Lula recebeu carta de Obama antes de viagem ao Irã | Fábio Campana

Lula recebeu carta de Obama antes de viagem ao Irã

Via Blog do Josias

O presidente dos EUA, Barack Obama enviou uma carta. Chegou faz 15 dias. Antes, portanto, da viagem de Lula a Teerã.

No texto, Obama faz menção à encrenca nuclear. O governo brasileiro sustenta que o miolo do acordo celebrado com o Irã teve inspiração na carta.

A repórter Natuza Nery teve acesso a trechos da correspondência. Num deles, Obama anotou:

“Do nosso ponto de vista, uma decisão do Irã de enviar 1.200 quilos de urânio de baixo enriquecimento para fora do país geraria confiança…”

“…E diminuiria as tensões regionais por meio da redução do estoque iraniano” de LEU [urânio levemente enriquecido na sigla em inglês].

O acordo de Teerã prevê a troca de urânio por combustível. Os 1.200 quilos do minério ficariam “depositados” na Turquia. Noutro trecho, Obama escreve:

“Nós observamos o Irã dar sinais de flexibilidade ao senhor e outros, mas, formalmente, reiterar uma posição inaceitável pelos canais oficiais da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica)”.

No acerto de Teerã, mediado por Brasil e Turquia, o Irã concordou expressamente em informar à AIEA, por escrito, acerca da sua nova disposição.

A comunicação ocorreria, segundo ficou combinado, em até sete dias. Esse prazo expira na próxima segunda (24).

Obama disse na carta que a eventual celebração de um acordo prevendo a troca de combustível nuclear do Irã criaria uma atmosfera de “confiança” no mundo.

Deu-se, porém, o oposto. Um dia depois do anúncio do acordo, os EUA anunciaram ter chegado a um consenso quanto à imposição de novas sanções ao Irã.

Levou-se ao Conselho de Segurança da ONU, a toque de caixa, o esboço da resolução punitiva.

O Planalto e o Itamaraty alegam, nos subterrâneos, que a reação da Casa Branca contrasta com o teor da carta de Obama a Lula.

O argumento é válido até certo ponto. O Ponto de interrogação. Mal celebrara o acordo com Brasil e Turquia, o Irã fez um anúncio que tonificou a desconfiança.

Autoridades iranianas informaram que o país continuaria enriquecendo urânio em seu território. Algo que EUA e Cia. não admitem.

Assim, a despeito da carta amistosa, tudo faz crer que Washington não refluirá de sua posição inamistosa.

A imagem é da Folha e da Reuters.


11 comentários

  1. sexta-feira, 21 de maio de 2010 – 23:21 hs

    MAIS UMA MÁ-CRIAÇÃO DA DIPLOMACIA MEGALONANICA

    O título que está na Folha Online, com base em informações vazadas à Reuters, é este: “Antes de acordo, Obama disse a Lula que tratado nuclear com Irã criaria confiança”. É o Itamaraty trabalhando. Cartas trocadas entre presidentes só vazam com a concordância do remetente e/ou do destinatário. Como não foi Obama que a tornou pública, então foi Lula, por intermédio de Celso Amorim e sua turma. A idéia, como se nota, é caracterizar Obama como contraditório e sugerir que ele incentivava o “acordo” porque, sei lá, talvez não estivesse acreditando na sua viabilidade.

    Prestem atenção, no entanto, ao que vai no post abaixo. De antemão, o presidente americano deixa claro o que consideraria inaceitável nas negociações com o Irã: a possibilidade de o país continuar a enriquecer urânio. Ora, qual é o sentido da “troca”? Fazer fora do país o que se considera inaceitável que se faça dentro. Sem essa interdição, a troca é só um truque para enganar trouxas.

    Onde o governo brasileiro está tentando vender uma contradição existe, na verdade, coerência e aviso prévio sobre os caminhos que o Irã não deveria percorrer. Em outubro do ano passado, o país já havia concordado com a troca; recuou porque não aceitou os demais termos da proposta. No que consistiu o grande “acordo” costurado por Brasil e Turquia? “Vamos esquecer os demais termos; limitemo-nos à troca”. Ora…

    A divulgação da carta é uma tentativa de ganhar a opinião pública, nada além disso. E, de certo modo, é também uma rendição aos fatos. Restou ao Brasil voltar à velha desculpa de manual: “A culpa é duzamericânu”. É como se Rússia, China e França, por exemplo, todos eles um tanto antiamericanos em graus variados e por diferentes motivos, fossem obrigadas a concordar com a Casa Branca. A defesa das sanções não é feita só pelos EUA, mas pelas cinco potências.

