Serra ataca Dilma, fala em desindustrialização e critica "loteamento de cargos" | Fábio Campana

Serra ataca Dilma, fala em desindustrialização e critica “loteamento de cargos”


Foto: CNI

Do UOL Eleições

O presidenciável José Serra (PSDB) aproveitou sua participação do Encontro da Indústria com os Presidenciáveis, nesta terça-feira (25), para criticar o governo federal e alfinetar sua concorrente na disputa pelo Palácio do Planalto, a petista Dilma Rousseff.

Em seu discurso, o ex-governador de São Paulo disse que “a desindustrialização está acontecendo no Brasil” e criticou a queda da participação da indústria no PIB (Produto Interno Bruto) nacional. “Sem desenvolvimento industrial poderoso, o Brasil nunca será um país desenvolvido”, afirmou. “O Chile, que é uma economia pequena, segue o modelo de economia primário exportadora. Isso não dá certo para o Brasil, e nós estamos caminhando nessa direção”, disse.

Antes disso, pediu a realização de um debate entre os candidatos. “Eu teria realmente preferido que os candidatos pudessem ter feito um mínimo de debate”, afirmou. “Os debates estão se orientando por isolamento. Há um grande esforço para que não se possa comparar os candidatos, as ideias, o domínio dos assuntos”. Ele inclusive citou o UOL como veículo para um possível debate.

Serra fez ainda uma crítica direta a Dilma. “Eu não entendi aqui a explicação que a ex-ministra deu quando ela defendeu a política cambial e os juros”, afirmou. “Nós somos o país que tem a maior taxa de juros do mundo”. Ele não poupou a administração federal. “Falta recurso? Não é só isso. Falta planejamento no investimento governamental; falta capacidade de gestão e capacidade de fazer um sequenciamento. Se tudo é prioridade, nada é prioridade”, disse. “Cada dia sua agonia”.

Durante o evento, promovido pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) em Brasília (DF), Serra e os outros dois principais presidenciáveis, Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV), ouviram reivindicações de empresários e falaram sobre suas propostas para a política industrial do país.

O ex-governador de São Paulo atacou o projeto de reforma tributária enviado pelo governo federal ao Congresso e que não foi aprovado. “Aquele projeto ia aumentar o déficit público e acirrar a guerra civil que quase se inicia com os roylaties do pré-sal”, afirmou. “Eu fui um elemento importante para que essa ruina não fosse aprovada”, vangloriou-se.

O presidenciável defendeu o trabalho em conjunto com o Ministério Público e órgãos fiscalizadores ambientais durante a confecção de projetos para evitar que eles sejam paralisados e as obras de infraestrutura atrasem. “Tem que trabalhar politicamente, no sentido da conversa, da persuasão”, disse.

Serra voltou a criticar o “loteamento” do aparelho do Estado. “A Infraero está loteada. Tudo está loteado: as empresas, as agências [reguladoras]”, atacou. Ele citou a Funasa (Fundação Nacional da Saúde) como exemplo de órgão público que foi prejudicado pela indicação de quadros por critérios políticos, e não técnicos.

“[Nomeação política] Não é um mal necessário. Basta você ver que o governo precisa recompor sua base toda vez que há uma nova votação”, afirmou, ao refutar a necessidade de se nomear aliados para manter uma base de sustentação política no Congresso
Pedidos dos empresários

Ele também defendeu uma maior “integração” do Banco Central com o restante do governo. “Tem que se integrar com a política do governo, tem que ter uma integração da política monetária com a fiscal, a de planejamento”, disse. “No meu governo, isso [a falta de integração] jamais aconteceria, nem acontecerá”.

Além disso, mostrou-se favorável a uma reformulação total da Lei de Licitações. Para exemplificar, citou uma licitação, realizada enquanto esteve a frente do Ministério da Saúde, em que a legislação garantiria a vitória a uma marca de preservativos chinesa – a qual, segundo Serra, “cheirava a pena de galinha”.

O presidenciável foi indagado por Cledorvino Belini, presidente da Anfavea; por José Mascarenhas, presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia; e por Humberto Barbato, presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).


17 comentários

  1. OSSOBUCO
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:27 hs

    Olha quem fala:

    Serra gastou em publicidade duas vezes mais do que aplicou no Renda Cidadã
    terça-feira, 25 de maio de 2010

    O Governo José Serra (PSDB) gastou com propaganda e publicidade, no ano passado, fortuna equivalente a, pelo menos, duas vezes e meia o dinheiro que aplicou no principal programa estadual de transferência de renda – o Renda Cidadã.

    Reportagem publicada pela Folha de São Paulo informa que os gastos reconhecidos pelo governo tucano com publicidade e propaganda somaram R$ 247,3 milhões, enquanto o orçamento do Renda Cidadã, para atender 137.300 famílias, não passou de R$ 97,4 milhões.

    José Serra, segundo a reportagem, comandou o governo estadual que mais gastou com publicidade em 2009. Do total de R$ 1,69 bilhão desembolsados por todas as 27 unidades da federação, nada menos do que 20% foram gastos apenas pelo Governo Serra.

