Evangélicos de sessenta igrejas marcham em Curitiba | Fábio Campana

Evangélicos de sessenta igrejas marcham em Curitiba

De Cintia Végas no Paraná Online

Integrantes de cerca de sessenta igrejas evangélicas de Curitiba e região metropolitana se reuniram ontem, na capital, para mais uma edição da Marcha para Jesus. Logo no início da manhã, eles começaram a se concentrar na Praça Santos Andrade e em seu entorno, resultando no bloqueio de diversas ruas por parte da Diretoria de Trânsito de Curitiba (Diretran).

Às 10h15, com cinco caminhões de trio elétrico, foram em caminhada até o Centro Cívico, passando por ruas como Marechal Deodoro, Marechal Floriano e Cândido de Abreu. Na saída da Santos Andrade, o trânsito na Marechal Deodoro, na quadra entre as ruas Tibagi e Conselheiro Laurindo, precisou ser invertido para evitar maiores congestionamentos.

No Centro Cívico, onde foram montadas diversas barracas de alimentação, os integrantes das igrejas permaneceram até o início da tarde. O evento contou com a participação de diversos jovens, que entoavam músicas de caráter religioso. Porém, também havia entre seus integrantes famílias com crianças e mesmo idosos. O objetivo era pedir por uma cidade mais pacífica, através da fé em Jesus Cristo.

“Com a marcha, queremos manifestar publicamente a unidade entre as igrejas evangélicas e mostrar à população a representatividade do povo de Deus. Lutamos por uma cidade com mais amor, menos drogas e violência”, disse o pastor da igreja Bola de Neve, Marcelo Bigardi.

Durante a marcha, também foram recolhidos alimentos para entidades carentes e cadastramento de doadores de medula óssea, através da Secretaria de Estado da Saúde. Segundo informações de agentes da Diretran, a estimativa é de que cerca de 20 mil pessoas tenham participado do evento. Já os realizadores da marcha falavam em 70 mil..


24 comentários

  1. Curitiboka
    domingo, 16 de maio de 2010 – 10:42 hs

    Enquanto isso………. a coleta de $$$ é grande!! É a *E*X*P*L*O*R*A*Ç*Ã*O* da fé!!

  2. Mutuka
    domingo, 16 de maio de 2010 – 10:51 hs

    E o Pessutão lá, atrás de votos.

  3. TUKU NARE
    domingo, 16 de maio de 2010 – 10:56 hs

    ALGUNS EVANGELICOS SAO MERCANTILISTA DA FE, SE ENVOLVEM NA
    POLITICA E JA SE CORROMPEM, E VENDEM A ALMA PARA O DIABO.

  4. Jesus amado
    domingo, 16 de maio de 2010 – 16:20 hs

    E eu que moro no Centro Cívico fiquei o dia inteirinho sem conseguir descansar, assistir a um filme tranquilamente, em função desses crentes. Haja saco pra aguentar a politicagem que parte do município e do governo do Estado. Uma baderna generalizada, uma algazarra sem fim… Tomara que, pelo incômodo que me causaram, ao menos tenham rezado por mim o suficiente.

  5. Observador
    domingo, 16 de maio de 2010 – 20:12 hs

    Oxalá sigam o ensinamento de Jesus. Rezar ao amigos é filé, tomara que tenham rezado aos pedófilos, no lugar de escraxar … Isto é ser Cristão.
    Não sei se seguem, não são sucessores dos Apóstolos. Caramba, dez novas por dia … Será que alguma seria capaz de
    fazer o dedo do Lulla voltar ao normal?

  6. Luiz Mendonça
    domingo, 16 de maio de 2010 – 22:25 hs

    Coitados destes 5 idiotas q fizeram estes comenatarios, temos muitos que pedir por vcs para não irem direto para o inferno,
    É não ter o que fazer, mas aguarde logo logo vai ter a marcha de vcs A PARADA GAY, aí vcs estarão realizados e até participando não é.

    Luiz M.

  7. Juca
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 1:05 hs

    Mais respeito gente… mais respeito com o próximo

  8. Curitiboka
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 7:33 hs

    Luiz Mendonça,

    É comercio da fé sim senhor, milhares de pessoas se iludem com esses cafajestes travestidos de padres, pastores, ou qualquer outra denominação, com um objetivo único: *D*I*N*H*E*I*R*O*
    Prefiro fazer caridade doando comida àqueles que batem na porta de minha casa do que contribuir com essa corja.
    Quanto a parada gay e ao comércio da fé não tenho nada contra, o meu dinheiro não vai pra esse fim.

