Curitiba é três vezes mais violenta que São Paulo. E empata com o Rio | Fábio Campana

Curitiba é três vezes mais violenta que São Paulo.
E empata com o Rio

De Aline Peres e Diego Ribeiro na Gazeta do Povo

Dados oficiais mostram que já temos 34 homicídios a cada 100 mil habitantes. São Paulo tem 11. O Rio, 34,8

Curitiba é três vezes mais violenta do que a cidade de São Paulo. De acordo com os dados oficiais apresentados pelo Mapa do Crime, di­­vul­­gado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), a capital paranaense – com uma população estimada em 1,8 milhão de pessoas – registrou 632 homicídios em 2009, o que representa uma taxa de 34 homicídios a cada 100 mil habitantes. A cidade de São Paulo – com 11 milhões de pessoas – atingiu 1.235 homicídios no mesmo ano, segundo o go­­verno estadual paulista. A média da maior cidade do país é de 11 assassinatos por 100 mil habitantes. A comparação só foi possível agora que a Sesp divulgou os dados oficiais, depois da saída de Roberto Requião (PMDB) do governo.

Quando os crimes da região me­­­­tropolitana de Curitiba são so­­mados aos da capital, os números são ainda mais preocupantes: fo­­ram 1.523 assassinatos em 2009 – o que, para 3,3 milhões de habitantes, re­­sulta em 46 homicídios por 100 mil ha­­bitantes. “A taxa de Curi­­­­tiba é bastante elevada em re­­la­­ção ao contexto nacional e de­­mons­­tra uma de­­­­terioração na cidade”, afirma Igná­cio Cano, doutor em Socio­­lo­­gia e integrante do La­­bo­­ra­­tório de Análise da Violência da Uni­­ver­si­­da­­de Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Se comparada com a capital flu­­minense, que tem uma população menor que São Paulo, o número ainda assusta. Enquanto Curi­­tiba vive com 34 homicídios/100 mil habitantes, no Rio de Janeiro, cidade sempre criticada pelo do­­mínio do tráfico de drogas, o índice é de 34,8, quase igual ao da capital do Paraná. Os cariocas registraram uma população de 6,1 milhões de pessoas no ano passado.

Os especialistas garantem: a es­­calada do crime contra a vida é preo­­cupante e não pode ser explicada de forma simples. “Existe uma combinação de fatores que po­­de explicar essa taxa alta. Pri­­mei­­ro, Curitiba é uma cidade que tem se desenvolvido muito rápido. Se­­gundo, a cidade tem uma posição geográfica de passagem no país”, explica o sociólogo e coordenador do programa de mestrado e doutorado em Educação da Ponti­­fí­­cia Universidade Católica do Para­­ná, Lindomar Bonetti.

Na opinião dele, Curitiba está en­­tre as capitais com infraestrutura mais precária na periferia da ci­­da­­de, o que favorece a violência. A so­­lução para frear a disparada dos ho­­micídios também é complexa. Os especialistas ouvidos pela Gaze­­ta do Povo são unânimes: apenas aumentar o efetivo policial não resolve. “Não basta apenas a presença policial. Hoje, a con­­cepção de segurança não pode descartar a participação dos municípios, principalmente no que diz respeito à prevenção”, enfatiza Tião Santos, integrante do Conselho Nacional de Segurança Pública e coordenador da ONG Viva Rio.

Para Santos, as prefeituras po­­dem se envolver mais na qualidade de vida do cidadão, desde a me­­lhoria da moradia, passando pelas atividades para a juventude, iluminação pública, até a criação de um programa que integre de forma mais concreta a guarda municipal com as polícias. “Tem de haver uma ação estratégica combinada. É preciso que os prefeitos assumam o papel que é deles também quando o assunto é prevenção.”

A Sesp, procurada pela reportagem, não quis se pronunciar sobre a comparação dos índices de homicídios.

