos a Amunorpi. Sabem que negou financiamento ao noddo projeto para o Norte Pioneiro? O Cássio Taniguchi que apóis o Beto. Faziam propaganda da coleta seletiva e eratudo propaganda enganosa; o lixão da Caximba é a prova de tudo isso. Não precisamos de aterro sanitários; precisamos sim de uma política de tratamento dos resíduos sólidos e liquidos, onde um sistema de coleta seletiva implantado de fato iria acabar com os lixões e teríamos a destinação corretados resíduos para estação de tratamento, produção de adubo, de gás, de reciclagem de produtos, etc.
    Se precisarem de uma assessoria séria e pagando bem, já que a prefeitura de curitiba gasta dinheiro a vontade em obras superfaturadas, eu faço esse assessoramento.
    Eng. Agronomo Valdir Izidoro Silveira
    Especialistaem Planejamento e Desenvolvimento Regional pelo ILPES/CEPAL-ONU

  4. Fernando
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 18:23 hs

    A população da Caximba sofreu por muitos anos com a prorrogação da vida útil do aterro atual. Mas acredito que não se pode corrigir o erro do passado cometendo outro. Usar uma área para aterro particular possivelmente fará com que futuramente esta área se torne definitiva, com prorrogações e mais prorrogações… aí se vão mais algumas décadas… Que cada município possa discutir a destinação de seu lixo, para que o volume produzido em toda grande Curitiba não prejudique uma comunidade apenas.

  5. Jango
    terça-feira, 1 de junho de 2010 – 20:40 hs

    Essas manobras e atalhos só comprovam reiteradamente que o imbroglio do lixo em Curitiba é o exemplo perfeito e acabado de COMO NÃO ADMINISTRAR o interesse público e de como os poderes públicos envolvidos são INCOMPETENTES E SUBMISSOS a decisões que levam a sociedade à beira da falta do serviço público ou da insuficiência do mesmo paso a passo.

    Daqui a 10 ou 15 anos é possível que tenhamos novo imbroglio semelhante, se não ocorrer percalços no caminho, e assim de imbroglio em imbroglio pagamos o preço das más escolhas políticas e da desimportância com que tratamos os assuntos que nos dizem respeito como cidadãos.

  6. Rafael Filippin
    quarta-feira, 2 de junho de 2010 – 12:05 hs

    As soluções apresentadas até agora são insuficientes para tratar da questão dos resíduos, além de terem uma legalidade muito duvidosa. O MP e a sociedade diretamente afetada têm feito o trabalho que deveria ser os órgãos de fiscalização, que não o fazem direito. Ao invés de taxa calculada com base na testada do imóvel, deveríamos pagar uma tarifa calculada pelo peso ou volume de lixo entregue ao serviço. O resíduo reciclável deveria servir de moeda para o pagamento do não reciclável, quando não doado aos carrinheiros. Isso estimularia a não produção de resíduos ou a sua compostagem local, cuja crítica é feita por quem desconhece rudimentos de ecologia e de gestão sanitária. É preciso responsabilidade para dar palpite.

  7. Jose II
    quarta-feira, 2 de junho de 2010 – 14:26 hs

    AGUARDEM QUE A BAND NEWS FM DO JOELITO MALLUCELI VIA FUNCIONÁRIA DO MÊS JOICE ACELMANN JA VAI COMEÇAR A ATACAR . ADVINHEM QUE ELE VAI CHAMAR PARA FALAR SOBRE A LICITAÇÃO DO LIXO???PODE TER CERTEZA QUA O BURKO VEM AI!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*