    Dividida a conta das despesas publicitárias de cada governo pela população de cada unidade da federação, quem mais contribuiu para a propaganda governamental foi o povo do Distrito Federal. A exaltação publicitária do governo comandado em 2009 por José Roberto Arruda, então no DEM e hoje sem partido, sem mandato e sob investigação do Ministério Público e da Polícia Federal, custou R$ 80,56 a cada morador do Distrito Federal.

  2. Erivelto
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:29 hs

    Põe a resposta da Dilma aí.

  3. MUTUKA
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:34 hs

    Esse tal Serra ficou Bilionário só com Genéricos!
    E o povo, Ó !

  4. MUTUKA
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:40 hs

    Nessa foto ele está a cara do Arruda do DF !
    Parecem Gêmeos!

  5. CWB
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:52 hs

    ESTE É O MEU SERRA!!!!!!!!
    É ISSO AÍ, GAROTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    O HERÓI DO BETO, FILHO DO ZÉ!!!!!!!!

  6. Tiago
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:54 hs

    E o pior é que o loteamento é composto por inconPeTentes!!!

    Este País vai de mal a pior, é um bando recebendo um soldo pior que o da antiga União Soviética, que aqui chamam de bolsa família, muitos pagando impostos exorbitantes e quase ninguém sabendo aonde está indo parar o dinheiro.

    Tá tudo muito errado!!! Ética nas contas públicas é o que precisamos!!! Precisamos do Serra!!!

  7. Garcia
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 15:59 hs

    Resposta da dilma figa:
    Não sei, não vi, não tenho nada a ver com isto.

    Será que le vai criar o Ministério da Proteção ao Roubo a Bancos?

  8. PATO BRANCO
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 16:22 hs

    SERRA PRESIDENTE RICHA GOVERNADOR,, O LULA E A DILMA VAO SAIR DA CAMPANHA PARA A CADEIA DE TANTO QUE MENTEM,,,,,,,,,,,,,,,,,,

  9. Zangado
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 16:47 hs

    É uma pena que tenhamos para debater o Brasil Dilma, Serra e Marina como principais interlocutores de um programa político que ninguém sabe ao certo o que será, como ninguém soube ao certo quais eram as prioridades e compromissos dos anteriores candidatos nas outras eleições. O que cumpriram, o que deixaram de cumprir, o que malversaram nas suas gestões públicas ? Ninguém sabe, ninguérm se questionará para avaliar as eventuais propostas e compromissos dos cadidatos atuais. Nossa República vai aos trambolhões. Uma República de papel; uns republicanos de mentirinha. Depois que assumem fazem o que querem e os mecanismos de controle público simplesmente não atuam – suportam e pagam a conta esperando ser enganados na próxima eleição. O panorama político que se apresenta é digno de Nostradamus.

  10. jose
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 17:44 hs

    Zangado, concordo com vc; basta ver os comentários da maioria, todos alienados, se comportando como torcedores e não como cidadãos preocupados com o que realmente interesa: nosso futuro.

    Mas o que esperar de quem aplaude crimes como mensalão, caixa dois, quebra de sigilo bancário, dossies falsos e tudo o mais?

    Infelizmente nossa consciência política vai de mal a pior e caminhamos rapidamente para um tipo de situação que não sei definir, mas que com certeza não gosto: aquela em que crimes são escondidos, acobertados e justificados em nome do poder.

    E as reformas? O pt teve oito anos para fazê-las e não as fez. Dilma mente descaradamente, temos um presidente que desdenha da lei e dá um exemplo da pior prática política possível, a da enganação e desprezo pelas instituições democráticas e os imbecis aplaudem.

    Lembro a todos: quem desrespeita a lei deve ser punido, e se for um governante a punição deve ser exemplar.

    Duvido que serra faça alguma reforma, duvido que o congresso deixe, acho o mesmo de dilma e isto é preocupante.

  11. jose
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 17:47 hs

    http://noticias.r7.com/brasil/noticias/governo-federal-aumenta-em-81-despesas-com-publicidades-em-ano-eleitoral-20100503.html

    Governo aumenta em 81% despesas com publicidades em ano eleitoral

    O governo federal aumentou em 81% suas despesas com publicidade nos três primeiros meses deste ano eleitoral na comparação com o mesmo período do ano passado, afirma ao Contas Abertas, que se dedica a fiscalizar gastos públicos.

    No período, foram gastos R$ 196,8 milhões sem contar as estatais. Enquanto R$ 155,2 milhões foram aplicados em publicidade de utilidade pública e R$ 41,7 milhões em campanha institucionais, voltadas para a divulgação de atos, obras, programas, metas e resultados de governo.

    De 2000 a 2009, o governo federal e suas empresas estatais gastaram R$ 10,8 bilhões, em valores atualizados pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), com a veiculação de anúncios publicitários em televisão, jornal, rádio, revista, internet, outdoor e outros meios. As empresas de televisão receberam 60% desses recursos.