São Paulo

Segundo Cano, da UFRJ, a queda na taxa de ho­­micídios na cidade de São Paulo é uma resposta a diversos fatores. Ele lembra que as políticas públicas têm tido contribuições na diminuição dos homicídios. Outro ponto destacado pelo sociólogo é um tanto curioso: a falta de concorrência entre os criminosos na capital pau­­lista. “A monopolização do crime é um item que impede os conflitos”, explica. Ou seja, o domínio da facção criminosa Primeiro Co­­man­­do da Capital (PCC) evita a guerra entre criminosos, contribuindo para baixar as estatísticas de homicídios.


24 comentários

  1. Precisão "Im"Precisa
    sábado, 1 de maio de 2010 – 10:57 hs

    Dá prá acreditar nos números do Rio oi de São Paulo???
    NÃO!!!!

  2. Celio Carneiro
    sábado, 1 de maio de 2010 – 11:16 hs

    Hoje não tem engano neste dados o sr. Ex-Secretario Sr. Delazari e Governador Sr. Roberto Requião não pode esconder a verdade…a nossa segurança foi a pior nesta década…
    vamos torce que novo secretário e governador mude situação e este dados.

  3. salete cesconeto de arruda
    sábado, 1 de maio de 2010 – 11:27 hs

    Isso acontece e sou testemunha – pelo abandona dos serviços púbicos e iniciativas que são simples como o APITO e tantas outras.
    Falem com as pessoas.
    Escutem o que as comunidades tem a dizer e verão que uma das principais variáveis para essa VIOLÊNCIA – está na não fiscalização do BARULHO – fora do permitido.
    CIDADE BARULHENTA É CIDADE VIOLENTA!
    Nova York atacou o BARULHO como uma das principais causas de violência. E prefeito não esteve aqui? Não disse isso? E como é que a PMC resolve os casos? Quantos funcionários tem? Quantos carros? Como é feito o PLANTÃO? Pense nisso. GENTE SEM DORMIR fica doente e briga. E se acidente. Acidente os outros. Morre. Mata. Mas ninguém vê isso.
    SEM CONTAR O BARULHO DA ASSEMBLÉIA…
    Quem pode sentir segurança vendo o estado e o município – por outras razões – se transformando na velha CHIGACO?!
    Coloca grade?
    Manda as “otoridades” para Catanduvas?
    As que não prestam é claro…

  4. Malabarista
    sábado, 1 de maio de 2010 – 11:33 hs

    Tenham certeza que o Dr.Serpa, Secretário de Segurança do Paraná do Governo Pessuti, fará em poucos meses, o que o ex.secretário de segurança não fez durante 7 anos no governo requiã e conseguirá reduzir os indices criminais em Curitiba e nos demais municipios do Paraná.

  5. Pier Paolo
    sábado, 1 de maio de 2010 – 13:28 hs

    HERANÇA QUE SEU DELAZARI DEIXOU QUANDO PASSOU PELA SEGURANÇA DO PARANÁ.
    UM DIA ELE OU SEUS FAMILIARES SERÃO VITIMA DA CRIMINALIDADE COMO EU FUI.

  6. Jacarezinho
    sábado, 1 de maio de 2010 – 13:30 hs

    Mas já se descobriu porquê: O ex-secretário tinha 4 olerites e passava grande parte do tempo, a contar dinheiro.

  7. Pepe Deodato
    sábado, 1 de maio de 2010 – 13:59 hs

    Quando cheguei em Curitiba a oito anos, notava que existia segurança na cidade.
    A partir de 2003, esse perfil foi definhando e chegamos onde estamos hoje.
    Nos ultimos 4 anos, venho falando a meus colegas de trabalho, que a RM de Curitiba é mais violenta que o Rio de Janeiro ou São Paulo.
    Em São Paulo, a policia esta na rua com motos, carros e até helicopteros, combatendo dia a dia o bandidismo.
    No Rio é bandido contra bandido e a policia mete o nariz no meio. Em Curitiba é bandido contra cidadão comum e a policia não aparece.