    Vazar a carta de Obama para tentar criar marola, como se o presidente americano estivesse faltando com a palavra empenhada, é só mais uma má-criação da diplomacia megalonanica. Já apontei a proximidade entre o cérebro e o fígado de Amorim. Agora, parece que trocaram de lugar.

    fonte: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/mais-uma-ma-criacao-da-diplomacia-megalonanica/

  2. Tudo dominado
    sábado, 22 de maio de 2010 – 9:40 hs

    É muito simples: publique a carta. E não fique procurando desculpa pela m…. que fez.

  3. Silvano Andrade
    sábado, 22 de maio de 2010 – 10:51 hs

    O Lula só se defendeu do Mau-caratismo norte-americano…

    sempre naquela linha “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.

    o obama quer ter o mesmo carisama do Lula, mas não consegue nem se aproximar.

    ACABOU O COLONIALISMO EUROPEU E A CHANTAGEM ESTADOSUNIDENSE…AGORA É NO PORRETE.

  4. Vigilante do Portão
    sábado, 22 de maio de 2010 – 12:05 hs

    Mais um “grande serviço” do “ENGANADOR” LULA.
    O tal acordo, é “CAPENGA”, serve apenas ao interesse dos Iranianos. Deve ter “corrido uma boa grana, pora que o Brasil desse o aval.
    Na prática, o tal acordo, é semelhante ao que o Irã assinou com a Comisão Internacional de Energia Nuclear. Assinou e não cumpriu.
    É um embuste, apenas para ganhar tempo.
    Nós que não temos nada com essa história, vamos passar recibo.
    A Gazetona, publicou matéria, na edição de hoje, (essa repetida acima), informando que o Obama, em carta ao Lula, teria dito que a “remessa de Urânio Iraniano, para enriquecer fora, seria um bom sinal”.
    Acontece, que essa era apenas UMA DAS COLOCAÇÕES da CARTA.

    A Gazetona recebeu o “RELEASE” e publicou, sem tomar o cuidado de checar.
    É a tal COMODIDADE, sentados nas confortáveis poltronas, publicam todasas matéria que recebem, principalmente as que “não custam nada”.

  5. Divanir
    sábado, 22 de maio de 2010 – 12:31 hs

    O que Lula vai conseguir com isto é uma animosidade entre EUA e Brasil. É bem o tipo dos companheiros do PT, estão querendo o que? enfrentar os EUA e as cinco potências do mundo. É bem o tipo de gente pequena, só serve para arrumar confusão entre os grandes.
    Talvez Obama tenha enviado esta carta realmente incentivando Lula à fazer um acordo com o Irã, só que Obama pensou que Lula fosse mais capaz, e não se deixasse enganar pelo Armadinejad. Quanta incompetência heim Lula?

  6. sábado, 22 de maio de 2010 – 13:51 hs

    Essa “carta” foi mais uma plantinha, para enganar o povo

  7. Carlinhos
    sábado, 22 de maio de 2010 – 14:44 hs

    E o cotovelo continua doendo.

  8. walter
    sábado, 22 de maio de 2010 – 15:55 hs

    e agora pig nojenta, bateu no Lula, e ele sempre esteve certo.

  9. Luis Gringo
    sábado, 22 de maio de 2010 – 15:58 hs

    Torcer contra o Brasil e o que sobrou para os incompetentes de plantão.
    A carta não e divulgada por ser cofidencial entre presidentes, mais na verdade o Obama assinalou com a posibilidade de acordo nos termos que o BRASIL fez na figura de seu Presidente.
    O que prevalece neste conflito é na verdade a pressão das industrias de armas para mais uma invasão, e o gosto que tem do povo yankee pelos conflitos armados.
    Quem realmente faz m..como diz o “tudo dominado” e quem invade um pais acusando que temarmas biologicas que nunca apareceram, e quem torce contra um acordo dentro de uma ignorancia sem tamanho sem se importar com o que pode acontecer com o povo daquele pais so por ser contra o Presidente Brasil.
    Parabens a diplomacia brasileira.

  10. ESTRELA CADENTE
    sábado, 22 de maio de 2010 – 23:04 hs

    Neste episódio o Lulla se transformou no bobo da corte.

  11. escobar
    segunda-feira, 24 de maio de 2010 – 9:11 hs

    Imagine o lula, depois de uns gole, lendo a carta do Obama.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*