O (Des)Interesse dos Eleitores | Fábio Campana

O (Des)Interesse dos Eleitores

De Marcos Coimbra, sociólogo e presidente do Instituto Vox Populi, no O Globo

Estamos a apenas cinco meses das eleições presidenciais e continua grande o contingente de pessoas sem interesse por elas. De acordo com as pesquisas, cerca de 40% dos eleitores está nessa categoria, sendo que metade se diz “pouco” e metade “nada” interessada.

Embora seja elevado, é um número melhor que o das pessoas que, fora da época eleitoral, se interessam por questões políticas. Longe das eleições, os desinteressados chegam a 50% ou passam a ser maioria.

Note-se que isso não quer dizer que os restantes sejam todos igualmente interessados. Os que se dizem “muito” não costumam ir além de 25%, ou seja, são apenas um em cada quatro eleitores. Para chegar à metade ou a ultrapassá-la, temos que incluir os que estão no grupo do “mais ou menos”, dos moderadamente interessados.

As evidências mostram que a maioria das pessoas não costuma dedicar ao tema atenção constante, não se envolve emocionalmente com ele e só o acompanha de vez em quando. Para elas, política é uma coisa chata e aborrecida, da qual, simplesmente, não gostam. Não percebem sua relevância e não entendem aqueles para quem ela é uma preocupação importante.

O Brasil não é diferente dos outros países do mundo nesse aspecto. Existem alguns cuja cultura política é caracterizada por forte passionalismo e alto nível de militância, como a Argentina. Mas são a exceção e não a regra. E, pensando em termos históricos, em quase todos se constata o aumento do desinteresse e a redução da participação política. A própria necessidade que a campanha Obama teve de motivar os jovens a votar nas últimas eleições americanas é um sintoma desse fenômeno.

Na política, como em tudo na vida, o baixo interesse leva à baixa procura de informação. O que pode ser agravado quando a propensão a buscá-la é limitada pelas dificuldades de acesso à educação: indivíduos desinteressados tendem a ser desinformados; indivíduos desinteressados e com baixa escolaridade, mais ainda.

Em comparação com os Estados Unidos e outras democracias avançadas, o problema brasileiro está no convívio do sistema de obrigatoriedade do voto (que faz com que mesmo as pessoas que não têm qualquer interesse sejam obrigadas a votar) com a desinformação média do eleitorado, proveniente das ineficiências de nosso sistema educacional. Voltando ao caso argentino: lá, o voto também é universal e obrigatório, mas os níveis de escolaridade sempre foram melhores que aqui e existe uma cultura onde se valoriza a politização das pessoas (o que não se pode dizer da nossa).

O saldo disso está nas pesquisas que vêm sendo publicadas ultimamente. A começar pelos números das intenções espontâneas de voto: depois de anos da campanha mais longa de nossa história, depois das milhares de páginas destinadas pela mídia às eleições, depois de os políticos dedicarem a elas o melhor de seus esforços, apenas um terço dos entrevistados menciona algum nome sem estímulo. Na mais recente pesquisa da Vox Populi, por exemplo, feita no final de março, os verdadeiros candidatos, somados, totalizavam 31% (Dilma 15%, Serra 12%, Ciro, ainda candidato, e Marina, juntos, 4%). O que quer dizer, inversamente, que 70% dos entrevistados não estava muito certo a respeito do que vai fazer em outubro.

Mas há uma dimensão destas eleições que permite ver, com mais clareza, as dificuldades da disseminação da informação política em um país como o nosso: a proporção de eleitores que identifica corretamente a candidata de Lula. Não deve ter havido, nos dois últimos anos, algo mais noticiado que o nome de Dilma. No entanto, quando se pergunta quem é “o/a candidato/a” de Lula sem apresentar lista com nomes, cerca de 40% dos entrevistados não consegue acertar. Mesmo com estímulo, ainda são 30%.

Tudo que as pesquisas de agora dizem deve ser entendido dentro desse quadro. As variações entre os institutos e as flutuações entre seus resultados têm aí sua principal explicação. Decorre também dele a atual estrutura das intenções de voto. Somente quando aumentar o interesse e a informação dos eleitores teremos melhores condições de visualizar o que vai acontecer em outubro. Por enquanto, temos apenas indícios e pistas.


13 comentários

  1. FILET MIGNON
    domingo, 2 de maio de 2010 – 20:45 hs

    O desinteresse está diretamente ligado à corrupção, aos maus exemplos dos homens públicos, ao ponto dos jovens preferirem falar de tudo, até de pornografia, do que de política.
    Aliás, pornografia por pornografia, melhor a pornografia real do que aquela promovida pelos políticos… Pornografia ética…Pornografia da corrupção… Pornografia das improbidades… Pornografia das ideologias… A SURUBA IDEOLÓGICAS das coligações…
    Um País onde a Lei Eleitoral não contempla o VOTO DISTRITAL, descompensando reiões que permanecem sem representações…
    Um País onde os Partidos Políticos não observam os valores éticos comportamentais de seus filiados e candidatos, não valorizam a competência e sim a conta bancária desses.
    Um País que oferece aos eleitos tantas benesses, tanta proteção que eles vilipendiam, prevaricam, corrompem e são corrompidos, praticam improbidades de toda sorte…
    O horário político gratuíto pela televisão deveria ser proibido para menores de 75 anos e estes, com autorização expressa de seus país.
    Um dia, se DEUS QUISER HAVEREMOS DE TER UM PAÍS QUE VALORIZE OS HOMENS DE BEM!
    É bem correto eu assegurar que já estarei morto, porém, talvez, meus netos assistam esse dia! Quem sabe?