  8. sábado, 1 de maio de 2010 – 14:15 hs

    “A cidade da gente”

  9. José Diniz
    sábado, 1 de maio de 2010 – 15:55 hs

    Com o Delazari fora vai melhorar nossa segurança!!!

  10. Lucila
    sábado, 1 de maio de 2010 – 16:10 hs

    Notícia da Gazeta do Povo, pode ser que sim – pode ser que não.
    Qual será a verdadeira situação da segurança no Paraná? Tenho curiosidade em saber!

  11. Calunga
    sábado, 1 de maio de 2010 – 17:58 hs

    Essa foi a herança do Delazari e Requião.

  12. Leandro
    sábado, 1 de maio de 2010 – 20:10 hs

    Fora Delazari!

  13. Lelo
    sábado, 1 de maio de 2010 – 20:11 hs

    Faz um mês que o Delazari saiu! O que mudou? O novo Secretário não apresentou nenhuma proposta, e ainda não disse a que veio…Qual é a proposta do “novo” Governador para a Segurança?

  14. PRAÇA
    sábado, 1 de maio de 2010 – 21:38 hs

    Lucila,
    a segurança publica tem sofrido desvios sérios como vc pode ter acompanhado pela midia, muitos oficiais superiores só se preocupam com promoção, eles não querem que um soldado ganhe bem para ser o “pau mandado”, ele não pode estudar pois assim sua mente se abrirá e ele poderá provar que muitas vezes é melhor que o oficial. e a massa de manobra ” coronel falou tá falado”, “Requião falou tá falado”, tomara que neste novo governo as coisas melhorem, pois praça também é cidadão e como tal sofre as mesmas consequencias da insegurança, QUEREM MELHORAR APROVEM A PEC 300 E AÍ SIM COBREM

  15. Cezarneski
    domingo, 2 de maio de 2010 – 0:52 hs

    Tudo bem que o Delazari tinha lá seus problemas, mas esse
    Coronel Serpa o que apresentou de concreto como projeto
    estrutural para melhorar a Segurança Pública, até agora nada, absolutamente nada.Segundo fontes oficiais só têm viajado, viajado e muito lero lero.
    O Pessuti o Gafanhotão já está em plena campanha eleitoral,
    ele esqueceu que é Governador e tem que governar.

  16. Themis
    domingo, 2 de maio de 2010 – 1:03 hs

    Nós estamos presos e os criminosos tomaram conta da nossa cidade, não se encontra a polícia mais na rua. Não existe mais blitz de trânsito, jovens se embreagam atá as 8 horas da manhã nos postos de gasolina, gritam, xingam, brigam e ainda matam inocentes na volta para casa. Os policias tem um salário vergonhoso. Talvez a saída seja o aeroporto.

  17. Break
    domingo, 2 de maio de 2010 – 9:46 hs

    Governo Requião e agora do Pessuti tem 100% de culpa no aumento da violência no Paraná. Em 7 anos nada fizeram para mudar este quadro já previamente anunciado.

  18. espartano
    domingo, 2 de maio de 2010 – 11:17 hs

    O povo tem que saber quem e EMILIANO DELAZARI que agora e funcionario do TRIBUNAL DE CONTAS.

  19. Sérpico
    domingo, 2 de maio de 2010 – 11:19 hs

    O que a desinformação ou a ignorância não faz. Dona Salete, a violência não tem nada à ver com o “barulho”. Este deve ser o único problema no seu condomínio de luxo na ilha da fantasia. Na verdade o que ocorre é que o tráfico de drogas dominou a cidade e se filtrarem os dados, verão que a maioria dos homicídios decorre disso. O crack virou problema de saúde pública, os viciados se multiplicam e o traficantes enriquecem às suas custas. E o pior, não são incomodados pelas autoridades. Eu já estou farto de ver traficante posar de empresário bem sucedido e não acontecer nada com eles. E me entristece mais ainda o fato de ser policial e não poder fazer nada, pois isso depende de iniciativas lá de cima.