  12. EM QUE GALHO TEM TUCANO ?
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 19:18 hs

    POR ACASO NOS TEMPOS DO FHC OS CARGOS NÃO FORAM TODOS OCUPADOS POR TUCANOS E PARTIDOS ALIADOS.
    NO GOVERNO SERRA OS CARGOS NÃO SÃO TODOS DEMO-TUCANOS-PEPESISTAS.

    É POR ESSA HIPOCRISIA DA DUPLA FHC-SERRA QUE NINGUÉM ACREDITA NELES.
    É POR TEREM SURUPIADO NOSSAS ESTATAIS QUE NINGUEM TOLERA ELES.
    É POR TEREM SE TORNADO GUARDA -CHUVA PARA A ESCÓRIA DESSE PAÍS QUE SERÃO VARRIDOS NA PRÓXIMA ELEIÇÃO, PARA UM CANTO ONDE SE ANINHEM OS ÓRFÃOS DO ACM , OS AMIGOS DO DEPUTADO MOTO-SERRA DO ACRE, OS AFILHADOS DO ARRUDA, OS AMIGOS DO NELSON JUSTUS….

  13. augusto capoeira
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 20:47 hs

    já evitamos os descalabros dos entregadore do patrimônio públicos, os privatizadores. Felizmente Lula ganhou do Serra em 2002 e muidou este descalabro, fez um pais nunca visto antes, voltamos a sentir prazer de ser brasileiro.
    com certeza vamos continuar mudando com Dilma.
    é claro o deseespero da tucanada

  14. walter
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 20:49 hs

    serra a topeira kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  15. OSSOBUCO
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 21:55 hs

    PARA O JOSEZITO SERRISTA:

    Mais gastos com propaganda do que com programas sociais
    Assim, o governo do Estado de São Paulo gastou, segundo a matéria da Folha, R$ 311 milhões com propaganda e publicidade oficial na véspera do ano eleitoral, um patamar bem acima dos R$ 40,7 milhões que foram registrados nesta rubrica em 2006, último ano gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) à frente do Palácio dos Bandeirantes. Mas não é somente o aumento significativo dos gastos com propaganda que chamam atenção: o que mais espanta é que o valor gasto para informar o cidadão sobre as “realizações” feitas pelo governo estadual é superior aos recursos aplicados em muitos programas do governo.

    Neste sentido, a reportagem da Folha cita o exemplo do “Renda Cidadã”, um programa de transferência de renda do governo estadual que atende a pouco mais de 137 mil famílias paulistas que possuem renda per capita inferior a R$ 200. De acordo com a Folha, o governo do estado de São Paulo gastou R$ 97,4 milhões em 2009 com este programa, o que corresponde a 31% do que foi gasto com propaganda oficial! A matéria informa que “no Orçamento de São Paulo, a rubrica publicidade e propaganda registra gastos de R$ 311 milhões, mas o governo afirma que o desembolso com divulgação foi de R$ 247,3 milhões. O restante do dinheiro, diz o governo, foi gasto por órgãos como a Assembleia Legislativa (R$ 17,7 milhões)”.

    Quando tomamos os valores gastos com publicidade oficial pelo governo de São Paulo de forma relativa, ou seja, expressos pelo número de habitantes, também podemos constatar que as cifras são expressivas. Durante todo o ano de 2009, o governo federal gastou, para se ter uma idéia, R$ 1,119 bilhão com publicidade oficial, o que corresponde a um gasto médio de R$ 6,09 por habitante. O governo do estado de São Paulo, por sua vez, gastou R$ 7,81 por habitante com propaganda oficial no mesmo período, conforme matéria da Folha. Ou seja: a gestão Serra gastou proporcionalmente mais com publicidade oficial no Estado de São Paulo do que o governo federal gastou em todo o Brasil na mesma rubrica.

  16. OSSOBUCO
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 22:58 hs

    Parte do eleitorado de Serra é também ‘lulista’
    Quase um quarto dos simpatizantes de Serra afirma que votará ‘com certeza’ no candidato apoiado pelo presidente, segundo pesquisa Datafolha

    Daniel Bramatti / SÃO PAULO – O Estado de S.Paulo

    Quase um quarto dos eleitores de José Serra (PSDB) manifestou um comportamento dúbio e paradoxal na última pesquisa Datafolha: eles também afirmaram que votarão “com certeza” no candidato apoiado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Veja a evolução dos candidatos nas pesquisas

    Nesse contingente há brasileiros que dizem ignorar a opção eleitoral de Lula, mas também os que estão convictos de que o presidente apoia Serra. Quase um décimo dos eleitores do tucano pensa assim.

    Menos da metade dos serristas afirma que não votaria em um candidato apoiado por Lula. Outros 26% dizem que talvez o façam, e 23% anunciam que seguirão “com certeza” a opção de voto do presidente.

  17. OSSOBUCO
    quarta-feira, 26 de maio de 2010 – 9:06 hs

    Esse Josezito, será o alter ego do ….?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*