Campanha política no Google | Fábio Campana

Campanha política no Google


Do M&M Online

Gigante da internet lança ferramentas no próprio Google e no YouTube para que candidatos façam suas mensagens chegarem aos eleitores de modo mais eficaz

Depois de Barack Obama, nunca uma eleição será a mesma no ambiente digital. Isso ficou patente logo após a estratégia do comitê político do então candidato à presidência dos EUA ter faturado prêmios no Cannes Lions. Em todas as partes do mundo, os interessados em assumir um posto mandatário no governo passaram a dar mais atenção à internet e suas forças correlatas. Agora, é o Google que reconhece que nessa corrida não pode ficar atrás.

A poderosa companhia baseada em Mountain View, Califórnia, lançou na quinta-feira (3) o Google Campaign Toolkit e o You Choose Campaign Toolkit. Em um de seus blogs, a empresa informa “estamos fazendo nossa parte para garantir que candidatos e campanhas tenham ferramentas para se aproximar dos eleitores”. Antes que os brasileiros se animem, é bom explicar: essas ferramentas estão disponíveis nos Estados Unidos. Mas, de todo modo, uma hora a novidade chega para cá também.

O You Choose permite a criação de um canal no YouTube para os candidatos a eleições federais e estaduais nos EUA. Evidentemente, o interessado tem de se candidatar no portal a ter esse espaço exclusivo, que habilita vídeos com mais dez minutos. O serviço disponibiliza um aplicativo para moderar a conversa com os possíveis eleitores.

Com o YouTube Insight, outro atrativo do You Choose, os inscritos no pacote terão como medir a performance de seus vídeos e encontrar informações a respeito de quem está visualizando esse material, identificando de que forma os vídeos estão sendo consumidos e utilizados (via search ou em blogs, por exemplo). Além disso, há ferramentas para promover essas produções (como um AdWords) e criar uma aplicação que conduz diretamente a um canal de doações para a campanha, entre outros atributos.

Pelo Google Campaign Toolkit, o que é oferecido é um pacote de aplicativos, que já existem, mas que podem ser explorados de maneira mais eficaz para os propósitos de uma campanha política. Como ressalta a companhia, são produtos que permitirão entregar mensagens diretamente aos eleitores e que deixarão a equipe do comitê e os voluntários mais conectados. O Google aponta que, na eleição presidencial de 2008 nos EUA, 68% dos eleitores registrados (lá, o voto não é obrigatório) buscaram regularmente a web para receber informações sobre os candidatos e o processo político. “Pela primeira vez, a internet passou jornais e revistas em termos de alcance e influência”, indica o comunicado do Google na página dedicada ao novo serviço.

Entre os aplicativos oferecidos para campanhas políticas estão o AdWords (“investimentos em publicidade online devem aumentar mais de 73% sobre 2008”, comenta o Google, em comparação à campanha presidencial), Google Maps (apoiadores da campanha encontrariam facilmente os escritórios de campanha) e o Google Analytics (para otimizar a estratégia digital conforme a análise do perfil do eleitor e de como ele interage com as ações online do candidato).

Dicas
Quem ficou desapontado em não ter à mão essas novas ferramentas para incrementar sua campanha política, pode tirar proveito das dicas oferecidas a partir do You Choose Campaign Toolkit. No endereço, há um link para sugestões básicas e ideias para os vídeos dos possíveis futuros políticos. Confira algumas:
– poste vídeos que levem à conversa – e se mantenha nela com comentários e respostas ao vídeo. O YouTube é uma comunidade e prima por ser uma via de mão dupla;
– alimente o canal – disponibilize o que puder, de discursos a aparições na TV. Colocar seu ponto de vista em discussão é uma maneira de sua mensagem ser ouvida;
– deixe seu espaço com cara de novo – faça upload de vídeos regularmente e deixe-os curtos (idealmente com menos de cinco minutos);
– seja original – está é a chance de ter um diálogo mais pessoal, mais confortável
– estimule o diálogo – lance questões pelo YouTube Forum, nas quais deve-se responder às perguntas da comunidade do portal;
– conte histórias – conteúdo construído em episódios é eficiente. Crie uma série de vídeos sobre um determinado tema de sua campanha;
– exiba bastidores – as pessoas gostam de ver o “outro lado” das campanhas políticas, com cenas do candidato que não iriam para a produção oficial.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*