  9. Vinhoski
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 9:20 hs

    Desconsiderando o preconceito beligerante e a ausência da capacidade de raciocinar de Luiz Mendonça, estas manifestações religiosas, desde que autorizadas pelo poder público, deveriam se concentrar nos dias de domingos e feriados. Menos incômodo àqueles que não confessam o mesmo credo.

    No horário desta fuzarca evangélica, muita gente estava trabalhando e não merecia ter o seu cotidiano alterado ou impedido.

  10. JUSTA
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 9:27 hs

    LUIZ MENDONÇA, ME POUPE, SOU ANTI CRENTARADA.. SIM….MAS RESPEITO TENHO PENA DE VOCẼS SIM NA HORA DA PASSAGEM…CUITADOS…TIRAM O TUDO DAS PESSOA, QUANDO MAIS VOCÊ DOA MAIS ALCANÇARA UM LUGAR MELHOR NO PARAÍSO, FAZEM LAVAGEM CELEBRAL NOS COITADINHOS… “ESTE CINCO IDIOTAS QUE VOCÊ SE REFERE TEM TODA RAZÃO, … MAS VC COM CERTEZA É UM CRENTE FANÁTICO E NÃO TEM O MÍNIMO DE RESPEITO POR OPÇÕES SEXUAIS POR OUTRAS RELIGIÕES QUER SEJA ELA CATÓLICA, UBANDISTA, ESPIRITA….ETC…É UMA RELIGIÃO PREONCEITUOSA SIM…

  11. SÉRPICO
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 11:09 hs

    Quanta ignorância e intolerância nestes comentários! Glória a Deus que os cristãos se manifestem e órem por esta cidade que precisa tanto. Principalmente aí no Centro Cívico, palco de tanto desmando e corrupção. E aos incomodados, que Deus os abençoe.

  12. Observador
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 11:19 hs

    Um sorete se encontrar um só possessão demoniaca no velho testamento.
    O inferno em português não é o mesmo na linguagem bíblica.

  13. Humberto
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 13:30 hs

    Quem critica é porque não conhece e comete o erro em generalizar
    o assunto. As igrejas Petencostais estão salvando milhares de jovens do mundo das drogas e do crime, estas sim colaboram para um mundo de paz e quem financia tudo isso são os fiéis que cumprem com a sua obrigação com Deus e com a sociedade. Quando se fala em dinheiro a linha da razão se estreita, mas cuidado, critiquem com certeza para não cometerem injustiças e por favor façam a sua parte por um mundo melhor.

  14. Humberto
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 13:37 hs

    Ah!
    1º- Preconceito seja por “crentes” ou por “gays”, não é correto.
    2º- Todos têm o direito perante a constituição de expressar a liberdade de religião. Entendo que qdo o companheiro falou em passeata gay, quis dizer que estes podem fazer a sua passeata sem nenhum vizinho nos arredores se incomodar. Porque essa simpatia com o povo que prega a liberdade sexual e a antipatia com um povo que segue a Deus? Não pregariam vcs a liberdade e igualdade para todos os cidadãos?
    ABAIXO A HIPOCRISIA!

  15. valéria prochmann
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 17:28 hs