  2. TUKU NARE
    domingo, 2 de maio de 2010 – 21:21 hs

    e a verdade nua e crua, nesses encontros que sao realizados so comprece funcionarios publicos, que nem sempre sao comprometidos,com os personagens
    presente, vamos ter muitas zebras nessas eleiçoes.

  3. ▄▀▄†Ψ REQUEIJÃOΨ†▄▀▄™
    domingo, 2 de maio de 2010 – 21:44 hs

    O FHC aí só aprofunda Desnteresse dos Eleitores.

  4. domingo, 2 de maio de 2010 – 23:44 hs

    Dia Internacional da Liberdade de Imprensa

    Registro aqui minha admiração pela coragem dos profissionais de imprensa que por suas palavras e /ou imagens alicerçadas na livre expressão, foram ou são vitimas dos perigos inerentes a própria vocação. Não raramente são perseguidos, intimidados, extraditados, agredidos moral ou fisicamente e até mortos por conta do ofício baseado em ser linha de frente da história.

    É consagrado na Declaração dos Direitos Humanos que todos podem “procurar, receber e difundir informações e idéias por qualquer meio de expressão”. Portanto, a repressão, a intimidação e a interferência em uma informação incitam a regressão da democracia, representam um obstáculo ao desenvolvimento social e uma deliberada ameaça à segurança de todos.

    Neste dia 03 de maio, comemora-se a liberdade que conquistamos e a que ainda devemos conquistar face à repressão evidente contra os meios de comunicação, suas informações, opiniões e idéias.

    Parabenizo meus caros e corajosos amigos da imprensa e brindo com esperança de que nosso trabalho possa ser realizado livre de ameaças, sem medo e sem qualquer tipo de limitação, num futuro que seja o mais próximo possível.

    Pryscila Vieira – cartunista

  5. segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 1:00 hs

    Meu sobrinho que tem oito anos de idade, questionou-me sobre o Horário Eleitoral Gratuito:

    – O HORÁRIO É ‘GRATUITO’ POR QUE NÃO VALE NADA?

    O que eu respondo?
    Triste.

  6. Marcos Cordeiro
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 8:56 hs

    Liberdade essa conquistada, com muita luta pelos nossos avós, pais que idealizaram o melhor para nossas gerações, mas que nós não damos o devido valor ao aceitarmos calados coisas erradas como, drogas, desrespeito, desigualdade, corrupção, etc… Nos vemos de mãos atadas por que queremos, por quê há DESINTERESSE em tudo! O jovem de hoje é inerte, não sabe oque quer e nem qual o futuro que deixará para seus filhos e netos. Acorda juventude, antes que o sonho acabe!

  7. CHAPOLIN COLORADO
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 10:31 hs

    MELHOR É ELEGER O CHAVES E KIKO OU NO LUAN DA CUT.
    ELES TEM MAIS AUDIÊNCIA OU POPULARIDADE DOS QUE ESTÃO POR AÍ.
    É DESANIMADOR NOSSA DEMOCRACIA VAI PRO RALO SE NÃO TOMARMOS CUIDADO.
    CHEGA DOS MESMOS.

  8. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 11:00 hs

    Engraçado:
    NO ELEITORADO DO LULA/PT/DILMA/ESTRELA – NÃO SE PERCEBE NENHUM DESINTERESSE.
    E olha que ainda falta há muitos – conhecerem a VERDADEIRA ESTRELA e não o perfil traçado pelo blog da MENTIRA.
    Deixa começar o horário político eleitoral…

  9. Silvano Andrade
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 11:01 hs

    Corrupção política, urna eletrônica suspeita, salários baixos, obrigatoriedade de voto…tudo isto contribui para o desinteresse…

    Na minha modesta opinião, só quem ganha com eleição é classe dominante.

  10. Jose Carlos
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 12:29 hs

    Vamos convir que o pai de todos os males políticos brasileiros é o maldito voto obrigatório… defendido com unhas e dentes pelos políticos, pois, o voto obrigatório é o esteio da vagabundagem política… se esta raça fosse obrigada a convencer os eleitores a saírem de casa no dia das eleições a coisa seria bem diferente… teriam que mostrar serviço, ter idéias novas e inovadoras, fazer pirueta e plantar bananeira para que o eleitor fosse às urnas… o sistema do voto obrigatório – defendido até pelos militares – faz com que os políticos pouco se lixem para os eleitores, pois eles tem que sair de casa para votar em alguém, sob pena de multa e uma dezena de restrições em seus direitos de cidadão, se é que isso é cidadania… há toda uma burocracia estatal que se sustenta do voto obrigatório, criando complexidades cada vez mais caras para o contribuinte, sob o pretexto da manutenção da democracia… o maior golpe na vigarice e na vagabundagem política do Brasil seria o voto facultativo, para fazer os políticos cagarem sangue para tirar o eleitor da tranquilidade do lar e ir votar…

  11. bettonn
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 13:17 hs

    porque so ganham os radialista, sindicalista e muitos ….istas so esta pergunta porque kkkk cuidado do povao

  12. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 13:48 hs

    Onde o VOTO É LIVRE – o desinteresse é MUIIITO MAIOR!!!

  13. TUKU NARE
    segunda-feira, 3 de maio de 2010 – 19:30 hs

    AO
    FILET MIGNON
    Meus parabens, pelo seu profundo comentario de 02 05 10
    as 20 45h, e a verdade nua e crua. sobre a decepçao dos eleitores.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*