Lamentações de Londrina | Fábio Campana

Lamentações de Londrina

O Bonde News de hoje noticia que as igrejas lideram o ranking de poluição sonora em Londrina. Dos 70 alvos de fiscalização pela Secretaria de Meio Ambiente da cidade, a maioria são templos. Ultrapassam mais decibéis até do que bares e postos de gasolina.

A nota faz lembrar crônica de Dalton Trevisan publicada no livro Dinorá, ainda em 1994. Em Lamentações da Rua Ubaldino, a Igreja Central Irmãos Cenobitas, que se instalou no número 666, perturba os vizinhos. Veja trechos:

“No princípio era o silêncio na rua Ubaldino.

O Senhor dos Exércitos enviará maldição aos predadores do sossego.

Irmão cenobita ó irmão cenobita que torturas o sossego e flagelas os que te são vizinhos. Ai de ti irmão ai de ti cenobita.

Mais fácil passar um camelo pelo fundo duma agulha do que entrar um guitarrista no reino de Deus.

Ah! espada do Senhor até quando descansarás na tua bainha?”


4 comentários

  1. sexta-feira, 7 de maio de 2010 – 11:06 hs

    E o problema em São Paulo é o mesmo: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100503/not_imp546009,0.php

  2. Evangélicos não cometem crimes
    sexta-feira, 7 de maio de 2010 – 11:47 hs

    A Lei de Crimes Ambientais, na intenção do Legislador, previu a conduta de “produzir sons, ruídos ou vibrações” tipificada no artigo 59 da Lei n. 9.605/98 – que foi vetado pelo Presidente da República. Eis a redação prevista:
    Art. 59. Produzir sons, ruídos ou vibrações em desacordo com as prescrições legais ou regulamentares, ou desrespeitando as normas sobre emissão ou imissão de ruídos ou vibrações resultantes de quaisquer atividades:
    Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

    Trata-se exatamente da conduta atribuída às igrejas – mas não é crime.

    “Foi excluída a incriminação na forma original por pressão das igrejas evangélicas, que pregam cantorias em seus cultos, tanto assim que os pastores e parlamentares evangélicos se faziam presentes no momento da solenidade de autógrafo da Lei dos Crimes Ambientais.” (MIGLIARI JUNIOR. Crimes Ambientais. Campinas-SP: CS Edições Ltda. 2004, 2ª edição, p. 5-6)

    Para esses casos, sobrou a Lei das Contravenções Penais, cujo artigo 42 não foi revogado pela Lei 9.605/98:
    Art. 42 – Perturbar alguém, o trabalho ou o sossego alheios:
    I – com gritaria ou algazarra;
    II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
    III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
    IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem guarda:
    Pena – prisão simples, de 15 (quinze) dias a 3 (três) meses, ou multa.

  3. observando
    sexta-feira, 7 de maio de 2010 – 17:02 hs

    Não sei onde li:
    “Não grite, Jesus não é surdo!”

  4. Ah, tá...
    sexta-feira, 7 de maio de 2010 – 18:43 hs

    Pensam que Deus é surdo?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*