    É preocupante a forma como o Centro Cívico – onde moro há 26 anos e trabalho – esteja se transformando em “centro religioso”. O bairro é misto e tem inúmeros prédios residenciais. Sempre foi laico. Nos dias úteis, abriga manifestações de todas as naturezas possíveis: sem-terra, sem-teto, grevistas, servidores públicos, motoboys, guardas municipais, estudantes, bancários, etc. Mas nos feriados e finais de semana, o Centro Cívico sempre foi tranquilo, pacífico e restaurador. Desde o 2° gov. Requião, o bairro foi transformado em palco de manifestações católicas carismáticas (missas e procissões de dias das mães, pais, corpus christi, finados, etc) e evangélicas da “prosperidade” (igrejas mundial, universal e internacional), além do 1° de maio, comícios eleitorais, desfile militar 7 de setembro e carnaval, corridas e passeios ciclísticos. Os eventos religiosos abusam muito da boa vontade alheia especialmente dos contribuintes: poluição sonora de alto nível (como se deus fosse surdo), duração prolongada por horas a fio, desvios no trânsito e linhas de transporte coletivo, horas extras pagas a policiais e fiscais da URBS, módulos sanitários e ambulâncias de graça para quem tem dinheiro p/ contratar filmagem aérea. Boletos são distribuídos p/ participantes fazerem doações e pedidos a serem levados ao monte, desde q anexados os comprovantes de depósito. Autoridades municipais e estaduais estão coniventes com esta situação absurda, em que populares são colocados em transe coletivo e os ouvidos da vizinhança da Pça. Salete são alugados: ninguém assiste a um filme, lê, dorme, conversa, ouve música pq os padres e pastores não deixam! Estamos sendo coagidos a ouvir pregação religiosa em pleno centro cívico. Precisamos fazer um movimento intelectual e cultural para resguardar a laicidade das ruas e praças da cidade. Quem quiser rezar e orar é livre para fazê-lo em seus templos, mas não podem evangelizar os outros à força. Por favor, Fábio, ajude-nos, pois grande parte da mídia, municipalidade e governo estadual ignoram nossos apelos. Promotoria ambiental já está ciente e abriu um processo, mas a justiça tarda, como todos sabemos. O tempo passa e nossos ouvidos estão sofrendo. Moradores do C Cívico sentiram-se aliviadíssimos qnd Requião deixou o governo na ilusão de q a paz do bairro seria restaurada. Porém dia 21/4 houve marcha evangélica, depois foi 1° de maio, missa das mães e agora nova marcha, em junho vem corpus christi. Qnd poderemos gozar em paz do nosso descanso semanal legal? Em tempo: participam deste movimento pessoas de várias religiões, inclusive uma moradora evangélica do 7° dia.

  16. valéria prochmann
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 18:39 hs

    Sr. Humberto, o direito à liberdade religiosa é respeitado, como tbm o da manifestação gay. Porém há diferenças: a Parada Gay dura pouco tempo (no máximo duas horas), ocorre uma vez por ano e faz bem menos barulho, por paradoxal que possa parecer. Os eventos religiosos são praticamente mensais, com muitas horas de duração (7, 8h), descumprindo inclusive os termos da autorização municipal. Esta última marcha, p. ex., era para ser encerrada ao meiodia, conforme noticiado pela agência estadual de notícias do governo. Foi até as 6 da tarde. Causa indignação porque quem não professa tal fé não consegue usufruir do seu tempo de lazer em casa. Muita gente reclama dos transtornos no trânsito: uma conhecida levou 1h30 para conseguir pegar a filha pequena numa festinha por causa dos desvios do tráfego. Não está certo impedir o descanso alheio obrigando todos a ouvirem uma determinada pregação religiosa. Sou ateia e conheço pessoas espíritas, evangélicas, católicas, budistas, cristãs ortodoxas e agnósticas que se sentem incomodadas com a imposição a que estão sendo submetidas. A forma de manifestar a religião deve ser respeitosa em relação aos demais membros da comunidade e não abusiva e autoritária. As ruas e praças são espaços públicos, portanto, laicos e não podem ser tomados por religiões, que já contam com seus templos e isenções de impostos para professarem sua fé livremente. Todos devem se respeitar.

  17. loreno solis
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 19:22 hs

    Sr. Humberto, que tal levar a marcha para a sua rua? Não se trata de intolerância dos moradores do Centro Cívico, somos até bem tolerantes com uma gama bem diversificada de manifestações. Mas a pergunta é: por que tudo tem que ser aqui no Centro Cívico, mesmo nos feriados e finais de semana? Por que as marchas e seus ônus não são distribuídos por todos os bairros da cidade, uma vez em cada bairro? Por que penalizar somente o Centro Cívico e seus arredores (Ahu, Bom Retiro) com a barulheira e os transtornos? Há uma teoria de que seria por ser “símbolo de poder”. Então os religiosos querem mostrar “poder” e não apenas rezar / orar… Conheço pessoas que já venderam seus imóveis no bairro por causa desses eventos. Outras estão pensando em mudar de endereço pois não suportam mais. Isso é justo? Se o centro e bairros centrais forem esvaziados de moradores, logo se tornarão uma cracolândia. O centro precisa de moradores e os mesmos não devem ser “expulsos”. As pessoas religiosas têm suas igrejas para praticarem sua fé, podendo deixar as ruas em paz, ao menos nos feriados e fins de semana.