  20. escobar
    domingo, 2 de maio de 2010 – 13:20 hs

    O combate à criminalidade parte do combate à corrupção nos poderes, com estes ficando sujeitos às penas ficarão receosos de colocar dinheiro público no bolso, com isso haverá dinheiro para combate à miséria social, esta a verdadeira causa da violência urbana. Portanto, que cada vez mais a sociedade e principalmente a imprensa cobrem das autoridades que tem por função fiscalizar e investigar que não deixem os “poderosos” tranquilos. Cadeia para os “justus” já.

  21. nelson
    domingo, 2 de maio de 2010 – 19:28 hs

    SEGURANÇA NÃO E SO POLICIAL, E TRABALHAR O SOSIAL, A EDUCAÇÃO, A GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA, DAR OPORTUNIDADE AOS MAIS POBRES, COM ESTES INDICES ALGO ESTA ERADO. TE VIRA LUCIANO.

  22. espartano
    domingo, 2 de maio de 2010 – 20:18 hs

    POVO facamos o seguinte raciocinio:

    QUANTO OS DELAZARI EMBOLSARAM DO ESTADO DURANTE OS MESES EM QUE MAMARAM NA TETA????

    LULINHA PIGMEU MORAL -SEC.SEG.+ CONSELHEIRO ELETROJO + CONSELHEIRO TRANSITO + CONSELHEIRO COPEL = APROXIMADAMENTE 20 MIL REAIS POR MES

    VELHO DELAZARI ACUMULAVA SALARIO DO MP PROCURADOR 20MIL + 15MIL COMO SECRETARIO = 35MIL REAIS POR MES

    EMILIANO DELAZARI O “ZE BUCHA” TINHA EMPREGO NA AL DEPOIS FOI GRATIFICADO COM SALARIO DE ASSESSOR DO TC SALARIO ESTIMADO DE 10 MIL REAIS.

    SOMEM DURANTE OS ANOS EM QUE ESSES VAMPIROS ESTIVERAM A FRENTE DOS CARGOS E CONSELHOS E TIREM AS SUAS CONCLUSOES.

    FAMILIA DE IMORAIS-GAFANHOTOS-IMPROBOS

    CADEIA NELES

  23. sexta-feira, 19 de agosto de 2011 – 18:10 hs

    Curitiba uma cidade triste!
    Quando se joga inseticida sem efeito no sótão da casa, as baratas não morrem mas migram para a sala.
    Os números não mentem. Quando avisaram os bandidos do Rio que seriam atacados e deveriam sair das favelas, escolheram a Curitiba, famosa cidade sorriso e despreparada para combater os bandido. Não foi só Curitiba, Balneário Comburiu os recebeu graças o seu pacato povo. Percebi isto quando morava lá.
    Mas agora em Curitiba, tive saudade da cidade sorriso que se tornou triste, amarga e violenta. Por descuido dos governos, as quadrilhas acharam nesta terra seu quintal preferido. Hoje tem quadrilhas que assaltam a sangue frio, dificilmente você encontra um estabelecimento comercial que não foi assaltado. O governo Paranaense se descuidou por demais do item de segurança. O rio tem menos bandido agora porque o sistema de segurança do Paraná é falho. Ouvi anuncio paliativos de segurança e que também servirão somente para assustar as baratas que certamente migrarão para cidades mais pacatas do estado. O Brasil precisa de medidas mais drásticas contra a bandidagem – eles ou nós.

  24. Antonio Freitas
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 – 11:25 hs

    Não é só a Secretaria de Segurança q tem culpa!!
    Porque não é só a polícia q deve trabalhar contra o crime!!
    Juízes e Promotores também!!!
    Mas, parece q todo mundo está preocupado só com seus vencimentos !! E nós que pagamos a conta, os pobres mortais, estamos largados a própria sorte!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*