Voto obrigatório divide o país | Fábio Campana

Voto obrigatório
divide o país

De Uirá Machado na Folha de S. Paulo

O voto obrigatório divide o eleitorado brasileiro. Segundo pesquisa Datafolha, 48% dos entrevistados são favoráveis e 48% são contrários à obrigatoriedade de votar.

Os números da pesquisa, realizada entre os dias 20 e 21 de maio, mostram mudança de direção na rota crescente de apoio ao voto obrigatório. O levantamento anterior, de dezembro de 2008, registrara o recorde de 53% de eleitores favoráveis à obrigatoriedade e 43% contrários a ela.

Estabelecida no artigo 14 da Constituição Federal, a obrigação atinge os brasileiros alfabetizados que têm entre 18 e 70 anos de idade. Para os analfabetos, os maiores de 70 e os que têm entre 16 e 18 anos, o voto é facultativo.
Segundo relatório do Instituto Internacional para Democracia e Assistência Eleitoral, com sede na Suécia, apenas 30 países mantêm hoje em dia voto obrigatório nas eleições nacionais.

Se o voto não fosse obrigatório no Brasil, 55% dos entrevistados afirmam que votariam, contra 44% que optariam por não votar.
Os mais ricos (62% acima de dez salários mínimos e 66% entre cinco e dez) e os mais escolarizados (65%) são os que mais iriam às urnas se o voto fosse facultativo, e os mais pobres (52%) e os menos escolarizados (52%) são os que menos votariam.
Por outro lado, os mais ricos (59%) e os mais escolarizados (59%) são os mais favoráveis ao voto facultativo, e os mais pobres (52%) e os menos escolarizados (52%) são os mais favoráveis à obrigatoriedade de votar.

ESPECIALISTAS
Para o cientista político Fabiano Santos, professor do Iuperj (Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro) e favorável ao voto obrigatório no Brasil, o Datafolha confirma a teoria.
“O voto facultativo não é neutro do ponto de vista de quem deixa de votar. São as pessoas menos favorecidas que se afastam das urnas. Há uma exclusão das camadas mais pobres, mas deve haver pluralidade nas eleições.”
David Fleischer, professor emérito de ciência política da Universidade de Brasília e contrário à obrigatoriedade, discorda dessa tese. Para ele, o voto facultativo pode melhorar a qualidade do pleito.
“Se não fosse obrigação, o voto seria mais pensado. Hoje em dia, o cidadão que vai às urnas acaba votando em uma pessoa cujas propostas nem conhece. Só vota porque é um dever, e não porque pensou naquele voto.”
Além disso, diz Fleischer, “é fundamental encarar o voto não como um dever, mas como um direito que o cidadão pode exercer se quiser”.
Para Santos, porém, “a participação política é tão importante nas democracias que o voto deve, sim, ser visto como um dever”.


11 comentários

  1. antonio carlos
    sábado, 29 de maio de 2010 – 13:14 hs

    Em todas as em democracias o voto não é obrigatório. Em democracias como a cubana, a norte-coreana e outras mesmo tipo, o voto é obrigatório. Lembro-me de uma foto de uma iraquiana que votou com sangue em Sadã Hussein. Será este o exemplo a seguir? O voto é, antes de tudo, um direito e, este não deve ser confundido com obrigação. A democracia começa pelo convencimento e não pela obrigação, por isto sou contra o voto obrigatório; não sou a favor do voto nulo, que não tem o mesmo significado. ACarlos

  2. TO LIGADO!
    sábado, 29 de maio de 2010 – 15:07 hs

    Voto obrigatório é coisa de cabresto. De politico vagabundo e de Pais de segunda! É um nojo, ter que vorar na marra.

  3. Zangado
    sábado, 29 de maio de 2010 – 18:59 hs

    Temos que dar esse passo à frente.
    Conferimos a maioridade política aos 16 anos, então, dê-se a independência de ir ou não votar corrrespectiva da liberdade de escolha da consciência.
    Chega de capengar neste item.

  4. Louise
    sábado, 29 de maio de 2010 – 19:10 hs

    Não é democrático a obrigatoriedade. Mas é melhor ir lá e anular para mostrar que todos os candidatos deixam muito a desejar! Melhor não validar estas porcarias!!!!