  18. Claudia Wasilewski
    segunda-feira, 17 de maio de 2010 – 20:11 hs

    É impossível, conviver com estes eventos. Eles duram horas a fio. Dia 21/04 exatamente 06:00 da manhã, começaram os fogos. CREDO!!! Ninguém merece em pleno feriado ser submetido a barulho, gritaria e trânsito parado. A única alternativa que tenho para chegar em casa é via Mateus Leme, passando o Bosque do Papa, para daí retornar, cortando caminho pelas ruas do bairro. A missa de Dia da Mães tinha volume tão alto que ouvi inteira, mesmo estando mais próxima ao Museu Oscar Niemayer.
    A Prefeitura precisa URGENTE disponibilizar um local para eventos cívicos, esportivos e religiosos.
    Fazendo esta crítica no twitter, tive que ouvir de um “ateu” que devo respeitar o culto a Cristo. Respeito todos os cultos, mas devo ter o direito ao culto ao silêncio.

  19. loreno solis
    terça-feira, 18 de maio de 2010 – 0:32 hs

    Com esse excesso de eventos religiosos no Centro Cívico, os moradores do bairro e adjacências estão se unindo, agendaram uma reunião para fundar uma associação de moradores e trabalhadores, entrar com uma ação popular de indenização e reservar a praça para cultos ao silêncio e à paz nos finais de semana e feriados. Também será feita uma lista de políticos que estão “patrocinando” esses eventos para distribuir entre os milhares de moradores do bairro com a recomendação “não vote neles que impedem o seu descanso semanal”.

  20. Sérpico
    terça-feira, 18 de maio de 2010 – 15:03 hs

    Sra. Valéria, o Centro Cívico é palco de manifestações de todos os gêneros devido a ser centro do poder. Quanto a senhora por ser atéia, vou desconsiderar as suas opiniões pois sei a quem a senhora serve, ou por vontade própria ou por ignorância.

  21. valéria prochmann
    quarta-feira, 19 de maio de 2010 – 17:13 hs

    Se o Sr. “Sérpico” – que não tem coragem para se identificar com nome e sobrenome – desconsidera minhas opiniões, não deveria responder aos meus comentários, para ser coerente. Usa ele o velho artifício de quem não tem argumentos para o debate: não podendo desqualificar o argumento, tenta desqualificar o argumentador. A manifestação dele é imprecisa e pretende colocar dúvidas sobre minha integridade moral e ética. Em respeito aos leitores, esclareço que não sirvo a ninguém, pois sou uma pessoa completamente livre, autônoma, independente e íntegra – uma condição privilegiada que pode causar inveja a quem engana ingênuos e desesperados em nome da religião para auferir lucros.

  22. Fernada
    sexta-feira, 25 de junho de 2010 – 17:09 hs

    Queridos…fikei com o coração apertado de ver cada comentário desses…
    Minha querida pra vc que disse que tomara que tenham orado por ti,pode ter certeza disso…e sabe mas quem vai calarte de tudo que falaram???o prório Deus…Eu posso provacar a cada um de VOCÊS como essa marcha muda muitas pessoas…E principalmente está escrito na Biblia que os tempos se fechariam e que nós que acreditamos na força do Espirito Santo não teriamos mas nossa liberdadde…mas querem saber de uma coisa EU JAMAIS DEIXAREI DELE POR PESSOAS IGNORANTES COMO VOCÊS!!!Mas só me digam uma coisa Senhores incomodados PROSTITUIÇÃO,DROGAS,ROUBO tá liberado???Ver mães chorando em caixoes enterrando seus filhos por causa desse mundão???
    Só espero uma coisa que quanto abrirem seus olhos não seja tarde!!
    Que Deus abençoe a cada um de vc’s!!
    Paz do Senhor….
    INCOMODADOS

  23. alex
    terça-feira, 13 de julho de 2010 – 0:26 hs

    que DEUS CONTINUE ABENÇOANDO ESSA CIDADE ATRAVEZ DA MARCHA PARA JESUS

  24. alex
    terça-feira, 13 de julho de 2010 – 0:27 hs

    e os encomodados que vão ler a biblia

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*