  5. Borduna
    sábado, 29 de maio de 2010 – 19:24 hs

    Se o voto for faculatativo, tchau, vamos todos pra praia e ninguem vota mais…..

  6. FILET MIGNON
    sábado, 29 de maio de 2010 – 19:33 hs

    O VOTO deveria ser, antes de mais nada, FACULTATIVO.
    Nossa “democracia” ainda tem muito o que aprender…
    Nossos legisladores ainda haverão de estabelecer normas e diretrizes para que a democracia tenha seu objetivo encontrado.
    Uma delas, sem dúvida, é o voto FACULTATIVO.
    Uma outra, com urgência, o VOTO DISTRITAL MISTO;
    Outra, penalisar os partidos quando estes tiverem seus legisladores ou executivos cassados, ocupando a vaga, o partido mais votado imediatamente inferior àquela vaga, e, quando EXECUTIVO cassado, assume o segundo lugar e assim subsequentemente..
    Desta forma, acabariamos com os voto para deputado PARAQUEDISTA, que engordam suas campanhas com muito dinheiro para pagamento de cabos eleitorais, e ainda, todas as regiões de um estado teriam representantes…

  7. Nelson Carlos Ferreira
    domingo, 30 de maio de 2010 – 8:42 hs

    Acho que o voto não deveria ser obrigatorio, principalmente na democracia, mas infelizmente a nossa democracia ainda e faz-de-contas, pois quem ditas as regras dela e apenas o Poder Central, que faz e desfaz a seu bel prazer, lembrando que na atual conjuntura a grande maioria ou quase todos se elegem através do poder financeiro e não por merecimento, e se o voto não for obrigatorio fica mais facil para quem tem dinheiro ir contra a Lei e comprar os votos necessarios para se eleger, por isso acho que por mais alguns anos ate que a maioria do povo adquira uma cultura maior ainda seja Obrigatorio o voto, mas um dia ele tem que mudar.

  8. Juscelino Chaves
    segunda-feira, 27 de setembro de 2010 – 13:31 hs

    Sou inteiramente contra o voto obrigatório e a única maneira que tenho para protesto é não indo as urnas no 03 de outubro.
    Assim não estou contribuindo com essa palítica podre Nacional que eles a chaman de Democracia.

  9. Eni
    domingo, 3 de outubro de 2010 – 13:26 hs

    Acho absurda a obrigatoriedade do voto num país que se diz democrático, o voto tem que ser uma escolha livre e consciente e não uma obrigação chata!

  10. Juscelino Chaves
    quinta-feira, 14 de outubro de 2010 – 13:14 hs

    Vamos todos mostrar nosso manifesto no dia da eleição.
    Prefiro lavar chiqueiro do que participar do Voto Escravo.

  11. massantino bento filho
    sábado, 30 de outubro de 2010 – 20:47 hs

    O voto obrigatorio e simplesmente, um curral eleitoral que politicos corruptos e sem conciencia usam, para não perderem o poder sobre o voto. Se o politico tivesse que trabalhar para conquistar o voto, seria bem diferente. Hoje vemos o que intgerresa o politico, que e só o salario gigantesco, com as mais variadas rendas, tais como auxilio paleto, verba de gabinete e tudo o mais. Para eles rever o voto obrigatorio e ate pecado, nenhum politico se quer pensa nisso! E a vergonha que temos que arcar, pois votamos errado, lá atraz, e hoje estamos ai com uma lei, que nasceu da vontade do povo e foi mexida por politicos para que atende-se aos seus objetivos proprios. Gostaria de deixar aqui minha revolta contra aqueles que dizem que o brasileiro, não tem maturidade politica para poder exercer o voto facultativo. O voto obrigatorio e o desejo de um ditador para dizer que aqui no BRASIL, os votos representam 98% da popuilação, esquecem que de ano a ano o voto nulo aumenta. E de mais a mais eu não acredito no voto eletronico, não que haja, ataques de HACKERS, mais sim manipulação dos votos nulois e a ultilização deles para favorecer este ou aquele candidato do partido que governa. EU NÃO ACREDITO NO VOTO ELETRONICO, E NÃO VOTO EM NINGUEM, SE O MEU VOTO NULO NÃO ESTIVER LÁ, TODOS SAIB AM QUE ALGUM POLITICO ROUBOU O MEEU VOTO DE PROTESTO E USOU PARA SE ELEGER.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*